quinta-feira, março 14, 2013

Adiós Champions

Retumbante e sem surpresa, porque este Porto de Vítor Pereira só consegue surpreender pela positiva.

Claro que há coisas difíceis de explicar e que fazem diferença, como Lucho a assistir ao remate de Isco (para o primeiro do Málaga) ou a forma como Defour se faz expulsar. Mas o Porto não perdeu por detalhes. O Porto, o seu fabuloso futebol inconsequente, criou duas meias oportunidades de golo no La Rosaleda. O Málaga foi superior em toda a linha (e ainda se pode queixar de um golo mal anulado).

Esta é a parte mais preocupante: a quebra de rendimento portista, na fase crucial da época. Veremos o que sobra para o campeonato. E se James reaparece antes dele acabar.

25 comentários:

Filipe disse...

Nõa é quebra de rendimento, é simplesmente a lesão de Moutinho num plantel algo limitado. O Porto durou meia hora, a meia hora em que o Moutinho ainda conseguiu correr um bocado. Se o Moutinho não recuperar o FCP vai ter um final de campeonato complicado.

Acho também que se está a desvalorizar demasiado o Málaga, por alguma razão passaram a fase de grupos.

Carlos disse...

Lesões de Moutinho e James numa fase crucial e com um impacto grande na equipa.
O disparate do Defour tb foi importante.

littbarski disse...

Ainda há bem pouco tempo, o Porto tinha vários jogadores indisponíveis (Atsu, James, Defour) e despachava os adversários com uma facilidade impressionante. Até o Izmailov corria como se tivesse 18 anos. Não é o Moutinho (embora faça obviamente falta). É a equipa que não é consistente. E por isso perde pontos quando menos se espera, como aconteceu em casa (e com Moutinho), contra o Olhanense, e por isso tem estas quebras de forma inexplicáveis que, a qualquer altura, atiram com a equipa para fora das provas em que participa.

Filipe disse...

littbarski, o Málaga venceu Milão e Real, não é a catástrofe que andam a querer vender.

Contra o Olhanense falhou a concretização, mas o meio campo dominou o jogo a seu bel-prazer. Aqui foi algo diferente, o FCP perdeu por completo o domínio do jogo.

littbarski disse...

Filipe, obviamente que o Moutinho e o James fazem falta (e mais falta fará Jackson, se tiver algum azar). Mas estes «apagões» são típicos do Porto de Vítor Pereira. Todas as equipas têm oscilações de forma, ao longo de uma época. Todas as equipas têm ausências importantes, ao longo de uma época. Mas as grandes equipas encontram formas de as ultrapassar. É isto que falta a este Porto. Falta-lhe confiança, fiabilidade, consistência. O Málaga ganhou ao Milan e ao Real Madrid, mas levou 3 do Bétis, perdeu com em casa com a Real Sociedad e com o Rayo Vallecano; já não ganhava há 4 jogos. É uma equipa forte, mas perfeitamente ao alcance do Porto. De outro Porto...

Joao disse...

Creio que Vítor Pereira têm os dias contados no Porto. Por duas vezes consecutivas o Porto sai da Liga dos Campeões ante adversários algo acessíveis...

A irresponsabilidade de Vítor Pereira começa se não me engano a partir do último jogo contra o Guimarães, depois de tantos elogios ao futebol da equipa o homem achou que tinha possibilidades de ganhar a toda a gente....

TaKuara disse...

O 11 titular do Málaga custou 24M€, já contando com os 9.5M€ de Toulalan e os 5.5M€ de Isco.
Acho que (se não estou em erro) só a defesa do FCP custou cerca de 50.
O Málaga tem bons jogadores, mas só emprestados são 4 ou 5, a custo zero vieram mais 4 ou 5, o médio centro era suplente do Leiria e o Weligton desceu de divisão com o Penafiel.
Acho que desta vez não há desculpas, se pensarmos que no computo geral das duas eliminatórias, o Málaga ainda se pode queixar de dois lances de arbitragem.

Acho que as indicações que vêm do treinador são importantes para a equipa.
E num jogo decisivo, deixar o 4-3-3 para jogar num disfarçado 4-4-2 losango, num jogo em que o FCP tinha de ser mandão, condicionou muito a atitude da equipa portista. É pena porque via-se que este Málaga abanava por todo o lado quando o FCP imprimia um pouco de velocidade, e aparecia sempre gente sozinha entre-linhas do FCP para receber a bola calmamente.

Vitor Pereira pAreceu o Jesus a inventar.

Pedro disse...

É impossível não adorar estes benfiquistas.

Neste blogue são todos polidos, educados e com opiniões mais ou menos acertadas. Fora daqui é só insultos.

Foda-se são cócegas a mais.

Quanto ao Porto, o que tinha a dizer, disse-o ontem em frente à TV. Não posso escrever aqui. É proibitivo a menores de 88 anos de idade.

Filipe disse...

"Neste blogue são todos polidos, educados e com opiniões mais ou menos acertadas. "

Não vens cá muitas vezes pois não?

Pedro disse...

Não conto com os dementes Filipe

Filipe disse...

Os portistas têm é inveja de não terem um jogador como o Jardel: marca um golo com as costas, faz uma assistência para o adversário com as costas, e ainda mete um auto-golo, desta vez com o pé. O Defour não chega aos calcanhares deste.

miguel.ca disse...

O problema do FCPorto foi basicamente um problema informático ao nível do chip que foi desformatado sem necessidade para se fazer o download de um programa vergonhosamente medroso perante um adversário acessível e com o resulto favorável.
A isso juntou-se o vírus lançado pela hostilidade Andaluza que inexplicavelmente abanou a estrutura mental de uma equipa que se julgava experiente nestas andanças.
Tacticamente Vítor Pereira voltou a cometer um erro magistral movido pela tacanhez tão típica de treinador de equipa pequena e a juntar a isso a habitual incapacidade genética de imprimir guerreirismo, espírito de luta e de sofrimento a equipa que a partir dos 20 minutos de jogo começou um autentico festival de passes falhados, de bicos desconexos para a frente e de novo aquele meio campo completamente perdido e órfão de uma ideia de jogo concreta.
O jogo de ontem fez-me viajar no tempo, fez-me voltar a época passada, aos mesmos disparates tácticos, a mesma dinâmica emperrada e a mesma confusão típica do Porto 2011/2012.
E parece-me, agora, claramente, que as falhas de Vítor Pereira nao se ficam só pelo capitulo táctico e motivacional numa altura em que constato que o Atsu não evoluiu uma virgula durante a época inteira, assim como o Kelvin, o Iturbe, o Kleber ou o Danilo e antes das pessoas rotularem estes miúdos de flopes talvez fosse interessante tentar apurar ate que ponto terá sido a pura incompetência do treinador que levou e tem levado estes miúdos a falhar de forma inegável.
Os Portistas reclamam frequentemente da falta de soluções, da falta de banco e eu pergunto... Será que com o Jorge Jesus, por exemplo, não teríamos estes miúdos todos prontinhos para entrar no 11 e fazerem a diferença? Não teríamos mandado o Varela para o River plate em vez do Iturbe? Vá-se la saber.

MC disse...

... " chip que foi desformatado " ...

Ui, mais uma novidade vinda diretamente dum andrade !

Desconfigurado . that's the word !

Pedro disse...

MC o FILHO DA PUTA. Já cá faltava um demente.

miguel.ca disse...

Olha....! O rato MC que foge as conversas inconvenientes saltou do buraco para dar uma bicada! És mesmo um triste, rapazola... um triste.

TaKuara disse...

O ano passado ao ver o Atsu jogar, pareceu-me estar ali o melhor jogador da liga "fora dos 4 grandes".
Vi que já era do FCP, e sinceramente fiquei triste por o Benfica não poder contar com aquele autêntico abre-latas que o Rio Ave ali tinha.

A época que ele (não) tem feito no FCP é uma autêntica surpresa para mim, porque achava que ele poderia ser titular indiscutível do Porto, e um substituto mais ou menos credivel de Hulk.
O golo que ele marcou ao Beira-Mar é apenas um "pedra no charco", de um jogador que neste momento apenas está formatado para correr pela linha, passar o adversário em velocidade e cruzar.

Atsu é muito mais que isso.

miguel.ca disse...

Absolutamente de acordo Takuara e não é o único. Por muito que me digam o contrario, continuo plenamente convencido de que o Iturbe tem tudo para ser um grande jogador assim como o Kelvin, autênticos desequilibradores.
Sou muito franco, eu não detesto o Vítor Pereira nem nada parecido e compreendo perfeitamente que seja um treinador em formação, em aprendizagem que demonstra ate uma capacidade acima da media para reconhecer o próprio erro e corrigi-lo. A ideia para o modelo de jogo que ele quer no FCPorto é excelente, em tudo semelhante ao do Barcelona só que ele não tem equipa para o por a funcionar nem o FCPorto tem dinheiro para lhe arranjar uns Messis, uns Fabregas e uns Xavis. João Moutinho não tem ninguém ao seu nível, o Lucho está demasiadamente lento, o Varela é uma nulidade e o Vitor Pereira ainda não percebeu que o lugar do James é a 10, no vértice superior do triângulo, nas costas de Jackson Martinez.
As falhas de leitura de jogo e de concepção táctica são recorrentes pela juventude e falta de experiência que ainda denota que conforme referi anteriormente fazem parte do seu próprio processo de aprendizagem.
O que me assusta verdadeiramente em Vítor Pereira e o que realmente me leva a pensar de que o FCPorto terá mesmo de partir para outra opção é a incapacidade de fazer evoluir os jogadores, dai as referencias a Jesualdo ou a Jorge Jesus.
Para lá do Atsu, do Kelvin, do Danilo, do Iturbe e do Kleber, podemos ainda juntar, por exemplo, o próprio Stefan Defour que é exactamente o mesmo jogador que era quando chegou ao Porto. Eu lembro-me perfeitamente de entre amigos fazer-mos a comparação directa entre o Defour e o Witsel que eram jogadores em tudo semelhantes. No final da época Witsel já era muito melhor do que o Defour.
O futebol Português e mais concretamente o FCPorto e o Benfica já há algum tempo que entraram numa nova era, meio por opção, meio por única solução que passa pela contratação de miúdos muito novos e ainda relativamente baratos da América Latina e pelo aproveitamento possível dos jovens da cantera numa tentativa clara de reduzir despesas numa era de crise económica profunda. Esse não é o futuro! É o presente, é o agora e a única forma de nos mantermos competitivos quer a nível nacional mas sobretudo a nível Europeu é desenvolvendo um trabalho profundo, profissional e altamente competente virado para este novo tipo de jogador de futebol... o catraio de 19 anos e torna-se cada vez mais claro de que Vítor Pereira não é o treinador para desenvolver esse tipo de trabalho... de todo.

littbarski disse...

Miguel, eu concordo parcialmente. O que dizes é verdade, mas temos de ser justos. Houve dois jogadores que evoluíram, e muito, sob o comando de Vítor Pereira: Mangala e Alex Sandro.

Esta época está a ser melhor do que anterior. Houve melhor futebol, melhores resultados (na Champions) e um discurso menos disperso de Vítor Pereira. O problema é que tudo isto parece preso por arames. Desde o jogo com o Olhanense que a equipa caiu claramente de produção. O discurso do treinador voltou a ser titubeante. Regressou a insegurança. E isto é, obviamente, mau. É um retrocesso.

Talvez Vítor Pereira precisasse de uma grande vitória para ganhar definitivamente confiança. Ganhar, por exemplo, dois jogos ao Leverkusen... O melhor de Vítor Pereira continua a ser mediano, apesar dos números do campeonato (mas aqui temos de ter em conta as circunstâncias: um desequilíbrio cada vez maior entre os dois primeiros e as restantes equipas).

Eu confesso que, a determinada altura, tive alguma esperança de ver Vítor Pereira surpreender-me pela positiva conseguir pôr a equipa a jogar um futebol forte e consistente. Desde o jogo com o Olhanense que essa esperança diminuiu substancialmente. Afinal, há mais semelhanças do que diferenças, em relação à época passada. Só espero que uma delas seja o Porto sagrar-se bicampeão nacional. Já não será nada mau. Mas não está fácil...

Joao disse...

Continuo a pensar que este Vítor Pereira é apenas um bom adjunto...

Há uma coisa que eu também não compreendo, se o campeonato é tão fraquinho porque raio de razão é que o gajo não dá espaço para as segundas linhas aparecerem? Porque raio de razão é que o Porto quando se põe em vantagem joga claramente a passo à espera que o tempo passe?

Haja Luz disse...

O problema é que lá fora esse clube joga mais vezes com onze do que cá, é essa a diferença.

MC disse...

..." Pedro disse...

MC o FILHO DA PUTA. Já cá faltava um demente.
14/03/13, 23:29 " ...

Não sabia que a sarjeta lá da rua continuava a ser o teu abrigo preferido!
Como deves andar a ressacar há mais de 24 horas, e com um enorme peso na cabeça(sim,é isso mesmo que estás a pensar.), naturalmente que não fiquei surpreendido com mais um dos teus habituais vómitos !

Não mereces muito mais:

O coice dói consoante a besta que o dá ...

miguel.ca disse...

Oh MC, tenta deixar de ser uma besta quadrada, tenta falar de futebol de uma forma seria, adulta e coerente e verás que num ápice passas a ganhar algum respeito por parte da restante comunidade, incluindo dos próprios benfiquistas que por aqui passam.
Enquanto optares por essa postura de rato de esgoto que se esconde debaixo do bueiro quando cheira a pesticida e apenas põe a cabeça de fora para arrotar postas de pescada vais continuar a ser vitima de pessoas que não se importam de descer ao teu razoavelmente baixo nível.
Esquece essa anormalidade doentia que é esse ódio demente e primário ao FCPorto, que te impede de expor um raciocínio claro e que faça sentido.

miguel.ca disse...

Littbarski, acredita que eu também pondero questões como essas, a evolução surpreendente do Mangala e não tanto a do Alex Sandro que já chegou ao Porto muito acima da media. Lembro-me que me rendi ao Alex ao segundo jogo que ele fez... Por essa altura já nem me lembrava do ultimo nome do Álvaro.
O Mangala sim, teve uma evolução estupenda mas... terá sido trabalho do Vítor ou o miúdo é mesmo um fora de serie?

MC disse...

..." miguel.ca disse..."
Para começo de conversa,"besta quadrada" é o irmão do teu tio!
Não te conheço de parte alguma portanto dispenso perfeitamente os teus conselhos; seria bem melhor que tipificasses nos teus comentários a imagem de pessoa normal que estás a tentar fazer passar ?
Eu normalmente falo de futebol com pessoas e não com apedeutas e idiotas primários!
Passa bem, e guarda os conselhos para quem os procura ...

Shame on you!!!

miguel.ca disse...

Então se optas por manter a postura de imbecil continuaras a falar para a quinta pata do cavalo e a seres insultado pelo Pedro. Pelos vistos é disso que gostas. Fica bem.