sábado, fevereiro 27, 2010

U. Leiria 0 x 1 Vitória

A primeira parte foi absolutamente deprimente, a começar nas bancadas, passando pelo terreno de jogo (só o diálogo Ronny-Nilson foi interessante), a terminar na dupla de comentadores que quase conseguiram adormecer três pessoas cá em casa. A segunda metade foi bem mais interessante. A União entrou muito melhor e ainda bem porque Nilson continua a fazer uma época fantástica e o Vitória conseguir passar a jogar em contra-ataque (até porque até aí, em ataque continuado, só Andrezinho e Rui Miguel conseguiram criar algo de importante). Aí sim, apareceu Nuno Assis, no seu habitat natural. Contei cinco jogadas, excelentes arrancadas perante uma defesa em pânico, com o seu cunho: a primeira (em que partilha o mérito com quem o desmarcou primorosamente) deu o penalty - a camabalhota final era escusada -, a expulsão do guarda-redes adversário e o golo da vitória; duas em que ofereceu o golo a companheiros (embora numa delas o passe final tenha sido mal medido); outra em que o próprio Assis rematou mal e uma quinta que Silas cortou de raiz com uma falta para amarelo antes que maiores males viessem ao mundo leiriense. Excelente segunda parte do homem.

Mas o herói vitoriano da partida foi Nilson, porque continuou na segunda parte aquilo que tinha começado na primeira. Isto porque o Leiria nunca deixou de atacar e de criar jogadas de perigo, mesmo reduzido a dez. Resumindo, foi um jogo difícil, em que o Vitória teve a sorte do jogo do seu lado e uma vitória muito importante, no terreno de um adversário directo, numa luta pela qualificação europeia que parece que é mesmo nossa. Fizemos muito menos do que contra o Paços de Ferreira, permitimos muito mais ao adversário, mas ganhámos e chegámos ao quarto lugar antes de um Sporting x Porto. Este ano está muito esquisito.

master kodro

7 comentários:

Fernando disse...

Sinceramente, não percebo essa desvalorização contínua do Nuno Assis. Ele insiste em desmentir as críticas que lhe são feitas, mas ainda assim...

Cumprimentos.

master kodro disse...

Oh Fernando, onde é que encontras uma desvalorização contínua num texto que se desfaz em elogios à exibição do homem no jogo de ontem? Se eu quisesse desvalorizar o Nuno Assis, achas que eu fazia um texto sobre um jogo que ninguém viu a dizer que ele esteve excelente e a contabilizar as jogadas de grande nível que executou?

JLC disse...

Eu vi o jogo, mas confesso que não tinha muito mais para fazer.

O tempo que foi necessário ao Leiria para meter o guarda redes suplente em campo foi ridiculo.


Resta-me apenas desejar que amanha estejas em quinto outra vez.

Vimaranes disse...

Haja alguém que também não viu uma grande exibição ontem. Por momentos, achei que era espécie rara. Mas depois de falar com um ex-jogador do Vitória esta tarde, percebi que afinal não era o único e depois de ler o teu post, felizmente fico com a mesma ideia.
Ganhamos.

Nuno disse...

Master, a desvalorização está na insistência ridícula de que o habitat natural dele é o contra-ataque... Os elogios foram feitos sob essa ideia preconcebida. E que é ridícula - não sei se já disse. Mas vai na volta e o Leiria é um grande, portanto, és capaz de ter razão em dizer que ele só joga bem contra os grandes...

fakada disse...

OLHA QUEM NAO ESCREVE SOBRE O SEU 2º CLUBE... O MASTER KODRO... ATE PAREC QUE NO FIM DE SEMANA NAO HOUVE CLASSICO!!! LOOOOLLLL ! ENFARDA!!!!

master kodro disse...

Nuno tens um défice de compreensão preocupante. O Assis não joga bem só com os grandes. O Assis põe em prática todas as suas qualidades em contra-ataque. E o Vitória nem sempre joga em ataque continuado, mesmo contra equipas com quem luta na classificação ou com pior classificação. Mas como tu não vês jogos do Vitória, nem sei porque me dou ao trabalho de te explicar algo que nunca compreenderás porque já tens todos os teus preconceitos bem consolidados.