domingo, setembro 02, 2012

Olhanense 2 x 3 Porto

Vítor Pereira não esperou pelo intervalo para enviar a mensagem aos jogadores: era pouco. Lucho, Hulk e Jackson tiveram o golo nos pés, mas faltava dinamismo e o Olhanense já vencia, desde os 13 minutos - aproveitando o corredor aberto por Alex Sandro e a falha na dobra de Maicon, Luis Filipe cruzou e Abdi fez o resto. Estes 9 minutos extra que James levou para o relvado, antes do intervalo, foram utilizados assim: aos 38 minutos isolou Moutinho e aos 43 marcou, fazendo o chapéu a Ricardo. Tempo é dinheiro e aos 22 segundos da segunda parte Jackson cabeceou ao poste, depois de um cruzamento de Hulk. Estava escrito o que aconteceria 3 minutos depois: passe de James a isolar Jackson e desta vez o colombiano não falhou. Hulk, que passou uma boa parte do jogo a ser assobiado por culpa própria, procurava insistentemente o golo e acabou por consegui-lo - uma bomba, como não podia deixar de ser. A equipa de Sérgio Conceição não se rendeu e Targino ainda conseguiu reduzir, mas a vitória estava entregue. Bem entregue.  

littbarski

18 comentários:

Jota Pê disse...

Dedicado ao Luisão: http://www.youtube.com/watch?v=tc_5x3SXKdE

Nuno disse...

Eu estou solidário com o Luisão:
http://www.youtube.com/watch?v=-NfnT5xDciI

Nuno disse...

Falando de coisas sérias, desta vez o VP mexeu e acertou em cheio,apesar daquela substituição do Lucho pelo Varela não entender lá muito bem.

Aquele miudo so rende jogando no meio,e quando joga nota-se a diferença.

O Anzhi também o queria :)

Tomé Silva disse...

Foram 30 minutos iniciais fracos da nossa parte,em que pelo meio sofremos um golo na 1ªvez que tivemos um remate á nossa baliza.

Apartir daí começamos a apertar o cerco e após a entrada de James acabamos por dominar os últimos minutos da 1ªparte.

Um início de 2ªparte fulgurante permitiu darmos á volta ao resultado e ter uma vantagem confortável.

Aqueles último minutos foram complicados psicologicamente,mas pelo jogo que fizemos este 2-3 é muito lisonjeiro para o Olhanense.

Agora teremos uma pausa de 3 semanas (só em Portugal) para limar algumas arestas em termos tácticos.

Abraço.

www.Vamosjogarnototobola.blogspot.pt

littbarski disse...

O lance do Hulk, aos 17 minutos. Por aquilo que eu pude perceber, a bola pertence ao Porto e o árbitro interrompe o jogo, por haver duas bolas dentro de campo. Gerou-se uma confusão que, após o lançamento da bola ao solo, o Hulk aproveitou para sair disparado em direcção à baliza. Não é bonito (e por isso ele foi assobiado), mas diga-se em abono da verdade que os jogadores do Olhanense foram muito ingénuos (esperavam o quê? Devolução de bola? Porquê?) e, pura e simplesmente, alhearam-se do lance. Vejam com quem reclama o jogador do Olhanense (Vasco Fernandes, salvo erro), no fim.

Fredy disse...

eles tavam era a fingir que não tavam atentos só para perder tempo.

Jota pê: perder tempo de proposito é fair play para ti?

fico à espera duma resposta..vamos lá ver a honestidade deste nosso amigo..vai ser giro hehe

Costa disse...

Da-seee....

Mas o que é que o Hulk fez de mal ?!

1. A bola esta na posse do Porto quando o arbitro interrompeu o jogo;

2. Os gajos do olhanense, não quiseram saber, viraram as costa e avançaram no terreno quando o arbitro deitou a bola ao solo.

Só faltava o Hulk deitar a bola fora para premiar o anti-jogo de quem deitou a 2.º bola para o campo, não era ?!

PS1. Fair-play deve ser o Jasus correr 20m para dizer ao seu gr que estava lesionado e tinha que cair.

PS2. Pelo menos o gajo do gel vai ter assunto para malhar no Bi-CAMPEÃO hoje.

Filipe disse...

O Atsu faz um jogo fraquinho, não é para ser titular ainda, tem que aprender a posicionar-se melhor.

Agora o Castro... como é que esse jogador consegue lugar no plantel principal do Porto? Se ele tem entrado 5 ou 6 minutos antes o Vitória arriscava-se a empatar o jogo.

LDP disse...

Eu não fui ver ao livra das regras, mas parece-me que numa bola ao solo o árbitro tenha de esperar que um jogador de cada uma das equipas esteja de frente para ele, é espera de disputar a bola quando esta toca no solo.

Essa penso que seja a base da existência da bola ao solo: devolver a bola ao jogo sem dar preferência a nenhum dos clubes. É uma bola dividida que tem de ser ganha porque houve uma interrupção forçada e imprevista.

Portanto o que o árbitro fez, repito, sem ter ido confirmar no livro de regras, foi uma maldadezinha ao Olhanense. Mas como é o porto a coisa passa, se fosse com um outro clube a palavra a usar seria "colinho". Penso eu de que.

Uma outra questão gostaria de mencionar. Na semana passada vi muitos portistas (e não só) a defenderem uma expulsão para Luisão pela falta cometida por trás a meio do campo...Se não estou em erro, Alex Sandro fez uma falta igual e no mesmo sitio do terreno. Assim sendo, onde andam as marialvas que tanto berraram por expulsões há uns dias?

LDP disse...

* livro das regras

Fredy disse...

ldp essa tua memoria..

naqueles jogos em que alguem se lesiona e o arbitro pára o jogo e depois faz bola ao solo e só lá vai o jogador da equipa que nao tinha a bola, que é para chuta-la para o outro lado do campo de forma a a "devolver"..isso não te diz nada pois não?

deves ver muitos poucos jogos..

ou então és só um hopocritazinha...

eu sei qual deles é...vamos ver se tu o admites ao menos :)

LDP disse...

Só ir o jogador que tinha a bola acontece muitas vezes, de facto. Normalmente quando a coisa nasce de uma lesão de um jogador, como dizes.

Mas os jogadores adversários não vão talvez porque já sabem que a bola, como estava da sua parte, será irremediavelmente devolvida por um adversário. Penso eu. Quando vejo isso, vejo que os jogadores presentes nessa zona do terreno (de qualquer das equipas) sabem que a bola vai ser jogada ao solo.

O que nunca tinha visto até hoje, e penso que nem tu, é o árbitro efectuar a bola ao solo perto de uma grande área sem que confirme que os jogadores da outra equipa estão preparados para disputar o lance. Junto do árbitro, ou longe por opção. Mas com consciência que o árbitro se apresta para reatar a partida.

Isto, hoje, não vi. Tu viste o árbitro assinalar a alguem do Olhanense que iria repor a bola em jogo naquele momento?

E sobre o amarelo, ou vermelho, ou ainda auto-expulsão como outros dizem, do Alex Sandro? Não dizes nada? Define lá a diferença entre este lance e o do Luisão na semana passada. Mostra-me que o Luisão deveria ter sido expulso e o Alex Sandro não.

Fredy disse...

ai tu não ves aquele "preto" (digo preto não como insulto mas apenas porque não sei o nome dele) a olhar para o arbitro quando o arbitro se prepara para lançar?

e o que é que ele faz? afasta-se por completo como se não fosse nada com ele!

mas la tá..ao menos admitiste que antes tavas a mentir, porque realmente já viste este tipo de lances umas mil vezes :)

quanto ao lance do alex sandro não comento porque não vi o jogo e só vi o resumo. e lá não apareceu isso. mas digo-te já que para mim o do Luisão o amarelo foi bem mostrado..isto se for o lance que tou a pensar.

miguel_canada disse...

Agora que o Hulk se foi não será altura de fazer explodir o Iturbe?

Filipe disse...

Miguel, o gajo ainda não mostrou nada, mas não merece uma coisa dessas.

O Iturbe (320 minutos no FCP) é para mim uma incógnita completa, ao nível de um Ola John (396 minutos no SLB). Não vi nada que indiciasse um fora de série.

miguel_canada disse...

A serio Filipe??? Nao estas a prestar a devida atencao entao! O Iturbe tem uma tecnica e um drible fantastico, tem velocidade e faro de golo faltando-lhe porventura alguma maturidade e rigor tactico, caracteristicas que se obtem jogando e nao sendo relegado para a bancada.
Outro jogador que merece disfrutar da ausencia do Hulk 'e o Kelvin mas sao precisas doses de "tomates" para arriscar com estes miudos e tomates nao abundam na cabeca do Sr. Pereira.
PS. Jornal "abola" e Sr.Rui Gomes da Silva... parem de tentar fazer os benfiquistas de burros! O Hulk foi vendido por 60 (SESSENTA) milhoes.

Rearviewmirror disse...

Pelo que diz o presidente do Zenit, parece que não...

Filipe disse...

«Faro de golo?» Marcou uma vez em 320 minutos e não foi um golo particularmente difícil.