sábado, junho 12, 2010

Inglaterra 1 x 1 Estados Unidos

A Inglaterra, na verdade, parece uma selecção de cinco: Terry, Cole, Lampard, Gerrard e Rooney representam o brilho da Premier League e da pátria do futebol, os restantes são do mesmo saco que os clubes portugueses costumam eliminar com uma perna nas taças europeias.

Esperava-se de Capello a arte para transformar um plantel de ricos e remediados numa equipa equilibrada e homogénea, mas a selecção inglesa foi quase sempre inferior tacticamente ao adversário, que continua a chamar soccer ao desporto mais bonito do mundo. Esta é, provavelmente, a verdadeira surpresa: um grupo de norte-americanos percebeu melhor os princípios do jogo aplicados a estes 90 minutos do que o treinador italiano que levou o Milan a campeão europeu em 1994.

Mesmo sofrendo um golo aos quatro minutos, por Gerrard, os Estados Unidos agiram com a confiança de quem sabe onde descobrir a felicidade, o que aliás respeita a essência do american way of life. A terminar a primeira parte, Dempsey viu em Green um aliado, num frango impensável a este nível, mas fica a sensação de que o empate era uma inevitabilidade, mesmo não fazendo sentido no desporto made in USA.

Nos segundos 45 minutos, os comandados de Capello intensificaram o volume ofensivo, embora encontrando forte resistência numa defesa bem comandada por Onyewu. Podia ter dado vitória para Sua Majestade, mas seria Altidore a protagonizar a oportunidade de golo mais evidente, quando atirou ao poste, numa noite em que Rooney raramente se libertou e pareceu demasiado longe da baliza.

kovacevic

4 comentários:

katanec disse...

Muito bem, my friend. Três notas:

1. O problema inglÊs com os GR é uma coisa inacreditável.

2. Excelente a organização dos EUA. Já esperava qualidade, mas teve momentos muito muito bons (só lhe falta um "10" e melhor banco para ombrear com os mais fortes deste campeonato).

3. Rooney jogou, de facto, muito longe da baliza. Não percebi o objectivo, mas falhou rotundamente. E já agora: Walcott não tinha lugar nesta equipa? Mal Capello...

JNF disse...

E Almunia? Não se naturalizou?

jose garcia disse...

os estados unidos são fortissimos colectivamente. todos os seus jogadores são bem dotados tecnica e fisicamente, mas é no jogo colectivo, quer a defender, quer a atacar, que reside a sua grande força.
jogam como equipa com uma disciplina que, curiosamente, até consegue fazer lembrar as equipas do antigo bloco de leste.

se forem encarados como pêra doce, como me parece que a Inglaterra acabou por fazer hoje, são bem capazes de ir causando alguns dissabores...

de qualquer forma, acho que este jogo foi um valente abre-olhos para a Inglaterra. Duvido que voltem a facilitar, e acredito que sejam o principal candidato ao titulo. é só um feeling...

kovacevic disse...

já fizeste a equipa?