terça-feira, setembro 01, 2009

Benfica 8 x Vitória Setúbal 1

Um resultado histórico, possível pela junção de dois factores que quase sempre ocorrem nestas ocasiões: a inépcia total do Setúbal e o futebol avassalador do Benfica. O caso do Vitória já tinha sido antecipado pelo Master Kodro: a combinação de jogadores inexperientes e frágeis (os centrais, meu Deus!) com um treinador igualmente novato, numa estrutura prestes a desabar, dificilmente pode produzir algo de positivo. Embora deste trio de situações mereça destaque Carlos Azenha, excelente como comentador desportivo, mas horrendo na abordagem do jogo propriamente dito: até a minha avó se deu conta de que o corredor direito dos sadinos era um absoluto passador.

Não desvalorizemos porém o "factor Benfica". Excelente entrada, personalizada, agressiva, pressionante, como tínhamos visto na pré-temporada, mas quase nunca nos jogos oficiais. Espírito de combate em todo o jogo e uma atitude competitiva que poucos clubes adoptariam numa situação de vantagem clara. A equipa poderá vir a pagar esta dinâmica - em termos físicos, sobretudo - mas como adepto só posso agradecer o espírito de conquista que Jesus trouxe para já ao clube. Não ganhámos nada, bem sei. Mas dá gozo ver a equipa lutar por cada bola e lançar-se destemidamente ao ataque quando já estamos a ganhar por 6-0.

Em termos individuais, quase toda a gente bem do lado encarnado. Destaque para Coentrão (início de época fabuloso), Di Maria (irreverente q.b., mas mais objectivo que no passado), Aimar (45 minutos perfeitos, coroados com um golo de bandeira) e Cardozo (o raquítico que marca golos que se farta). Javi Garcia (que cultura táctica!) e Ramires (jogador completo) também me encheram as medidas. Nota fraca para Amorim (quezilento) e David Luiz (saiu demasiadas vezes a jogar sem critério e de forma atabalhoada). Do outro lado, gostei de Hélder Barbosa. Os outros? Zero.

katanec

5 comentários:

último! disse...

Katanec,

Só discordo da análise ao Amorim, apelidar de quezilento um jogador que não perdeu uma bola (exagero) e jogou sempre em alta rotação (fez lembrar o Maxi) parece-me injusto mas são opiniões, respeito a tua mas discordo da mesma.

Cps

último! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luis disse...

O pior do Amorim é mesmo o último passe, que raramente sai. E depois, levar amarelo naquele jogo nao abona muito.

Bom jogo, excelente atitude. Concordo com o teor do post.

E o Saviola Katanec, que me dizes?

katanec disse...

Caro último, se costumas vir aqui ao 442 sabes que sou grande apreciador do Amorim, desde o primeiro momento. Creio contudo que ontem foi apenas mediano, num jogo onde os outros brilharam. Não gostei que tivesse visto amarelo, como sublinhou o Luís, e que se tivesse envolvido em quezílias posteriores (poderia ter acabado expulso). Não abona em favor da sua imensa inteligência, só isso.

Caro Luís, o Saviola tem um poder de desmarcação e uma qualidade de passe que raras vezes vi num jogador de futebol. Suspeito que se vai destacar por mais coisas, mas só por aquelas características já vale o bilhete! :) Abraço!

último! disse...

Lembro-me desse lance que falas e ter pensado o mesmo, ser expulso por causa de um lance parvo quando o resultado já estava em 6 ou 7 era muita parvoice mas discordo do resto, ontem para mim foi um dos melhores e o amarelo foi necessário.