segunda-feira, abril 20, 2009

Play it again, Sam # 27 - Metric

I fought the war but the war won (stop for the love of God!)
Perdi completamente a paciência para discussões de arbitragem há alguns anos, na sequência das discussões em torno de uma expulsão de Hugo Viana em lance com João Pereira. Porque acho que não levam a lado nenhum (porque ninguém quer ou consegue ser minimamente isento) e porque só servem como desculpas para a incompetência de dirigentes e jogadores. Até porque, na maior parte das vezes, quem tem que ganhar ganha, mesmo com erros dos árbitros. Mas como é disto que os caros amigos parecem gostar, vou dar-vos um pouco do veneno de que tanto gostam. Divirtam-se, que eu não meto cá os pés. Só falo de música.

1. Os caros adeptos do FC Porto terão alguma explicação para o facto de nem o árbitro, nem o auxiliar terem visto quer a mão de Raúl Meireles (longe do rematador, bola a caminho da baliza desviada, nenhum movimento de defesa do corpo, campo de visão livre e desimpedido), quer o fora-de-jogo de Farias no lance do terceiro golo do Porto? E o lance de Lucho (sublime a tentar jogar e a não se deixar subjugar pela matreirice reinante) no jogo com o Benfica serve mesmo para contrabalançar o outro lance (admitindo academicamente que foi penalty)?

2. Os caros adeptos do Sporting que se referem ao "golo anulado" (esta terminologia incompetente...) a Carriço por considerarem não ter existido pé em riste terão visto que um jogador do Vitória ficou isolado num lance em que também foi marcado pé em riste a João Alves? Critérios do árbitro à parte, o que é necessário, afinal de contas, para se assinalar jogo perigoso activo? E as 30 faltas assinaladas contra o Vitória (contra 10), também farão parte da conspiração?

3. Os caros adeptos do Benfica que se referem à mão de Raúl Meireles no jogo com a Académica, terão visto (ou terão alguma opinião) ou esqueceram-se deste lance narrado pelo Pedro Santos protagonizado por Miguel Vítor (naquele jogo em que foram barbaramente roubados), que, ao contrário do lance de Raúl Meireles, não teve direito a uma única repetição televisiva (e deixou o jovem cheio de dores abdominais durante curtos segundos)? E a "falta" de Hélder Cabral sobre Reyes (recorda-se que Reyes caiu de joelhos, o que é importante para as teorias) foi mais ou menos intensa do que a "falta" de Yebda sobre Lisandro?

4. Qual é a opinião verdadeira dos caros adeptos do FC Porto relativamente à presença de um árbitro em casa do vosso presidente nas vésperas de um jogo de futebol por ele (o árbitro) apitado?

5. Qual é a opinião verdadeira dos caros adeptos que acham que o presidente do FC Porto é corrupto relativamente ao sistema judicial que o ilibou, o sistema que era bom quando o acusou, quando o considerou arguido, quando o investigou sem que investigasse outros com indícios tão bons como os dele, e acabou com uma acusação num jogo que acabou empatado? E a história dos 2500 euros?

ps - Só uma nota, dez anos depois dos Quinhentinhos (contos) num jogo da segunda divisão, descobrimos através de uma pessoa interessantíssima (a Sra. D. Carolina Salgado, antigamente puta do caralho quando empunhava cartazes na Luz para o "Orelhas") que a inflação não chegou à corrupção no futebol, nem uma divisão acima. Deve ser a crise (que ainda não tinha chegado em 2004). Contratem argumentistas - todos - de melhor qualidade ou oiçam música, como eu.

Música: "Monster Hospital"
Álbum: "Live it out", 2005
Interpretação: Metric



ps - E se se apaixonarem pela vocalista dos Metric, ponham-se na fila.

master kodro

44 comentários:

luis disse...

A mim não me interessa, por si só, discutir se o lance A foi bem assinalado ou se o lance B não foi bem assinalado.

Todos sabemos que é IMPOSSÍVEL concluir que um determinado árbitro beneficia uma equipa, sem que haja confissão de culpa.

Logo, a questão da justiça é demasiado ambígua, no sentido em que não pode provar a premeditação de um erro.

O que me parece mais interessante é uma Juíza concluir que o FCP não precisava de "gamar" o Estrela, por ser este um clube pequeno a quem o FCP naturalmente ganharia.

Felizmente a bola é mesmo redonda e, nesse mesmo ano, o Estrela venceu no Dragão, por um-zero.

O que importaria discutir são os poucos factos apurados. E esses, por muita volta que se dê, são claros.

Mas depois do hilariante desfecho dos 6 pontos subtraídos ao clube considerado CULPADO, depois do "no pasa nada" pela visita do senhor Duarte, pouco mais há a fazer.

Actualmente, duvido que algum jogador do FCP identifique o clube como trapaceiro. Actualmente, o FCP não precisa (tanto) das célebres ajudas externas. Isso foi o ganho maior de tanta vergonha conquistada à força e com o desprezo completo pelas regras.

Os anos 90, fizeram do FCP o clube que é hoje. Eu, que já via bola, sei o que custava ver o FCP ser beneficiado em praticamente todos os jogos, sei o que custava ver a violência empregue dentro do campo, e fora dele, sempre sem punição. Eu sei o que custava ver o FCP, em Chaves, quase a perder pontos, a ganhar porque, simplesmente, o Domingos entrou na área e simulou um pénalti. Mas nessa noite, houve um herói: um jogador do Chaves, perante tamanha desonestidade, deu um pontapé no árbitro. O grande Donato, penso.

Concluíndo, penso que a justiça foi pequena para tamanho crime. Mas é o que temos.

leaoconselheiro disse...

Mk,

Eu não preciso de discutir pés em riste ou mãos na bola.

O que pergunto é:

- Porque é que o pé em riste do Carriço foi assinalado só depois da bola entrar (e não foi o fiscal de linha que o assinalou que a bandeira nunca subiu)?

- Estava ou não o Olegário de frente para o lance do Meireles?

Isto é que a mim me faz confusão, não é a questão das intensidades ou outras tretas...

kovacevic disse...

Sobre o Sporting em Guimarães:

- o golo não validado ao Carriço (é assim que se diz?) aceita-se com base nos argumentos que apresentas, mas parece, até, que é uma decisão tecnicamente correcta, a julgar pelo tribunal d'O JOGO.

- não me lembro de nenhum amarelo mal mostrado a jogadores do Sporting

último! disse...

Eu lembro-me de um amarelo ao Derlei, jogador que acabaria por ser fundamental na vitória, que sem duvidas deveria ser vermelho... não viram?

Filipe disse...

Que saudades dos anos 90, em que se via um árbitro a fugir esbaforido dos jogadores do Porto, ou o Kostadinov a mandar ao chão um fiscal de linha e nem cartão amarelo levar. Quando penso nos anos do penta, e na falta de vergonha levada ao extremo, quase que me vêm lágrimas aos olhos. Bons tempos.

Apesar de tudo as coisas melhoraram muito. Muito do que se vê pode ser explicado simplesmente pela incompetência. Há coisas que felizmente desapareceram dos estádios, os jogadores já não refilam ou ameaçam árbitros sem levar troco.

Ricardo disse...

O primeiro comentário do post é das melhores pérolas alguma vez escritas neste blogue. É que é totalmente assim.

(e admito que caio no erro de cair no cair de cair na discussão. Mas concordo completamente.)

Ricardo disse...

*parágrafo, não comentário.

tp disse...

Sobre "O que me parece mais interessante é uma Juíza concluir que o FCP não precisava de "gamar" o Estrela, por ser este um clube pequeno a quem o FCP naturalmente ganharia."
- A juíza disse ( escreveu ) isso ?
- Pois a mim o que me parece mais interessante é o CD da Liga concluir que o Porto corrompeu sem haver a mínima evidência que isso aconteceu.
O caro Filipe acima precisa, numa emergência, de ir à casa de banho. Entra no 1º bar que aparece. É um bar de gays. É visto a sair de lá passados 15 minutos. O CD da liga conclui que o Filipe é gay.
Ele pode tentar demonstrar que tem namorada ou é casado mas isso não interessa ao CD da Liga.

O Filipe tem saudades dos anos 90 e, como pessoa sensível que é, fica com lágrimas nos olhos. Eu relembro com nostalgia as dezenas de mergulhos do Manuel Fernandes, cada um dos quais era penalty ( daí a equipa de coxos do Sporting ser sempre a que tem mais penalties a favor).
E confesso que fico comovido quando me lembro que, com Humberto Coelho em campo, não havia 2 mas sim 3 juízes de linha. Era aquele imparcial jogador que levantava o braço e assinalava quando deveria ser marcado fora de jogo aos jogadores da equipa contra quem o Benfica jogava.

Mas se quisermos olhar de forma imparcial para o penta, escrevam aqui , por favor, o que é que, internacionalmente Benfica e Sporting fizeram nesses anos. Obviamente que em Portugal tudo era corrompido, e, por exemplo, as magníficas equipas do Porto do Robson não valiam nada, nem a do Oliveira que ganhou em S. Ciro ao Milan. Por isso , para excluir essa terrível corrupção, deslumbrem-nos com os feitos internacionais dos 2 gigantes de Lisboa nesses 5 anos.

Leão de Alvalade disse...

MK:
O problema da arbitragem e da generalidade do futebol português reside na credibilidade.

Depois de termos lido todas as conversas gravadas no então Independente, a propósito do caso Guímaro, do caso Calheiros, das conversas do Apito Dourado, e assistindo in-loco às maiores escandaleiras (lembro-me de muitas), ninguém acredita que se falhe por acaso na questão da arbitragem, muito menos quando se continuam a proteger e a nomear árbitros como o Lucílio, Paixão, Benquerença, p.ex., manifestamente incompetentes para a função e dos quais não deve haver clube que não se queixe.

Quanto à justiça não há diferença entre os demais processos: se PdC foi avisado da busca a sua casa também o BPN o foi em relação à operação furacão...

Quanto à menina dos Metric, não me ponho na fila. Não presta (estão verdes).

luissm disse...

tp,

Uma coisa te garanto. Se estivesse à mijinha para rascar (ou mesmo à caguinha) nunca por nunca iria entrar em casa do Pinto da Costa.

Bar de paneleiros talvez, que são gente honesta, do Jorge Nuno nunca (até porque o cheiro devia ser do pioriro).

João disse...

TP, posso-te recordar o que fez o FCP na Europa nesses anos do penta:

94/95 - Taça das Taças: eliminou Lodz e Ferencvaros e caiu nos quartos com a Sampdoria.

95/96 - LC: 3º na fase de grupos, atrás de Panathinaikos e Nantes.

96/97 - LC: 1º na fase de grupos com 16 pontos, caiu nos quartos com o Manchester (0-4).

97/98 - LC: 4º na fase de grupos, atrás de Real Madrid, Rosenborg e Olympiakos.

98/99 - LC: 3º na fase de grupos, atrás de Olympiakos e Croatia Zagreb.

Sem dúvida, anos de grande brilho azul-e-branco na Europa do futebol!

Pedro disse...

"por favor, o que é que, internacionalmente Benfica e Sporting fizeram nesses anos"

Como se isso tivesse alguma relevância para o caso em questão. Mas, se queres pegar nesse argumento, então no ano de Koeman o SLB devia ter sido campeão nacional com 50 pts de avanço não?

luissm disse...

master,

Já vejo futebol há uns anos, e aprendi que há três equipas em campo. Para mim é impossível analisar um jogo sem avaliar a prestação das três equipas. Acho bem que se fale dos árbitros, dos frangos dos keepers, dos falhanços dos pontas de lança, e dos excelentes passes dos médios à procura da desmarcação para a zona de ninguém.

Quanto ao caso desta semana no jogo do Sporting digo-te que percebia que o Paixão tivesse marcado pé em riste quando vê o lance (não sei se é ou não, há faltas difíceis de ajuizar). O que me irrita e revolta é que o menino viu o lance, deixou seguir, e só depois do golo é que marcou a falta. É isso que me irrita.

Quanto ao teu rol peço-te que incluas só mais uma: a cotovelada que o Rodriguez dá ao Caneira (?) (nem sei se foi contra o Sporting, mas sei que foi na ponta final de um jogo) em que as câmaras mostram que o árbitro viu...

E deixo-te a pergunta ao contrário das tuas entrelinhas: achas que os resultados do futebol português têm reflectido fielmente o que se passa dentro de campo?

pitons na boca disse...

Respondendo ao que realmente interessa neste post: não acho assim nada de especial, mas se chovesse cá para o meu lado não me importaria mesmo nada de me molhar (estou a falar da vocalista dos Metric, claro).

Virgílio Bernardino disse...

No lance do golo invalidado ao SCP...

Foi perfeitamente... coiso! E está tudo dito.

Littbarski disse...

Filipe, é destes tempos que tens saudades? Histórias dos anos 90 (80, 70, 60...) há para todos os gostos.

João, compara o desempenho europeu do Porto, nos anos do penta, com o que o Sporting fez, nas épocas a seguir aos dois últimos títulos conseguidos:
2000/2001: último lugar na fase de grupos;
2002/2003: eliminado na terceira pré-eliminatória.
Apesar de tudo, o azul-e-branco sempre brilhava mais um bocadinho do que o verde-e-branco...

Leaoconselheiro, se não estou em erro, não é inédita essa situação de um candidato ao título ter mais penalties assinalados contra do que a favor. Aconteceu em 1995/1996 com o Porto, que ainda assim foi campeão. O que é inédito, pelo menos nas últimas décadas, são os 17 penalties que o Sporting teve a seu favor em 2001/2002. Inédito, mas normal, como é evidente.

Gostei do som.

ricardo disse...

Eu concordo que se atribui demasiada importância aos arbitros em Portugal. Tal acontece sobretudo porque na sua maioria claramente incompetentes. Para além de incompetentes tentam compensar erros que cometem e que ja sabem que cometeram ( nomeadamente quando sao cometidos na 1ºparte dos jogos ). Agora existe uma distância entre a incompetência e a anormalidade de certas decisões tais como :

1. Lance do penalty da taça da liga
2. Penalty assinalado sobre Lisandro no FCP-SLB
3. Fora de jogo não assinalado no SLB - Braga a david luiz
4. Penalty de Luisão nesse mesmo jogo
5. Fora de jogo de vuc em vila do conde
6. Mão de Meireles em Coimbra
7. Apito de Bruno Paixão so depois da bola entrar em Guimaraes ( ve se na repetição que o homem não apitou logo - atenção que não digo que não tenha sido falta )

Estes lances não são sinais de incompetência, há mais para além disto. Foi pena os arbitros dos ditos jogos não terem sido entrevistados como o Lucilio Baptista pois certamente fariam a mesma figura triste...decidiram por intuição...

Quanto ao futebol jogado, o FCP é claramente a melhor equipa nacional. Joga melhor colectivamente, tem melhores jogadores individualmente. Do SLB só me lembro de um jogo bem jogado - contra o Napoles. Isso sim deveria preocupar os lampioes depois de fortunas gastas com Aimar e salarios princepescos a Reyes e Suazo Quique e por ai fora. Quanto ao meu SCP, joga um pouco melhor que o SLB, mas também apresenta um futebol fraco, embora mais organizado. Mas melhor seria dificil: não temos dinheiro...ou pelo menos fazem-nos crer que não temos...Portanto, esta tudo coerente com a lógica : O Porto a frente do SCP e o SCP a frente do SLB. Pela qualidade do futebol o Braga merecia o 2º lugar.

Abraço para o Kova e o MK.
Ricardo
Porto

condor disse...

Esse Bruno não é o mesmo Bruno que
fez aquela arbitragem pornografica em Campomaior e que permitiu aos calimeros serem campeões?
São mesmo patéticos!Se um árbitro erra a favor do befique ou do sborteng é incompetente ou errar é humano ou tambem já fomos prejudicados algumas vezes!
Se erra contra estes dois ou erra em beneficio do FCP é corrupto, o PC é corrupto anda a comprar árbitros há trinta anos o FCP só ganha com batota,etc,etc,etc...
Enfim,que povinho tão burrinho!
Já agora,a falta que deu origem ao livre do qual resultou a mão do Meireles não existiu!
Depois o jogador da académica que ficou isolado se tivesse marcado já não se valorizava tanto a mão,no entanto o golo resultaria duma falta mal assinalada!Mas isso não iria interessar,não é?
Para terminar:Derlei obreiro da reviravolta em guimarães já não devia estar em campo há algum tempo!
Tem razão PB,o amarelo a Moutinho é injusto!Pois é,devia ser vermelho!
David Luis comete penalti no jogo de ontem!Não tinha influencia nenhuma no resultado final,mesmo assim é penalti,e a tão badalada verdade desportiva ficaria a ganhar!Continuem a falar das arbitragens,já que não prestam para mais nada!

condor disse...

Já agora:Zoro não jogou contra a "sua" equipa!Se fosse Portista era caso para desconfiar!Sendo vermelho não,é coincidencia!

cparis disse...

tp,

O CD decidiu que o FCP era corrupto, o CJ confirmou a sentença e o FCP ACEITOU a mesma não tendo recorrido.
Há um clube em Portugal que, está provado (sentença já transitou em julgado), praticou um acto de corrupção. Sobre isso podes dizer o que quiseres que não apaga nada.

Littbarski disse...

Pois, nada poderá apagar o facto de Pinto da Costa e o FC Porto terem sido condenados com base em escutas cuja utilização em processos desportivos são de legalidade muito duvidosa (no caso do Leiria foram consideradas ilegais), cujo conteúdo, dito pelo tribunal, só conjecturando ou imaginando, prova o que a CD da Liga achou que provava. Nem o facto da testemunha-chave, considerada credível pela CD da Liga, apesar de nunca a ter sequer ouvido, não só não ter sido considerada credível em tribunal, como ter sido acusada pelo mesmo do crime de falsidade de testemunho agravado. Isto também ninguém poderá apagar. Isto e o facto de Pinto da Costa ter sido absolvido pelos tribunais. Sendo que num dos casos de que era acusado nem sequer a julgamento foi, por não haver indícios suficientes para tal. O outro vai para recurso, com uma primeira decisão favorável ao presidente do Porto. Aguardemos, pois, por mais coisas que não possam ser apagadas.

RuiM disse...

deixando a arbitragem de lado e voltando ao importante do post... apesar de discordar ou concordar com muito do que se diz por aqui, louvo o extremo bom gosto musical que por aqui habita... eu estou na fila pela Emily Haines mas sigo à frente pela Sia... podemos discordar de opiniões caro mk mas de música acho que nos devemos entender... gratos cumprimentos

MM disse...

Só 2 questões para, basicamente, deitar gasolina na fogueira:

- Há alguém que depois de ler/ouvir as escutas do apito dourado, é honestamente capaz de dizer que não ficou, no minimo, com a pequenissima impressão de que haverá algo parecido com viciação de resultados? No minimo? (e atenção que não interessa para esta questão se as escutas são legais ou ilegais...)

- Algo que me causa comichão é o facto de dizerem que o fcp, por ser melhor, não precisava de ajudas. Imaginem a seguinte situação: Sou milionário. Assalto um banco. Não devo ser condenado porque sendo milionário não precisava de assaltar o banco?

Jorge disse...

La voltamos a mesma historia...

A ti basta o minimo de impressao para condenar uma pessoa, ja te podes candidatar ao CD da liga.

Es milionario vais ao banco, apertas a mao ao gerente que foi a tua casa na noite anterior e sais do banco com um saco cheio de dinheiro.
O Ricardo Costa prendia-te e atirava a chave fora, apesar de teres tirado o dinheiro da tua conta naquele banco.

Jorge disse...

CParis:

Com que logica e que daqui "O CD decidiu que o FCP era corrupto" concluis que "Há um clube em Portugal que, está provado praticou um acto de corrupção?"

galvao99 disse...

3 ideias base.

a) A exigencia de prova num tribunal penal é imensamente superior a qualquer outro tribunal. Se já ouviram falar do principio "in dubio pro reu" percebem parte do problema.

b) Se tiverem noçao da impossibilidade pratica de provar um crime de corrupçao em tribunal penal (quase so por confissao das partes,e com resultado a condizer)percebem o resto.

c) a justiça desportiva (com letra pequena) condenou, e bem, mas esqueceu-se de dar um resultado prático à pena aplicada. 6 pontos retirados num campeonato ganho por muitos mais. Porquê?

O resto é um arbitro que foi a casa do presidente de um clube na véspera de arbitrar um jogo do mesmo clube, e de la trouxe dinheiro para um familiar. São precisas legendas?

Eu tambem ca andei nos anos 80/90 e nao me esqueço do que vi. A memoria nao pode ser curta.

RuiM disse...

Gosto de parábolas...Um tipo do Banco de Portugal que tem como função ajuizar acerca de capitais em offshore na noite anterior ao início da investigação no BPN vai a casa do Oliveira e Costa porque o pai coitado está com problemas pessoais que envolvem uma ex-funcionária do banco. No dia seguinte esse tipo faz parte da equipa que se dirige aos escritórios para investigar e auditar as contas do banco... no pasa nada... somos todos presumíveis inocentes!

jamsilva disse...

dava quase p escrever um livro..

Jorge disse...

RuiM

Tens que arranjar outra parabola porque a auditoria nao e publica enquanto que o trabalho do arbitro no jogo em causa foi publico e ninguem viu indicios de corrupcao.

Galvao99

E ainda mais dificil provar corrupcao quando nao ha provas de ter havido pagamento do corrompido ou beneficios do corrompido ao corruptor. Fica muito mais dificil, sao realmente problemas que so os super-genios da justica desportiva conseguem resolver.

cparis disse...

Jorge,

O facto de o FCP não ter recorrido significa que reconhece que a sentença (que o castiga de corrupção) está correcta e aceita-a.

Mas gosto do teu raciocínio. Vamos lá experimentar: como é que concluis que o FCP não é corrupto? Foi acusado, defendeu-se, a instância em causa condenou-o, o FCP não recorre, logo é inocente. Sim, tens razão. Faz muito mais sentido assim.

leaoconselheiro disse...

Que neste país a justiça não funciona é uma coisa, mas isso não faz das pessoas inocentes...

Dizer que as escutas não são válidas é uma coisa, negar a existência das conversas é outra (e não foi só o Porto).

Justificar a visita de um árbitro a casa do PC na véspera de um jogo por assuntos pessoais do pai do árbitro é uma coisa, alguém em seu perfeito juizo acreditar nisso é outra (é mais ou menos o mesmo que alegar que o manguito do Jesualdo foi para os seus jogadores).

Moral = Zero

E não se enganem... perdemos todos

Jorge disse...

"Foi acusado, defendeu-se, a instância em causa condenou-o?"

Estas a falar da decisao unilateral do CD da liga?

Continuo a nao perceber com que logica e que daqui "O CD decidiu que o FCP era corrupto" concluis que "Há um clube em Portugal que, está provado praticou um acto de corrupção?"

Littbarski disse...

Uma coisa é não acreditarmos na história de Pinto da Costa e do árbitro, outra é considerarmos que a visita do árbitro a casa do presidente do Porto é uma prova inequívoca de corrupção. Não é. A não ser, talvez, para a CD da Liga e para aquelas pessoas que têm a moral do tamanho de + infinito.

Uma mentira em tribunal não passa a ser verdade na justiça desportiva. A testemunha tida como credível pela CD da Liga, sem nunca ter sido ouvida e muito menos contra-interrogada, foi acusada de ter mentido em tribunal. Antes já tinha mentido a um jornal, sobre outro processo, dizendo que mandara destruir câmaras de vigilância que, veio a saber-se depois, nunca existiram. As suas declarações continham várias inconsistências e contradições que foram facilmente detectadas em tribunal, bastando para isso... ouvi-la. E foram as declarações desta testemunha, nunca ouvida pela CD da Liga, que permitiram fazer a ponte entre a visita do árbitro a casa do presidente do Porto e a tentativa de corrupção. Ou há alguma outra prova de que Pinto da Costa tenha pago o que quer que seja ao árbitro? Se há, digam-me qual é. Eu desconheço.

Há o princípio "in dubio pro reu" e há o oposto, aplicado pela CD da Liga. Foi isso que aconteceu, não foi? Caso contrário, expliquem-me como é que as certezas desta douta instância desportiva foram reduzidas a cinzas em tribunal. O caso da fruta nem a julgamento foi. O caso do envelope é a palavra da "escritora" contra a de todos os outros. Se retirarmos a palavra da "escritora", sobra o quê? A visita de Augusto Duarte a casa de Pinto da Costa. Voltamos ao ponto de partida: isto prova que houve corrupção? Não. Nem em tribunal, nem em lado nenhum. Excepto, talvez, na justiça desportiva.

condor disse...

Por falar na CD do ricardito!já viram a mão pesada que os gajos teem?
Quinhentos paus vai ter de desembolsar o bento tranquilidade depois de todo o circo que tem feito para alem dos espectáculos de mimica!
Vai ser adesgraça financeira do homem!Até já pensei em sugerir aos meus amigos que façamos uma vaquinha para ajudar o bentito a pagar a coima!Dasse,que a justiça do ricardito não é pêra doce!

leaoconselheiro disse...

Eu não sei o que o árbitro foi fazer a casa do PC. Não sei eu nem sabe a maioria dos portistas. O que eu sei é que a desculpa dada não me convence minimamente e sei também que se houvesse um motivo razoável ele teria sido dito sem qualquer problema. Como não disse, eu reforço fortemente as suspeitas sob esses motivos. Eu e qualquer pessoa que esteja a ver isto de forma minimamente lucida.

Isto não significa que os portistas não sejam pessoas de bem, ou que o sejam menos do que os outros. Mas quem vê normalidade nesta situação, podendo ser pessoa de bem, não é, no minimo, uma pessoa intelectualmente séria.

Mas não vale a pena...
Vejam o quiserem e sejam felizes. Cada um escolhe as suas maneiras de ser feliz, mesmo que seja uma tão triste como esta...

galvao99 disse...

"E ainda mais dificil provar corrupcao quando nao ha provas de ter havido pagamento do corrompido ou beneficios do corrompido ao corruptor. Fica muito mais dificil, sao realmente problemas que so os super-genios da justica desportiva conseguem resolver."

Pagamento do corrompido houve, a menos de 24 horas do jogo.

Indicios de que esse pagamento serviu para favorecimento tambem.

E a prova fornecida pela prostituta que depois passou a senhora séria, ou da 1ª dama que depois passou a prostituta, foi considerada por quem de direito, servindo ainda para conhecermos um pouco melhor o mundo onde se mexe ela, e que tambem é o mundo de quem com quem ela andou.

Uma jurisdiçao desportiva a sério(que nao se rege pelos mesmos principios da lei penal, nomeadamente ao nivel garantistico para os arguidos), com regulamentaçao adequada (que nao tinha nem tem) teria mandado o clube para a 2ª, retirando-lhe o título nacional e pontos no inicio do campeonato seguinte.

Mas enquanto nao se entender, querendo entender, as diferenças entre jurisdiçao desportiva e penal fica-se a pensar que a justiça desportiva Portuguesa foi até onde podia e devia ter ido.

Littbarski disse...

"Pagamento do corrompido houve, a menos de 24 horas do jogo."

Viste o dinheiro, galvao99? É que uma das coisas que não ficaram provadas no tribunal de Gaia foi precisamente que tenha havido qualquer pagamento ao árbitro. Mas, pelos vistos, isto para ti vale zero.

"Uma jurisdiçao desportiva a sério(que nao se rege pelos mesmos principios da lei penal, nomeadamente ao nivel garantistico para os arguidos), com regulamentaçao adequada (que nao tinha nem tem) teria mandado o clube para a 2ª, retirando-lhe o título nacional e pontos no inicio do campeonato seguinte."

Com uma jurisdição desportiva a sério e esta Comissão Disciplinar da Liga, sem dúvida. Aliás, o exmo. sr. presidente fez questão de o dizer, enquanto se gabava em conferência de imprensa, da punição que acabara de aplicar ao clube. Resta saber se com uma jurisdição desportiva a sério e com um tribunal desportivo a sério, onde a pessoa que testemunhou a entrega do envelope tivesse de ser ouvida e contra-interrogada, isso também aconteceria. No único tribunal onde isso aconteceu, os entre cerca de exactamente 2500 euros foram reduzidos a pó.

Sim, eu sei (ou melhor, não sei), as diferenças entre jurisdição desportiva e penal... Pois. Olha, sabes o que é igual, em tribunal, na justiça desportiva e no sofá de minha (ou de tua) casa? O jogo em questão terminou 0-0. E o Porto não foi favorecido pela equipa de arbitragem. Provavelmente, porque o corrompido se esqueceu de fazer aquilo para que foi pago.

Littbarski disse...

Leaoconselheiro, onde leste que a ida de Augusto Duarte a casa de Pinto da Costa era uma situação normal? A mim nunca me viste escrever isso, de certeza. Aquilo que eu disse, e repito, é que a ida do árbitro a casa do presidente do Porto, por si só, não prova que tenha havido corrupção ou tentativa de corrupção. A versão de Pinto da Costa e do árbitro pode não ser convincente, mas do outro lado (o da "escritora"), está uma versão que convence ainda menos.

Cada qual acredita no que quiser. Eu acredito naquilo que vi dentro de campo: um empate, sem nenhum erro de arbitragem que indiciasse corrupção, isto é, um claro favorecimento de uma das equipas. Se fores mais feliz do que eu a acreditar noutra coisa qualquer, olha, bom proveito.

galvao99 disse...

"Viste o dinheiro, galvao99? É que uma das coisas que não ficaram provadas no tribunal de Gaia foi precisamente que tenha havido qualquer pagamento ao árbitro. Mas, pelos vistos, isto para ti vale zero."

Sabes que de la saiu com um envelope cheio de notas. Sabes que a jurisdiçao penal aplica o principio "in dubio pro reu", o mesmo nao sucedendo com a desportiva. E sabes que nao ficou provado no processo penal que tenha havido pagamento ao arbitro.

Sabes ao abrigo de que principio nao ficou provado, em processo penal, que o dinheiro serviu para pagar ao arbitro?

Nao é que nao saibas a diferença entre jurisdiçao penal e desportiva. O que acontece é que nao te dá, a ti e a muitos, jeito perceber.

Littbarski disse...

É a tua opinião, galvao99. Eu acho que o que não dá jeito perceber é que a única prova de que esse envelope cheio de notas existiu veio da boca de uma pessoa que mandou destruir câmaras de vigilância que nunca existiram, que foi acusada de mentir em tribunal e que cuja versão dos acontecimentos em causa foi reduzida a nada, assim que a defesa teve oportunidade de contra-interrogar a testemunha, tantas eram as "forças de expressão" que continha.

galvao99 disse...

Littbarski,

ficou provado, por confissao do arbitro, que o envelope cheio de notas existiu. Mas diz que foi porque o pai precisava de ajuda e o dinheiro era para ele.

Em jurisdiçao penal, "in dubio pro reu".

Em jurisdiçao desportiva, "in dubio" essa prática é atentatória da verdade desportiva. O senhor árbitro tem que dedicar-se à pesca e o senhor presidente do clube deixar de tentar influenciar comportamentos de arbitros, nem que seja pelo ascendente que ganharia perante ele ao ajudá-lo financeiramente em vésperas de um jogo por ele apitado.

Nao é questao de opiniao pessoal. É ciência juridica.

Jorge disse...

Sim, esse penultimo paragrafo e altamente cientifico.

galvao99 disse...

É tao cientifico como afirmar que és portista...nao tem margem de erro.

cparis disse...

Jorge,

Continuo a adorar o teu raciocinio. Um clube só é corrupto se.... se declarar culpado... SEnão é uma decisão unilateral. Gosto. Fica-te bem.

Mas diz lá tu, o que é que achas ser preciso (sem ser uma decisão bilateral) para que se possa dizer que um clube é corrupto? Se ser condenado e a sentença transitar em julgado não é suficiente para ti, o que será?