quinta-feira, janeiro 08, 2009

Cantinho do Vitória - baralhar e voltar a dar

1. A experiência de ver o jogo gravado já depois de saber o resultado final permitiu que me tivesse concentrado mais nos jogadores do que no resto, que já não era novidade. O Vitória voltou a sofrer um golo de bola parada, como sofrera dois do Rio Ave no jogo anterior, com a agravante de ter sido Katsouranis a entrar ao primeiro poste (mais longe do que o que acontece habitualmente), o que sugere que alguém não está a fazer os trabalhos de casa convenientemente. O segundo foi em contra-ataque e era mais ou menos previsível dado o cariz da partida nessa altura, um risco assumido e que era a única atitude que o Vitória poderia ter nessa fase.

2. Ter tanta posse de bola e não fazer nada de especial com essa posse de bola é aflitivo. Não há nenhuma melhoria como apregoa Cajuda. Houve um jogo, com o Rio Ave, em que conseguimos fazer contra-ataques porque o Rio Ave decidiu arriscar. Só isso. Ontem, o Vitória até fez a bola chegar às alas e à área adversária mas não causou qualquer dificuldade ao adversário. Uma oportunidade flagrante, aos 94 minutos, é um sinal do estado da coisa.

3. Não jogou a partida toda, mas eu pagava para ficar sem ele: Marquinho não me convenceu até hoje e vai ter que fazer o dobro dos outros no futuro para repensar a minha opinião. Andrezinho teve uma meia hora inicial desastrosa com vários maus passes, inclusivamente passes para trás sem oposição e inícios de contra-ataques adversários, para além de não fazer nada de especial ofensivamente. Luciano Amaral foi o mais perigoso até ao intervalo e saiu aos 45 minutos. Roberto luta mas não é Douglas. Wénio, João Alves e Fajardo (principalmente os dois primeiros) fizeram-me ter saudades da segurança de Flávio Meireles.

4. No Benfica os destaques são óbvios: Luisão e Miguel Vítor foram os mais importantes, cortando tudo o que havia para cortar.

master kodro

12 comentários:

Red_Devil disse...

Gregory atirou-se a adjunto benfiquista
CONFUSÃO ATÉ AO TÚNEL DE ACESSO AOS BALNEÁRIOS

Mal Olegário Benquerença apitou para o final da partida, o central do V. Guimarães Gregory correu para junto do segundo banco do Benfica e insurgiu-se de forma violenta para o treinador de guarda-redes Emílio Alvarez. O adjunto de Quique respondeu, mas a rápida intervenção de jogadores das duas equipas serenou, por momentos, os ânimos.

Gregory foi empurrado para o balneário, mas no fundo do túnel conseguiu resistir e esperou por Emílio Alvarez onde, mais uma vez, protestou em voz alta na sua direção. As razões para tamanha exaltação podem prender-se com alguma palavra dirigida ao francês pelo adjunto após um lance em que Moretto se queixou de ação violenta do adversário.

Olha, quem diria... Confusão no Túnel do Afonso Henriques... Fica a questão: Será que Gregory apontou o dedo a Emílio Alvarez???
Estou certo que será dissecado num próximo "Jardim de Rodin", com o título: "The Chase".

FIL disse...

Vitória justa do Benfica, até porque, como foi dito, foi o único a criar oportunidades (escassas mas concretizadas) e acabou por defender-se bem. Ainda assim, mais do mesmo a nivel de controlo de jogo e construção ofensiva no meio-campo, isto é, muito pouco (bola prá frente e fé no Suazo!). O golo madrugador ajuda mas tem sido assim há demasiado tempo em vários jogos. Em minha opinião um clube grande não pode jogar práticamente um jogo inteiro numa postura de contra-ataque, contra qualquer adversário, seja em casa ou fora. Gostei de Suazo em especial e destaco negativamente Di Maria e Aimar (pesa na minha análise o facto de o jogo estar perfeito para poderem brilhar, com o Vitória muito desgarrado atrás e a conceder muito terreno livre, facto só aproveitado por Suazo, ao contrário destes dois).

O Vitória de Guimarães tem um futebol engraçado, entretém. Para um espectador que não sofra pelo clube, como eu, até é agradável mas para um adepto (!?!)...é uma equipa que tem uma circulação de bola razoável mas muito macia, pouco agressiva a defender e que dá muito espaço ao adversário, algo que se revela fatal num jogo deste tipo em que a equipa tem que ir atrás do prejuizo quase desde o inicio. Cajuda ou a equipa abordam muito mal o jogo, a meu ver (somos favoritos e tal...), tenta ir para cima em vez de começar por defender bem e irritar aos poucos um Benfica inseguro, sobranceria, no minimo...Desmarets não esteve mal e gostei de Fajardo, já aquele Marquinho irrita-me e quanto a Nuno Assis é um "should be" eterno, falta sempre qq coisa (algo que pode ir desde o remate que foi quase a não escorregar, por exp)...E já agora Master Kodro, de quantos cruzamentos para a área precisa o Vitória para fazer um golo? Tens ideia?

Por fim Olegário, uma desgraça de um árbitro, uma vergonha, não marca um penalti do tamanho do Mundo contra o Benfica e marca amarelos e faltas a despropósito (aqui para os dois lados) sempre com um sorriso de parvo que parece andar a gozar com todos...Os auxiliares, ao seu nivel, um fora-de-jogo a Di Maria inacreditável (vários metros atrás) e outras barbaridades afins. É impossivel não se falar destes "senhores", é que é mau demais para acreditar!!!

Parabens ao Benfica, Quique respira um pouco...

leaoconselheiro disse...

Percebe-se perfeitamente a adoração do Mk pelo Carlos Martins.

O gajo, mesmo a fazer uma época que promete uma entrada directa para a lista de dispensas, chega a Guimarães, faz um salto esquisito e... molha a sopa.

Lembro-me de no tempo de Peseiro ele me ter deixado francamente entusiasmado depois de uma exibição fantástica no AHenriques, com 2 golos. Depois disso ainda marcou 1 livre em Alvalade contra o Guimarães.

Não há dúvida que o Vitória é a equipa fetiche do CM e compreende-se o respeito que ele deve ter para aqueles lados.

Com sorte até pode ser que seja a sua próxima paragem. Basta manter o nível exibicional que tem apresentado e estou certo que Quique não se importará de o ceder ao clube aliado.

Insomniu disse...

Para tentar colmatar o facto de jogar sozinho à frente, Roberto do Guimarães foi aplicando uppercuts de esquerda sempre que podia.

O Ruben Amorim que o diga...

http://criticosdabola.blogspot.com/

master kodro disse...

Adorava que ele lá fosse parar, leaoconselheiro.

Gregory foi um perfeito idiota, Red Devil. Devia ser severamente castigado pela situação que promoveu, quer pela Liga, quer +ela direcção do Vitória que lhe paga o salário para jogar à bola e não para ser idiota. Não só essa como aquela que protagonizou com Moretto. Fico à espera da tua opinião sobre esse assunto e sobre o assunto Rui Costa no túnel.

jaho disse...

mk:

A quadrilha paralítica do cemitério de Benfica dedicou-te umas mensagens interessantes...

master kodro disse...

Não percebi, jaho.

master kodro disse...

Continuo à espera da tua opinião, red devil.

master kodro disse...

Obrigado pelo mail, jaho. Há limites para tudo e essa gente do ndrangheta já ultrapassou os limites há muito tempo. Mas não foram só eles. Há lá mais comentários que vão no mesmo sentido. Um palerma vai lá insultar e como essa gente pensa que todos têm que ter os mesmos princípios que eles, a culpa é minha. Ultrapassaram todos os limites.

Obrigado na mesma, mas eu escolho não responder a essa gente que não interessa a ninguém.

Filipe disse...

Incrível são as assistências na taça da liga. Houve um jogo com 150 pessoas a assistir. A assistência no jogo do Porto também está para o fraquinho (o frio de rachar é capaz de ser culpado mas mesmo assim).

O que está a ser doloroso é ouvir os atrasados de mentais que a SIC meteu de serviço. Apesar do que diz Katanec prefiro mil vezes o Carvalhal.

master kodro disse...

Filipe, mas tens que conceder que é um pouco ridículo Carvalhal estar a explicar o que é uma transição como se fosse uma palavra original do léxico futebolístico...

leaoconselheiro disse...

Pois é Kodro, mas há muito quem não saiba qual é a diferença entre transição ofensiva e contra ataque. Aliás, arrisco que a maioria das pessoas não saiba...