quarta-feira, janeiro 07, 2009

As falhas do novo líder

Como hoje descobri uma vertente que estava oculta, resolvi escrever um post sobre aquele que, aparentemente, é o meu clube. A baliza está bem entregue a Helton, mas nas laterais defensivas há um problema que ninguém consegue resolver. Tem sido absoluta a incompetência para comprar laterais que cumpram (quanto mais que brilhem) e a venda de Bosingwa fez alastrar o problema às duas faixas. Fucile vai cumprindo, ora numa ora noutra (mas alguém que acha que até ele seja o homem?), mas Sapunaru, Lino e Benitez, como, por exemplo, Sonkaya ou Cech (este ainda cumpriu no meio-campo) num passado recente, foram verdadeiras catástrofes. E a recente opção por Pedro Emanuel na lateral esquerda parece-me um verdadeiro tiro no pé, que, mais tarde ou mais cedo, vai fazer doer.

A saída de Paulo Assunção também ainda não foi devidamente colmatada. Fernando é voluntarioso (há algum médio defensivo que não o seja?) mas deixa muito a desejar na hora do passe, logo ele que gosta tanto de integrar o jogo ofensivo dos dragões. Na última partida contra o Nacional, voltei a ver perdas de bola infantis e passes inexplicavelmente à altura da canela para companheiros de equipa a dois metros, sem oposição. Meireles e Lucho são intocáveis, embora o argentino esteja a fazer a pior época desde que chegou a Portugal (é má forma ou vontade de ir embora?).

Sobram dois, porque Lisandro não tem discussão (ao centro, claro, os ocasionais desvios para a ala não se compreendem porque retiram o goleador do seu habitat natural e Hulk de onde mais desequilibrou até agora). Depois há Hulk que surpreende positivamente depois da gozação generalizada. É um daqueles "egoístas" que aparece nas listas dos goleadores e das assistências para golo. Aquele pé esquerdo, que parece uma pá, um 46 largo certamente, é um mistério da natureza. Rodriguez, apesar dos momentos fantásticos - mas têm sido apenas isso, momentos - tem sido, para mim, o mais fraco do trio. Esse sim só tem pensado no que o seu remate pode fazer, esquecendo-se vezes sem conta do que o rodeia. Também é verdade que enquanto for resultando em golos ( e têm sido alguns) como o deste fim-de-semana, nenhum portista se vai chatear muito com isso, de certeza.

ps - Esta noite, quando o Benfica bater o Vitória com dois golos de Cardozo (um de penalty, após falta de Gregory), convidamos os "Verdadeiros Benfiquistas" a insultarem devidamente este blogger, mas pedimos originalidade e ausência de asneiredo. Aceitam-se insultos, mas com um mínimo de dignidade e qualidade, por favor.

master kodro

22 comentários:

Red_Devil disse...

Master Kodro,

Uma boa análise. Até que enfim que assumes um pouco do teu "outro amor". Mas acho que não é novidade para ninguém.

Das poucas análises lúcidas que te vi fazer, embora aqui e ali, com uma orgulho incontido :-)

master kodro disse...

Claro que é uma boa análise porque aborda os pontos fracos do Porto. Quando é uma análise aos pontos fracos do Vitória ou do Sporting também é lúcida e nenhum adepto do Vitória ou do Sporting me chama anti-vitoriano ou anti-sportinguista.

Se fosse sobre os pontos fracos do Benfica seria uma análise anti-benfiquista.

Quando é que vocês crescem, pá?

master kodro disse...

Isso é mesmo um problema grave, quase generalizado. Não são capazes de perceber que as pessoas não sendo de um clube podem ter uma visão isenta das coisas?

Não consegues ver que existe um padrão no que escrevo seja sobre que clube for? E que esse padrão é apontar o que está mal e pensar como se fosse adepto desse clube com o intuito de melhorar o que se faz nesse clube?

Não percebes que aqui não se insultam adversários, jogadores, árbitros e afins como se faz nos blogs de clube? Mesmo que cada um de nós tenha três preferências clubísticas diferentes.

Não há paciência.

master kodro disse...

Voltando ao padrão: conheces alguém que, não concordando com o que se passa, bata mais no Vitória do que eu (tirando o vimaranes, porque até foi insultado pelo inenarrável José Marinho)?

Conheces alguém que, não concordando com o que se passa, que bata mais no Sporting do que o kovacevic?

Conheces alguém que, não concordando com o que se passa, bata mais no Benfica do que o katanec (mesmo quando o Benfica ganha, não é agora que o Benfica tem perdido)?

Não reconheces um denominador comum neste blog?

Red_Devil disse...

Conheço.

E é precisamente por isso que cá venho. porque gosto de ler as opiniões do Katanec. E não sendo Sportinguista, e não conhecendo a realidade rival, parecem-me lógicas as opiniões do Kovacevic.

Tu pareces adoptar a posição de embirrar por tudo e por nada com o Benfica: Ou o R. Costa isto, ou o Veiga aquilo. E não te vejo afazer o mesmo com os outros clubes quando até tens casos de sobra para o fazeres: Nunca te vi dissecar os bordéis de Reinaldo Telles, os empréstimos do FC. Porto, ou o facto de um Presidente condenado a 2 anos por Corrupção continuar a exercer funções.

A isto chama-se desonestidade intelectual, pois tentas refugiar-te na capa da "isenção" e da "crítica construtiva", para lançares boatos e criticas não construtivas sobre o Benfica. E tens todo o direito de o fazer, o blog é teu.

Não quero é que aches que essa capa de "sou do Guimarães e os 3 grandes são todos iguais para mim" engana alguém, porque não engana. E basta ver que em cada 10 posts assinados por ti, 5 são sobre o Benfica e alguém do Benfica.

Por mim, tudo fino. Tens todo o direito de ser adepto do F.c Porto. Como eu tenho de ser do Benfica

Ricardo disse...

Kodro,

se este blogue é tão visitado é porque tem qualidade, isso parece óbvio. Claro que haverá quem venha para insultar, mas isso, julgo, acontecerá por toda a parte. A crítica que te fazem (e que eu partilho) não se inscreve na análise futebolística que fazes. Nesse campo, no da análise pura e dura sobre bola, nada a dizer, és inteligente, lúcido e bastante imparcial (não sei se existe uma total imparcialidade, em qualquer um de nós que gosta de futebol). A crítica aborda mais a questão que tens com o Benfica, como clube e sobre os seus adeptos. Tratas a massa adepta do Benfica como acéfala e procuras, teimosamente, provar que tu é que vês para além dos horizontes limitados de quem gosta do vermelho. Isso é errado. Essencialmente, por dois motivos:

- se a massa, regra geral, é acéfala, então convinha que fosses tão veemente nas tuas opiniões também em relação a portistas e sportinguistas que, sendo menos, serão menos os acéfalos, mas só porque são menos os adeptos. Em proporção, falamos do mesmo.

- Não dás espaço a que haja uma corrente de opinião benfiquista que possa argumentar para além da boçalidade, que existe em vários adeptos, certo, mas de todos os clubes, não só do Benfica. Chamas ao teu blogue um texto do Bruno Carvalho (com o qual concordo, em vários pontos, diga-se), mas num tom demasiado condescendente para que, quem te lê, possa ver nessa citação uma tentativa séria de discutir futebol.

Achando-te sério e amante deste desporto e da discussão futebolística, acho muito sinceramente que o Benfica te tira do sério. E não, não é aquela mania das grandezas do "verdadeiro benfiquista" para o qual "todos estão contra nós porque somos enormes", és mesmo tu que o demonstras, nas tuas constantes alusões, em tom de escárnio, por exemplo, a Rui Costa, quando podias (e devias, digo eu) ter alvos bastante mais ou mesmo totalmente perniciosos ao fenómeno futebolístico em Portugal. Só por uma vez, gostava de ver um Pinto da Costa Report. Por uma vez. Só para que se sentisse que a crítica era séria e transversal a todos. Assim passa a ideia que interessa é bater no Benfica para ver no que dá e para chamar gente a "comprar" o blogue. Nesse sentido, essas tuas análises não são diferentes da generalidade da imprensa desportiva que tanto criticas.

Luciano Rodrigues disse...

- nunca percebi porque muitos insistiam em gozar com Hulk. Desde os primeiros minutos que o vi mexer na bola, que se vê ali um potencial do outro mundo. Enquanto jogador mesmo neste momento ainda pouco mais é que bom, mas com a sua idade e bem liderado, pode-se tornar um fora de série. E isso sempre foi fácil de ver. Mas atenção, eu também fiquei com a pulga atrás da orelha com os 5 milhões por metade do passe. Mas esperei para ver o que era. E agora sei que realmente o Hulk, numa conjuntura económica mais favorável, há-de valer várias vezes o investimento. Mas também não tenho dúvidas que uma negociação directa entre os 2 clubes levaria o preço do brasileiro para não mais que 1 ou 2 milhões de euros pela totalidade do passe
- em relação à "embirração" com o Benfica, concordo quando dizem que te atiras mais ao Benfica. Mas isso parece-me uma prova ainda maior de que não és adepto de um "estarola". Nós, os adeptos dos clubes "pequenos", acho que é inegável que não suportamos nenhum dos 3, mas o Benfica dá mais urticária. E dá mais urticária porque de facto é o maior de todos, portanto é aquele do qual nós temos mais amigos a chatear-nos a cabeça. Quando o Porto é campeão para mim é uma noite descansada. Quando o Benfica é campeão, passo a porra da noite a ouvir foguetes e buzinas. :)

Falando mais a sério, é a inegável grandeza do Benfica que faz dele o clube mais falado e o mais visado. Os adeptos do Benfica devem encará-lo com a normalidade que deveriam ter exactamente por serem o maior clube.

E voltando à brincadeira, olhem que ser o maior não é sinal de nada mais do que apenas isso: ser o maior. Faz-me lembrar um amigo que se gabava dos seus 30 centimetros. Depois uma amiga foi investigar e aquilo eram 30 centimetros de flacidez. Portanto, o tamanho não importa. Importa é o que fazes com ele. E o Benfica faz pouco.

Gonçalo Cabral disse...

Eu não tenho por hábito comentar aqui mas este comentário do Luciano é de facto certeiro.

O Benfica é mais do que "o maior", acho que é para nós adeptos de clubes pequenos, o cancro que faz com que uma pessoa que nasca atrás das pedras numa Serra do Minho diga que é Benfiquista. Mas porque raio perguntamos nós?

Eu de há uns tempos para cá acho que o problema do nosso futebol vai muito mais além dos dirigentes e é sim um problema cultural. Enquanto o adepto do Minho achar que deve ser do Benfica porque lhe dizem que é o maior, apesar de nunca o ter visto ao vivo sequer, então cresce o cancro.

No fim é uma vergonha termos tantos estádios às moscas dizem os estarolas do costume. Pois é... Mas continuamos a ter jornais com 20 paginas para 3 clubes e 5 para os outros 12 da mesma divisão. Ninguém fala quando se cria uma Taça da Liga e se mete um grande em cada grupo (por mais que tentem não me vão encontrar um critério que se aceite para isto) e esse grande, não vá um acaso acontecer, joga duas vezes em casa. Mas não, deixemos andar, que isto assim é que vai bem.

Ainda hei-de fazer a Briosa rebentar esta coisa toda ;)

Saudações

Bubonic disse...

Leio este blog todos os dias embora raramente faça comentários. Acho que no geral, os criticos aos posts que visam o Benfica não percebem o espírito dos posts, e no fundo não percebo porquê. Sempre vi como alvo dos posts, não a instituição Benfica e os seus elementos, mas sim a comunicação social que relata os mais estupidos pormenores da vida do clube. Não pode haver um Pinto da Costa report porque a comunicação social não dá margem para que isso aconteça: em nenhum jornal é mencionado que o Pinto da Costa ou outro responsável da SAD do Porto está a tentar contratar o jogador X no local Y e que essa pessoa teve de faltar ao aniversário de casamento para fazer o negócio. Nem nenhum jornal fez capa com o Pinto da Costa a dar um beijo a um central do Porto.

Quando essas situações existirem estou certo que terão o mesmo tom de critica.

Bruno Ribeiro disse...

Concordo em geral com as falhas que apontas ao meu clube (e não teu, acho eu); mas acho que és injusto no 'tom' de algumas críticas.

A começar pelo Sapunaru que leva a torto e a direito sem ter tanta culpa assim. É verdade que não se tem assumido como titular indiscutível, mas o maior problema é uma questão de expectativas: toda a gente quer que ele seja o Bosingwa, e o homem não consegue nem vai conseguir porque não é o Bosingwa.

É justo que critiques a falta de qualidade de passe do Fernando - mais por falta de experiência e de maturidade do que por falta de capacidade técnica - mas seria justo reconhecer que tem crescido muito como jogador e a sua importância a nível defensivo.

Quanto ao Rodríguez, penso que o principal problema do jogador até ao momento era a necessidade de provar o seu valor perante as expectativas criadas em seu redor. Tem claramente melhorado e ainda tem muito para melhorar - como por exemplo, aprender a cruzar uma bola - mas está longe de ser o fiasco que muitos o condenaram a ser.

Podias ter abordado outras falhas, como pouca consistência da dupla de centrais, a falta de um médio criativo no banco capaz de fornecer outras alternativas frente a equipas que defendem muito recuadas, a incapacidade dos restantes extremos de terem exibições convincentes ou a ausência de um ponta-de-lança diferente do Lisandro capaz de jogar fixo na área (o que Farías não é, o que o leva a ser desaproveitado).

Ainda assim, bom post!

master kodro disse...

Bubonic, não o conseguiria resumir tão bem. Mas vale a pena tentar explicar isso? E vale a pena tentar explicar qual é o intuito das críticas? Cada vez mais me parece que não.

Repara que sou criticado por não escrever sobre os bordéis de Reinaldo Teles (um assunto muito ligado ao futebol) como escrevo sobre o facto de o antigo director desportivo do Benfica ter sido simultaneamente dono de um clube concorrente. Ou sobre o que os jornais escrevem sobre Rui Costa. A acção é dos jornais. Rui Costa e que está a ser atacado, logo o Benfica. Vale a pena?

Repara também que me concedem o direito a ser adepto do Porto e a certeza de ser desonesto. Não é extraordinário?

Mas tenho a certeza que a grande maioria dos leitores deste blog compreende o que aqui se faz, como tu o fizeste neste comentário. Quero acreditar nisso. E que os outros continuem a bater palmas a tudo e a dizer que sim. Desde que sejam felizes.

Luciano Rodrigues disse...

Gonçalo, por acaso lembro-me de há já uns anitos (éramos mais putos e a revolta era maior!) termos discutido essa anormalidade de um tipo de Freixo de Espada à Cinta nascer com 50% de hipoteses de ser do benfica, 30% de ser do Porto, 15% de ser do Sporting, 4% de ser maricas e 1% de ser do clube da terra. É um cancro de facto.

Mas para mim é mais que isso. Para mim é o exemplo claro de um país culturalmente atrasado.

Mr. Shankly disse...

"um de penalty, após falta de Gregory"
E o penalty existe, ou não? Não abres uma excepção para lances imaginários? :)

master kodro disse...

Nem para esses. Mas entrando no sistema de percentagens do Luciano, se houver um penalty, há 50% de probabilidades de ser o Gregory e 50% de ser o vento. ;)

E um gajo que nem sequer é da terra, Luciano, com que percentagem é que fica?

master kodro disse...

Reformulo a minha pergunta, Luciano:

Para além de ser anti-benfiquista, um gajo que nem sequer é da terra com que percentagem é que fica?

Pedro disse...

"Repara que sou criticado por não escrever sobre os bordéis de Reinaldo Teles (um assunto muito ligado ao futebol) "

Disseste tudo nesta frase...
:):):)

Insurrecto disse...

no resultado acertaste... mas o tacuara nem saiu do banco!

Infante disse...

Completamente de acordo com os ultimos comentários do Gonçalo e Luciano. Podem falar em dirigentes, mau futebol, preços, etc...

Podem dizer o que quiserem, mas o grande cancro do futebol português é o absurdo domínio dos 3 grandes. Se pensarem bem é daí que decorrem quase todos os males (estádios vazios, clubes sem adeptos, clubes sem apoios, clubes sem dinheiro...)

E para confirmarem isto, basta tirarem o rabinho de Lisboa e do Porto. Como disse alguém uma vez: "em Portugal não existem clubes locais; em Portugal os clubes locais são as casas do Benfica e os nucleos do Sporting".

Este sim, é o problema do futebol português. Isto a mim já nem me indigna. O que irrita é um bocado é ver sempre a lenga-lenga da "culpa dos dirigentes" quando se discute a historia dos estádios vazios. A verdade é que estão vazios, não por causa dos dirigentes, mas porque em Portugal a palavra "bairrismo" praticamente não existe...

Hugo disse...

Excelente comentário Bubonic.

Kaiser disse...

Dizer que os bordéis do Reinaldo nada têm que ver com o futebol do clube do freixo é, no mínimo, esclarecedor...

master kodro disse...

Já percebi que dominas o departamento das putas, kaiser.

Rui disse...

Copiei :

O branqueamento

Hoje em dia são outros os protagonistas,mas a cultura da agremiação é a mesma.
Vale-lhes a impunidade com que passeiam no futebol e na sociedade portuguesa.

Esta ficção é uma visão perfeita do pântano em que a descarada C. Social se movimenta no sentido de guindar por meios obscuros o clube do regime da "outra senhora" que perdeu, desde o derrube do mesmo, a capacidade de se manter na elite do futebol Nacional e Internacional.

"Imaginemos, um clássico à 23ª jornada no Estádio do Dragão.
Intervenientes FC Porto – SL Benfica.O Benfica estava em 1º lugar com a diferença de um ponto. Foi nomeado um árbitro internacional, da Associação de árbitros do Porto, e, pura coincidência, filiado no Futebol Clube do Porto. Vamos chamá-lo de Sr. José Fruta.Aos 81 minutos, com a equipa da casa a perder por um a zero, um livre contra o visitante. A bola é centrada e um defesa central do FCP cabeceia. A mesma bate no poste, ressalta no peito de um homem do meio-campo do Benfica e entra na baliza. O árbitro valida o jogo mas o comentador de serviço da SPORTTV, o insuspeito Sr. Sobral, adianta de imediato que o central do Porto estava fora de jogo. Passam pelo menos, 4 repetições, de ângulos diferentes onde se nota o adiantamento do mesmo. O jogo termina empatado.Nessa mesma noite o programa de desporto da TVI abre com as mesmas repetições do escândaloso roubo que o glorigozo sofreu. São mais de 5 minutos do prime-time onde o assunto é dissecado até ao mais infímo pormenor e apelidado de “Roubo do Século”.Na manhã seguinte A BOLA tem, na sua primeira página e encabeçada por um título em letras garrafais e vermelhas de “Roubo de Igreja”, uma foto onde se vê o central do Porto em claro fora de jogo.A escritora de serviço, inspirada por este trágico acontecimento, inicia um rascunho que mais tarde será conhecido por “Eu Creolina – parte 2 e um terço”.O Sr. Filipe, aka Orelhas, pede, com caracter de urgência, uma audiência ao Exmo. Sr. Ministro do Desporto. Tem consigo um dvd, pirata e comprado na Feira local, com provas irrefutáveis. Pede a anulação do jogo e a imediata descida de divisão do adversário.O Sr. Veiga, que ainda estava no activo, rasga o seu cartão de sócio do FCP e brada, a todos os ventos, que o árbitro tem que ser colocado na prateleira.A Exma. Sra. Assistente Procuradora Geral, carrega no botão vermelho, despoletando a saída de 4 brigadas anti-corrupção com o intuito de deter e interrogar todo e qualquer prevaricador envolvido neste escândalo. As equipes de escuta analisam todas as conversas telefónicas relacionadas com os intervenientes e conseguem descobrir uma onde o Sr. João Fruta comentava algo tipo “a fruta estava boa” com o Sr. Joaquim que era o merceeiro do supermercado da esquina. Foi também interceptada uma encomenda online feita pelo Sr. João Fruta ao Continente onde pedia 2 kgs de bananas da Madeira, 3 kgs de maça golden, 1 kg de morangos importados de Espanha e 1 kg de mangas do Brasil. Foi considerada suspeita devido à grande quantidade de fruta encomendada assim como a sua proveniência.Não sabendo ainda de como isto pode terminar cumpre ainda fazer alguns reparos. Existiram 8 cartões amarelos: 6 para os visitantes e 2 para a equipa da casa (onde eram todos bons rapazes). Dois dos jogadores dos visitantes lesionaram-se sózinhos ficando impedidos de jogar nas próximas duas jornadas.