quinta-feira, janeiro 22, 2015

Helton e pouco ou muito mais

É difícil ficar indiferente àquilo que se passou em Braga. Mas, se calhar, antes de apontar o dedo a uma arbitragem ridícula, que arruinou o jogo, convém puxar as orelhas a Reyes, por aquela entrada absurda, completamente desnecessária, que lhe valeu o primeiro amarelo, e a Evandro, por se ter posto a jeito do modo de compensação que foi ligado, depois do penalty a favor do Porto, e que assim permaneceu até ao fim do que sobrou do jogo.

E o que sobrou foi uma luta desigual, de 11 contra 9, um enorme Helton, a mostrar que ainda está aí para as curvas, e um espírito solidário e guerreiro que transformou a revolta em orgulho. Se Lopetegui conseguir catalisar este espírito para o que resta da época, pode ser que ainda venhamos a agradecer a Cosme Machado. Caso contrário, terá sido apenas mais um jogo para esquecer, de uma competição que todas as épocas se destaca pelos piores motivos e que, por isso, tem cada vez menos credibilidade.

3 comentários:

TMAT disse...

Tem a credibilidade que o clube quiser dar, jogar com a equipa "b" ou com o juniores é que começa por tirar essa mesma credibilidade, o que se passou em braga com o cosme machado foi apenas o normal nas suas arbitragens...desta vez foi com prejuízo para o porto, e isso sim surpreende...

O meu clube pelo menos encara seriamente esta competição, e é assim que tem de ser...

miguel.ca disse...

E como não haveria de levar a sério uma competição que foi idealizada e realizada com o único objectivo de criar mais oportunidade para o benfica ganhar pelo menos um troféu?
Aquelas 3 primeiras edições as quais obviamente o benfica ganhou de forma despudorada e por decreto, marcaram para sempre uma competição incapaz de atrair patrocínios ou de qualificar quem quer que seja para uma competição Europeia.

miguel.ca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.