domingo, outubro 06, 2013

Um minuto e meio

É o tempo que Quintero precisa para entrar em campo, correr, levar uma sarrafada por trás e marcar golo de livre directo. Está a ser guardado... Pode ser que brilhe na Liga Europa.

Um minuto e meio foi também o tempo que levou uma análise de um lance entre Helton e um avançado do Arouca, fora da área. Entre a "falta clara" de Helton e o "choque", aconteceu um "Helton era o último homem do Porto". Pelo meio, Luís Freitas Lobo lá reconsiderou: o único a tocar na bola foi Helton, depois chocaram. Mas em momento nenhum foi considerada a hipótese de falta do jogador que, sem tocar na bola, impediu Helton de a continuar a jogar. Mistérios.

10 comentários:

Zemis disse...

"O porto ganha este jogo porque tem de ganhar. Basta ver, os cantos do David Simão, sempre para o defesa do porto, curtos e de facil corte. Basta ver o Helton a sair da área e a não se passar nada. é o futebol português." (comentário retirado d'o cacifo do paulinho)

mk, tu é que perdeste a última mudança de regras aprovada pelo international board: o guarda-redes do fcporto não pode sair da área; se sair, leva amarelo; se sair e jogar a bola, não há dúvidas que é vermelho!
é mesmo caso para dizer: "é o futebol português"!

Ribeiro dos Santos disse...

Engraçado como é que uma agressão do Mangala, para vermelho directo passe incólume no jogo.
O mais impressionante é que o árbitro viu a agressão, porque marcou a falta.
E assim lá poderá Mangala aviar como bem quiser e bem entender, o coitado do Montero.

é mesmo caso para dizer: "é o futebol português"!

Ace-XXI disse...

eu acho que é falta clara do Helton que apesar de tocar a bola derruba o avançado do Arouca impedidondoo de disputar o lançe, a cor do cartão é que é mais difícil de ajuizar porque havia defesas do porto na direção da baliza e principalmente porque Helton quando toca na bola acaba por desenquadrar o lançe da baliza.

O Mangala merecia 1 premio por ter terminado o jogo, inacreditável como continua jogo apos jogo a distribuir porrada pelos adversários e nunca é expulso.

Pedro disse...

Afirmarem que Helton comete falta naquele lance só demonstra o que a maioria dos adeptos anda à procura: justificar as suas derrotas com o Porto.

Compreendo. O melhor é sempre o alvo a abater. Parabéns ao Chuck Norris de alvalade. Criou o clima ideal para daqui a duas semanas!

Falta meu Deus. Eles afirmam que é FALTA! Santa ignorância.

Gabriel disse...

LOLOL

Realmente o jogador do Arouca ia disputar uma bola que foi jogada pelo Helton para 1m atrás dele... 2 jogadores tentam jogar a bola, um joga a bola o outro não de quem é a falta? Claro que é do jogador que defende os interesses do Porto, seja ele quem for, é essa a regra nas faltas.
Quanto ao Mangala... na maioria das faltas que lhe são marcadas no jogo aéreo nem falta deveria ser porque ele salta para jogar a bola e os outros ficam no chão à espera de levar com ele em cima. Quem não tenta disputar a bola não pode ter a vantagem.

master kodro disse...

Ace XXI, ao vivo e em directo, eu até compreendo que um ou dois gajos se deixem levar pelas emoções e as vontades. Agora não percebo como é que depois de ver e rever o lance possas escrever isso. Só há um jogador a tocar na bola que a direcciona no sentido em que a quer continuar a jogar. Quem promove o contacto, porque chegou atrasado ao lance é o outro.

Carlos disse...

quando há comentários em que se pretende demonstrar que o futebol português está mal porque o Helton saiu da área e não é castigado, está tudo dito !!
incrível !

mas esta é a cultura que jornais como o correio da manhã e record; tentam promover
é este forma de observar o jogo que leva a 'maioria' (?) a olhar com naturalidade que só ao fim de >160 jogos o Maxi tenha sido expulso

mal estaria o futebol português se o Maxi já tivesse sido expulso noutras ocasiões

Carlos disse...

outro tema:
o Estoril jogou na 5º feira e naturalmente queria adiar o jogo desta jornada para hoje. O adversário, apesar de não ter qualquer jogo no decorrer da semana, não aceitou.
A meu ver, está no seu direito. Não há nada a criticar.
Esta recusa não teve qualquer destaque na comunicação social.
Devia ter tido ? Não.

O Porto teve exactamente a mesma posição perante o pedido de adiamento do Estoril mas ai a recusa foi amplamente divulgada e foi apresentada como uma atitude criticável, pouco desportiva, etc
Essa posição teve amplo destaque.

A mesma situação abordada de forma diametralmente oposta e em claro prejuizo do Porto.
Que mensagem passa ? a de benefício do Porto. o Porto foi jogar em 'vantagem' pelo facto do Estoril ter menos tempo de recuperação.

Este conteúdo é parte integrante das 'mensagens' que são repetidamente veiculadas por grande parte da comunicação social e esta 'mensagem' que fomenta comentários como aquele do Helton não poder sair da sua grande área.

Gil Von Doellinger disse...

Há os Google Glass e há os Jihad Glass. Os Jihad Glass são usados, claro está e pois então, por aqueles que fazem parte da intifada fundamentalista - passe a redundância - contra o regime de vitórias do Porto. Estes óculos são mágicos, pois permitem ver uma falta de Hélton neste jogo, mas impedem de ver, por exemplo, uma agressão dum treinador a um agente da autoridade. Ao que parece, é algo que cria altos níveis de adição, pois já passaram quinze dias desde essa "alegada" agressão e os mesmos fundamentalistas, ao que parece, continuam a parecer não terem visto a mesma.

miguel.ca disse...

"é mesmo caso para dizer: "é o futebol português"!"
Pois... o mesmissimo futebol que permite que o Luisão pontapeie um jogador do Nacional em pleno relvado e nem um jogo de exclusão levou. O mesmo que permitiu agressões barbaras do Maxi Pereira e do Xavi Garcia vezes sem conta sem expulsões ou qualquer penalização.
Não sejas choramingas!!! Cresce e faz-te um homem e em vez de questionares o futebol Português, questiona a gestão do teu clube e o que o levou a tornar-se uma banalidade no contexto do futebol Europeu.