terça-feira, abril 12, 2011

A realidade

O Braga é muito superior ao Vitória, pelo que não há nenhum drama na derrota de ontem, apenas a normalidade de quem tem jogadores como Hugo Viana, Alan, Mossoró, Hélder Barbosa ou Ukra para decidir jogos e que a estes junta um central goleador como Paulão (a fazer dupla com Kaká, quando a dupla de início de ano era Moisés e Rodriguez). E Domingos, claro. Enquanto conseguimos manter o jogo contido, houve pouco perigo do Braga (antes do golo, aos 60 minutos, uma grande oportunidade e uma bola no poste de um cruzamento falhado de Hélder Barbosa), para pouco perigo do Vitória (grande oportunidade de Targino logo a começar). Depois entrou Edgar e começou o fim. Não há drama numa derrota de um Vitória em construção (surpreendente é o facto de ter conseguido o objectivo da época tão cedo, tão mais cedo do que os seus adversários de meio da tabela para cima) contra um Braga histórico. master kodro

11 comentários:

Flip disse...

"Não adiaram, mais cedo mamaram"

João disse...

A 4 jornadas do fim do campeonato ainda se está a construir a equipa?!
Essa desculpa dura desde a pré-época, quando a 2ª volta era apontada como a meta para a parecer o "bom futebol".
E neste momento não tenho dúvidas, de que se não fossem os sorteios favoráveis na Taça(e vitórias sofridas a equipas que lutam pela permanência) íamos ficar mais uma época a ver jogos da UEFA no sofá.

qualquercoisa disse...

http://futebolfilosofal.blogspot.com/2011/04/jabba-da-costa-dixit.html

Vítor Hugo disse...

Até já se admite normalidade em derrotas tão claras como esta. O que vale é que os relvados são grandes ou pequenos demais, a equipa é nova, o árbitro é isto e aquilo, mas não se fala das exibições patéticas contra toda a gente. Infelizmente é um hábito que se apoderou deste clube. Construir equipas a meio/fim do campeonato só pode ser para rir. Mas pronto, somos bem masoquistas, Eu devo ser porque fui lá ver um banho de bola que aqueles gajos nos deram... e foi normal.

Jota Pê disse...

Também não há drama em ter um treinador que é, provavelmente, um dos mais incompetentes da 1ª liga?

Filipe disse...

O vitória passou de uma média de um ponto e meio por jogo em 2010 para uma média de um ponto por jogo em 2011. A equipa não está em construção, está em desconstrução. Quanto mais tempo de Machado pior é o rendimento.

Guardem-no que é bem capaz de vos mandar para a divisão de honra para o ano. Aliás, considerando o campeonato em 2011, altura em que Portimonense e Naval trocaram de treinadores, o Machado fez menos 6 pontos que o Mozer e apenas mais dois que o Azenha(!).

Vimaranes disse...

Que desilusão, master. A atitude e exibição do Vitória e até... imagina, o teu texto! A prova de que o nível de exigência está abaixo de zero. Devolvam-me o meu Vitória, aquele que, jogando contra quem jogasse, as suas derrotas nunca eram consideradas "normais", aquele que, jogando contra quem jogasse, se batia como podia para tentar ganhar. Não exijo que ganhem, mas exijo que haja atitude! Baixamos de tal maneira as expectativas sobre tudo e mais alguma coisa que agora tudo é normal... e a final da Taça de Portugal tudo esconde.

Pedro Almeida disse...

Os comentários a este post são elucidativos das preferências clubistas de cada um, autores e comentadores...caso ainda houvesse dúvidas.

Fredy disse...

oh Mk ou Littbarski,

não fazem um post sobre o facto da instituição sport lisboa e benfica, através do seu canal oficial, e posteriormente através do seu director de comunicação desejarem a morte de um ser humano, mais concretamente o senhor Pinto da Costa, presidente do FCP??

é que gostava mesmo de saber a opinião dos iluminados benfiquistas sobre isto..para ver se a sua moral, coerencia e hipocrisia continua a mesma de sempre, ou se num caso extremo como este, eles abrem os olhos.

master kodro disse...

Só me faltava que começasses a dizer bem da defesa em linha em cima do meio-campo da Naval, Filipe. Quando chegar esse momento, avisa-me.

Filipe disse...

Mas quem é que está a dizer bem da Naval? Estou apenas a referir que algo se passou na viragem do campeonato que colocou o Vitória com um rendimento semelhante ou inferior ao das equipas que lutam para não descer (até o outro Vitória fez mais dois pontos em 2011). Não me parece normal que um treinador capaz piore o desempenho da equipa à medida que passa mais tempo com ela.

Começas a peça com o elogio do Braga, pois bem o Vitória das primeiras 11 jornadas chegou bem para o Braga, tal como tinha chegado para Benfica, Porto e Sporting. Para equipa em construção bateu o pé aos 4 primeiros da época passada.