domingo, março 29, 2009

Portugal 0 x Suécia 0

Custa sempre não ganhar, mas custa muito mais quando se rubrica uma boa exibição contra uma equipa de indiscutível qualidade como a Suécia (mesmo sem Ibrahimovic). Portugal foi competente na defesa e empenhado no ataque, gozando de uma série de boas oportunidades. Chegou mesmo a vulgarizar o adversário e, convenhamos, merecia ter vencido com tranquilidade.

Por que não ganhou? Ao contrário do que se lê por aí, não há uma resposta fácil. O problema da finalização é central. Uma equipa que dispõe de três ocasiões flagrantes não pode chegar a zeros ao fim do jogo. As perdidas de Ronaldo e Danny são particularmente inaceitáveis quando falamos de dois jogadores com dezenas de golos nos seus currículos. Por outro lado, Portugal tem hoje em emoção o que lhe falta em cinismo. Os ataques são feitos talvez de maneira demasiado sôfrega, sempre com coração mas com pouca objectividade. Não defendo um futebol “frio”, mas esta selecção precisa de ser mais incisiva nos seus movimentos atacantes.

Queirós cometeu todavia vários erros. Se o objectivo era colocar Danny a tabelar com os médios entre os centrais suecos (como aconteceu na segunda parte), então era preferível ter convocado Nuno Gomes, que desempenha muito melhor esse papel. Critico também a saída de Tiago, então um dos melhores jogadores, para a entrada de Deco. Queirós podia ter substituído o incipiente Meireles e arriscar a utilização simultânea dos dois criativos portugueses. Por fim, a gestão do problema do lateral-direito foi simplesmente néscia. Portugal já tinha três centrais em campo, pelo que a presença de Nélson no banco era fundamental para o caso de Bosingwa se ter lesionado (como sucedeu). Fazer entrar Rolando (e que mal jogou) e descair Carvalho para a direita foi uma solução então necessária, mas que resultou de uma má decisão inicial.

Ninguém pode estar contente com esta fase de qualificação. Dois pontos caseiros em três jogos é péssimo. Uma vitória em cinco jogos é ridículo. Porém, observo com verdadeiro nojo a campanha que decorre na imprensa contra Queirós. Desde o primeiro dia, aliás. Criticam-se todas as opções, mesmo quando funcionam (é o caso das felizes adaptações de Pepe e Duda), recordam-se eras pseudo-douradas com Scolari e traçam-se cenários catastróficos completamente a despropósito. A má-fé é tão evidente que o comentador Manuel Queirós dizia ontem na TVI que o jogo tinha sido "equilibrado"...

Atentem bem: eu acho que Portugal tem agora poucas hipóteses de chegar ao primeiro lugar e o apuramento será sempre difícil. Mas o que hoje li, vi e ouvi é vergonhoso. A imprensa afirma EXPLICITAMENTE que Portugal já foi eliminado (“Adeus África”, titula O Jogo) ou que seria necessário um milagre para nos apurarmos quando Portugal tem possibilidades matemáticas de vencer o grupo, podendo até chegar ao play-off mesmo sem ganhar todos os jogos. É isto mau jornalismo? Não tenho dúvidas. É isto uma forma de pressão indecorosa – que nos tem feito muito mal – com o objectivo de chutar Queirós e apelar ao breve regresso do salvador Scolari? Idem.

katanec

44 comentários:

Pedro disse...

Campanha contra Queiroz??

nm disse...

Reafirmo o que sempre disse: Queirós tem bom remédio para calar as "campanhas" e as críticas. Basta-lhe ganhar jogos. Não é certamente dos críticos a culpa que ele não seja capaz de o fazer.

Infante disse...

O problema é que o pessoal é muito de extremos. Ou é ganhar a qualquer custo, ou então a treta das vitórias morais. É 8 ou 80.

De que é que serve dizer que Portugal "vulgarizou" a Suécia ou que "merecia ter vencido com tranquilidade" ? Isso reconforta-te ? Merecia ? Mas merecia como ? Vais contar o número de remates, é ?

As pessoas estão fartas de "vitórias morais", estão fartas das "boas exibições" sem substância nenhuma. Estão fartas desse romantismo pateta. Ganhar é importante e pronto. Não sou pró-Scolari, mas com ele, mal ou bem, ganhava-se. E que eu saiba o objectivo do futebol não é fazer mais remates, nem vulgarizar o adversário. O objectivo é marcar golos. E já agora, por que não defender o futebol frio ? Em muitas coisas o futebol das melhores equipas é frio: passe - passe - desmarcação - golo. Tá feito.

Pode-se falar em perseguição (que até concordo em parte, se bem que ao Scolari também não lhe faltava uma legião de críticos), mas a verdade é que Queirós está a falhar. Com vitórias morais ou não, ele está a falhar.

Portugal tem acima de tudo falta de um matador. Já não temos um PL de grande nível praí desde o Fernando Gomes. O mais proximo que tivemos ainda foi o Pauleta, mal-amado por nunca ter jogado nos grandes portugueses. E pensar que a Holanda se dá ao luxo de deixar de fora das convocatórias tipos como Makaay, Venegoor of Hesselink, Koevermans. E nós andamos aqui com os Almeidas e Postigas.

Cumps.

Filipe disse...

Não concordo que Portugal tenha estado bem. O Queiroz teve mais medo de perder do que vontade de ganhar o jogo. O homem nunca recuperou o trauma daquele jogo contra a Dinamarca, e tem procurado armar a equipa de forma hiperdefensiva.

A Suécia nunca teve que arriscar, e no final do jogo conseguiu manter-nos a alguma distância sem grandes problemas. A sensação com que fiquei foi que a Suécia teria tido grande facilidade em pegar no jogo se o quisesse fazer.

Aquilo que nos tem safo é o respeito que os adversários têm pelo Ronaldo.

Quanto à campanha anti-Queiroz... olha-se para a classificação e abaixo de Portugal estão apenas Malta e Albânia (e mesmo relativamente a esta a distância não é confortável). Isto num grupo em que somos o País com mais habitantes.

Filipe disse...

"Já não temos um PL de grande nível praí desde o Fernando Gomes."

Vê os números do Fernando Gomes na selecção e depois fala. Pauleta e o próprio Nuno Gomes têm números muito superiores.

JLC disse...

Para que é que se analisam os números dos pontas de lança, se o Queirós joga sem nenhum?

Jogamos com 6 homens de meio campo, e ainda se admiram que controlamos o jogo mas não marcamos...

Quando a bola chega dentro da área, devia ser para o PL que a metesse lá dentro, não é para o danny, que a devolve para trás, para mais um remate de 30 metros.

Mr. Blue disse...

Concordo em absoluto com quase tudo o que foi escrito no post.
Principalmente a crítica à composição do banco (ausência de Nélson), no entanto discordo, claramente, do "incipiente Meireles".
Meireles foi, para mim, o melhor em campo no 1º tempo e fez um jogo, globalmente, do melhor que a selecção ofereceu. Concordo que a saída de Tiago foi despropositada mas a peça que, eventualmente, deveria ter saído era Pepe.

No mais, acrescentar que este tipo de frases - "Não sou pró-Scolari, mas com ele, mal ou bem, ganhava-se." - faz-me rir.

Ou então sou eu que estive ausente aquando das grandes vitórias de Scolari...

Finalizo dizendo que sou daqueles que vê um futebol de muito maior qualidade com Queiroz do que aquele que tivemos num passado recente (e com um leque de escolhas nitidamente inferior).
Quanto aos resultados, assim de repente recordo-me de falhanços escandalosos de Simão (Dinamarca), Nani (Albânia) e Ronaldo (Suécia, ontem) que, se concretizados, nos fariam ver as "contas" de outra forma.
Mas, lá está, a culpa é do Treinador. Dá jeito...

Infante disse...

Mr. Blue, sim, ganhava-se. Ganhava-se estes jogos de preparação, a equipa qualificava-se e - cúmulo dos cúmulos - chegava a finais europeias e meias-finais mundiais. Que miséria, realmente !

Volto a dizer que não sou pró-Scolari e que acho que o ciclo dele chegou naturalmente ao fim e não o quero de volta.

Mas a história do "se não fosse o falhanço" pode ser dita de qualquer equipa e treinador do mundo. Mas há quem faça por compensar esses falhanços.

Mas pronto, fiquem lá com as vitórias morais e com o "bom futebol". Eu gostava de ver a selecção na Africa do Sul, mesmo jogando - oh que horror ! - um "futebol frio". (e ainda acredito e espero que consigamos lá ir).

JLC, jogar o Hugo Almeida ou não jogar é o mesmo. Ele é uma nulidade, não tem a minima classe para ser titular de uma selecção que se quer de topo. Percebo perfeitamente as convocatórias de Edinha e Orlando Sá, o desespero do Queirós nos treinos deve ser imenso ao ver o Almeida.

Continuo a achar que enquanto não houver um PL ao nivel do resto da equipa, se calhar devia mesmo jogar o CR lá na frente. Não sendo PL tem mais faro de golo e sangue-frio que aquelas nulidades que lá estão.

katanec disse...

Registo duas frases notáveis nestes comentários.

Do caro infante: "Não sou pró-Scolari, mas com ele, mal ou bem, ganhava-se". Assim de repente, Sérvia, Finlândia, Polónia, Suíça, Alemanha, França, Inglaterra. Tudo vitórias, certo?

Do caro filipe: "Isto num grupo em que somos o País com mais habitantes". É por causa disto que os treinadores da China e da Índia andam com vida difícil.

Mr. Blue disse...

"Mr. Blue, sim, ganhava-se. Ganhava-se estes jogos de preparação "
Ora bem, assim de cabeça recordo da última fase de qualificação:
- Empate em casa com Polónia;
- Empate em casa com a Sérvia;
- Empate em casa com a Finlândia;

Infante disse...

Chiça, ganhava-se o suficiente para passarmos, foi isto que quis dizer.

Claro que é mais fácil destacar uma mão-cheia de resultados negativos num treinador que deve ter feito uns 60 jogos à frente da selcção, do que num que só fez uns 5 ou 6.

O pior de tudo é que isto dá a ideia de eu estar do lado do Scolari, quando a verdade é que também não suportava o homem. Mas a alternativa tem que ser mesmo o regresso às odiosas vitórias morais ? Ao jogámos bem, "vulgarizamos", "merecíamos ter ganho" ? Que mentalidade ridícula, pá !

Pedro disse...

Com uma qualificação destas, até ao momento, vocês têm a coragem de criticar Scolari?

Brutal.

Zé Luís disse...

"Claro que é mais fácil destacar uma mão-cheia de resultados negativos num treinador que deve ter feito uns 60 jogos à frente da selcção, do que num que só fez uns 5 ou 6".

Infante, é precisamente ao contrário. O argumento utilizado é criticar quem ainda fez 5 ou 6 jogos. Metade deles contra Maltas e Faroes, mas metade contra Suécias e Dinamarca.

O ponto, afinal, parece ser:
- pelas vitórias morais
- pelas vitórias de meio a zero.

É o 80 e o 8.

À portuguesa. Levantemo-nos e cantemos o hino.

p.s. - O "contra-Informação" já põe o Scolari nas filas do desemprego e a pedir trabalho em Alvalade e na Luz. Questionados os adeptos verdadeiros, de carne e osso, despacham-no para o clube rival da Segunda Circular e ninguém o quer ver de volta
a selecção.

Zé Luís disse...

Contra as duas muralhas, altíssimas, da Suécia, ofensivamente era inútil, e sem escadotes para tal, atirar com pontas-de-lança que não temos.
Defensivamente era preciso homens altos e quantos mais melhor. Mesmo assim, corremos risco de sofrer 2 ou 3 golos em simples lances de bola parada, um deles numa saída até "airosa" que fez lembrar os tempos de Ricardo, infelizmente.

Portanto, a sugestão dos teóricos era pedir homens altos na frente (só temos H. Almeida, é o que se arranja) e homens baixos atrás (Nélson). Ainda retirávamos o Pepe e não aproveitávamos o Rolando.

Deve ser isso que se chama arriscar em futebol.

Nuno disse...

Katanec, Portugal não jogou bem. Foi mais intenso, teve mais por cima do jogo, atacou mais. Nada disto significa jogar bem. E como tu bem escreves, jogou-se muito mais com o coração do que com a cabeça. Foi exactamente o que aconteceu. Portugal atacou, foi rápido, incisivo, impôs um ritmo alto, mas ideias que é bom, nada. Vamos a ver e tivemos 3 oportunidades de golo. Os suecos tiveram 2 sem fazerem praticamente nada. Portugal nunca foi capaz de controlar o ritmo da partida e de esperar pelo momento certo para furar a muralha defensiva dos suecos. Os nossos ataques foram sempre muito forçados e prevísiveis. O melhor em campo, aquele que, de certo modo, estava a conseguir dar alguma magia e alguma criatividade àquilo, era o Tiago. O Queiroz fez questão de facilitar a vida aos suecos, tirando-o. Era o único que estava a ser imprevisível.

Quanto ao problema da finalização, discordo. Portugal praticamente não criou oportunidades. O único falhanço clamoroso foi do melhor marcador da Liga dos Campões e da Premier League o ano passado. Logo, não me parece que seja esse o problema. O problema reside essencialmente na falta de criatividade do meio-campo e no não se perceber que a velocidade, o ritmo, nem sempre é sinónimo de capacidade ofensiva. Meireles fez um bom jogo do ponto de vista defensivo, mas em termos ofensivos a selecção pouco ou nada ganha com ele. Moutinho tinha de ter sido opção. Houve sempre a tendência de explorar o adiantamento dos suecos e a velocidade de Ronaldo, Simão e Danny. A mobilidade e a dinâmica dos homens da frente até foi bastante interessante, mas faltou claramente clarividência, lucidez, capacidade para tomar boas decisões e, essencialmente, quem fosse capaz de inventar espaços.

Quanto à questão dos centrais, ridículo. Acabámos o jogo a jogar com 4 centrais de raiz. Mas além disso há também as substituições troca por troca de Queiroz. Para quem criticava Scolari por não arriscar, ontem não foi diferente.

Por fim, a questão das adaptações. Sinceramente, Duda enche-me as medidas. É certinho a defender e integra-se bem no ataque. Tem uma característica muito apreciável que é o facto de não ter medo de jogar para dentro, de tabelar, de jogar curto com o apoio. Acho que é a melhor solução para o lugar. Já o Pepe a trinco é uma argolada de todo o tamanho. A capacidade de antecipação de Pepe é muito boa e é verdade que pode ser directamente responsável por algumas recuperações de bola, mas em termos posicionais é uma nódoa. Raramente está no sítio certo e muita da facilidade que os suecos tiveram em trocar a bola em alguns momentos do jogo deveu-se ao despovoamento da zona entre os centrais e os médios. Nesse capítulo, a opção por Pepe saiu totalmente errada. Além dos problemas posicionais, há ainda o factor ofensivo. Com Pepe em campo, é menos um elemento no meio-campo com capacidade para trocar convenientemente a bola. O trinco deveria ter sido Meireles, jogando Moutinho ao lado de Tiago.

Zé Luís disse...

O suplente do Benfica é suposto ser melhor do que o titular do Zenit que em Agosto custou 30 milhões de euros.

Nuno Gomes deve ter marcado uns golitos, embora não me lembre a quem. Danny marcou logo na estreia ao M. United na Supertaça.

Deve ser por isso (Nuno Gomes) que desejamos o Liedson. Muito futuro à nossa frente...

É uma perspectiva.

A saída do médio para entrar Deco?

Tiago fez um jogo de 3 bons passes, mas pouca presença constante na zona frontal da área sueca. Deco em menos tempo fez mais: dois remates muito perigosos e boas iniciativas.

Vamos solucionar o problema do ataque com dois supostos nº 10?

É outra perspectiva.

Mas quems sair mesmo?
Pepe? Meireles? Perder alguém em altura (e bravura, com estampa atlética)? E alguém que fazia passes de ruptura e garantia o equilíbrio defensivo?

Jogar 5 atrás e 5 á frente não +e perspectiva. É método?

N. disse...

Já comentei o que tinha a comentar no post anterior...

É curioso que os jornais que tanto empolaram a escolha do seleccionador, agora já o estejam a queimar forte e feio. A imprensa que tenha calma, o Mourinho já disse que só daqui a 15 anos é que quer treinar Portugal.

Destes posts todos destaco esta frase:

"Queirós tem bom remédio para calar as "campanhas" e as críticas. Basta-lhe ganhar jogos."

Na mouche!


Zé Luís, alguns dos teus conceitos de futebol estão virados do avesso. Ainda bem que aproveitámos o Rolando ontem... fez toda a diferença...
Achas mesmo que arriscámos alguma coisa ontem? Valeu de muito acabar o jogo com tantos homens a defender. Assim não perdemos... Ufa, estou muito aliviado!

Mentalidade tacanha, valha-me Deus!

N. disse...

Zé Luís, já só falta dizeres que faltava o Pedro Emanuel a defesa esquerdo para garantir solidez defensiva.

Estás a delirar com a questão da altura dos jogadores. Queres um jogador ENORME que resolvia o jogo de ontem? Messi.

Liedson? Venha ele, é da maneira que deixo de ver novamente jogos do Brasil B.

João Mendes disse...

Muito bom post do katanec, concordo em quase tudo, e cada vez acho que o povo português critica porque tem de criticar e mais nada. Mas primeiro o jogo, Portugal foi uma equipa muito bem montada, onde Duda esteve muito bem como lateral, Pepe também esteve bem a trinco, e duas das maiores dores de cabeça que a selecção tem foram muito bem resolvidas. A outra grande dor de cabeça será de certo o ponta-de-lança e percebo que aí a culpa seja de Carlos Queirós porque com a idade que tem, podia muito bem ter feito um filho e treinado desde do berço para que hoje fosse o ponta-de-lança de referencia da selecção. Claro que Portugal não tem, huntelares, makays, koevermanses, não tem nenhum lisandro, nem um crespo, não tem torres, vilas e guizas, e que vamos fazer? Se devíamos convocar o nuno gomes, acho que devíamos, que neste estilo de jogo parece o melhor avançado que temos, o hugo almeida é muito fraco, por isso entendo completamente colocar o Danny no onze inicial.
Portugal fez uma grande exibição, como já o tinha feito contra a dinamarca e perdeu, se conta para alguma coisa? talvez não.
é melhor ganhar e jogar mal do que não ganhar a jogar bem?
claro que é.
Mas não nos podemos esquecer que tivemos muitas oportunidades para marcar pelo menos um golo, e mesmo que se queria não é o seleccionador que as mete lá dentro. Sou da opinião que Nelson devia estar no banco em vez do Gonçalo Brandão, e que colocar Ricardo Carvalho a lateral direito foi uma solução de recurso que acabou por não ser má. Concordo também que a saída de Tiago não foi correcta, porque estava muito muito bem em jogo, e nessa altura talvez Raul fosse uma melhor opção para sair, apesar de achar que fez também um jogo bastante positivo. A entrada do Hugo Almeida foi um desastre, mas foi um desastre porque o Hugo é um desastre. Agora é a maior estupidez crucificar o seleccionador nacional na praça publica, e dizer que a qualificação acabou. É lógico que não ganhar nenhum jogo em casa é muito mau, que em 5 jogos só ter uma vitória e ser contra a Malta também é mau, que estar em penúltimo também é mau, mas da minha memoria ninguém me faz esquecer que fizemos uma grande exibição contra a Dinamarca e contra a Suécia, se isso conta para alguma coisa, talvez não conte, mas acho que devia contar pelo menos para ter mais um pouco de respeito pelo seleccionador.
Se é difícil chegarmos à África do Sul, acho que ninguém tem duvidas mas está muito longe de ser impossível.

leaoconselheiro disse...

Vergonhoso é uma equipa com os jogadores que Portugal tem, com o percurso que vem fazendo nos últimos 20 anos estar a fazer contas com metade da fase de grupos por jogar.

Se a tendência continuar nós deixamos de fazer contas antes dos últimos 2 jogos.

Enquanto as pessoas (incluindo o Seleccionador) andam agarrados às guerrinhas de treta, Portugal afunda-se.

Falhar uma vez, dá para dizer que é azar. 3 (com particulares altamente preocupantes pelo meio) só pode ser porque há alguma coisa muito grave pelo meio.

E para que fique claro... Não há comparação possível entre esta campanha e qualquer uma dos últimos 25 anos (não tenho memória para mais).

FIL disse...

Post à Queiros, está tudo louco! Coitado do homem q até fala bem e tal, até já convocou 50 jogadores promissores e a gente até voltou às tabelas bonitas que nem precisam de balizas...Campanha contra Queirós? Essa é para rir? Scolari já estava empalado!!! Já agora, este seleccionador nem precisa de campanhas, ele próprio trata disso (até tu podes ser convocado...e logo para titular katanec).

Que merda de regresso aos tempos antigos, que jogadores tão medianos ali andam e que dejávu tenebroso é ouvir certos discursos...

Gabriel disse...

Vi os ultimos 10m e o que vi foi 1 oportunidade flagrante falhada e 1 constrangedora sucessão de maus passes. Gostava ao menos de ter visto + luta, + pressão, + vontade.
Enfim, eu também exijo mais.
MAS vamos analisar realmente as coisas como elas são. Que outras soluções com mais experiência podem ser usadas como sendo MELHORES do que os que actualmente estão a ser usados? Excepto o Nuno Gomes não vejo ninguém. Alguém me diga + nomes. Criticar é muito fácil mas infelizmente a trinco, ponta de lançar e lateral esquerdo as soluções VÁLIDAS são muito escassas.

cparis disse...

katanec,

1. Não vás por aí. A pior campanha que existe contra Queiroz fê-la ele nas entrevistas que deu, em que afirmou coisas tão lindas como:

Em 2009 tenho a visão clara de que a minha função é a de preparar a Selecção A para as competições e somar pontos

Ora se a única função dele, segundo palavras do próprio, é ganhar pontos, é óbvio que não o está a fazer. Acresce a isto, esta pérola:

Se alguém me perguntar a opinião sobre desenvolvimento, quadros competitivos etc., tem que pagar. É a minha filosofia, no sentido de fazer perceber que não quero ter nada que ver com isso.

2. Sobre o jogo de ontem, quem acaba o jogo a jogar com Ricardo Carvalho, Bruno Alves, Rolando e Pepe, e diz que quer ganhar o jogo, não deixa grande espaço para críticas.

3. Podíamos ter ganho, mas não massacrámos como dizes. Contei duas boas defesas do guardião sueco. E tu?

4. Pode chegar ao playoff mesmo sem ganhar todos os jogos? Tens a certeza? Confesso que não me dei ao trabalho de fazer as contas ao pormenor, mas achar que com 19 pontos se consegue ficar em primeiro no grupo, é esperançoso demais, não achas? Se estás a pensar no melhor segundo aconselho-te a leres melhor o regulamento.

5. Acho que Queiroz deve ficar. Aliás, devia ser obrigatório a FPF quando contrata alguém definir claramente quais os objectivos e quais as condições em que o seleccionador deve ser despedido. A pior coisa que pode acontecer para alguém que quer trabalhar é viver com uma espada sobre a sua cabeça. E na FPF, parece que a única coisa certa é que todos os treinadores dos escalões inferiores terão sempre tacho, por mais inaptos que sejam, e que o seleccionador está sempre a um passo de ir para a rua, tenha o CV que tiver.

Zé Luís disse...

Mentalidade tacanha, valha-me Deus!

N.
a tua é brilhante. Deves embebê-la no teu clube, decerto um vitorioso por excelência.

O que é arriscar?

Com Nuno Gomes?
Com Liedson?

Não confundes com... riscar, sim, mas o futuro?

Esta filosofia tem seguidores dos pensamentos profundos e nada tacanhos nem antiquados:
1) o Eusébio jogava sempre e nenhum Pauleta bateria o seu recorde
2) que, além dos Beatles, o futebol ficava como nos anos 60
3) o Rui Costa ainda joga
4) o Figo não se retirou
5) nem o Pauleta

Isto só para aproveitar os dedos de uma mão, como quem contabiliza os centrais em campo; duas mãos traz complicações à aritmética.

Só não percebo se estes seguidores de "entendido oficial" são:
a) do 8 ou do 80
b) das vitórias morais ou das vitórias de meio a zero

João Mendes disse...

Todos que criticam as escolhas de Queirós, digam lá um onze melhor do que o de ontem?

Digam:
um guarda-redes melhor.
um lateral esquerdo melhor.
um trinco melhor.
e que avançado colocavam.

Infante disse...

Eu nunca critiquei as escolhas de Queirós. De facto, não há melhor que Duda para lateral-esquerdo, ou Danny para a frente (salvo talvez, a adaptação de CR).

A mim o que me irrita é este regresso ao passado, esta mentalidade ridícula do "jogámos bem, mas os deuses não quiseram...", "grande injustiça, vulgarizámos o adversário, eles nem passaram do meio-campo".

Ah, sim, pois... e que tal um golinho ? Já sei que é pedir muito, o objectivo do futebol nem é marcar golos nem nada, "é jogar bonito", isso sim. (como se o jogo bonito não fosse um coisa subjectiva) "Massacrar o adversário", lamentar a "injustiça"...

Tudo isto tresanda ao pior dos anos 90, aos piores momentos do Oliveirinha, Artur Jorge e quejandos. Ver o Queirós a falar em "injustiça", sabendo (pensando ?) que conta com as palmadinhas da irritante mentalidade das vitórias morais, enfim.... Felizmente acho que há muita gente que começa a fartar-se disto.

Agora com licença que vou ali ver o Campomaiorense-Salgueiros que vai dar na TV.

cparis disse...

katanec,

"Bye Bye Ronaldo... Nós estamos a caminho do Mundial" era o título da imprensa sueca.
Será que é a nossa imprensa que é pessismista ou és tu que te enganaste nas contas?
Diz-me lá tu qual o cenário onde 19 pontos dê para passar?

katanec disse...

Obrigado pelos vossos comentários, está visto que este tema é polémico e complexo. Só duas coisas:

1. Não é sério o argumento dos "quatro centrais". Escrevi que foi um erro a questão do lateral-direito, mas o Pepe jogou a trinco e não a central. Terminámos o jogo com dois médios defensivos, contudo, e com um central adaptado a lateral. Isto é criticável. Agora falar em 4 centrais como se tivéssemos jogado com 4 "centrais" não é honesto.

2. Cparis, fico satisfeito com o teu conhecimento de sueco, acho que pode ser útil neste tempo de crise. Quanto às tuas questões: há duas maneiras de nos apurarmos - via 1º lugar ou via play-off. O que eu disse é que o primeiro caso é difícil, mas não impossível. Teríamos que vencer todos os jogos e beneficiar por exemplo de um duplo empate entre Dinamarca e Suécia.

O que eu disse foi que podemos chegar ao playoff sem ganhar todos os jogos, o que é possível em diversos cenários (dupla derrota da Suécia com Din, entre outros).

Por fim, essa da Suécia ir a caminho do mundial tem imensa graça. A Suécia tem uma vitória em 4 jogos. Já empatou com a Albânia e não marcou nenhum golo a Portugal. Tem 6 pontos, menos 4 que a Dinamarca. Mas está no Mundial. Faz tanto sentido dizer que a Suécia está no mundial como dizer o jogo dizer "adeus áfrica".

Deixa tar que eu faço disse...

MK assino por baixo do post.
mas nao sou tao optimista em relação á classificação.. acho que já não vamos lá das pernas, mas vamos esperar para ver, temos que deixar o queiros fazer o resto da classificação, só no fim se verá.. em relação ao scolari e á imprensa ser uma merda, é o que temos.

LT

Diogo Ferreira disse...

Não será assim que Portugal irá ficar apurado para o Mundial! Não basta jogar bem, é preciso marcar e isso infelizmente a selecção não tem conseguido. Ontem acabamos por fazer um bom jogo, mas o problema mantem-se chamado FINALIZAÇÃO. Eu sei que não posso culpar o Carlos Queiroz pelos golos que falharam (Simão, Danny & Ronaldo), mas sinceramente não concordo com a equipa que ele tem escolhido. Eu, que nunca fui contra o Scolari, digo a todos aqueles que o criticaram, e agora? Eu até gosto do Carlos Queiroz, mas tenho uma opinião a cerca dele que é esta, ele é bom adjunto mas já deu provas suficientes que não é um bom TREINADOR.

Eu ainda quero acreditar que é possivel, quero, porque matematicamente ainda é possivel, mas será bastante dificil conseguir o apuramento.. Só nos resta continuar apoiar.

VIVA PORTUGAL.

Bruno Pinto disse...

Não sei que jogo é que certas pessoas andaram a ver, mas Portugal fez um jogo bem fraco e tinha obrigação de jogar melhor e com uma mentalidade diferente. Ganhar era imperioso! Queiroz esteve mal, muito mal! Não percebo como se pode defender algumas opções que ele tomou. devem ter visto um jogo diferente.

Colocar Pepe a trinco é uma daquelas invenções estúpidas de quem parece ter mais medo do adversário que vontade de ganhar. Privilegiar a altura em detrimento da capacidade de ter a bola e sair a jogar com critério, num jogo em que era preciso vencer a todo o custo foi incompreensível. Meter o Rolando aquando da saída de Bosingwa, colocar Carvalho a lateral e ficar com 4 centrais (!) em campo, foi uma estupidez tão grande, que só me apeteceu levantar da cadeira e vir embora. Precisar de atacar e ter este tipo de opções limitativas da profundidade ofensiva é incrível. É óbvio que Nélson devia ter ficado no banco. E se não ficou, recuava-se Pepe e metia-se um médio. A entrada do Deco só pecou por tardia e sinceramente estava à espera da saída de um dos 4 (!) centrais. Hugo Almeida teve uma participação no jogo ridícula, falhou quase todos os passes que efectuou, mas a sua entrada entende-se. Já a saída do Danny, não percebi. Com pouco tempo para jogar, não arriscar NADA, é algo que não se compreende.

Não gostei da atitude de alguns jogadores, com Ronaldo à cabeça. Jogou pouco e quase sempre mal. Complicou os lances, adornou quando era desnecessário, não teve atitude defensiva. Se todos fizessem o que ele tem feito na selecção, talvez fôssemos à África do Sul, mas não éramos campeões do mundo de certeza.

Foi um jogo de equívocos do seleccionador nacional. E eu sou insuspeito porque fui um grande defensor da sua vinda para a selecção. Não sei se acredito ainda na qualificação ou não. O que sei é que com o trajecto que está para trás, não qualificar Portugal para o Mundial numa fase destas será uma dos maiores fracassos de sempre do futebol português. Aguardo mudanças na mentalidade desta equipa.

cparis disse...

katanec,

o que tu disseste é que:
Portugal tem possibilidades matemáticas de vencer o grupo, podendo até chegar ao play-off mesmo sem ganhar todos os jogos.

Eu acho que sem ganhar todos os jogos não chega ao play-off. Isto são as minhas contas. As tuas, gostava de as ver. Volto a chamar-te a atenção para o regulamento da competição. É que não vejo como líquido que se Portugal ficar em segundo lugar neste grupo (sem ganhar os jogos todos) tenha acesso ao playoff.

PS. A Suécia diz aquilo, talvez porque olhe para o calendário e veja que além de ter menos um jogo que Portugal, ainda tem de jogar duas vezes com Malta e receber a Albânia.

cparis disse...

Para te facilitar a vida digo-te as minhas contas. Portugal tem 6 pontos e se não ganhar os jogos todos, fará no máximo mais 13 (4v, 1 E). Dezanove pontos.

Estaremos a lutar com a Islândia para não sermos o pior segundo lugar.

katanec disse...

Obrigado pelas tuas contas, cparis. Concordo ctg que a situação é complexa. Mas vou defender a minha dama, se não te importares. Quanto ao primeiro lugar, estamos de acordo: é matematicamente possível (embora improvável).

Qt ao 2º lugar com 19 pts. No grupo é claramente possível: dupla derrota da Suécia com Dinamarca, ou eventual perda de pts com Hungria/Albânia daria para Portugal superar a Suécia. Caso a Suécia vença os 2 jogos com Dinamarca e nós ganhemos em Copenhaga também daria.

Quanto ao "pior" segundo: tens o caso do grupo 9, onde é quase certo que ninguém chegará aos 13 pts. E ainda há hipóteses (menores, todavia) no grupo 7 (o da frança) e no 6 (croácia/ucrânia).

katanec disse...

Só mais uma nota em relação às contas: eu acho difícil o apuramento, até porque envolve resultados que com esta falta de golos serão complicados (vencer fora a Hungria, por ex.). Mas o que quis dizer foi que achei absurdo que os jornais titulassem "estamos eliminados" quando isso é mentira. É uma questão objectiva: Portugal ainda não foi eliminado. Apostas nisso? Estás no teu direito.

Eu acho que é possível, com melhorias na finalização, com Queiroz a seguir princípios mais objectivos e com uma conjugação favorável noutros jogos.

katanec disse...

P.S. Essa da Suécia é para rir. Os suecos neste momento estão à rasca, porque se a Dinamarca vencer Portugal o primeiro lugar já era. E mesmo para o segundo, vão ter de ser consistentes e começar a marcar golos. Não somos só nós que estamos mal... A Suécia marcou dois golos em 4 jogos!

Filipe disse...

Katanec e CParis revejam as vossas contas. Os resultados com Malta não vão contar para a questão do pior segundo classificado. (o único grupo onde todos os jogos contam é o 9, que tem menos uma equipa)

Para as contas do segundo lugar, se ganharmos todos os jogos que faltam só teremos 15 pontos úteis. A Escócia tem 3 jogos em casa, se vencer e empatar o jogo fora faz 14.

Não há muito espaço para manobra. Tem que se ganhar os jogos todos. Um empate e uma derrota e provavelmente estamos fora mesmo como segundos.

Filipe disse...

"um empate" OU "uma derrota"

O giro nestas contas é que contra os tais adversários que contam fizémos 3 pontos em 4 jogos (3 deles em casa).

Os escoceses são claramente favoritos à última vaga.

Pedro disse...

Digam lá q já não tinham saudades destas contas todas??

LOL

cparis disse...

Filipe,

Acabaste de descrever o cenário que estava a tentar explicar ao Katanec. E pela resposta que ele me deu, tb me parece que ele sabe fazer as contas. Não quer é acreditar nos piores cenários (no grupo 9, é provavel que a Holanda baixe o ritmo, logo os 13 pontos não serão inalcançaveis).

Katanec,
Eu também acho que é possível se Portugal ganhar todos os jogos que faltam. Se não o fizer, não o creio.

PS. Os suecos têm menos um jogo que Portugal e os mesmos pontos. Tu achas que ele estão à rasca, eles acham que nós estamos pior que eles. E nisso, tenho de conocordar com eles. Neste momento, Portugal está objectivamente PIOR que a Suécia.

SamM disse...

"recordam-se eras pseudo-douradas com Scolari e traçam-se cenários catastróficos completamente a despropósito" -

Qual quê? No Euro 2004 saímos eliminados na primeira fase da competição enquanto no Mundial 2006 nem conseguimos o apuramento porque perdemos o grupo e fomos eliminados no play off... A juntar a isso foi a qualificação à rasquinha para o Euro2008, no qual fomos quase fomos eliminados na primeira fase porque jogando muito mal tivemos um guarda redes fenomenal na baliza que defendeu todas e mais algumas...
Época pseudo-dourada?? Qual quê???

Foi uma época paupérrima!!,
comparada com outras e neste caso com a actual em que dependemos de nós própios para a qualificação para a Africa do Sul...
E Albânia com 6 pontos não pode dizer o mesmo???

N. disse...

Zé Luís, o meu clube não é para aqui chamado. Está tranquilamente a lutar para subir de divisão nos distritais da AF Lisboa e está bem, obrigado. Mas se queres comparar, força...

No jogo de domingo, em casa, contra um adversário directo ficámos a perder 1-0 a 25m do fim. O treinador fez substituições, tirou um lateral, passámos de um 4-4-2 para um 3-4-3 com 3 centrais e caímos em cima do adversário. Resultado final: 2-1.

Isto foi arriscar. Resultou, mas se não tivesse resultado tínhamos pelo menos mostrado vontade e arrojo táctico. No jogo da selecção não vi nada disto. RISCO ZERO!

Nuno Gomes? Sim, faz falta a esta selecção. Tem piada que o rapaz é enxovalhado no Benfica, mas toda a gente o quer na selecção.

Liedson? Sim, na selecção brasileira.

Agora agarra-te à máquina de calcular e não te esqueças de acrescentar os pontos das vitórias morais à equação.

katanec disse...

Caros filipe e cparis, eu já estava a contar com essa questão do 2ºlugar sem os pontos contra Malta. O que eu disse é que mesmo com mais 4 vitórias e um empate poderia chegar (13 pts úteis).

A Escócia é claramente favorita? Calendário da Escócia: Holanda, Macedónia, Islândia (casa), Noruega (fora). Precisam de 10 pontos aqui... É possível, claro, mas parece-me que neste grupo 9 o segundo lugar vai ficar pelo caminho... Mais: vejam a França (4 pts úteis em 4 jogos e ainda têm de ir à Roménia e Sérvia), que também está aflita.

Caro cparis: eu acho que a Suécia tem hipóteses, claro, depende mto do que fizerem com a Dinamarca. Mas aquela história do "vamos a caminho do mundial" é para rir, repito.

Caro Pedro, os teus comentários patetas são lendários na blogosfera, mas o teu desrespeito pela verdade incomodam até o mais prevenido. "Ah, e tal, andamos todos a fazer contas". Até parece que com Scolari a última qualificação foi tranquila... Foi fazer contas até ao último segundo. Portanto, não chateies quem está a reflectir sobre o calendário e a matemática, ok?

Bruno Ribeiro disse...

A malta que se queixa das contas ou a capacidade mnemónica de um peixinho dourado ou tem memória selectiva.

Gostam de se esquecer que no último apuramento para o Europeu Portugal precisa de fazer 4 pontos em casa para se apurar no segundo lugar nos jogos ante a Arménia (que vencemos por 1-0) e Finlândia (empate a zero). E ao contrário do que se diz a derrota esteve a 3 centímetro de distância nos últimos minutos desse jogo.

Uma coisa é estar insatisfeito e ver o cenário negro, outra é fazer revisionismo histórico.