segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Maradona x Inglaterra

Há quem lhe chame o melhor golo da história. Há quem lhe prefira chamar uma má opção. Reparem que, antes de driblar o guarda-redes, Maradona dispõe de dois companheiros de selecção sem oposição em frente à baliza. Ai, Maradona, se tu tivesses potenciado as tuas qualidades como mandam os livros...



master kodro

54 comentários:

Mr. Blue disse...

Genial.
Quer o golo (ainda outro dia em conversa com amigos o citei como "o" melhor de sempre), quer a "má opção". Na mouche. Eheh.

Pedro Reis disse...

MK,
Não gozes com o Nuno!!!

Nelson Santos disse...

Kodro, a regra do futebol é simples, tudo aquilo que o resto das pessoas virem num jogo de futebol, é imaginar ao contrário e tens a opinião do supra-sumo futebolístico da internet portuguesa! E da sua partenaire gémea, claro!

Valdemar disse...

Maradona: o Hulk Argentino. Está bom assim, rapaz?

matrafisco disse...

está Valdemar. até porque o MK estava mesmo a comparar jogadores...

qualquer BOM remate é uma boa opção, em qualquer momento. e não é preciso livros para saber isso.
os GÉNIOS no futebol até não são conhecidos por o serem a ler livros. mas isso são pormenores...

luissm disse...

:)

No further comments!

Nuno disse...

Master diz: "Reparem que, antes de driblar o guarda-redes, Maradona dispõe de dois companheiros de selecção sem oposição em frente à baliza."

Pois dispõe, Master. Do que não dispõe é de uma linha de passe. E sem linhas de passe não me parece que seja possível fazer um passe. Pelo menos em futebol. No desporto de que tu gostas de falar por aqui, talvez seja possível, mas em futebol não é. Pá, o próprio Maradona já disse, sobre esta jogada, que veio desde o meio-campo à espera de se criar uma linha de passe para ele meter a bola no Valdano. Logo, é estúpido dizeres que ele tinha companheiros sem oposição. Maradona fez o que tinha a fazer, pois não tinha melhor opção. Não a tendo, foi obrigado a resolver sozinho. Ou seja, fê-lo por recurso. Não é o caso do Hulk. Comparar os dois lances é francamente estúpido.

Pedro Reis diz: "Não gozes com o Nuno!!!"

Pedro Reis, não gozou. Ele bem tenta, mas não consegue. Com esta comparação absurda, se gozou com alguém foi com ele próprio.

Nelson Santos diz: "Kodro, a regra do futebol é simples, tudo aquilo que o resto das pessoas virem num jogo de futebol, é imaginar ao contrário e tens a opinião do supra-sumo futebolístico da internet portuguesa! E da sua partenaire gémea, claro!"

Exacto. Porque toda a gente sabe que o que é popular e vai ao encontro da opinião de gente sem cérebro é que é o correcto. Os parvalhões do Darwin, do Copérnico, do Galileu, do Einstein, do Kant eram só supra-sumos com ideias contrárias ao mundo. A populaça é que sabe.

Matrafisco: "qualquer BOM remate é uma boa opção, em qualquer momento. e não é preciso livros para saber isso."

Qualquer BOM disparate, como este, é resultado de uma boa opção, em qualquer momento. A opção por ficar calado, de facto, era bem pior. Eu tenho uma ideia. Ponham o Hulk a bater os pontapés de baliza. Mas com intenção de chutar à baliza. É que se um remate BOM é sempre uma boa opção, rematar à baliza num pontapé de baliza também o deve ser.

Ricardo disse...

O Nuno já falou no assunto. O Maradona abordou este lance e disse que não ia tendo opções de passe. E, sim, eu sou um dos que acha SEMPRE que, a ter um gajo sozinho ao lado, é de passar a bola e não rematar.

"qualquer BOM remate é uma boa opção, em qualquer momento. e não é preciso livros para saber isso."

Não concordo nada com isto. Por razões óbvias.

JNF disse...

Aguardam-se os próximos episódios deste emocionante despique. por que não chamam o Boloposte o Visconde para se juntarem à festa? Façam todos um blogue que é para nos rirmos com as vossas rivalidades.

Continuação de bons posts.

António disse...

"Pois dispõe, Master. Do que não dispõe é de uma linha de passe."
Isso é mentira Nuno! Maradona dispõe de uma oportunidade de passar a bola para o espaço vazio à frente de um dos companheiros. Seria menos arriscado que fazer o que fez.

Isto tudo para dizer que a imprevisibilidade (aka estupidez por vezes) também é bem vinda, sobretudo nos grandes génios!
Tenho sérias dúvidas que Hulk alguma vez se enquadre lá, no entanto, entre passar a bola a um companheiro que remata pior, está descaído para a esquerda e está na mesma latitude que ele, e rematar ele próprio sabendo a potência do remate que tem, não me parece que tenha tomado uma opção assim tão má. Se fosse Aimar a fazê-lo, era só um infeliz azar, não era?

"Pá, o próprio Maradona já disse, sobre esta jogada, que veio desde o meio-campo à espera de se criar uma linha de passe para ele meter a bola no Valdano."
E claro, o Maradona é, reconhecidamente, um grande senhor da razão e da sensatez. Porque não acreditar em tudo o que ele diz?

"Os parvalhões do Darwin, do Copérnico, do Galileu, do Einstein, do Kant eram só supra-sumos com ideias contrárias ao mundo."
Curioso, contam-se pelos dedos de uma mão. E tu onde encaixas? Nos 5 "Darwin" ou no 1.000.000 de "Lamarck"?

Jorge disse...

O Maradona dispoe de linhas de passe logo no inicio quande e atacado por dois jogadores ingleses. Em vez de passar a bola para tras aonde estao dois jogadores argentinos perfeitamente sos prefere iniciar a jogada individual.
Quanto ao resto da jogada nao duvido que se ele decidisse passar a bola nao lhe seria dificil movimentar-se de forma a ter uma linha de passe para um dos seus colegas.

Hugo disse...

Parece-me surreal,num dos melhores golos da história do futebol, estar-se a discutir se tinha ou não linhas de passe.
É o futebol das basculações e outras paneleirices como essa

Jorge disse...

Ricardo:

"E, sim, eu sou um dos que acha SEMPRE que, a ter um gajo sozinho ao lado, é de passar a bola e não rematar."

Ou seja estando dois gajos sozinhos em cima da linha de golo, a melhor opcao e sempre passar ao outro...

Hugo:
Por ser um dos melhores golos da historia merece ser discutido ao pormenor o que e que o Maradona podia ou nao ter feito, entre outras razoes por aquela que deveria ser claras nesta sequencia de posts do MK.

matrafisco disse...

Nuno: "Eu tenho uma ideia. Ponham o Hulk a bater os pontapés de baliza. Mas com intenção de chutar à baliza. É que se um remate BOM é sempre uma boa opção, rematar à baliza num pontapé de baliza também o deve ser."

A opção por ficar calado, de facto, era bem pior. Eu tenho uma ideia. Ponham TODO e QUALQUER JOGADOR a bater os livres-directos (costumam ser dali, que estranho!) a fazer passes laterais para as "linhas de passe". Pode ser que voltem todos outra vez para o meio campo, onde andam os jogadores inteligentes.


Ricardo: òbvio!

Kaiser disse...

Já que estamos numa de comparações estapafúrdias, alguém que recupere o golo do Poborsky...

Littbarski disse...

Há várias linhas de passe ao longo da jogada. A primeira é logo que o Maradona toca na bola. Era muito mais seguro devolver a bola para trás (primeira linha de passe), pois uma perda de bola ali poderia originar um contra-ataque perigoso da equipa adversária. Mas o seguro morreu de velho e sem fazer nada de extraordinário, o que não é o caso do Deus argentino. Em vez do segundo drible, El Pibe poderia ter colocado a bola (segunda linha de passe) no colega do lado, o nº 7, Burruchaga. Mas, que diabo, já tinha corrido uns bons 20 metros e não ia ser aquele meco que o ia parar. Já dentro da área, depois de ter deixado mais um adversário a pensar em que manual estaria escrito o que lhe acabara de acontecer, antes de fintar o guarda-redes, tem dois colegas com a baliza escancarada (terceira linha de passe). Mas vamos supor, ou melhor, vamos ter a certeza absoluta de que estamos todos totalmente enganados e nenhuma destas linhas de passe existiu, ao longo da jogada. Seria assim tão difícil, para um jogador que conseguiu driblar meia equipa inglesa, criar uma linha de passe e colocar a bola num colega melhor posicionado?

Sobre o lance do Hulk, de facto, o Mariano está em melhor posição. Mas dizer que as probabilidades de obtenção de golo seriam muito maiores se a opção fosse o passe é que já me parece abusivo. Porquê? Porque, para chegar a esta conclusão, se está apenas a levar em conta a posição dos dois jogadores. Mas o Hulk remata muito melhor do que o Mariano. E para haver remate do Mariano, antes teria de haver passe do brasileiro e, eventualmente, domínio de bola do argentino. E deve haver uma probabilidade qualquer para pelo menos uma destas duas coisas falhar. Eu, por via das dúvidas, racional e emocionalmente, prefiro o pé canhão do Hulk. Este remate merecia melhor sorte. E a trave também...

Bruno Ribeiro disse...

Este lance do Maradona, o do Messi, a jogado do Hulk, ou a do Tarik contra o Marselha, os golões do Quaresma, ou o do Di María não são para discutir... são para apreciar!

O gajo faz uma jogada espectacular desde o meio campo, tem um remate fortíssimo e colocado à barra, e estão para aqui a discutir se devia ter passado a bola?

Interessa para alguma coisa se foi uma má opção do ponto de vista académico? O tipo tem menos de 1 segundo para decidir o que vai fazer, e fez aquilo que lhe pareceu melhor. Teve azar! Se fosse golo era um dos melhores do ano. O Rodríguez também teve uma má opção na bicicleta contra o Nacional. A execução era difícil, a probabilidade de êxito reduzida e se a bola passasse havia jogadores que podiam dar continuidade ao lance. Felizmente, o tipo não perdeu tempo a pensar o que os teóricos recomendariam fazer no momento!

Nuno disse...

António diz: "Isso é mentira Nuno! Maradona dispõe de uma oportunidade de passar a bola para o espaço vazio à frente de um dos companheiros."

Han?? Qual espaço vazio? Quando Maradona sai do penúltimo drible, entrando na área, o guarda-redes sai-lhe ao encalço e um defesa impede que a bola entre no espaço vazio. Os dois avançados argentinos estão à frente da linha da bola e um passe para eles deixaria a bola nas costas deles. Não há linha de passe nenhuma. A única hipótese de passe seria picar a bola para o segundo avançado. Mas isso seria mais difícil de executar do que o drible a fintar o guarda-redes.

"entre passar a bola a um companheiro que remata pior, está descaído para a esquerda e está na mesma latitude que ele, e rematar ele próprio sabendo a potência do remate que tem, não me parece que tenha tomado uma opção assim tão má."

Passar a bola a um companheiro que remata pior??? Mas estás mesmo a falar a sério? Tu achas que um jogador tem a conta a qualidade de remate do outro? Mas é só gente parva ou quê? Na mesma latitude??? O Mariano está a 1 metro da linha de grande área, enquanto que o Hulk está a 5 ou 6. E se recebesse a bola não a dominaria ali, mas uns metros mais à frente, já dentro da área e sem oposição.

"Se fosse Aimar a fazê-lo, era só um infeliz azar, não era?"

A diferença é que o Aimar não o fazia, muito provavelmente.

"Curioso, contam-se pelos dedos de uma mão. E tu onde encaixas? Nos 5 "Darwin" ou no 1.000.000 de "Lamarck"?"

Nos 5, caro António, nos 5.

Jorge diz: "O Maradona dispoe de linhas de passe logo no inicio quande e atacado por dois jogadores ingleses. Em vez de passar a bola para tras aonde estao dois jogadores argentinos perfeitamente sos prefere iniciar a jogada individual."

Jorge, não disse o contrário. Tem opção de passe quando roda inicialmente e tem também quando faz o segundo drible. A partir daí deixa de ter. Mas olha que o Hulk, quando passa pelo Gaspar, também tem, a um metro, um companheiro. E eu não critiquei essa finta. O que eu critico é, depois, num 3 para 2, depois de atrair um dos 2 defesas, o que libertou um dos seus companheiros, Hulk não tenha aproveitado essa vantagem numérica. O Maradona, depois de desequilibrar, não teve linhas de passe para facilitar o trabalho aos colegas e teve de recorrer ao drible.

Matrafisco diz: "Eu tenho uma ideia. Ponham TODO e QUALQUER JOGADOR a bater os livres-directos (costumam ser dali, que estranho!) a fazer passes laterais para as "linhas de passe"."

Matrafisco, a inteligência cultiva-se. Se os teus pais te disseram para brincares aos Legos até aos 20 anos, nós não temos culpa. Agora, não tentes é discutir assuntos mais complexos do que uma receita de arroz doce, se faz favor. É que tenho impressão que uma jogada na qual há superioridade numérica (3 avançados para 2 defesas) é diferente de um livre-directo. E é capaz de ser por causa disso que não costuma haver muitas linhas de passe num livre-directo.

Littbarski diz: "Há várias linhas de passe ao longo da jogada. A primeira é logo que o Maradona toca na bola. Era muito mais seguro devolver a bola para trás (primeira linha de passe), pois uma perda de bola ali poderia originar um contra-ataque perigoso da equipa adversária. Mas o seguro morreu de velho e sem fazer nada de extraordinário, o que não é o caso do Deus argentino. Em vez do segundo drible, El Pibe poderia ter colocado a bola (segunda linha de passe) no colega do lado, o nº 7, Burruchaga. Mas, que diabo, já tinha corrido uns bons 20 metros e não ia ser aquele meco que o ia parar."

Até aqui, ele teve linhas de passe. Mas também não critiquei as decisões do Hulk até ao momento do remate. E quando ele passa pelo Gaspar, podia bem ter dado a bola a um colega que estava a 1 metro dele. Optou pela finta. Nada a criticar, pois é um momento de desequilíbrio. O problema vem depois. É que o desequilíbrio já está causado. Agora, havia que tirar proveito disso e ele não o faz.

"Já dentro da área, depois de ter deixado mais um adversário a pensar em que manual estaria escrito o que lhe acabara de acontecer, antes de fintar o guarda-redes, tem dois colegas com a baliza escancarada (terceira linha de passe)."

Isto é falso. Vê novamente o lance. O Maradona, assim que entra na área, deixa de ter uma linha de passe. A passar a bola, teria que fazê-lo ou para as costas dos seus colegas, ou por cima, o que diminuía claramente as possibilidades de marcarem.

"Seria assim tão difícil, para um jogador que conseguiu driblar meia equipa inglesa, criar uma linha de passe e colocar a bola num colega melhor posicionado?"

Pá, mas tu sabes o que é uma linha de passe??? Se não há linha de passe, como é que um jogador com bola a cria? A linha de passe pressupõe uma linha entre a bola e o receptor da mesma. Quem tem a bola não tem forma de criar linhas de passe. O Maradona era Deus, mas não ilusionista. Que idiotice!

"Sobre o lance do Hulk, de facto, o Mariano está em melhor posição. Mas dizer que as probabilidades de obtenção de golo seriam muito maiores se a opção fosse o passe é que já me parece abusivo."

Pode parecer-te abusado. Abusivo é que já não, porque o português não deixa. As probabilidades são maiores porque está mais perto da baliza e, como deves calcular, é mais fácil acertar na baliza quando se está mais perto dela e mais difícil ao guarda-redes reagir quando a bola sai de mais perto dele.

"Mas o Hulk remata muito melhor do que o Mariano."

Ya, mas o que é que isto tem a ver com o assunto. O Mariano não iria rematar da mesma distância, logo não necessitava de rematar tão bem quanto o Hulk.

Nuno disse...

Bruno Ribeiro diz: "Interessa para alguma coisa se foi uma má opção do ponto de vista académico? O tipo tem menos de 1 segundo para decidir o que vai fazer, e fez aquilo que lhe pareceu melhor. Teve azar!"

Pá, o Vukcevic, no Sábado, também não teve muito tempo para decidir e conseguiu perceber que o Postiga estava melhor posicionado. Teve sorte! É a diferença.

Mr. Blue disse...

Alguém entrega a bicicleta a este Nuno?
Pode ser que assim se cale...

Ou então que fale do golo do Di Maria, que resolveu chutar à baliza quando o mais seguro deveria ser fazer circular a bola....

Valdemar disse...

Há aqui 2 conceitos de futebol.

Os adeptos do futebol-passe, em que o bonito golo é aquele que é resultado de uma sucessão de passes, trabalho de equipa para obtenção de linhas de passe. Houve um golo no mundial, se bem me recordo, da Argentina, em que a bola sai de pontapé de baliza, é trocada por quase toda a equipa e é golo sem ser uma única vez tocada por adversários. O golo perfeito?

Os adeptos do futebol-drible, em que um único jogador finta sucessivamente os adversários e finaliza ele próprio. O golo de maradona é o melhor exemplo.

Como em tudo no futebol, tudo se mede por resultados. Golos e vitórias.

O golo de Maradona é um dos/o melhor de sempre. Foi golo. Foi a melhor opção, a do Maradona.

A jogada de Hulk, se o remate tem entrado, seria o golo da jornada, talvez do campeonato deste ano. Mas, se o Porto tivesse perdido o jogo, ele devia ter passado a bola...

Estou certo?

Nuno disse...

Não. Não são dois conceitos diferentes. Eu aceito as 2 coisas, desde que constituam a melhor opção. O drible deve ser um recurso e não uma prioridade. Há lances em que o jogador é obrigado a driblar porque não tem outra hipótese. No lance do Hulk, não critico o primeiro drible porque ele ficou sem apoios. Agora, depois de conseguir desequilibrar, mercê da sua excelente capacidade individual, o Hulk não foi capaz de dar o melhor seguimento a esse desequilíbrio. Há jogadores que conseguem marcar golos, apesar da má opção. O que não conseguem, de certeza absoluta, é fazê-lo com regularidade. Isto é, podem conseguir, de vez em quando, marcar golos decidindo mal, mas de certeza que marcarão menos do que se decidirem bem. O Hulk tem 2 ou 3 lances destes por jogo. Consequências úteis para a equipa desses lances tem, até ao momento, no campeonato, 4 ou 5. O desfasamento entre a utilidade dos lances e a quantidade deles tem a ver com a incapacidade para aproveitar as suas qualidades, devido a uma má capacidade de decisão.

Valdemar disse...

Então tu és dos que assobiava o Quaresma, no Dragão?

Valdemar disse...

Mas basicamente estou contigo. O drible solitário não tem o pragmatismo e utilidade do passe gregário.

Mais vale o jogo de equipa que 11 a tentar resolver sozinhos.

Esquecemo-nos que golos como o de Maradona são a excepção.

pitons na boca disse...

De momento só tenho a dizer que está a ser altamente substimada a complexidade que uma receita de arroz doce pode ter. :D

Nuno disse...

Valdemar, assobiar é para parolos. Assim como aplaudir. A arte é para contemplar, não é para sentir. O Quaresma não era conhecido por decidir bem. Tinha, em relação a Hulk, a grande vantagem de não jogar no meio, onde não seria (como não o é o Hulk) útil. Jogava numa linha, onde muitas vezes podia e devia recorrer ao drible, quer fosse para vir para dentro, quer fosse para ir à linha. No meio, o Quaresma era quase sempre inconsequente. Assim como o é o Hulk. Acho que se o Hulk jogasse aberto numa linha, potenciava não só as suas características, como potenciava também a transição ofensiva da equipa, que passava a ter um elemento sempre aberto que poderia fazer uso da sua velocidade e da sua capacidade técnica no momento da transição, ou seja, quando há espaço para o fazer. Já no meio, com um aglomerado grande de jogadores, Hulk é normalmente inconsequente e até prejudicial à dinâmica da equipa.

Mr. Blue disse...

"A arte é para contemplar, não é para sentir."

Palavras para quê...

António disse...

Nuno,

"Han?? Qual espaço vazio? Quando Maradona sai do penúltimo drible, entrando na área, o guarda-redes sai-lhe ao encalço e um defesa impede que a bola entre no espaço vazio. Os dois avançados argentinos estão à frente da linha da bola e um passe para eles deixaria a bola nas costas deles. Não há linha de passe nenhuma. A única hipótese de passe seria picar a bola para o segundo avançado. Mas isso seria mais difícil de executar do que o drible a fintar o guarda-redes."
Tás-me a dizer que um passe "picado" para o espaço seria mais difícil de executar que um drible ao GR com dois jogadores ingleses por perto?! Pois... Nada de faccioso por aqui, portanto. Revê lá o lance, até o tens aí para acalmar a perguiça.
A única coisa que podes aqui argumentar é que Maradona fez bem pois fez o que os ingleses menos esperavam, mas isso seria também admitir que Hulk fez bem, logo a tua argumentação cairia por terra.

"Passar a bola a um companheiro que remata pior??? Mas estás mesmo a falar a sério? Tu achas que um jogador tem a conta a qualidade de remate do outro? Mas é só gente parva ou quê? Na mesma latitude??? O Mariano está a 1 metro da linha de grande área, enquanto que o Hulk está a 5 ou 6. E se recebesse a bola não a dominaria ali, mas uns metros mais à frente, já dentro da área e sem oposição."
Então como é? Aimar pode fazer passes de letra para Suazo no meio-campo (!) porque sabia que o hondurenho ia correr aquela distância toda e marcar golo ao Vitória de Guimarães. Quer dizer, Aimar tem condições para perceber que ali está Suazo, que ele tem capacidade de driblar dois adversários desde o meio-campo, mas Hulk não pode porque não pode perceber a qualidade de remate do outro. Ou não foi o que já sugeriste anteriormente? Aimar deve ter algo que gostas muito deve, e não é só qualidade futebolística.
Quando Mariano se encontra isolado, Hulk está praticamente na mesma latitude que ele. Antes disso Mariano está coberto por Gaspar (?). Continuo a achar que foi a melhor opção que Hulk tomou. As decisões são tomadas tendo em conta as características que se tem, não é só porque sim. Comunismo já chegou ao futebol?

"A diferença é que o Aimar não o fazia, muito provavelmente."
Tens razão, sem dúvida. Aimar nem se teria libertado dos dois jogadores anteriormente, por isso essa questão nem se põe.

"Nos 5, caro António, nos 5."
O quanto eu gostaria de acreditar em ti, Nuno. Infelizmente o que escreves não corresponde, que se há-de fazer? É que todos esses 5 argumentavam com sensatez e apresentavam provas do que diziam... Sou obrigado a concluir por razões óbvias que estás a falar de uns quaisquer 5 dentro do 1.000.000.

"O drible deve ser um recurso e não uma prioridade."
Aí é que te enganas mais uma vez. O drible deve ser usado quando é a melhor opção ou, às vezes, não a sendo, que constitua uma surpresa que possa provocar desequilíbrios.

Ganha tino pá! Torna-se fácil demais argumentar contra tanto idiotice e contradição. Disfarça um bocadinho que seja essa falta de discernimento. Fica-te mal...

Grilo Falante disse...

O que me faz gostar do futebol é a imprevisibilidade, o génio, o sair das convenções, enfim se quiserem a ARTE. E isso caro Nuno e outros defensores do passe para o lado, só se consegue em jogadas como a de Hulk ou do diego. Em jogadas como do Quaresma ou de outros génios que t~em a coragem de levar a sua genialidade até ao fim. De ousarem, de tentarem sair do marasmo. Isso é que torna o futebol belo. Abre os horizontes e ousa ver mais além. Aprecia a arte, vais ver que serás menos azedo.

Nuno disse...

António diz: "Tás-me a dizer que um passe "picado" para o espaço seria mais difícil de executar que um drible ao GR com dois jogadores ingleses por perto?! Pois... Nada de faccioso por aqui, portanto. Revê lá o lance, até o tens aí para acalmar a perguiça.

Pá, e pensares, não? Um passe picado, na posição em que ele tem o corpo, não só era mais difícil do que fazer a finta, como retirava possibilidades de golo à equipa, pois a bola demoraria a chegar ao avançado.

"Então como é? Aimar pode fazer passes de letra para Suazo no meio-campo (!) porque sabia que o hondurenho ia correr aquela distância toda e marcar golo ao Vitória de Guimarães. Quer dizer, Aimar tem condições para perceber que ali está Suazo, que ele tem capacidade de driblar dois adversários desde o meio-campo, mas Hulk não pode porque não pode perceber a qualidade de remate do outro. Ou não foi o que já sugeriste anteriormente? Aimar deve ter algo que gostas muito deve, e não é só qualidade futebolística."

O quê? Mas o que é que o lance do Aimar tem a ver com o assunto, pá? Pá, nem o Aimar nem o Hulk têm de prever o que o colega vai fazer. O que têm de perceber é se há boas probabilidades de o homem a quem passam possa fazer algo com a bola. No lance do Aimar, não é a letra que define a coisa, mas o facto de ter lançado rápido quando o Guimarães tinha dois homens apenas na rectaguarda e fazendo o passe de modo a que o Suazo apanhasse a bola à frente do primeiro. No caso do Hulk, ele não tem de adivinhar o que o Mariano vai fazer. Tem é que meter lá a bola porque é o melhor para a equipa. Se o Mariano falhar, com mais probabilidades de êxito que o Hulk, a culpa é do Mariano. Assim foi do Hulk.

"Continuo a achar que foi a melhor opção que Hulk tomou. As decisões são tomadas tendo em conta as características que se tem, não é só porque sim."

Mais uma vez, não dizes nada de jeito. O Hulk pode ter em conta as suas características. Eu disse que ele tinha um bom pontapé. Agora, mesmo com o bom pontapé que tem, não pode sequer haver dúvidas de que o Mariano, dentro da área, sem oposição, teria mais probabilidades de marcar do que o Hulk a 5 metros da área. Claro que entre o Mariano a chutar daquele sítio ou o Hulk, mil vezes o Hulk. Mas não é isso que está em discussão.

"Comunismo já chegou ao futebol?"

Não percebi esta. Mas se calhar também não era para perceber.

"É que todos esses 5 argumentavam com sensatez e apresentavam provas do que diziam.."

António, essas pessoas, quando falaram as primeiras vezes, foram censuradas, ridicularizadas ou considerados heréticos. A sensatez de que falas só foi descoberta mais tarde. O meu argumento é sensato e racional. O teu e o de todos os outros advém das emoções. Se há alguém que não está a ser sensato, aqui, és tu. Mas tal como a Igreja não podia aceitar que a Evolução existisse, pois punha em causa a Criação e, por conseguinte, o Criador, também tu não podes aceitar o que é contrário a ti e às tuas limitações. Lamentavelmente, achas que és tu que és sensato, quando na verdade a sensatez é apenas falta de capacidade intelectual.

"Aí é que te enganas mais uma vez. O drible deve ser usado quando é a melhor opção ou, às vezes, não a sendo, que constitua uma surpresa que possa provocar desequilíbrios."

O drible só é a melhor opção quando as outras são mais arriscados. Isto é o mesmo que dizer que só é a melhor opção, quando usado como recurso, ou seja, quando não é possível passar sem risco, ou quando não é adequado rematar, etc. Não estamos em desacordo aqui, ainda que não me pareça que saibas o significado de "recurso". Mais, usar o drible como modo de surpreender para causar desequilíbrios é usá-lo como recurso. Quando um jogador encara o outro para driblá-lo, deixa de haver surpresa.

"Ganha tino pá!"

Eu gostava, pá, mas ultimamente não tenho ganho nada. Devo andar numa maré de azar.

"Torna-se fácil demais argumentar contra tanto idiotice e contradição."

Exacto. Não tens dois neurónios, não dizes nada de jeito, mas continuas a achar que é fácil argumentar contra o que eu digo. É por isso que falar para caixotes do lixo não é produtivo.

Mr. Blue diz: ""A arte é para contemplar, não é para sentir."

Palavras para quê.."

O que é que queres dizer com isto? Pá, argumenta. Se achas que o futebol tem alguma coisa a ver com sentimentos, diz. Que é para eu depois contra-argumentar. É que se não parece só que pensas o contrário de mim, mas tens medo de o dizer porque não sabes como defendê-lo...

Mr. Blue disse...

Medo.
Cheio dele.

Mas como tens a PDM muito alta não vale a pena argumentar.
Para gente como tu o desprezo é o melhor caminho. Pelo menos até que abras os olhos...

Nuno disse...

"O que me faz gostar do futebol é a imprevisibilidade, o génio, o sair das convenções, enfim se quiserem a ARTE."

Grilo Falante, não sabes nem o que é a imprevisibilidade, nem o que é génio, nem o que é ARTE. O Hulk teria sido imprevisível se no momento do remate soltasse para o Mariano, como foi imprevisível o Vukcevic quando o fez para o Postiga. Assim, foi previsível.

"Isso é que torna o futebol belo. Abre os horizontes e ousa ver mais além. Aprecia a arte, vais ver que serás menos azedo."

Ninguém o faz melhor que eu. O problema é achares que qualquer chimpanzé que corra com a bola e tente fintar meio mundo é um génio. Isso seria o mesmo que achar que qualquer gajo que ousasse fazer pintura abstracta, só porque destrói mecanismos de representação e sai fora das convenções, seria um grande artista. Não é verdade. O Hulk e o Quaresma têm apontamentos geniais. Mas a beleza do futebol não está nos apontamentos. Está naquilo que esses apontamentos têm de singular. Aquilo que faz do futebol imprevisível, ao contrário do que tu achas, não são as correrias loucas, as fintas, os malabarismos, são as tomadas de decisão imprevisíveis, a capacidade de perceber quando é útil correr com a bola ou quando é útil passá-la. O que faz do futebol uma ARTE não são as jogadas individuais fantásticas, são todas as jogadas que rompem com o que é habitual, com o que é previsível. E o previsível, às vezes, é a finta. O teu problema é achar que qualquer finta é o que é imprevisível e, portanto, o que é bom. Mas não é. No caso do lance do Hulk, até ao remate, tomou boas opções. No acto de rematar, não. Aí, deveria ter assistido o colega, pois era o que era mais imprevisível e o que beneficiaria mais a equipa.

Nuno disse...

Mr. Blue, não queres defender aquilo que pensas, não defendas. Mas então guarda a opinião para ti. Se não a sabes defender, não a partilhes. Se não, é o mesmo que eu dizer que a tua mãe é um bocado badalhoca e recusar-me a dizer porquê.

Mr. Blue disse...

Mas afinal não quero ou não sei? Decide-te.

Esta tua capacidade de me fazeres rir, nos tempos que correm, é notável.

Da minha parte só tenho pena que dês mau nome ao nome que tens...

António disse...

"O quê? Mas o que é que o lance do Aimar tem a ver com o assunto, pá? Pá, nem o Aimar nem o Hulk têm de prever o que o colega vai fazer. O que têm de perceber é se há boas probabilidades de o homem a quem passam possa fazer algo com a bola. No lance do Aimar, não é a letra que define a coisa, mas o facto de ter lançado rápido quando o Guimarães tinha dois homens apenas na rectaguarda e fazendo o passe de modo a que o Suazo apanhasse a bola à frente do primeiro. No caso do Hulk, ele não tem de adivinhar o que o Mariano vai fazer. Tem é que meter lá a bola porque é o melhor para a equipa. Se o Mariano falhar, com mais probabilidades de êxito que o Hulk, a culpa é do Mariano. Assim foi do Hulk."

Agora já recuas? Eu li num certo blog que o Aimar meteu ali a bola porque sabia que era o Suazo. Agora já não é, keres ver? Era o King Kong e o Aimar bem sabe o que o King Kong consegue fazer mesmo sem olhar.


"Mais uma vez, não dizes nada de jeito."

Pois é, EU é que não digo nada de jeito, é por isso que sou EU o gozado. Também sou um génio e não sabia keres ver?


"Mariano, dentro da área"

Óculos? vá lá, lentes? Lupa? Não... que pena. Não vi Mariano em situação alguma dentro da área. Daí até ao facto de tu presumires que vai correr para lá depois de um passe ainda vai uma longa distância.


"Não percebi esta. Mas se calhar também não era para perceber."

Na volta deve ser só porque só fazes parte dos 1.000.000. Tenta mais...


"António, essas pessoas, quando falaram as primeiras vezes, foram censuradas, ridicularizadas ou considerados heréticos. A sensatez de que falas só foi descoberta mais tarde. O meu argumento é sensato e racional. O teu e o de todos os outros advém das emoções. Se há alguém que não está a ser sensato, aqui, és tu. Mas tal como a Igreja não podia aceitar que a Evolução existisse, pois punha em causa a Criação e, por conseguinte, o Criador, também tu não podes aceitar o que é contrário a ti e às tuas limitações. Lamentavelmente, achas que és tu que és sensato, quando na verdade a sensatez é apenas falta de capacidade intelectual."

Bla bla bla, Whiskas saquetas. O teu argumento só é sensato e racional no País das Maravilhas. Argumento precisa de base de sustentação. Olha que dizer várias vezes a mesma coisa não a torna verdade! Ou isso ou o maluquinho ali da esquina é o próximo Einstein.
E Nuno, tenho uma novidade para ti, o facto de seres ridicularizado e censurado não te torna um génio. Só te torna diferente. E neste caso diferente assemelha-se a estupidez. É que por cada 1 Darwin, existiram 1M de Lamarck. Tu fazes parte do 1M de Lamarcks que, com as duas ideias idiotas, ajudaram a refutar completamente esse conhecimento. Sempre és importante, vês?


"O drible só é a melhor opção quando as outras são mais arriscados. Isto é o mesmo que dizer que só é a melhor opção, quando usado como recurso, ou seja, quando não é possível passar sem risco, ou quando não é adequado rematar, etc. Não estamos em desacordo aqui, ainda que não me pareça que saibas o significado de "recurso". Mais, usar o drible como modo de surpreender para causar desequilíbrios é usá-lo como recurso. Quando um jogador encara o outro para driblá-lo, deixa de haver surpresa."

Claro que sei, eu sei tudo e mais alguma coisa. E não, não estamos de acordo. Relê lá de novo e deixa-te se semântica escusada. Já és um menino crescido e isso fica-te mal.


"Eu gostava, pá, mas ultimamente não tenho ganho nada. Devo andar numa maré de azar."

Tás a ver? Afinal pensas. Era aqui que queria chegar!


"Exacto. Não tens dois neurónios, não dizes nada de jeito, mas continuas a achar que é fácil argumentar contra o que eu digo."

Não tenho dois, tenho um bocadinho mais. E Nuno, tu não és o Mourinho por mais que rezes à noite para sê-lo, por isso constroi os teus próprios insultos. É bom pensar, nem que seja para isso. Tenta qualquer dia.


"É por isso que falar para caixotes do lixo não é produtivo."

Curioso. Mais uma contradição. Eu não digo que é fácil demais? Consegues lá chegar só com isto ou vai ser preciso explicar?

Gabriel disse...

fdx tanta discussão... se se lembrassem só de um nome a discussão acabava: Pontus Farnerud
ups afinal são 2 nomes :p

Nuno disse...

Mr. Blue, continua a desconversar. Normalmente, é a arte dos palermas. Se quiseres defender a tua opinião, fá-lo. Se não quiseres, não o faças e continua a dizer coisas sem conteúdo.

António diz: "Agora já recuas? Eu li num certo blog que o Aimar meteu ali a bola porque sabia que era o Suazo. Agora já não é, keres ver?"

Leste num certo blogue? Onde? Escrito por mim não foi de certeza. A opção do Aimar foi a melhor, independentemente de ser o Suazo ou não. E nunca porque sabia que o Suazo ia partir a louça toda.

"Óculos? vá lá, lentes? Lupa? Não... que pena. Não vi Mariano em situação alguma dentro da área. Daí até ao facto de tu presumires que vai correr para lá depois de um passe ainda vai uma longa distância."

Amigo, o passe do Hulk seria para a frente do Mariano. Ou seja, iria recebê-la dentro da área.

""Não percebi esta. Mas se calhar também não era para perceber."

Na volta deve ser só porque só fazes parte dos 1.000.000. Tenta mais..."

Não dá. Continuo sem perceber o porquê de teres falado em Comunismo quando estávamos a discutir este lance. Se alguém tiver clarividência suficiente, que explique.

"É que por cada 1 Darwin, existiram 1M de Lamarck. Tu fazes parte do 1M de Lamarcks que, com as duas ideias idiotas, ajudaram a refutar completamente esse conhecimento. Sempre és importante, vês?"

Pá, tens noção que o Lamarck defendia a Evolução, não tens? Tens noção que quebrou os cânones até antes do Darwin, não tens? Embora a sua teoria da Evolução fosse errada, soube perceber que o Criacionismo não estava certo. Por isso, cuidado com as comparações. É que sem querer estás-me a incluir nos tipos que defenderam coisas certas.

Gabriel diz: "fdx tanta discussão... se se lembrassem só de um nome a discussão acabava: Pontus Farnerud
ups afinal são 2 nomes :p"

Gabriel, o sueco não prestava, não era? Diz-me, em que é que o Rochemback tem sido melhor que o Farnerud?

António disse...

"Leste num certo blogue? Onde? Escrito por mim não foi de certeza. A opção do Aimar foi a melhor, independentemente de ser o Suazo ou não. E nunca porque sabia que o Suazo ia partir a louça toda."

Oh sim, escrito por ti. Procura no teu blog.


"Amigo, o passe do Hulk seria para a frente do Mariano. Ou seja, iria recebê-la dentro da área."

Estás a fazer futurologia. Amigo... que simpático, tão contraproducente.


"Não dá. Continuo sem perceber o porquê de teres falado em Comunismo quando estávamos a discutir este lance. Se alguém tiver clarividência suficiente, que explique."

Não tenho jeito para Photoshop.


"Pá, tens noção que o Lamarck defendia a Evolução, não tens? Tens noção que quebrou os cânones até antes do Darwin, não tens? Embora a sua teoria da Evolução fosse errada, soube perceber que o Criacionismo não estava certo. Por isso, cuidado com as comparações. É que sem querer estás-me a incluir nos tipos que defenderam coisas certas."

Arre, que tu não percebes! A minha comparação foi bem feita Nuno, daí o "Sempre és importante, vês?". Para Darwin "existir" teve que existir Lamarck, para Galileu "existir" provavelmente também teria que ter "existido" Copérnico. Provavelmente para Mourinho "existir" também teve que "existir" um qualquer Jaime Pacheco. E é aí que tu , no máximo, te enquadras Nuno.
Parece que estou a falar com um puto da primária a quem tenho que explicar tim tim por tim tim tudo o que digo.


"Gabriel, o sueco não prestava, não era? Diz-me, em que é que o Rochemback tem sido melhor que o Farnerud?"

Algo em que concordo. Ena!

Ricardo disse...

Jorge,

obviamente não percebeste o que eu escrevi ou - admito-o - não me expressei da melhor maneira.

Defendo que um gajo deve SEMPRE passar a bola a um colega isolado, se esse gajo que tiver a bola estiver com o GR pela frente. Entre rematar com uma oposição óbvia (GR) ou simular e meter no gajo do lado que tem a baliza aberta, não me restam grandes dúvidas. O problema é que existe no futebol o conceito generalizado de que "rematar é sempre bom" ou aquele outro conceito estapafúrdio de que "não se deve condenar um jogador por rematar à baliza". Claro que se deve condenar! Se tem um colega com a baliza escancarada ao lado para que é que vai fazer o mais difícil?

Matrafisco,

as razões óbvias já as mencionei neste comentário. "Qualquer bom remate" nem sempre é uma "boa opção", ao contrário do que defendes. Para mim, claro. E é por isso que é óbvio.

Mr. Blue disse...

Nuno,
É neste momento que eu, palerma, me retiro, obviamente sem argumentos, e te deixo a falar sozinho.

Arranja tratamento. Pode ser que isso passe.

Nelson Santos disse...

Se lhe meterem uma rolha na boca ele rebenta. Que ego, caramba!
Havia o engenheiro que tratava por tu os "5 primeiro-ministros da Europa", agora temos um catedrático que trata por tu o Darwin, o Galileu e cia. Já não há limite para o ridículo?

Mas porque raio não está este homem a treinar um grande clube de futebol, a fazer comentários de futebol na televisão, a escrever para jornais, a educar o povo. Toda esta sabedoria precisa, urgentemente, ser partilhada com a populaça que, como eu, não faz ideia do que se passa quando liga a televisão ou se dirige a um estádio de futebol.

Ricardo disse...

Além disto tudo (argumentos a favor da opção mais correcta - leia-se: passe para o colega em melhor posição), existe a imprevisibilidade, a demência, o génio e a criatividade.

Por isto tudo, obrigado Maradona, po não teres passado a bola.

Gabriel disse...

"Gabriel, o sueco não prestava, não era? Diz-me, em que é que o Rochemback tem sido melhor que o Farnerud?"

Hum, neste caso tens razão mas o Rochemback no ano passado não estava no Sporting. E mais, potencialmente o Rochemback é MUITO melhor que o Pontus. Se ele voltar a ter boas condições fisicas e mentais vamos ver isso.

Gabriel disse...

por comparação absurda com o que eu quero dizer... comparemos então o 1º ano do Pena e do Luis Fabiano no Porto... quem teve melhor rendimento? Quem é realmente melhor?

Pedro Reis disse...

O que o alcool faz a este pobre rapaz...

matrafisco disse...

Ricardo:
eu compreendi. perfeitamente e por isso o disse.

quando digo BOM remate, e na minha perspectiva situacionista das coisas este enquadra-se perfeitamente, falo no "Momentum", no enquadramento, na capacidade do atleta, na oposição.
também disse que era uma boa opção. não disse que era a única.
como não faço classificação de melhores, porque isso seria um "SE", apenas uma hipótese.

Nuno:
obrigado pelas duas vezes em que tentas insultar-me e teres insultado a tua própria inteligência. muito obrigado. fica bem.

João disse...

Pessoal, há que dar mérito ao Nuno. Foi, até agora, o único "subject" que nos conseguiu pôr a todos de acordo: todos o achamos um lunático.

Por outro lado, tenho inveja dele. As pessoas que vivem num mundo de fantasia são, normalmente, mais felizes.

Nuno disse...

António diz: "Oh sim, escrito por ti. Procura no teu blog."

Felicito-te por, afinal, ainda leres alguma coisa de jeito. Quem eu não felicito, porém, é o teu professor de português, pois não sabes ler. Não escrevi nada do que dizes e não vou procurá-lo porque simplesmente não me apetece perder tempo com uma coisa que sei que não existe. Se quiseres dar-te ao trabalho, força. Aliás, era bom que o fizesses e que o metesses aqui, já que sabes do que estás a falar.

"Estás a fazer futurologia."

Perceber, pela linha de passe, onde é que o passe do Hulk poderia entrar é fazer futurologia ou é ter olhos? É capaz de ser a segunda, é.

"Amigo... que simpático, tão contraproducente."

Contraproducente ou contraditório? É que contraproducente não faz qualquer sentido nesta frase. Ai, ai, o professor de português...

"Não tenho jeito para Photoshop."

Falar em Photoshop depois de falar em Comunismo é brilhante. Mais do que duas coisas sem nexo e do que 2 piadas muito fraquinhas, isto é um verdadeiro hino à estupidez.

Mr. Blue diz: "É neste momento que eu, palerma, me retiro, obviamente sem argumentos, e te deixo a falar sozinho.

Arranja tratamento. Pode ser que isso passe."

Mr. Blue, gastaste o teu precioso tempo a fazer 3 ou 4 comentários do mesmo tipo, basicamente a insultar-me sem nunca dares uma única razão válida para isso. Só posso depreender que gostas que te dêem atenção ou que não tens miolos para elaborar 2 ideias seguidas.

Gabriel diz: "potencialmente o Rochemback é MUITO melhor que o Pontus."

Mas tens razões para isto? É que para mim não é, por exemplo. Numa equipa a sério, que jogue de forma colectiva, o sueco será sempre mais influente que o Rochemback. É claro que o brasileiro tem um ou dois argumentos individuais melhores, mas não tem o sentido colectivo do Farnerud.

"Se ele voltar a ter boas condições fisicas e mentais vamos ver isso."

O problema é que tu achas que o Rochemback tem jogado mal por causa da condição física e mental. Eu acho que ele tem jogado mal porque não é forte do ponto de vista da decisão.

Matrafisco diz: "obrigado pelas duas vezes em que tentas insultar-me e teres insultado a tua própria inteligência. muito obrigado. fica bem."

Não tens de quê. Sempre que disseres disparates, cá estarei para o que for preciso.

João diz: "Pessoal, há que dar mérito ao Nuno. Foi, até agora, o único "subject" que nos conseguiu pôr a todos de acordo: todos o achamos um lunático."

João, o meu mérito é mesmo esse. A diferença, contudo, de mim para vocês, é que eu argumento racionalmente aquilo que digo, enquanto vocês defendem com base no que vos apetece. Até agora, ainda não apareceu ninguém a dizer que era mais difícil fazer o passe para o Mariano do que marcar golo dali (até porque não era), nem ninguém que fosse capaz de dizer que um perneta tinha menos hipóteses de fazer golo dentro da área, quando só é preciso escolher um lado e o guarda-redes não tem tempo para reagir a um remate, do que o Hulk a 5 metros da mesma. E não apareceu porque não é possível aparecer. Até agora, só ainda se defender com parvoíces do género de o Mariano rematar mal, ou do Mariano estar à mesma latitude do Hulk, ou com comparações estapafúrdias com o lance do Maradona. Hulk decidiu mal. Tinha 2 colegas em melhor posição e optou por rematar. O remate podia dar golo, mas nunca na vida essa probabilidade seria superior à probabilidade que um jogador, dentro da área, com tempo para escolher um lado, tem de marcar.

Nuno disse...

Ah, só mais uma coisa, João. Para me achares um lunático, tens de achar outras pessoas lunáticas, porque houve mais quem defendesse o mesmo que eu. O Ricardo é só um exemplo. Não sou só eu que defendo que o Hulk tinha uma opção melhor que o remate.

António disse...

"Felicito-te por, afinal, ainda leres alguma coisa de jeito."

Eu leio muita coisa meu caro, de jeito ou não.


" Quem eu não felicito, porém, é o teu professor de português, pois não sabes ler."

Só não percebi bem isto, então sei ler ou não sei ler? Leio alguma coisa de jeito e depois não sei ler? Cruzes, já te contradizes em frases consecutivas. É só sono ou essa do professor de português foi uma memória longínqua?


"Não escrevi nada do que dizes e não vou procurá-lo porque simplesmente não me apetece perder tempo com uma coisa que sei que não existe. Se quiseres dar-te ao trabalho, força. Aliás, era bom que o fizesses e que o metesses aqui, já que sabes do que estás a falar."

Sim meu caro, escreveste. Procura se quiseres, se não quiseres não procures. É-me igual, mas que lá está, está!


"Perceber, pela linha de passe, onde é que o passe do Hulk poderia entrar é fazer futurologia ou é ter olhos? É capaz de ser a segunda, é."

Não, é a primeira. Assumes que a bola vai para o sítio o mais perfeito possível, com uma recepção perfeita para um sítio perfeito. Chega isto para deduzires o resto ou vou ter que explicar mais uma vez?


"Contraproducente ou contraditório? É que contraproducente não faz qualquer sentido nesta frase. Ai, ai, o professor de português..."

Como tu andas. Vou admitir que seja do sono.


"Falar em Photoshop depois de falar em Comunismo é brilhante. Mais do que duas coisas sem nexo e do que 2 piadas muito fraquinhas, isto é um verdadeiro hino à estupidez."

Citando alguém cá conhecido no burgo, eu diria que quando Einstein e Galileu anunciaram as suas teorias muitos também as julgavam sem nexo e no entanto... Aqui é igualzinho. Um qualquer simplório chateia que é sem nexo e estúpido porque simplesmente não atinge. Ainda mais triste é o facto de admitir que não atinge e chamar de estúpido. É uma verdadeira pérola de quem se diz argumentar sempre com lógica, pois claro!


"Mr. Blue, gastaste o teu precioso tempo a fazer 3 ou 4 comentários do mesmo tipo, basicamente a insultar-me sem nunca dares uma única razão válida para isso"

LOL, isto é demais. Este gajo salta dum insulto gratuito para criticar o outro que fez o mesmo. Brilhante! Qual Einstein qual quê!


"João, o meu mérito é mesmo esse. A diferença, contudo, de mim para vocês, é que eu argumento racionalmente aquilo que digo, enquanto vocês defendem com base no que vos apetece. Até agora, ainda não apareceu ninguém a dizer que era mais difícil fazer o passe para o Mariano do que marcar golo dali (até porque não era), nem ninguém que fosse capaz de dizer que um perneta tinha menos hipóteses de fazer golo dentro da área, quando só é preciso escolher um lado e o guarda-redes não tem tempo para reagir a um remate, do que o Hulk a 5 metros da mesma. E não apareceu porque não é possível aparecer. Até agora, só ainda se defender com parvoíces do género de o Mariano rematar mal, ou do Mariano estar à mesma latitude do Hulk, ou com comparações estapafúrdias com o lance do Maradona. Hulk decidiu mal. Tinha 2 colegas em melhor posição e optou por rematar. O remate podia dar golo, mas nunca na vida essa probabilidade seria superior à probabilidade que um jogador, dentro da área, com tempo para escolher um lado, tem de marcar."

Não te zangues Nuno e relaxa. Revê os comentários acima e encontras algumas das razões pelas quais tanto clamas. O teu problema é que não aceitas argumentos alheios por mais lógicos que sejam pois a parcialidade cega-te. É como digo, basta o Aimar dar um peido que certamente estarás a apludir com o nariz encostado ao rabo do homem aclamando que aquilo sim, é um Channel! Tiveste a confirmação numa das últimas cenas do Jogodirecto.


Boas noites.

João disse...

Nuno, tu seres um lunático não me incomoda nada. Seres um lunático com o ego inchado também não me faz comichão. O que mexe mesmo comigo é o facto de tu perderes tempo a responder individualmente aos medíocres (como eu) que aqui pululam. Um gajo com o valor que tu sabes (oh se sabes!) que tens não devia ter como público-alvo meia-dúzia de blogueiros ignorantes. É isso, e apenas isso, que te separa de Darwin, Copérnico, Galileu, Einstein e Kant. Imagina tu se eles apenas tivessem tentado passar o seu conhecimento na taberna lá da rua? Ninguém saberia hoje quem eles foram. Nuno, tu, para atingires a grandeza que mereces, tens de te fazer ouvir e ler num espectro muito mais alargado. Nós aqui não te merecemos, companheiro.

Nuno disse...

António diz: "Só não percebi bem isto, então sei ler ou não sei ler? Leio alguma coisa de jeito e depois não sei ler? Cruzes, já te contradizes em frases consecutivas."

Para quem gosta de dizer que o outro não percebe coisas fáceis, estás um bocado com moral a mais, não? Pá, digo que sabes ler no sentido de juntar palavras e formar frases. O que não sabes, provavelmente, é formar raciocínios com o que vês escrito, que no fundo é a segunda fase da leitura. E digo-o que o não deves saber porque continuas a insistir que eu disse uma coisa que não disse. Portanto, deve ser erro de leitura.

"Assumes que a bola vai para o sítio o mais perfeito possível, com uma recepção perfeita para um sítio perfeito."

Assumo porque não era difícil que a bola fosse para aí. Se fosse um passe de 50 metros, havia muito por onde falhar. Mas o passe era a 5 metros, sem oposição, pelo chão, com o Mariano a receber de frente. Queres mais fácil. Assumo que ele teria essas condições porque não era difícil que a bola lá chegasse. Simples.

"Citando alguém cá conhecido no burgo, eu diria que quando Einstein e Galileu anunciaram as suas teorias muitos também as julgavam sem nexo e no entanto... Aqui é igualzinho. Um qualquer simplório chateia que é sem nexo e estúpido porque simplesmente não atinge. Ainda mais triste é o facto de admitir que não atinge e chamar de estúpido. É uma verdadeira pérola de quem se diz argumentar sempre com lógica, pois claro!"

Pá, falar de Comunismo e de Photoshop quando se está a falar deste lance é parvo. Só pedi para me explicares a parvoíce. Em vez disso, preferiste ser parvo novamente. São opções.

"LOL, isto é demais. Este gajo salta dum insulto gratuito para criticar o outro que fez o mesmo. Brilhante! Qual Einstein qual quê!"

Aí é que te enganas. Primeiro, não fui eu que comecei com os insultos. Segundo, não insultei ninguém gratuitamente. Insultar gratuitamente é insultar como o Mr. Blue fez, insultando mas sem dizer porquê. Isso é fácil. Posso chamar-te nomes e não explicar. Mas acho também que é estúpido. Não insulto ninguém gratuitamente porque isso é fácil e estúpido. Quando insulto, digo por que é que insulto.

"Revê os comentários acima e encontras algumas das razões pelas quais tanto clamas. O teu problema é que não aceitas argumentos alheios por mais lógicos que sejam pois a parcialidade cega-te."

Pá, não há argumentos válidos. Os vossos argumentos são os que eu disse acima: o Mariano não sabe rematar e afins. Coisas parvas não são argumentos. Argumentos alheios eu aceito. O que não aceito são coisas parvas.

"basta o Aimar dar um peido que certamente estarás a apludir com o nariz encostado ao rabo do homem aclamando que aquilo sim, é um Channel!"

Brilhante. Isto é de uma profundidade espantosa. És taxista, não és?

"Tiveste a confirmação numa das últimas cenas do Jogodirecto."

Ai foi? Que confirmação?

João diz: "O que mexe mesmo comigo é o facto de tu perderes tempo a responder individualmente aos medíocres (como eu) que aqui pululam. Um gajo com o valor que tu sabes (oh se sabes!) que tens não devia ter como público-alvo meia-dúzia de blogueiros ignorantes."

Pá, pareces-me mais preocupado com o que eu faço do que contigo. Isso advém, certamente, do facto de preferires insultar quem tem ideias do que perderes tempo a arranjares ideias. São, uma vez mais, opções.

P.S. Em vez de tentarem argumentar o porquê de acharem que aquilo foi uma boa opção, todos os que acham ridículo o que eu disse preferiram insultar-me. A única coisa que isso demonstra é que não têm ideias próprias e que preferem perder tempo a insultar quem as tem. É francamente mais fácil e bonitinho viver assim, achando que se faz parte de uma comunidade grande e gira, que partilha as mesmas ideias e que há dois ou três malucos que merecem é ser insultados e apedrejados sempre que aparecem com ideias contrárias. O que este caixa de comentários revelou não foi outra coisa que não a mediocridade das massas. Parabéns a todos os que participaram.

Jorge disse...

Nuno:
Eu gostaria imenso de discutir o lance contigo mas ja reparaste na caixa de comentarios?
Se as pessoas nao apresentam argumentos e preferem discussoes paralelas ou as ignoras mantendo a discussao iniciao ou respondes e mudas a discussao para coisas que teem pouco a ver com aquilo que estava a ser discutido.

António disse...

"Para quem gosta de dizer que o outro não percebe coisas fáceis, estás um bocado com moral a mais, não? Pá, digo que sabes ler no sentido de juntar palavras e formar frases. O que não sabes, provavelmente, é formar raciocínios com o que vês escrito, que no fundo é a segunda fase da leitura. E digo-o que o não deves saber porque continuas a insistir que eu disse uma coisa que não disse. Portanto, deve ser erro de leitura."

Pois, pois, muda-lhe agora o sentido a ver se pega. Não te soa tão familiar isto de interpretar tudo no sentido literal?


"Pá, falar de Comunismo e de Photoshop quando se está a falar deste lance é parvo. Só pedi para me explicares a parvoíce. Em vez disso, preferiste ser parvo novamente. São opções."

Nuno, tens razão novamente. O facto é que te sobreestimei. Julguei-te capaz de seguir simples raciocínios lógicos. Evidente que me enganei, já aconteceu uma vez antes, mas foi só uma. Então esquece lá as piadas, não te preocupes mais com isso e descansa um pouco.


"Aí é que te enganas. Primeiro, não fui eu que comecei com os insultos. Segundo, não insultei ninguém gratuitamente. Insultar gratuitamente é insultar como o Mr. Blue fez, insultando mas sem dizer porquê. Isso é fácil. Posso chamar-te nomes e não explicar. Mas acho também que é estúpido. Não insulto ninguém gratuitamente porque isso é fácil e estúpido. Quando insulto, digo por que é que insulto."

lol, estás a gozar não estás?


"Pá, não há argumentos válidos. Os vossos argumentos são os que eu disse acima: o Mariano não sabe rematar e afins. Coisas parvas não são argumentos. Argumentos alheios eu aceito. O que não aceito são coisas parvas."

Já foram dados mais argumentos para além desses. Isto só demonstra como só encaixas os que te apetece.


"Brilhante. Isto é de uma profundidade espantosa. És taxista, não és?"

Pelos comentários que vomitas no teu blog vi que estás habituado ao nível, pensei que assim não tivesse que voltar a explicar-me. É que os raciocínios eram mesmo fáceis pá!

"Ai foi? Que confirmação?"

De verdade que não sabes?


"P.S. Em vez de tentarem argumentar o porquê de acharem que aquilo foi uma boa opção, todos os que acham ridículo o que eu disse preferiram insultar-me. A única coisa que isso demonstra é que não têm ideias próprias e que preferem perder tempo a insultar quem as tem. É francamente mais fácil e bonitinho viver assim, achando que se faz parte de uma comunidade grande e gira, que partilha as mesmas ideias e que há dois ou três malucos que merecem é ser insultados e apedrejados sempre que aparecem com ideias contrárias. O que este caixa de comentários revelou não foi outra coisa que não a mediocridade das massas. Parabéns a todos os que participaram."

Mas foste mesmo tu que escreveste isto?! Ou foi o 3º alter-ego?! É que acabaste, à parte do se inserir numa comunidade, reconheço, por descrever a tua participação geral não só neste post como neste blog. Repara nos comentários antes de cá espalhares "classe" prosaica na forma de insultos gratuitos, sem sequer necessitarem de ser utilizados. Mas, repara, não pares, continua, eu sempre achei giro lidar com mentcaptos, são deveras mais interessantes para a chacota geral.

O Ricardo e o Jorge (desculpem se me estou a esquecer de alguém) tentaram discutir a questão contigo "a bem", no entanto, tu decidiste ignorá-los. Diz-me lá então se tudo não leva a crer que o que gostas é de ter opiniões contrárias só para poder entrar neste tipo de briguinhas? Ainda comprovas mais isso respondendo a todas as minhas provocações. Ou és ainda mais estúpido do que eu pensava e ainda achas que estamos a discutir normalmente a questão do lance do Hulk?


Ali como o Jorge, eu também gosto de discutir a questão civilizadamente sem atitudes idiotas que normalmente tomas, Nuno, depois da 2ª recusa em concordar contigo. Não tenho culpa que a tua mãe dissesse amém a todas as tuas birrices. Por isso, discutes ordeiramente, levas a mesmo tipo de resposta, caso contrário, continuamos nisto. Por mim tudo bem, divirto-me na mesma.