domingo, março 22, 2015

O roto e o nu

Vou tentar ser racional: o Porto ganhou um ponto ao Benfica e, portanto, o saldo desta jornada, no que diz respeito à luta pela liderança, é positivo. Por outro lado, perdeu-se uma grande oportunidade para fazer uma demonstração de força e passar a mensagem: se vocês falham, nós aproveitamos. Em vez disso, ficou a imagem de um Porto falível, uma equipa à qual falta algo, nos momentos decisivos. E isto retira pressão aos encarnados, apesar da derrota em Vila do Conde. Mas, voltando a ser racional, as contas do título são mais simpáticas agora do que eram algumas jornadas atrás. Continuam a ser difíceis, mas já não parecem impossíveis. Resta a esperança de que a equipa continue a evoluir e a crescer com os erros. E de que Jesus continue a distribuir presentes.

No jogo de ontem, ficou à vista a falta que Jackson faz. Aboubakar tem marcado alguns golos importantes, mas ainda está a milhas do colombiano, sobretudo nos momentos em que tem de ligar o jogo atacante da equipa. Brahimi tarda em recuperar a forma que o notabilizou no primeiro terço do campeonato e Quintero, que é um jogador que eu aprecio, não tem aproveitado as oportunidades que Lopetegui lhe tem dado. Aliás, das alterações que o treinador do Porto fez, na segunda parte, a única que teve um efeito positivo foi a de Quaresma. E se a Maicon e Danilo faltou sorte, a Lucas João faltou empurrar a bola para a baliza aberta, na melhor oportunidade do jogo, depois do empate. Portanto, nem nos podemos queixar muito.

No fim se verá a falta que fazem estes dois pontos (e os três que já tinham ficado na Madeira). Para já, uma certeza: com um pouco mais de competência, o Porto seria líder do campeonato. Com ou sem colinho.

2 comentários:

Gabriel disse...

O Porto ontem foi muito incompetente. Depois da derrota do Benfica desse por onde desse tinha que ganhar o jogo e apesar das oportunidades falhadas e do azar não mostrou vontade, não mostrou garra e isso paga-se.
Espero que tenha sido a última balda do campeonato.

miguel.ca disse...

Dizes e bem que a este Porto falta algo. Pois falta e chama-se maturidade competitiva. É nestes momentos chave, nestes momentos de decisão, de mata ou morre que a fibra de que é feita uma equipa aparece ou não e este Porto, que por um lado é uma equipa muito jovem e verde e que por outro lado tem um treinador que se expõe demasiadamente ao erro crónico que vai impedindo para já a demonstração clara do chamado estofo de campeão.
Ontem, se por um lado a equipa entrou nervosa e trapalhona foram claramente as substituições inconcebíveis e falta de sensibilidade e percepção das exibições individuais de alguns dos jogadores que roçaram a nulidade completa por parte de Lopetegui que nos tiraram os 3 pontos.
Agora, depois da poeira da desilusão assentar e vendo o que foram as reações absolutamente anormais dos adeptos do fifique à primeira derrota da equipa desde há não sei quantas jornadas e as mossas que isso possa ter criado no seio da equipa permite agora mais do que nunca sonhar de que o fifique vai escorregar outra vez e que o sonho do titulo, apesar de relativamente imerecido, ainda nos caia no colo.