sexta-feira, maio 27, 2011

Momentos marcantes de uma época histórica

07/08/2010, Porto 2 x Benfica 0 - Três meses depois de se ter sagrado campeão nacional, o Benfica chegava ao jogo da Supertaça na condição de favorito. Mas o Porto do novato Villas-Boas marcou desde logo posição, conseguindo um tónico importante para o começo do campeonato e lançando a incerteza nas hostes encarnadas. Depois desta derrota, a equipa de Jorge Jesus tardou a encontrar-se e, quando o conseguiu, levava já 9 pontos de atraso.

11/09/2010, Porto 3 x Braga 2 - Quarta jornada do campeonato, frente a um Braga que na época anterior tinha «roubado» o segundo lugar ao Porto. Altura para perceber se a conquista da Supertaça tinha sido apenas um começo feliz ou um indicador de um Porto mais forte e capaz de recuperar o título. A resposta foi categórica, com a equipa de Villas-Boas a virar duas vezes o resultado, conseguindo uma vitória que a deixou com uma liderança confortável.

21/10/2010, Besiktas 1 x Porto 3 - O primeiro teste à fibra dos dragões. Num ambiente frenético, a equipa portista jogou toda a segunda parte em inferioridade numérica. Hulk começava a destacar-se, fazendo dois golos que lhe valeram os aplausos dos adeptos da casa. Nascia um Porto que prometia chegar longe na Liga Europa.

30/10/2010, Académica 0 x Porto 1 - A uma jornada da recepção ao Benfica, os dragões encontraram um adversário inesperado: o pantanal de Coimbra. Varela deu um pontapé na chuva, à meia-volta, garantindo os três pontos para a equipa portista.

07/11/2010, Porto 5 x Benfica 0 - Uma oportunidade para o Benfica relançar o campeonato ou para o Porto vincar a sua liderança. Os números não deixam dúvidas. Foi o princípio do fim para os encarnados. Os azuis e brancos somaram e seguiram com distinção rumo a um campeonato histórico.

02/12/2010, Rapid Viena 1 x 3 Porto - Segundo teste ao Porto europeu, em condições climatéricas adversas. Falcao fez o seu primeiro hat-trick, de dragão ao peito, derretendo o gelo que cobria o relvado do antigo Prater, que assim continuou a ser de boa memória para os portistas.

13/02/2011, Braga 0 x Porto 2 - A deslocação mais difícil, antes da visita à Luz. O Benfica levava oito vitórias consecutivas, no campeonato, e prometia não desistir da luta pelo título. O Porto tinha sido eliminado da Taça da Liga e comprometido a passagem à final da Taça de Portugal, com uma derrota caseira frente à equipa de Jorge Jesus. Mas os dragões não cederam e mantiveram a distância de oito pontos para os encarnados.

03/04/2011, Benfica 1 x Porto 2 - Depois da derrota em Braga e do empate caseiro com o Portimonense, já só restava ao Benfica tentar evitar a consagração do Porto na Luz. Mas a equipa de Villas-Boas estava determinada a repetir o feito conseguido por Mihaly Siska e sagrou-se mesmo campeã nacional no reduto do seu principal rival. As imagens que se seguiram, com a Catedral às escuras, ficam para a eternidade. Um espectáculo magnífico.

20/04/2011, Benfica 1 x Porto 3 - Talvez a vitória mais saborosa, das quatro que o Porto conseguiu sobre o Benfica, esta época. Uma segunda parte de luxo permitiu à equipa portista recuperar do 0-2 do Dragão e apurar-se para a final da Taça de Portugal. Mais um feito histórico. Com Luz, desta vez, pois a festa estava guardada para mais tarde.

28/04/2011, Porto 5 x Villarreal 1 - Depois de eliminar o Sevilha, o CSKA e o Spartak, a equipa de Villas-Boas tinha pela frente um obstáculo de peso. O Villarreal silenciou o Dragão, com um golo antes do intervalo. Mas uma segunda parte demolidora, com um poker de Falcao, afundou as aspirações do Submarino Amarelo e colocou o Porto a um pequeno passo da final.

14/05/2011, Marítimo 0 x Porto 2 - Último jogo do campeonato. O Porto de Villas-Boas conseguiu a proeza de terminar a prova sem derrotas, pela primeira vez na história do clube, com a maior vantagem pontual de sempre entre o campeão e o segundo classificado e com apenas mais um empate do que a melhor marca da história do futebol português. Mas os dragões haveriam de conseguir algo que o Benfica de Hagan não conseguiu.

18/05/2011, Porto 1 x Braga 0 - Um golo do melhor marcador de sempre da Taça UEFA/Liga Europa bastou para o Porto conquistar o seu sétimo título internacional. Oito anos depois de Sevilha, Dublin entrou e ficará para sempre na história do futebol portista.

22/05/2011, V. Guimarães 2 x Porto 6 - Quatro dias depois da final de Dublin, ainda os azuis e brancos saboreavam a conquista da Liga Europa, e novo episódio de glória na memorável época portista. Villas-Boas repetiu o feito de Ivic, conquistando quatro troféus na mesma época, e o Porto tornou-se no clube com mais títulos oficiais da história do futebol português.

littbarski

16 comentários:

Hugo disse...

Perfeito. So acrescentava a derrota caseira com o Sevilha onde depois de tantos falhancos e da expulsao do Alvaro Pereira a situacao esteve tremida.

Nuno disse...

Exemplar post!

Agora só resta esperar...




Saudações

Joao disse...

Aponta aí na tua agenda, Porto é campeão nacional 2011/2012.

Obrigado Coentrão, se saíres é o descalabro competitivo do Benfica, se ficares é o "descalabro mental" do mesmo Benfica...

Obrigado Jesus, por parecer que estás a fazer a coisa por outro lado, ganhar dinheiro em comissões de jogadores é de mestre...

Abraço

Zé Luís disse...

Disse-o na altura, a chave da época foi a vitória, e exibição de que poucos deram eco, em Braga (0-2). Daí para cá, um rolo compressor, que só a imerecida derrota caseira com o Sevilha não beliscou sequer.

miguel_canada disse...

João, se analisarmos com frieza aquilo que são as bases para a próxima temporada, creio que é evidente demais que o FCPorto revalida o titulo com relativa facilidade.

O FCPorto, parece-me, dos três, o único que não vai efectuar nenhuma revolução de balneário e só este factor é de uma importância fundamental. Vai manter toda a estrutura, AVB, Hulk e Falcao incluídos, e aparentemente apenas terá de substituir o Fernando.
Moutinho, Álvaro, Beluschi, Varela e Guarin também se manterão pelo que a equipa está feita e pronta para mais uma época a ripar tudo.

O Benfica vai ter de alterar muita coisa porque parece-me por demais evidente que vai perder os seus melhores jogadores, Coentrão e Salvio, o seu melhor goleador, Cardozo somando ainda o facto de que o Aimar e o Saviola já terem atingido a fase descendente das suas carreiras.
Depois não sobra assim muita matéria com qualidade suficiente para se bater com o campeão para além de terem um treinador que vive a léguas da excelência de Mourinho ou AVB e as ultimas contratações não têm sido felizes de todo.
Vão partir atrasados mas a culpa será sempre dos árbitros!

O Sporting vai começar praticamente do zero. Novo treinador, novos métodos, novas dinâmicas, tudo coisas que demoram muito tempo a assimilar juntando ao facto que o Sporting tem muito poucos jogadores de qualidade acima da media.
Vai haver de certeza mudanças abismais no plantel, com muitas saídas e muitas entradas.
Tudo factores que não ajudam nada a um grande arranque de temporada.

O Braga ira-se manter na sua posição de perseguidor mas creio que o Leonardo Jardim não vai ter unhas para fazer um terço do que o Domingos fez.

miguel_canada disse...

Ejemplo de gestión económica y deportiva

26 de mayo del 2004, estadio Gelsenkirchen. El Oporto de José Mourinho completa la gesta y se proclama campeón de Europa tras ganar 3-0 al Mónaco. Siete años después, los 'Dragones' recuperan su sitio en el continente alzando la Europa League al vencer por la mínima al Braga. La transición de un éxito al otro es un ejemplo único en el fútbol de gestión económica y deportiva que conviene analizar con detenimiento.

Siete años, siete temporadas en las que el club portugués siempre ha arrojado un notable superávit tras el mercado de fichajes. Ficha barato y vende caro. Se abraza al mercado sudamericano, descubre talentos, jugadores emergentes, les da confianza y minutos y, algunos años después, vende a un precio tres o cuatro veces mayor del importe desembolsado en su momento en la compra.

Los ejemplos son numerosos. Las negociaciones, de matrícula de honor. Por citar algunos, Pepe llegó del Marítimo por 2 millones de euros y, tres temporadas después, se fue al Real Madrid por 30 millones. Similar es el caso de Anderson, por el que se pagaron 5 millones al Gremio. Tres años más tarde, se fue al Manchester United y el Oporto nutrió sus arcas con 31 'kilos'. Y así podíamo seguir hablando de Deco, Maniche, Diego, Lucho González, Lisandro López, Meireles...

Para que se hagan una idea, en esas siete temporadas el Oporto presente unos beneficios de 196 millones de euros. Lo mismo que otros equipos se gastan en una sola temporada o el doble de lo que algunos pagan por un único futbolista. ¿Y los resultados? pues resulta que esa política que los más escépticos pueden calificar de austera se ha traducido en títulos. Cinco campeonatos de Liga, cuatro Copas de Portugal, cuatro Supercopas de Portugal y una Europa League desde entonces.

El criterio y la eficiencia de sus ojeadores, la habilidad a la hora de negociar un traspaso y la responsabilidad otorgada a determinados jugadores pese a su juventud son las claves de este Oporto. Sin entrar en demasiados números, basta decir que el once que los 'Dragones' presentaron en la final de la Europa League en Dublín le costó al club alrededor de 40 millones de euros. Aquí, el detalle:

Helton (1,5 millones) / Sapunaru (2,5 millones), Otamendi (4 millones), Rolando (950.000 euros), Álvaro Pereira (4,5 millones) / Guarín (1 millón), Moutinho (10 millones), Fernando (720.000 euros) / Hulk (5,5 millones), Falcao (5,5 millones), Varela (libre).

La pregunta, ahora, es por cuánto dinero saldrán del equipo luso aquellos que busquen una nueva aventura o los afortunados que reciban la llamada millonaria de los grandes equipos europeos. Mientras, el Oporto seguirá con su filosofía conservadora. En tiempos de crisis, es lo lógico.

----------

O texto anterior foi publicado no jornal espanhol Marca (vê-se logo que não foi escrito pelo Nuno Luz...) e, embora tenha algumas pequenas imprecisões, é mais um exemplo de como o FC Porto é visto além fronteiras.

Imagino a mossa que este tipo de artigos fazem em alguns dos peões da propaganda anti-Porto. Eles esforçam-se tanto! Até prepararam um vídeo com as “confissões” de Jacinto Paixão em inglês…

low desert puke disse...

Por falar em imprecisoes, os adeptos do clube mais maior ganhador nao acham estranho que o clube apresente prejuizo? Depois de anos a vender super-atletas por 30 milhoes cada um, e num ano em que ganha a liga europa, basta a ausencia da champions e dà logo prejuizo? Se os contabilistas da Sad usassem metade do esforço patenteado pelos anti-portistas no youtunnel a coisa até podia ser clara.

Mas o importante é continuar a encher as prateleiras de taças, nao é meus amigos? Mesmo que as putas e o champagne sejam metidos na conta do clube, quem é que quer saber disso? O titulo 2011/2012 até jà està garantido, ora essa.

Ah pois disse...

hehehe, este palerma é tão previsivel

Fredy disse...

até dá pena este low :|

miguel_canada disse...

Oh Low... sabias que o Barcelona também deu prejuízo?
És mesmo um lerdo!

Joao disse...

caro low, todo o futebol português é deficitário...

veja-se o caso dos clubes grandes que ou têm de vender jogadores para equilibrar as contas ou então porque não conseguem pagar os salários que outros clubes pagam...

Ah pois disse...

miguel_canada, onde vais ver a final da champions? Eu tou em Toronto

low desert puke disse...

Miguel, o Barcelona é um clube que nao tem uma verdadeira marca publicitada nas camisolas. Sabes quanto é que poderia ganhar se o tivesse?
E à parte o Ibrahimovic e o Eto'o, quem é que o Barcelona vendeu nos ultimos dez anos que lhe tenha dado um encaixe financeiro razoàvel?

Se sabes fazer contas devias meter essa do lerdo no bolso.

Joao, nao deixa de ser curioso que a vossa argumentaçao sobre um porto melhor em tudo, competente em tudo, e mais profissional do que todos os outros, deixe de ser importante em alturas como esta. Fala-se de dinheiro e aì jà vos convém falar de todas as equipas e englobar todo o futebol portugues numa sò dimensao.

Nuno disse...

Yaya Touré = 30M€






Saudações

Joao disse...

low, não deixa de ser curioso que as contas fazem-se no final de cada ano...

se queres que te diga também não entendo a "engenharia financeira" do meu clube. este ano sem as receitas da liga dos campeões é natural que haja algum défice, mas lembro-me por exemplo que entre 2003/2004 em que o Porto praticamente ganhou tudo o que havia para ganhar, e vendeu grande parte da equipa não tenha chegado a 2005 com as contas a zero e issi faz-me uma certa confusão...

miguel_canada disse...

Ah Pois, eu estou em Mississauga e vou ver o jogo refasteladinho no meu sofá :)