sexta-feira, agosto 27, 2010

Porto 4 x 2 Genk

Sem nada a perder, depois do resultado desnivelado da primeira mão, o Genk entrou desinibido no Dragão, disposto a discutir a vitória no encontro. E a verdade é que chegou a assustar os portistas que nas bancadas e em casa assistiam, incrédulos, ao pior período do Porto na partida, quando Beto defendeu um remate de Dugary, evitando o 0-2 para os belgas. Poucos minutos depois, começava o festival de Hulk: não foi de penalty, foi de livre directo. E de penalty (desta vez, bem assinalado e cobrado), e novamente de livre directo. Caso arrumado.

Fernando estreou-se a marcar com a camisola do Porto, em jogos oficiais. Não por acaso, mas porque, com Villas-Boas, sobe mais no terreno e remata mais vezes à baliza. No entanto, mantém um defeito: a precisão do passe. Algo a rever, caso contrário, lá se vai a eficácia desta metamorfose.

Este jogo, confirmou as minhas primeiras impressões: do meio-campo para a frente, o Porto é uma equipa forte, mas a defesa continua demasiado insegura. Não é fácil substituir um jogador com o carisma e a qualidade de Bruno Alves, e duvido que a vinda de Otamendi consiga resolver o problema, a curto prazo. Até porque o argentino chega tarde, com a época já a decorrer. Esperemos que, entretanto, a força atacante da equipa continue a ser mais forte do que a sua fraqueza defensiva. Ou que a dupla Rolando-Maicon comece a funcionar, somehow...

littbarski

Sem comentários: