quinta-feira, maio 27, 2010

A carroça e a poça de lama

Há cerca de um mês fiquei absolutamente maravilhado com a forma como o Tottenham arrumou o Manchester City, no terreno do adversário, na penúltima jornada da Premier League, garantindo o quarto lugar e a possibilidade de vir a disputar a Champions League. Lembrei-me imediatamente de um texto profético que me deixou siderado na altura. O momento era o despedimento de Juande Ramos (que deixara o Tottenham no último lugar da EPL com 2 empates e 6 derrotas em 8 jogos) e a contratação de Harry Redknapp que iniciara o processo de recuperar essa equipa, guiando-a ao 8.º lugar final. Aqui fica um excerto dessa peça:

"O Tottenham, desde que Juande Ramos foi despedido e Redknapp assumiu as rédeas da equipa, tem ganho quase sempre. Para muitos, está melhor. Para mim, não. A principal diferença é que, antes, a equipa tinha um automóvel topo de gama, mas os jogadores não sabiam conduzi-lo. Agora, tem uma carroça que vai, de socalco em socalco, vencendo os obstáculos que lhe aparecem pela frente. Mas isto apenas até ficar atascada numa poça de lama. (...) Lá está, é o hábito de andar de carroça, o hábito de ser pequeno."

Na época seguinte, a carroça garantiu a qualificação para a Champions a uma jornada do fim, batendo adversários como o Manchester City de Mancini e o Liverpool de Benitez. Para cúmulo, o condutor da carroça foi galardoado com o prémio de treinador do ano da Premier League, que raramente é concedido a quem não vence a competição. Seria isto a poça de lama? A profecia foi levada ao extremo na caixa de comentários do post:

"Sem ela, à inglesa, o Tottenham é uma equipa banal, com boas individualidades mas colectivamente fraca, capaz de lutar pela Europa. Com um treinador que lhes desse outras coisas e com o plantel que têm actualmente, poderiam facilmente intrometer-se na luta pelo acesso à Champions."

Entretanto, depois da saída do Tottenham, Juande Ramos saiu para o Real Madrid onde garantiu o segundo lugar, seguindo para o CSKA de Moscovo, de onde foi despedido menos de dois meses depois de ter entrado, devido aos maus resultados da equipa. Só consigo imaginar um tipo - apenas um - à saída de White Hart Lane com um cartaz na mão a gritar "We want Juande Ramos back!". Um profeta.

master kodro

21 comentários:

Mr. Shankly disse...

:)

JNF disse...

Lembro-me perfeitamente desse post. O autor, além de parvoíce crónica, esquece-se, ou mais grave, não sabe, dos sucessos e do bom futebol praticado pelas equipas de Harry Redknapp. Mas quando esse mesmo autor defende a tese de que o Sporting devia trocar Liedson por Josué Pesqueira... está tudo dito.

Virgílio disse...

Hehehehe

MK és msm mauzinho...

Qlq dia temos praí um post-testamento de contra-ataque...

SL

Offshore disse...

Como não me recordo do post citado pergunto quem foi o seu autor.

Recordo-me da final da taça Porto x Setúbal em que o Harry Redknapp assistiu aos últimos 15-20 minutos ao meu lado, na central.

R. Galeiras disse...

Offshore, e pedindo desde já desculpas pela publicidade...
podes ler aqui o que escreveu o autor
http://entredez.blogspot.com/search/label/Juande%20Ramos

atribodofutebol disse...

Foi agora ao dito blogue. No cabeçalho, algumas ideias "à Mourinho". "O mesmo que o António Tadeia, mas em bom". "Um lugar (...) como o futebol já merecia". Depois de anunciada a superioridade do autor, confesso ter ficado desiludido com o que li. Muitas ideias cheias de nada, que resultam depois em textos como os do Redknapp.

Nuno disse...

Virgílio, o post do MK é que é o post de contra-ataque. É engraçado que o MK escreva coisas a satirizar o que foi dito por mim acerca de determinados assuntos, mas se escuse de comentar os ataques que lhe são dirigidos acerca de outras coisas, como foi o caso do Nuno Assis, que para o MK, que é a única pessoa em Portugal que vê todos os jogos do Guimarães, é só um jogador de contra-ataque. O que é lixado é que o Nuno Assis foi preponderante em praticamente todas as partidas do Vitória e assim ruiu por terra o argumento tolo do MK. Tanto jogou que o Paulo Sérgio pensa em trazê-lo para Alvalade, mesmo com a idade que tem, para uma equipa que vai jogar, certamente, em contra-ataque, para aproveitar os seus melhores atributos, claro.

Mas outra coisa que o MK gosta muito de fazer é de tentar aproveitar determinadas coisas para ridicularizar o que foi dito por outras pessoas, mas esquece-se que ele, com bom adepto de futebol, muda de convicções a toda a hora. Gosta de pegar num texto que foi escrito para dizer que era um erro de longo prazo trocar Juande Ramos por Harry Redknapp e, aproveitando um bom resultado de Redknapp, escarrapachar toda a sua lábia e todas as suas certezas, como se, de facto, o profeta fosse ele. O problema disto é o do costume. Eu mantenho a minha opinião de que o Tottenham podia crescer mais com um treinador como Juande Ramos (embora me tenha desiludido enquanto esteve no Real) do que com Redknapp. Não preciso dos resultados para firmar as minhas ideias. Elas são independentes e não dependem daquilo que se conquista ou deixa de conquistar (mais abaixo se perceberá que a conquista de Redknapp não foi nada do outro mundo). Já o MK, muda de opinião a toda a hora e, apesar de ter constantemente opiniões precipitadas, não hesita em defender precisamente o oposto logo a seguir, mudando de vela consoante a maré. Como Redknapp conquistou o 4º lugar, agora arroga-se de peito cheio de ser um grande apreciador do homem. O que faz todo o sentido, diga-se, tendo em conta o quanto percebe de futebol. Mas vamos ao sentido do texto.

Para o MK, o Harry Redknapp é um treinador magnifíco e a sua competência espelha-se finalmente na classificação do Tottenham. O que o MK se esquece é que essa classificação, que ele acha que é muito boa, foi obtida num ano em que o futebol inglês sofreu um tombo europeu, num ano em que, tirando Chelsea, Manchester e Arsenal, não houve uma quarta equipa em grande forma, formando-se, isso sim, um grupo (Manchester City, Aston Villa, Liverpool e Tottenham) do qual o vencedor obteria sempre um resultado bom. Ou seja, a excelente classificação do Tottenham não foi tanto por o Tottenham ter feito um campeonato extraordinário, mas sim porque o Liverpool não esteve tão bem como era hábito. Aliás, nas últimas duas épocas, os 70 pontos obtidos pelo Tottenham dariam apenas para o 5º lugar, reforçando a tal capacidade para lutar pela Europa que o plantel, em termos de individualidades, possui, e que, na altura, disse que qualquer treinador mediano, em condições normais, conseguiria alcançar. Resumindo, Redknapp não fez nada de extraordinário a não ser aproveitar a má forma do Liverpool, coisa que para o MK, ao que parece, é digno de exuberante aplauso.

Nuno disse...

Bom, se bem me lembro, outra coisa que o MK aqui defendeu, na época transacta, e com ares de quem descobre a pólvora (mesmo séculos depois de ter sido descoberta), foi que Jorge Jesus era um excelente treinador e que o seu Braga praticava o melhor futebol da Liga. A mim parece-me que o MK admira (ou admirava, até este ser treinador do Benfica) o Jorge Jesus. Ora, continuando o raciocínio, a quem é que o Jorge Jesus espetou 3 batatas na Liga Europa da época passada? Uii... É preciso é azar. E lembram-se do que disse o Jorge Jesus a seguir ao jogo com o Portsmouth? Eu refresco a memória. Referiu precisamente o quão tacticamente débil e ingénuo era o futebol inglês e o quão fracos eram os treinadores ingleses. Ora, depois de um jogo com uma equipa particular de Inglaterra, é natural que o treinador dessa equipa particular não deixasse de ser um dos visados. Significa isto que, para Jesus, Redknapp é o que é para mim: um treinador medíocre. O MK, que tanto admira o futebol do Jesus, admira ao mesmo tempo o futebol do Redknapp. Há várias explicações para isto: 1)o MK admira tudo e mais alguma coisa, sem critério; 2) o MK admirava o Jesus até saber que ele disse o que disse do Redknapp; 3) o MK não tem critério e usa as coisas à toa para dizer que é inteligente, contradizendo-se em catadupa. Eu voto na 3.

O futebol das equipas de Jesus e as declarações dele estão em sintonia. É por isso impossível achar que ele é bom e achar que aqueles que o Jesus acha que são maus também são bons. É uma contradição em termos. Na verdade, o MK gosta do Redknapp porque ele teve resultados. Se não os tivesse tido, não gostava. Assim, muda a sua opinião sobre as coisas consoante os resultados. Se o Redknapp para o ano descer de divisão, já não presta, para o MK. Quanto a Juande Ramos, como é que se conciliará a opinião negativa do MK acerca do treinador, baseada nos resultados que não teve em Londres, com o facto de Juande Ramos ter ganho, nos dois anos anteriores, por duas vezes consecutivas, a Taça UEFA pelo Sevilha? Na minha modesta opinião, o MK não gosta do Juande Ramos apenas porque lhe dá jeito para este argumento. Se estivesse a falar de outra coisa e lhe desse jeito usar os títulos que o treinador espanhol alcançou, certamente que o faria. Por aqui se vê que, para o MK, é bom quem ganha. Ainda que, no ano seguinte, esteja em último e já seja o pior do mundo. É por isso que não consegue perceber que o José Mota não é um grande treinador. Tal como agora exulta com os resultados do Redknapp, exultou a época passada com os resultados do Leixões. O problema é que este ano o José Mota voltou a descer de divisão (pela terceira vez). Aliás, tendo em conta a intermitência dos resultados do José Mota, que tão depressa vai à Europa como desce de divisão no ano seguinte, o cérebro do MK deve ter entrado em curto-circuito já várias vezes.

Nuno disse...

Resumindo, o texto é uma tentativa palerma de enxovalhar uma opinião alheia, mas capitula pelos termos em que são postos os argumentos. É que o único argumento usado para se defender a tese contrária à que se quer ridicularizar é a comprovação dos resultados. E os resultados, como o MK já deveria saber, não comprovam nada. Como tal, saiu ao MK o tiro pela culatra. Querendo ridicularizar uma opinião minha sustentando-se no êxito de uma pessoa que eu tinha atacado, acabou por se ridicularizar a ele, pois levantou sobre si os erros de apreciação que teve em relação a um sem fim de questões, nomeadamente referentes a Juande Ramos, José Mota, Redknapp e Jorge Jesus, e a Nuno Assis. Poderia ficar por aqui, mas não fico. Lembro-me de o MK, a seguir ao primeiro jogo do Di Maria pelo Benfica, atacar o argentino. Eu, que agora até acho que o rapaz está excessivamente valorizado e não tem a qualidade que apregoam, defendi-o dizendo que, embora tivesse tido um mau jogo, denotava qualidades que me faziam facilmente perceber que não teria dificuldades para se impor, a médio prazo, na equipa do Benfica. O MK achava que o Di Maria era mais um reforço tonto do Benfica. Agora, porque é assim que ao redor dele pensam as cabeças das massas, o MK partilhará certamente da opinião de que Di Maria foi uma das figuras do campeonato e terá de aceitar a exorbitância (seja ela qual for) que pagarem por ele. Eu, que me mantive neutro às opiniões dos outros, nem achava na altura que o Di Maria fosse um flop, nem acho agora que seja um jogador magnifíco. Eu mantive uma opinião. O MK passou do 8 ao 80, como é hábito. E ainda tem a lata de vir para aqui tentar gozar com os outros e com as coisas que os outros defendem, quando as suas posições têm tantos buracos como uma peneira. Faz sentido, sim senhor.

Homem Aranhão disse...

Nuno, se soubesses sintetizar, se eliminasses aí 95% de palavras dos teus textos, bom, então talvez dissesses alguma coisa de jeito, talvez se encontrasse uma ideia. Assim, do modo como escreves, é só palha. Imprestável.

Mr. Shankly disse...

Não há paciência. Niguém consegue ler um texto completo teu, Nuno.

"escarrapachar toda a sua lábia e todas as suas certezas"
Parei aqui, porque é ridículo que logo tu acuses outro de ter muitas certezas e não admitir que pode estar enganado.

Miguel disse...

Nuno, é certo que cada um tem direito à sua opinião mas foda-se! custa muito admitires de vez em quando que te enganaste? Asseguro-te que ninguém vai levar a mal!

Liedson, Farnerud, etc etc eh pá, um gajo que reconhece o engano merece respeito. Um gajo teimoso, sozinho contra o mundo, merece a risota.

rui disse...

LOLOL pó que aqui vai...mas há alguém que leva a sério o sr "ai o guarda-redes que defendeu o penalti ficando no meio da baliza só o conseguiu pk é burro..."?? Ai minha gente...


ruibonga

Nuno disse...

É isso, homem aranhão, é só palha. Tu, que começas a ter dores de cabeça quando passas da quarta para a quinta linha, é que tens tudo no sítio.

Shankly, pela mesma bitola de cima, se não consegues ler um texto completo, deixa-te estar calado e não digas disparates. Tu não sabes o que é ter certezas...

Miguel, não disse que o Juande Ramos me desiludiu em Madrid?? Em relação ao Redknapp, não me enganei. Ele é fraco, ao nível do comum treinador inglês. Não é este 4º lugar que vai mudar isso. Reconheço estar enganado quando estiver. Não é o caso.

Bonguinha, continua às marretadas aos candeeiros que isso está quase no sítio...

Mr. Shankly disse...

"Tu não sabes o que é ter certezas..."

É verdade. E vejo isso como um elogio, obrigado.

Nuno disse...

Shankly, não percebeste.

Mr. Shankly disse...

Explica.

Nuno disse...

Não me apetece.

Mr. Shankly disse...

Estás no teu direito.

Homem Aranhão disse...

Nuno, é tão divertido ver-te acusar o toque :)
É claro que quase só escreves palha. É assim que tentas disfarçar a pobreza do vocabulário e escassez de ideias.

Mas acertaste numa coisa: tenho tudo no sítio :)

M. disse...

A falta de poder de síntese é assombrosa. Assombrosa.
Depois de ter escrito que o Postiga é melhor que o Liedson, acho que é uma perda de tempo alguém tentar, sequer, argumentar.