sábado, novembro 21, 2009

Adeus África (4)

E eis que, no fim de uma qualificação confrangedora, e depois de não sofrer golos em dois jogos contra a selecção detentora do quarto melhor ataque de todos os grupos de qualificação (num grupo com Espanha, Turquia, Bélgica, Estónia e em que a pior selecção foi a Arménia, tendo a Bósnia marcado em 9 dos 10 jogos efectuados), Portugal aparece no quinto lugar do ranking da FIFA. Mais uma impossibilidade matemática.

master kodro

30 comentários:

Filipe disse...

5 vitórias contra Hungria, Malta e Bósnia fizeram o "milagre." O ranking antes das competições tem sempre estas curiosidades, na Coreia se não me engano éramos o quarto do ranking da FIFA.

Parte do desencanto das pessoas com a seleção é a ideia que se criou que somos uma potência do futebol. Não somos, e uma qualificação deve ser vista como um feito a merecer reconhecimento. Nós somos uma seleção ao nível de Dinamarca e Suécia e foi isso que se viu. A disputa pelo lugar de acesso foi renhida e só ficou definida depois das três equipas jogarem entre si.

A nossa imprensa é feita por cretinos, só espero que sejam homenzinhos, deixem o ressentimento de lado (fizeram figura de parvos) e abandonem o jornalismo de sarjeta. Mas isso é pedir muito.

Pedro disse...

Este ranking é o ranking das equipas qualificadas ou o ranking de todas as selecções?

Francisco disse...

Tivemos dois jogos oficias a mais. É essa a razão da forte subida no ranking.

"A FIFA esclareceu nesta sexta-feira que o «ranking» mundial agora divulgado não contará para definir os cabeças-de-série no sorteio do Mundial 2010.

O organismo anuncia esta decisão por «razões desportivas». «Usar o ranking de Novembro criaria uma situação injusta, especificamente na zona europeia, onde os play-off envolvendo os oitos melhores segundos levaram a um desequilíbrio entre o número de jogos de qualificação disputados por cada equipa», explica a FIFA. Ou seja, Portugal, por exemplo, ganharia vantagem por ter jogado o play-off em relação a equipas que se apuraram sem ter de o fazer."

http://www.maisfutebol.iol.pt/nota%C2%ADcias/fifa-ranking-sorteio-mundial-2010/1104619-5199.html

Francisco disse...

Mas esta subida acentuada, depois de há uns meses termos estado em 17º lugar, vem coroar a óptima recta final da classificação, com 5 vitórias em 6 jogos, 13 golos marcados e 2 sofridos.

Se pudermos permancer neste lugar, principalmente após o Mundial, será um excelente sinal!

kovacevic disse...

Francisco,

O ranking -- cujo sobe e desce tu reduzes ao número de jogos efectuado -- tem em conta a MÉDIA de pontos por jogo, juntamente com outros critérios de cálculo como a importância da partida, a força e prestígio do oponente e a força regional dos envolvidos.

Finalmente, são considerados os resultados dos últimos quatro anos.
Dos últimos quatro anos, não da última semana.

Sabendo isto, e sabendo que desde 2002 Portugal não estava numa posição tão alta, como é que se pode dizer, a não ser por absoluta má-fé, que o facto de termos dois jogos a mais que os outros é que nos deu o quinto lugar?

Francisco disse...

kovacevic,

Má-fé??? Mas está tudo louco???

Basta leres o link. É o que a própria FIFA diz! E basta analisares o ranking (e reparares que todas as equipas que disputaram jogos oficiais e ganharam amealharam muitos pontos e subiram no ranking). Vê lá os pontos somados por Portugal, França, Eslovênia e Grécia. Compara com as de selecções que também fizeram dois jogos só que amigáveis e depois vem aqui reafirmar o que dizes.

http://www.fifa.com/worldfootball/ranking/lastranking/gender=m/fullranking.html

Qual a parte de «Usar o ranking de Novembro criaria uma situação injusta, especificamente na zona europeia, onde os play-off envolvendo os oitos melhores segundos levaram a um desequilíbrio entre o número de jogos de qualificação disputados por cada equipa», explica a FIFA. Ou seja, Portugal, por exemplo, ganharia vantagem por ter jogado o play-off em relação a equipas que se apuraram sem ter de o fazer." que é difícil de entender?

Mas, claro, é invenção e desonestidade minha, obviamente...

kovacevic disse...

o ranking considera jogos de quatro anos

não é preciso ser matemático para perceber qual é o peso final destes dois jogos na equação

Francisco disse...

Kovacevic,

Ao menos VISTE os dois links? É que senão, nem vale a pena...

Francisco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco disse...

Pontos somados no último mês e subida no ranking:

Selecções com dois jogos OFICIAIS (sendo que só Portugal ganhou os dois jogos)

Portugal - 139, 5 lugares
França - 73, 2 lugares
Grécia - 107, 4 lugares
Eslovénia - 93, 16 lugares

Selecções que VENCERAM os DOIS jogos PARTICULARES

Espanha - -7, subiu 1 lugar
Brasil - -40, menos 1 lugar

Não é preciso ser matemático, realmente. E isto somado ao que a própria FIFA diz!

Começo a achar que estou a ficar louco. Só pode...

Francisco disse...

Reforçando a minha "absoluta má-fé":

"(...) using the November 2009 edition would create an uneven situation, specifically for the European Zone, where the play-offs involving the eight best runners-up led to an imbalance in the number of qualification matches played between the teams."

"Portugal (5th, up 5) and France (7th, up 2) have benefited greatly from the results of the World Cup play-off matches, which are valuable in terms of points, while the teams that qualified in October, Argentina (8th, down 2) and England (9th, down 2), have lost ground."

"This month’s winners also include Cameroon (11th, up 3), Greece (12th, up 4) and Uruguay (19th, up 6), the last two also thanks to a massive gain in points from the play-off matches."

Fonte: http://www.fifa.com/worldfootball/ranking/news/newsid=1137443.html#spain+regain+leadership+from+brazil

kovacevic disse...

francisco,

parece-me que tu é que não queres perceber

um exercício:

se portugal partisse de 65º chegava a 5º?

Francisco disse...

Respondendo ao exercício: óbvio que não! E? O que é que isso tem a ver com o que está aqui em causa? Portugal tem subido no ranking porque tem ganho. Simples. Subiu tanto quanto subiu porque beneficiou de dois jogos oficias extra. Igualmente simples.

Eu constatei algo que a própria FIFA refere: quem jogou os playoffs e ganhou-os beneficiou-se desses dois jogos oficias extra pra subir no ranking mais do que normalmente subiria.

Por isso mesmo é que esse ranking não será tido em conta para o Mundial, porque não tem as equipas no mesmo patamar de igualdade. Todas essas equipas que disputaram play-offs estão numa posição superior à que teriam normalmente.

Ao dizer isto e mostrar tanto o proncunciamento oficial da FIFA e os números que comprovam essa alteração do que seria o ranking normal, sou acusado de má-fé! E dizes que a influência dos dois jogos foi ínfima, quando, mais uma vez, tanto os números como A PRóPRIA FIFA mostram o contrário.

E sou eu que não quero perceber? Que seja...

Nada mais a acrescentar.

Filipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filipe disse...

Francisco, a França e Grécia jogaram os tais jogos e estão abaixo de nós.

Filipe disse...

Eu ia dizer mal da França mas com o critério da FIFA que o Francisco acha razoável quem é beneficiado é a Inglaterra, que fica nos 8 primeiros, e nós saímos de lá direitinhos para o pote 2. Depois da obscenidade que foi a coisa dos cabeças de série nos jogos de apuramento, isto não cheira lá muito bem.

A diferença é poder calhar com Brasil e Argentina.

Quetzal Guzman disse...

Filipe, para o escalonamento do sorteio da fase final a FIFA atribui grande importância aos resultados obtidos pelas selecções nas competições anteriores. Já em 2006 se fez um bicho de sete cabeças por causa do México, mas a verdade é que as prestações deles eram superiores às nossas.
De qualquer forma, é mais fácil criticar os critérios do que estabelecê-los, tendo em conta que os formatos de apuramento são completamente distintos em cada continente.

atribodofutebol disse...

Kovacevic

O "ranking" pode até representar resultados de quatro anos, mas para Portugal ter subido ao quinto lugar alguma influência terão tido estes jogos. Digo eu.

É que se não teve, não consigo perceber o post do Master Kodro.

atribodofutebol disse...

De resto, para perceber a influência dos jogos do playoff basta olhar para o ranking. Que selecções é que sobem em relação a Outubro? Há uma troca no 1.º lugar (Espanha pelo Brazil)e depois temos, nas equipas europeias, Portugal, França e Grécia a subir. Outras, como a Inglaterra, a Alemanha e a Croácia, desceram todas. Podemos por uma vez ser lógicos?

atribodofutebol disse...

E, para ser justo, não é o facto de termos dois jogos a mais que nos dá o quinto lugar mas é certamente esse facto que nos dá o contributo decisivo para subir cinco lugares. Como não há nenhuma equipa europeia que tenha subido sem disputar o "play off", se não fossem esses dois jogos manteríamos o 10.º lugar ou teríamos descido, como é lógico.

atribodofutebol disse...

Já agora, falando de "rankings", é justo reconhecer a evolução de Portugal com Queirós: era 9.º quando o seleccionador pegou na equipa e é hoje 5.º. Mas na hora de acertar contas com as críticas é bom não esquecer que neste percurso sinuoso Portugal chegou a cair para o 17.º lugar do "ranking", a pior posição desde 2003. Ou seja, em poucos meses Portugal passou da pior posição em seis anos para a melhor desde 2001. Todas as críticas, sejam elas boas ou más, são contextuais. Não é por hoje Portugal estar no Mundial e bem posicionado no ranking, que as críticas e o desânimo daqueles que se inconformaram com o início titubeante desta campanha não fizeram sentido na altura.

atribodofutebol disse...

Correcção: o 17.º lugar era a pior posição desde Junho de 2004 (22.º).

master kodro disse...

Mais uma vez, o que é importante é que tivemos dois jogos a mais. Não é importante que tivéssemos sido a única das oito selecções nas mesmas condições a ganhá-los. Não é importante que o quarto melhor ataque da fase de grupos não tenha conseguido maracr um golo em dois jogos a Portugal. Não, o importante é que fizemos mais dois jogos oficiais.

Para além dos posts "Queiroz o Louco" e "Everyday I love you less and less", também escrevemos um post em que, depois de diversas reacções (a nada), não de 2 ou 3 comentadores, mas de dezenas deles, avisámos: "Estás fodido, CQ.". É que estás mesmo. Mesmo que seja a tua segunda qualificação para um Mundial sénior, não vais passar de um treinador de juniores.

Saulo disse...

"Não é importante que o quarto melhor ataque da fase de grupos..."

E uma defesa miserável, com 13(!) golos sofridos, tantos como a Albânia e Islândia por exemplo. E mais do que a Macedónia, Lituania e Israel só para citar alguns.

master kodro disse...

É isso mesmo, Saulo. No meio de 53 selecções europeias, a Bósnia foi o 4.º melhor ataque. Mas parece-te relevante a questão de ter sido apenas a 28.ª melhor defesa. É isso mesmo que estou a dizer.

Todos os exemplos por ti citados são um contributo fantástico para a discussão, até pelas magníficas prestações que tiveram no apuramento, todos eles. Podes juntar-lhe a Turquia, que sofreu menos 3, mas marcou menos 12 e por isso ficou a 4 pontos da Bósnia.

Continua a fazer contas e ainda descobres que a defesa de Portugal foi a 3.ª melhor.

atribodofutebol disse...

Para mim, pouco me importa que Portugal tenha ou não feito mais dois jogos. E que tenha ou não sobrevivido ao 4.º melhor ataque da fase de qualificação, que assustou na Luz mas na Bósnia se revelou quase banal. Independentemente do jogo seguro que Portugal, qual foi a última vez que viram uma selecção com aspirações a uma fase final, num jogo decisivo, jogar, desde o primeiro segundo (o pontapé de saída foi sintomático) de pontapé para a frente. Não quero com isto tirar mérito a Portugal, mas é um facto que a forma de jogar da Bósnia no último jogo foi miserável. Não vamos agora fazer de conta que Portugal defrontou a França, que até não esteve muito longe de ficar fora da África do Sul.

No meu caso, eu só insisti na questão dos dois jogos levantada pelo Francisco porque o argumento é mais do que válido (seguramente muito mais que o do Kovacevic). Agora o que me importa é que estamos na África do Sul. Creio que era o que todos queríamos, independentemente de uns terem mais fé que outros. Agora também não venham com a conversa que a descrença instalada em muitos portugueses era culpa da imprensa. Poupem-me a esses argumentos vazios. Portugal tinha a meio da qualificação 6 pontos em 15 possíveis. Tinha ganho um encontro em 5. Tinha sido incapaz de ganhar a uma Arménia a jogar mais de meio jogo com 10. Acham mesmo que a culpa da descrença era da imprensa? Que a imprensa que titulou que Portugal estava fora do mundial estava errada (e todos aqueles que, como eu, o escreveram) é hoje óbvio. Agora parece-me que, naquela altura, naquele contexto, esse cenário era, então, muito improvável.

Portugal cumpriu a sua obrigação e está no Mundial. Rejubilemos todos, sem ironias. Mas cumpriu a sua obrigação, nada mais, ainda que tenha superado as expectativas de muita gente que acreditava menos quando o barco parecia à deriva. Quando Portugal se superar, e será preciso fazê-lo se quiser ser campeão do mundo, estarei aqui para reconhecer o mérito do timoneiro. Não tenho dificuldades em admitir que esta selecção tem lacunas que precisam ser corrigidas, e que não são fáceis de corrigir, mas não me peçam que alinhe no discurso desculpabilizante do "ah que estamos tão pobres agora". Olhem para os nossos jogadores. Vejam onde eles jogam. Ainda hoje tive que ler o Luís Freitas Lobo dizer que Queirós teve que refazer a espinha dorsal da selecção. Provavelmente Eduardo, Duda e Liedson são a espinha dorsal da selecção. Bosingwa, Ricardo Carvalho, Bruno Alves, Pepe (ainda que adaptado), Deco, Raúl Meireles, Simão e Cristiano Ronaldo devem ser outra coisa certamente.

Saulo disse...

"Mas parece-te relevante a questão..."

Não escrevi em lado algum que era ou não relevante, apenas adicionei mais um facto à discussão, nada mais que isso. A partir daí cada um tira as conclusões que bem entender, como no caso do 4º melhor ataque...

Mas também poderia dizer que o 4º melhor ataque marcou 60% dos golos (15) contra os 2 últimos do grupo, Estónia e Arménia ou que não ganhou (derrota e empate) nenhum dos jogos contra a tal Turquia que "por isso ficou a 4 pontos da Bósnia". Mas estes factos por não terem sido lembrados por ti não têm qualquer relevância.

O Anti Lampião disse...

a cara de pau do Orelhas corrupto
http://oantilampiao.blogspot.com/2009/11/cara-de-pau.html

master kodro disse...

Vê lá tu bem, Saulo, que a maior parte dos golos de uma selecção numa fase de apuramento foi marcada contra os 2 últimos... Isso sim, é relevante. Já todas as outras marcaram mais contra os primeiros, é isso? Isto está bom, está.

Yazalde disse...

Esse 5º lugar só vem reforçar a tese que a selecção nacional é de facto uma das melhores equipas do mundo.
Individualmente é de longe a melhor das equipas do nosso grupo. O apuramento foi muito fraco.
A potência mundial que é a dinamarca está em 26º lugar após o apuramento.