quinta-feira, março 21, 2013

Wolfs: é fazer as contas

A confirmar-se a venda de Ricky van Wolfswinkel por 10 milhões de euros, ao Norwich, está aqui um bom exemplo de como NÃO fazer parcerias com fundos. É o Sporting que menos lucra no negócio, das três entidades envolvidas. E além disso perde um jogador com qualidade, e com futuro, por um valor que dificilmente chega para encontrar alguém de perfil semelhante.

Sporting
Pagou 5,4 milhões pelo jogador (100% do passe)
Vendeu 50% do passe por 2,5 milhões ao fundo Qualitity Football Ireland Limited, em Setembro de 2011
Vendeu 15% do passe por 975 mil ao fundo Sporting Portugal Fund, em Janeiro de 2012
Vendeu 35% do passe por 3,5 milhões ao Norwich
Lucro: 1,6 milhões
Valorização: 30%

Quality Fooball Ireland Limited
Pagou 2,5 milhões por 50% do passe ao Sporting
Vendeu 50% do passe por 5 milhões ao Norwich
Lucro: 2,5 milhões
Valorização: 100%

Sporting Portugal Fund
Pagou 975 mil euros por 15% do passe ao Sporting
Vendeu 15% do passe por 1,5 milhões ao Norwich
Lucro: 525 mil euros
Valorização: 54%

kovacevic 

23 comentários:

j. disse...

A alternativa e', claro esta, nem sem sequer contratar o jogador.

kovacevic disse...

a alternativa é não fazer negócios que prejudiquem o clube

não tenho nada contra fundos, mas 30% de valorização contra 100%?

PLF disse...

Kovacevic,

O raciocínio mantém-se se tivermos em conta os valores aqui referidos?

http://web3.cmvm.pt/sdi2004/emitentes/docs/FR35571.pdf

j. disse...

Nao. Os fundos nao estao la para fazer favores a ninguem. Estao la para providenciar liquidez imediata ao clube e partilhar parte do risco da operacao.

As coisas podem-lhes correr bem, mas tambem podem correr mal.

Agora estar a espera que os fundos facam maus negocios de proposito e que e mal.

Nao estou a fazer apologia aos fundos, mas tambem nao acho correcto os demonizarem.

A alternativa novamente e nao contratar o jogador se nao se tem fontes proprias de dinheiro para isso. O mal nao sao os fundos. O mal e querer jogadores quando nao se tem dinheiro para tal.

Mais, e nisso as suas contas estao incompletas: quando calcula o lucro do clube tem de considerar qual seria o custo para o clube de nao ter arranjado a liquidez intermedia que os fundos permitiram. Tem de considerar dois aspectos: em primeiro lugar qual teria sido o custo de capital de arranjar esse mesmo dinheiro noutro sitio qualquer.Em segundo lugar, qual o valor hoje (o valor futuro, portanto) desses montantes adquiridos no passado.

PLF disse...

J.,

Ignore esse ponto um bocado complexo do custo de oportunidade, da incapacidade (financeira e outra) de fazer este tipo de negócios sem recurso a fundos, do Sporting FUND ser um fundo cujo objecto social ser investir em jogadores do Sporting (esta é a mais difícil de todas). Foquemo-nos nas contas.

Porque afinal É (PRECISO) FAZER AS CONTAS!

As minhas contas dão isto:

Sporting
Pagou € 5.075.000,00 pelo jogador (100% do passe)
Vendeu 50% do passe por € 2.537.500,00 ao fundo Quality Football Ireland Limited, em Setembro de 2011
Vendeu 15% do passe por 975 mil ao fundo Sporting Portugal Fund, em Janeiro de 2012
Vendeu(?) 35% do passe por 3,5 milhões ao Norwich
Lucro: 1.937.500 milhões
Valorização: 124%

Quality Fooball Ireland Limited
Pagou € 2.537.500,00 por 50% do passe ao Sporting
Vendeu 50% do passe por 5 milhões ao Norwich
Lucro: 2,5 milhões
Valorização: 97%

Sporting Portugal Fund
Pagou 975 mil euros por 15% do passe ao Sporting
Vendeu 15% do passe por 1,5 milhões ao Norwich
Lucro: 525 mil euros
Valorização: 54%

Será que esta transação se torna um exemplo de como FAZER parcerias? Eu diria que sim!

Kovacevic,

Sabe dizer-me se o Sporting vendeu o Ricky van Wolfswinke? É que informação que possuo - aquela que foi comunicada à CMVM - é a de, actualmente, apenas existem negociações.

Porque se é para pegar em notícias de jornais, não percebo porque não pega na dO Jogo.

Filipe disse...

pLF. de onde tira os 124%? Com os seus valores obtenho 38%

Nos outros casos fez:

(valor das vendas - capital investido)

a dividir por capital investido.

JN S disse...

Não foi inocente, Filipe.
Não foi inocente.

Mike Portugal disse...

Essas contas estão muito mal feitas:

1º Quando foi vendido os 50% foi de facto baseado no valor de compra, pois ainda não tinha havido nenhuma valorização do jogador;

2º Mas os 15% (se fizerem as contas) já foram vendidos quando o jogador se tinha valorizado (15% de €5.075.000,00 não é €975.000 e sim €761.250), ou seja, aqui o jogador já valia €6,5M;

3º E agora, admitindo que se vendo só por €10M ao Norwich, recebemos €3,5M.

Ou seja, o jogador valorizou de €5.075.000 para €10M. Isto é uma valorização de 30% ou 38%, sequer?

kovacevic disse...

É inacreditável

PLF,

pode chamar-me burro quantas vezes quiser, que é para o lado que durmo melhor

mas até um burro vê o que está a fazer

mesmo com 5 milhões, como o PLF diz, dá 40% de valorização

de onde é que vêem esses 124%

JN S disse...

Kovacevic,

Gestores de topo! São gestores de topo. Os mesmos que têm estado no Sporting tantos anos

kovacevic disse...

Portanto PLF

o raciocínio mantém-se sim

Mike,

a valorização que refiro não é a valorização do jogador

é a valorização do dinheiro investido pelo sporting

quando o sporting vendeu 15%, vendeu 15%

e é os porting que comunica à CMVM ter recebido 975 mil euros

PLF disse...

Filipe,

Com prazer.

Custo de aquisição inicial: €5.075.000
Preço de venda ao QFIL: €2.537.500
Preço de venda ao SCP FUND: €975.000

Capital investido pelo SCP = €1.562.500 [€5.075.000-(€2.537.500 + €975.000)]

Preço de venda Norwich = €10.000.000 [os parciais estão acima, mas reitero que já agora tínhamos em consideração os €12.000.000 dO Jogo]

E pegando na divisão sugerida (valor das vendas - capital investido) temos:

SCP = (€3.500.000-€1.562.500)/€1.562.500

SCP = 1,24.

j. disse...

Explicado as contas peolo PLF, os 124% correspondem a valorizacao do valor residual do jogador, pertenca ao clube: 35% do passe avaliado em 1.5625 milhoes (5.075 - 2.5375 - 0.975).

Esses 35% do passe valeram 3.5 milhoes ao clube. Dividir 3.5 por 1.5875 da 124%

Dificil.

Agora, a valorizacao ao longo do tempo em que o passe pertenceu ao clube e' diferente, pois como o Mike disse, 50% foi vendido a um valor total do passe de 5,075, 15% foi vendido a um valor total do passe de 6.5 milhoes e 35% do passe terao sido vendidos a um valor total do passe de 10 milhoes. Como tal o preco MEDIO de venda foi 7.0125 milhoes, os tais 38%.

Filipe disse...

PLF, é uma maneira de ver as coisas, que até aceito poder fazer sentido caso a partilha de investimento tivesse sido definida à priori.

PLF disse...

J.

Diga-me se estou errado.

Vamos imaginar a seguinte hipótese (simplificada).

1. A 01 de Julho de 2012, o 4-4-2 FC compra o Kovacevic por X.
2. A 02 de Julho de 2012, o 4-4-2 FC vende ao GestoresdeTopo Ltd. 50% do Kovacevic por X/2.
3. A 31 de Junho de 3013, o 4-4-2 FC vende ao Continuidade FC o Kovacevic por 2X.

Qual o preço médio de venda para o 4-4-2 FC?

E será esse um negócio que, aos olhos do autor do post, é um exemplo do que NÃO deve ser feito?

j. disse...

Para completar o raciocinio. No segundo metodo, que da 38%, e' necessario incluir o custo de NAO ANTECIPAR as receitas. Quando teria custado ao clube ter obtido por outras fontes 2.5375 e 0.975 milhoes.

E obvio que teria sido preferivel nao ter alienado nenhuma parte do passe do jogador e ter vendido 100% a 10 milhoes, obtendo uma valorizacao de 97%. Mas, se esse e' o termo de comparacao e' preciso considerar e explicar quando teria custado a opcao de nao alienar nenhuma parte do passe do jogador ate agora, porque esse dinheiro teria de ter aparecido de outra forma, concerteza, mais dispendiosa (vender jogadores, pedir emprestado, ou outras)

Filipe disse...

PLF, dada a curta distância temporal entre a venda ao Quality Football Ireland Limited pode ser interpretada como pré-acordada, e até partilha de risco, mas os 15% tenho dificuldade em vê-los assim. O jogador já tinha meia época feita.

j. disse...

PLF, o precio medio de venda do Kovacevic seria 1.5X (2X na venda final e' o preco total da transaccao?)

PLF disse...

J.,

Sim quanto à sua pergunta, assumi também na - simplicidade da hipótese - o normal, que é o preço de transferência final se dividir a 50% (e, portanto, que o 4-4-2 FC receberia X pelos 50% e o GestoresdeTopo Ltd. receberia o remanescente).

Ora, seguindo o raciocínio do presente post (se a consigo compreender, confesso a minha dificuldade), as respectivas valorizações do Kovacevic seriam as seguintes:
- 4-4-2 FC = 1,5 (ou 50%)
- GestoresdeTopo Ltd = 2 (ou 100%)

Estou errado (admito que esteja!)?

Se não estiver, seria este um exemplo de uma parceria a NÃO fazer?

Filipe,

Esta conversa dos fundos é extraordinariamente mais complexa do que a discussão que se tem habitualmente.

Por exemplo, o QFIL e o Sporting Fund não são fundos iguais. Isto porque o Sporting Fund - que durará pelo menos mais 3 anos - não é um fundo "qualquer". É um fundo que mais se assemelha a acções da SAD do Sporting e que se destina a financiar a actividade do Sporting. Porque digo isto?

Porque no artigo 8.º do regulamento de gestão do fundo (que pode encontrar no link abaixo), se dispõe o seguinte: "O Fundo investe na aquisição dos direitos económicos referidos no número anterior, à Sporting SAD ou, juntamente com esta sociedade, a terceiras entidades, designadamente contra o pagamento de uma contrapartida financeira (prémio) à Sporting SAD ou às referidas entidades, conforme aplicável."

http://web3.cmvm.pt/sdi2004/fundos/docs/1294RG20110708.pdf

Ou seja, o fundo compra ao Sporting (ou com o Sporting) e, quando faz dinheiro (fazendo), reinveste no Sporting. Ou seja, os €525.000 que o Fundo "ganhou" nesta transacção estarão à disposição do próximo presidente para a contratação de um qualquer jogador, ou para a aquisição de um qualquer William Owusu, André Santos ou Renato Neto.

Mas enfim...

Pode perfeitamente ser-se contrário à utilização de fundos. Isso é mais do que legítimo. Mas sugerir que este negócio - pelas contas - é uma burla ou uma roubalheira, tenho muitas dificuldades em compreender.

kovacevic disse...

PLF,

conhece a expressão smoke and mirrors?

o sporting investiu 5,4 milhoes no Wolfs

ou 5 se preferir

e recebeu 7

os seus comentários são ilusionismo

Francisco disse...

Meus amigos que grande discussão no negócio do Ricky. Rendeu , meteu golos e deu lucro.
O problema é o Jefren e outros que tais que levaram a esta divida impagável

Filipe disse...

É mais que isso Francisco. Num clube com resultados operacionais positivos seria um bom negócio. O clube recupera o dinheiro investido, o suficiente para cobrir os salários do jogador, tem mesmo um pequeno lucro num jogador que até cumpriu razoavelmente.

O problema é que o Sporting para cobrir o deficit operacional precisa de dezenas de milhões de euros de mais valias em vendas. Ora se o jogador mais valioso do plantel significa apenas 2 milhões de mais valia tem-se um problema. Percebe-se pela falta de liquidez, mas o ideal seria ter feito uma mais valia de 5 milhões.

TaKuara disse...

COmo alguem disse, os fundos não estão lá para agradar a ninguem.

Querem fazer dinheiro, e embora haja casos em a renegociação se torna uma verdadeira galinha de ovos de Ouro para eles (James, Wolkswinkel, Moutinho, Di Maria, David Luiz, Coentrao), outros há (e refiro-me ao Benfica), em que o clube fica claramente a ganhar.

Com Urreta, Kardec, Airton, Shaffer, Ruben Amorim, Miguel Vitor, David Simão, Jara, Nolito, Filipe Menezes N.Oliveira, Roderick e Leando Pimenta encaixou mais de 18.5M€, e embora hajam por ali jogadores caros, (em Jara foram 5.5M€) acho que o Benfica ficou claramente a ganhar.
É obra atingirem-se esses valores, com jogadores dispensáveis/não titulares, ou que já não estão no Benfica.

Abraço