sexta-feira, abril 29, 2011

Cinco torpedos

Para prevenir, no El Madrigal, as manobras com que o Submarino Amarelo afundou o Nápoles, o Leverkussen e o Twente. Cazorla, Cani, Nilmar e Rossi formam um quarteto de respeito e colocaram o Villarreal na frente (e a incerteza nos corações azuis, ao intervalo). Mas este Porto de marcas históricas, esse mesmo que venceu recentemente na Luz (e sem luz) e despachou o Spartak com um concludente 10-3, não brinca em serviço, tem killer instinct e, à primeira oportunidade, destroça as defesas adversárias com uma simplicidade tão desconcertante como a forma como Falcao pára no ar antes de atingir as redes. Quatro vezes, desta vez - um jogo fabuloso do colombiano. E Dublin mais perto do que nunca.

littbarski

5 comentários:

Nuno disse...

Já vejo a luz ao fundo do túnel :)


Simplesmente fantástico!

Falcao,que jogador!!!!


Saudações

Ah pois disse...

Essa merda é tudo árbitros, corrupção e doping como diz o gajo do vomito!

Joao disse...

Gosto tanto disto...

O Mestre André está a fazer um trabalho espantoso!

Um grande bem-haja ao Helton, um dos grandes responsáveis pela época extraordinária do Porto!

Ah pois disse...

Cá para mim a presença do Pedro Emanuel na equipa técnica tem muito a ver com o sucesso da equipa. Isto é só um palpite meu.

Diego Armés disse...

Mais uma vez, fiquei impressionado. E confesso: o Falcao é o avançado que mais me impressionou a jogar em Portugal - de todos os que me lembro de ter visto jogar. Claramente, topo de gama mundial.

Espero que nos encontremos em Dublin.