segunda-feira, dezembro 14, 2009

E o burro sou eu?

Com a derrota deste sábado, o Sporting entrou oficialmente na fase "E o burro sou eu?".

É natural. A gente compreende que depois de quatro anos de Paulo Bento bastava um mês de Carlos Carvalhal para transformar uma situação de merda em momentos de ouro no álbum leonino.

Ponham os olhos em Izmailov, que tanta falta fez a Paulo Bento. Conforme Rui Oliveira e outros previram, assim que regressou à equipa as coisas mudaram. Da noite para o dia. Ou não?

Em 12 meses, o situacionismo passou de "Fazemos mais com menos e vamos ser campeões" para "Não dá porque a equipa é miserável".

O que mudou? Saíram Ronny, Rochemback, Romagnoli, Derlei e Tiuí. Entraram André Marques, Matias Fernandez, Saleiro, Caicedo.

A diferença está em Derlei, portanto.

Reconhecer validade às observações de muitos adeptos, que alertaram para o que aí vinha, pelo menos, no arranque da época passada, isso está fora de questão, claro.

Prolongar Paulo Bento para lá do prazo de validade reduziu o clube a cacos, colocando sportinguistas contra sportinguistas. Os jogadores rendem 10 por cento do que podem, se tanto. O mercado, que há um ano salivava por Veloso e Moutinho, hoje não dá 20 milhões nem pelo plantel inteiro.

É um buraco e não se vê o fundo.

kovacevic

10 comentários:

Zé Luís disse...

Excelente análise, partilho totalmente. E não é algo que me interesse directamente, mas vejo o mesmo estando de fora dessa questão interna.

Aliás, com o MK porventura a banhos para as suas lúcidas análises, conquanto não comungue de todas as suas ideias, o kovacevic justifica a credibilidade que granjeou na avaliação das coisas leoninas. É o que, no fim, se aproveita disto tudo.

Sublinho não o sintoma "o burro sou eu", que não é sequer argumento, mas sim o facto de acharem que, na situação crítica, de assistência artificial, acharem que o Carvalhal mudava tudo. E se pensávamos, mesmo eu que sou "estranho", que o afundanço institucional (financeiro, económico, estrutural) do Sporting radicava no roquettismo, negar os malefícios do sistema de Paulo Bento é continuar com a cabeça enterrada.

J. disse...

E agora!?Perante tanta catastrofe, o que fazer?
Enfiar a cabeça na área e esperar que tudo isto passe?
Ou então prolongar o pessimismo e a constante critica e por-se constantemente numa suposta oposição, que essa sim sabe o que quer e tem as ideias claras?
Todos estes cenários, Kova, é gira aqui para a malta dos blogs, mas pergunto-te sabias que tudo isto seria assim há 6 meses atras quando era altura de tomar decisões!?

kovacevic disse...

joão,

Pessimismo? Estamos em vias de não ir à Europa pela primeira vez na história do clube.

Constante crítica? Quando, há mais de um ano, se começaram a ler e ouvir comentários negativos relativamente ao futebol do Sporting, fomos todos apelidados de traidores, ingratos, profetas da desgraça, líricos da estética, etc, etc, etc. Os resultados estão à vista.

Não é a mim, nem a qualquer outro adepto, que compete tomar decisões.

Mas ainda assim te pergunto: não é sempre pelo diagnóstico que começa a decisão?

J. disse...

Ainda que te dê toda a razão em aquilo que dizes. Alias teces considerações altamente subjectivas que agora são fáceis de fazer, mas que repito há 6 meses atrás por mais alarmismo que tivesses não serias capaz de prever.
Eu esperava na pior das hipoteses um não crescer por parte do clube.
Jogar o mesmo futebol, ter os mesmos resultados e pronto, nao passar daquilo.
Aquilo que se está a passar agora, é algo que me custa mais a perceber.
Por mais ponto de saturação que as coisas podiam estar, este arrebentar e não deixar nada de bom é algo que não é facil de explicar e menos ainda de evitar.
Eu ponho-me no lugar do Bettencourt há 6 meses atrás e sem saber o que sei agora, acho que faria a mesma coisas.
E isso, seria manter Paulo Bento e toda a estrutura á sua volta.
Reforçar dentro das possibilidades do clube e esperar que certos jovens fossem aos poucos consolidando-se na equipa ( os tais Pereirinha, Adrien ).
Tinha sido essa a estrategia do clube nos ultimos anos.E nao tinha funcionado tao mal assim

Sempre disse...

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL:
Revolucionar o Futebol profissional em Portugal, pela implementação de um novo modelo de gestão, financiamento e organização.

Petição em:
http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

Zé Luís disse...

"Estamos em vias de não ir à Europa pela primeira vez na história do clube".

Estes são os exageros (pelo desespero?) habituais. Recuem a 1976 ou 77 e vejam se foram à Europa. Aliás, nesse ano até emparceiraram com o Real Madrid, acreditem...

Virgílio disse...

Kova, permite-me repetir um comentário que deixei no AB sobre este msm assunto:

"Bastou uma derrota para os bentianos lovers sentiram saudades... Mas afinal do quê, mesmo? De um futebol de merda?

PB recebeu um SCP que praticava o melhor futebol em Portugal, apesar da equipa ser permissiva defensivamente. Passados quatro anos e meio, aí temos a herança que Carlos Carvalhal recebe de Paulo Bento. Uma equipa sem qlq alma, a praticar um futebol desgarrado, completamente descrente, traumatizada...

E o culpado é o novo treinador...Pois. Sim, senhor! "No surprises". Já se sabia que a lógica, no futebol, é uma batata..."

Apenas adiciono: PB? never again... Já foi tarde.


SL!

Gabriel disse...

O problema do Sporting é falta de estrutura.
Andaram 4 anos atrás do Porto mas como o Benfica ficava atrás deles assobiavam, como se o Porto fosse imbatível, ou como se eles fossem o Braga ou o Guimarães, ao primeiro assumo de superioridade que o Benfica teve sobre eles, ficaram abatidos e o insucesso tornou-se um ciclo vicioso.
A culpa está muito além de Bento, Bettencourt ou Soares Franco. Está numa estrutura associada que chegou a dizer que preferia ficar 2 vezes em 2º do que ser campeã 1 e 3º outra.
Essa falta de cultura de exigência, cultura de vitória é o grande problema do Sporting.

Petinga disse...

@Zé Luís

Para esclarecer o pessoal, desde 1961-1962 o Sporting só falhou uma presenca nas competicoes europeias, por sinal na última vez que ficámos abaixo do 4o lugar (5o, na ocasiao). Foi em 1976-77 sim senhor.

Valdemar disse...

Kova, parece-me que os jogadores não desaprenderam.

Há falta de confiança. Facto.
O golo do Herta foi mais uma prova, se tal fosse preciso, disso mesmo.
Falta de agressividade, falta de vontade em disputar os lances.

A coisa não se resolve com jogadores novos. Principalmente, porque se torna difícil alguém jogar bem quando os outros 10 estão desmoralizados.

E depois há gente demais a lançar bitaites. Sportinguistas com agendas próprias, diferentes dos interesses do clube, gente de fora do clube que molha a sopa no Sporting, para desviar atenções das próprias situações. É moda bater no Sporting, como antes foi moda bater no Benfica.

A coisa só se resolve, com os mesmos gajos (tirando, os que são óbviamente maus, e já não só deste ano, Pedros Silvas e isso), os que dão confiança ao treinador, e fazendo um estágio fora daqui e entrando em blackout. O Porto quando estava em crise, chegou a fazer algo parecido, os famosos blackouts. Mas eu acho que o estágio também é importante. Na Holanda, por exemplo, uns amigáveis contra equipas Holandesas, abertas, para se jogar futebol. Aumentar a confiança dos atletas.

E estava disposto a pedir aos atletas que abdicassem das férias de Natal para mostrarem que querem resolver o mau momento da equipa. Seriam compensados com algum tipo de prémio.

Porque ir buscar uns Brasileiros, não vai resolver nada.