segunda-feira, novembro 02, 2009

Por uma pedra se ganha, por uma pedra se perde

O acórdão do Conselho de Justiça da FPF define onde reside a culpa na interrupção do Sporting x Benfica em juniores da temporada passada. Com clareza. Falta o resto.

ps - E de repente fui invadido por uma estranha vontade ler o que se escreveu a este propósito aqui em casa e principalmente na caixa de comentários.

master kodro

26 comentários:

JNF disse...

Antes que esta caixa atinja os 50 comentários, vou já deixar resposta aos sportinguistas que aqui virão dizer "arruaceiros" "isto e aquilo, bla bla bla": a avaliar pelo que vi ontem, vocês têm muito jeito para atirar pedrinhas, lá isso têm.

NUNO RAMOS disse...

Meus amigos a minha opinão sobre isto, é que não gosto de ganhar na secretaria, preferia que esse título não fosse atribuído a ninguém... O título que nos pertence e que nos ficará toda a vida atravessado, encontra-se a 2 km de distancia do seu real destino... falo-vos da Taça da Liga, esse sim devia ser entregue procedência e jamais esquecerei tal feito conquistado pelo o Benfica à moda do Fc Porto dos anos 80 e 90!!!!

david disse...

Nuninho, estás a falar do penalti do Rochemback sobre o Aimar aos 12min que não foi assinalado?

É que o outro toda a gente sabe que foi mal assinalado, o difícil é ver que com esse te preocupas mas no outro fechaste os olhos... és primo do Paciencia?

Daniel disse...

So já faltam 5 comentários até alguém vir falar da "falta" do Luisão...

matrafisco disse...

Já há um campeão.
Na secretaria, mas é o campeão.

Muito bom!
Vai ser uma bela semana... :D

rearviewmirror disse...

Como já foi aqui referido:



"Segundo o que me contaram agora via telefone , os NN estavam a chegar , e um membro do directivo avistou-os , a mensagem circulou pela bancada toda , as claques sairam foram ao portao e começaram a dizer '' Aqui nao entram filhos da put* '' , entretanto eles jogaram pedras e as claques foram a volta para os apanhar mas eles fugiram e os suppoters correram atras deles , entretano ja acalmou um pouco e pedras atras de pedras na direcçao deles e nossa ...
Se souber de mais informaçoes direi ..."


Fonte:

http://www.forumscp.com/index.php?topic=15722.msg602951#msg602951 (ala 10)

Mr. Shankly disse...

Parabéns Sporting.

tp disse...

Caro Nuno Ramos,

Porquê ficares-te pelos anos 80 e 90 ? Porque é que não recuas até à saudosa década de 70 ?
Desfolha ternurentamente as páginas desses anos e lembra-te, por exemplo, do árbitro da final da Taça entre o Sborden e o Porto, o execrável Mário Luís. Essa figurinha, nos dias anteriores à final, esteve a provar o belo fato da comitiva sportinguista. Após a final, que arbitrou e onde roubou descaramente para o sborden, embarcou com a comitiva do sborden para uma visita à China, com tudo pago.
Imagina que isso se tinha passado com o Porto. O que tu não dirias! Mas claro, o que interessa são as décadas de 80 e 90. Já agora, em vez de cuspires para o ar ( podes sujar a juba....) escreve lá aqui, especificamente, em que finais é que o Porto roubou. Anda lá, leãozinho. E já agora, comenta também o chinês.........

Quetzal Guzman disse...

Não comentei aqui na altura, mas em função do que me foi relatado em cima do acontecimento e pelo que confirmei mais tarde (junto de adeptos de ambos clubes) mantenho a posição assumida noutros espaços: culpas de ambos os lados (e quando digo isso não me refiro aos clubes em si, obviamente, embora ambos soubessem da possibilidade de isto acontecer). Compreendo que quem estava pacificamente na bancada tenha outra avaliação porque só viveu parte do "acontecimento". Mas os outros conhecem a "big picture". E como então disse, é irrelevante quem atirou a primeira pedra, que não é nenhuma das que se viram na televisão, até porque quem conseguiu a "proeza" foi apenas por antecipação. Daí sempre ter defendido que não se deveria atribui o título a ninguém, com o natural, e injusto, prehuízo dos atletas.

Apenas acho curioso que o acordão mencione desacatos a 250 metros do campo mas que para a decisão apenas lhe interesse o que se passou já junto ao campo.

master kodro disse...

Guzman, o que é que achas curioso? Para efeitos do castigo de perda de pontos só interessa o que motivou a invasão de campo. E que neste caso, ao que tudo indica (do que está no acórdão), foi uma atitude premeditada.

papoila saltitante disse...

Se o acordão indica que a invasão de campo foi premeditada e essa invasão foi protagonizada pela claque e adeptos do Sporting, a bem da coerência que tanto te caracteriza, presumo que não estejas de acordo com esta decisão. Berdad?
A meu ver este imbróglio só poderia ter uma de duas soluções (sendo que a óbvia, acabar o jogo, acabou por não acontecer):
ou se decidia que não havia vencedor, sendo que a final não aconteceu; ou vencia o Benfica, que era quem mais pontos tinha. Decidir-se pela vitória do Sporting, alegando que foi do lado da claque (da claque, repito) do Benfica que saiu a 1ª pedra (como se tivesse sido a única), é no mínimo injusto.
É que a isto sim, é que se pode chamar ganhar um campeonato à pedrada e com menos pontos.
E se de facto a 1ª pedra saiu da claque do Benfica, podemos ainda explanar as razões porque isso aconteceu e qualquer argumento provocativo servirá, visto que a 1ª pedra atirada pela claque do Benfica ilibou as pedras do Sporting.
Sendo assim, quem e porquê deliberadamente atrasou 26 minutos a entrada em campo dos 30 elementos com bilhete para o jogo?
Entretanto o link que aqui tens está a dar erro

Valdemar disse...

Essa história dos pobres NN recebidos à pedrada está mal explicada.

Nas imagens, vê-se os NN, sem oposição no exterior, apenas as gentes sentadas nas bancadas. E vê-se as pessoas nas bancadas a arremessarem pedras à claque dos NN que está no exterior. Ora como não nascem pedras nem nos bancos de plástico, nem no relvado do estádio, é fácil e lógico de ver quem começou o arremesso do calhau.

Mas tudo isso é académico.

Não sinto felicidade por ter um claque, no meu país, que dá cabo de um jogo entre putos de 18 anos. Mesmo que com isso tenham dado o troféu ao clube que eu apoio.

Mantenho tudo o que disse no primeiro post.

Escumalha contra escumalha.

Diferença que a escumalha que trajava de vermelho, foi com um objectivo pouco inocente para Alcochete, e agora o clube paga com isso.

Seja como for, pouca satisfação há a tirar deste caso.

rui disse...

Por mim era fácil...desqualificavam-se as duas equipas desse campeonato e dava-se o titulo ao 3º classificado...e pronto acabava-se o barulho!!


Ruibonga

Pedro disse...

As pedras tb não devem nascer nas entradas VIP de Alvalade e mesmo assim foram vistas lá umas qts...

Tanta ingenuidade....

pitons na boca disse...

RuiBonga,

então um célebre Porto 0 - 1 Famalicão em que acabou com o publico das antigas Antas à cacetada, com murros ao repórter de campo e tábuas a voarem sobre a cabeça do repórter na bancada também deveria ter resultado na desclassificação da equipa azul e branca desse campeonato? ;)

Hugo disse...

Nesta triste história não há anjinhos portanto deviam era não atribuir o título e ponto final.

rui disse...

Sim.


ruibonga

master kodro disse...

Oh papoila, depois de escreveres isto "Se o acordão indica que a invasão de campo foi premeditada e essa invasão foi protagonizada pela claque e adeptos do Sporting" fico com sérias preocupações sobre a tua capacidade para interpretares textos. A sério.

papoila saltitante disse...

Não te preocupes comigo, eu tenho-te visto a fugir com o rabo à seringa tantas vezes, com maniqueísmos, muita prosápia e retórica de principiante e nunca fiquei preocupado contigo.
Mas adiante.
Num jogo organizado por uma equipa, há uma invasão de campo feita pelos espectadores, maioritariamente afectos a essa equipa e a culpa do sucedido é apontada à equipa visitante, cujos adeptos (deliberadamente atrasados na entrada para o estádio), nem estão dentro de estádio e chegam escoltados pela polícia.
Se alguém me conseguir explicar como é que a equipa visitante pode ser castigada?
Sem teorias da conspiração please - a suposta invasão planeada também pode ter sido concertada pela organização do Sporting e suas claques. Estava todos em amena cavaqueira no final e era da responsabilidade do Sporting a organização do jogo. E já agora, as imagens das câmaras?
A primeira pedra é que conta?
Vou comprar um camisola do teu Vitória, vou para o teu estádio e faço merda. Depois mandam-te a conta.

master kodro disse...

Papoila, tu não percebeste do acórdão a quem é que foi apontada a premeditação, nem percebeste que o acórdão especifica que a invasão de campo é o facto crucial para a decisão e que existe uma causa para que essa "invasão" tivesse ocorrido. E quem não percebe ou não quer perceber isto não quer conversar.

Se continuas a escrever "a primeira pedra é que conta?" é porque não percebeste nada de nada. Portanto esquece.

Quetzal Guzman disse...

MK, a curiosidade reside na questão causa-efeito só contar a partir de certa altura. Diz-se, com razão, que os adeptos (eu diria: os primeiros adeptos*) invadiram o relvado por causa das pedras que chegaram à bancada. Mas se é assumido que já tinha havido pedrada antes, quem garante que aquelas pedras não eram resposta a outras pedras? Agora sublinho, para não me porem palavras nos dedos, que não estou a dizer que foram uns ou outros a começar (repito: acho irrelevante para o caso). As imagens, aliás, mostram adeptos sportinguistas atrás da bancada (e GNRs a correrem de bastão em punho na sua direcção), o que dificulta ainda mais saber quem atirou a primeira pedra naquele momento (recordando que a pedrada já começara usn minutos antes, noutro local). Há até uma imagem de um rapaz, este na bancada, camisola às ricas com o dorsal 8, a arremessar não uma, nem duas, mas três pedras, sem que por uma única vez se tenha baixado para apanhar o que fosse. Para esse rapaz em particular não colhe o argumento da devolução da pedra que fora arremessada pelos maus.
Relativamente ao asterisco, falei em primeiros adeptos porque ao fim de 5 minutos já não estão no relvado. Só estão os que querem andar à pedrada, os que se recusam a abandonar o relvado. E isto leva-me a outra questão: se é verdade que a interrupção é motivada pela pedrada, a não continuação do jogo (há prazos temporais a cumprir antes de ser dada por finda a partida) prende-se com o quê em concreto? Sim, ficaram pedras no relvado, mas ninguém sabe se era possível retirá-las a tempo de ser reatada a partida ou não.
Os maus estão dos dois lados e, na minha opinião, a decisão para um dos lados fará sempre com um que uns ganhem à pedrada ou outros percam à pedrada. Ambos clubes perderam uma oportunidade histórica para se juntar e fazer pedagogia. Por mais que os adeptos digam que é um título irrelevante, ambas as direcções demonstraram querer ganhá-lo a qualquer custo.

master kodro disse...

Gosto sempre de ler as tuas explicações, guzman. Principalmente em todos os casos que envolvem violência e adeptos do Benfica.

Hipoteticamente, que é como pões a questão, preferindo a hipótese não confirmada aos factos descritos pelas entidades competentes em relatórios, poderiamos perguntar se a pedrada não terá começado um ano antes, em qualquer outro ponto do país, igualmente fora do recinto de jogo.

Quetzal Guzman disse...

Infelizmente os actos de violência com benfiquistas não se resumem aos dois episódios que referes. Mas aprecio o "todos" com que qualificas este caso e o do hóquei. Ainda bem que, na tua opinião, nada mais se passou que alguma vez tenha envolvido adeptos do Benfica.

papoila saltitante disse...

Eu percebo muito bem este acordão, a sério MK.
Não quer dizer é que concorde com ele e por isso o discuto enão me limito a aceitá-lo sem mais conversas, como pelos vistos tu queres.
"quem não tiver pecados que atire a primeira pedra", se isto te disser alguma coisa, talvez consigas perceber que, a justificação apresentada no acórdão não tem cabimento.
Depois dos acontecimentos de Heysel, todas as equipas britânicas ficaram proibidas de participar em competições europeias, isto é justiça salomónica.
Há duas claques à pedrada e apenas um clube é punido? não há aqui nada de justiça, muito menos salomónica.
Isto é conversar, ler o acórdão até um analfabeto funcional o pode fazer.

McBridden disse...

O que eu retiro da leitura do acórdão é que a invasão de campo protagonizada pelos adeptos do Sporting foi em legítima defesa para fugir das pedradas que vinham de fora, e que a maioria das pedras atiradas pelos adeptos do Sporting foi em resposta às outras.

E que um dos adeptos do Benfica terá dito alto e bom som, é que estavam ali "para abcabar com aquwela merda". E isso consta do relatório dos spotters, ou dos bombeiros, ou dos polícias, ou do limpa-chaminés, ou de quem quer que seja, e é o que faz prova para o conselho de justiça.
Aqui não há sumaríssimos com base na televisão, e o que aconteceu fora do recinto de jogo também não conta.

Se é justiça bem feita?
Para mim, que sou sportinguista, o título, ou não era atribuido, ou ia direito para o FC Porto, que era o terceiro.

Quetzal Guzman disse...

Hoje fui dar com um texto do José Manuel Meirim sobre o assunto. E pasme-se! Também ele encontrou no acordão uma passagem a referir o que tu apelidas como "a hipótese não confirmada". Aqui fica o que ele escreve a propósito do mesmo que suscitou a minha curiosidade.

"uma palavra sobre os factos dados como provados no CJ: quando os adeptos do Benfica passaram por trás de uma das bancadas onde estavam adeptos do Sporting voltaram a acontecer situações de insultos e os primeiros apedrejamentos simultâneos entre adeptos. Ora isto foi antes ou depois da fuga – legítima – para o relvado das pessoas que se encontravam na bancada? Se foi antes faz toda a diferença, pois o CJ entende que foram apedrejamentos simultâneos."

http://desporto.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1408956