domingo, janeiro 18, 2009

Taça da Liga

1. Benfica 1 x 0 Belenenses Jogo estranhíssimo na Luz. O Benfica marcou na primeira oportunidade de golo do jogo, aos 45 minutos (houve ameaças, todas de bola parada, antes), por Katsouranis. Parecia que ninguém estava muito preocupado em marcar. Depois Moretto deu um espectáculo circense. Cardozo continua a queimar oportunidades. O jogo acabou com Pacheco, campeão no Boavista, a dizer "Quem não chora não mama". Fala quem sabe.

2. Porto 1 x 0 Académica A primeira parte dos conimbricenses foi muito boa. Lito, Sougou e Miguel Pedro responderam, com velocidade, à fraca organização portista. Na segunda, a coisa virou totalmente para o outro lado, apesar do golo estúpido. Deu para ver Guarin a fazer alguma coisa de jeito, deu para Farias mostrar alguns truques que estavam ocultos (descaído na direita) e para Cissokho se estrear com segurança (o que já é um luxo naquela faixa defensiva). Hulk continua a fazer coisas fabulosas.

master kodro

4 comentários:

Pedro Santos disse...

Pois deu para ver o Farías a mostrar alguns truques, é verdade. O maior de todos foi aquele toquezinho que desequilibra o Luiz Nunes no lance do auto-golo. Se fosse do outro lado do campo, já se sabe como seria...

cj disse...

Essa tua tese também é aplicável no lance em que o Moretto carrega o avançado do Belenenses?


Só por questões de coerência...

Pedro Santos disse...

Coerência?!? Ainda bem que falas nisso! Por um toquezinho, que nem sei se existe, realmente, é anulado um golo ao Belenenses. Ao Farías não é marcada falta. Coerência?!? Ah, a de serem sempre os mesmos benficiados? Sim, essa continua a existir!

Littbarski disse...

Descubra as diferenças:

"A equipa de arbitragem chefiada por Carlos Xistra realizou um bom trabalho. Não houve lances polémicos e para isso contribuiu a boa colocação do árbitro. Também não houve nenhum cartão, ou seja, o jogo foi correcto. Dúvidas apenas num fora-de-jogo assinalado ao FC Porto."

"Mais um jogo, mais uma arbitragem desastrada com influência no resultado. Bruno Paixão não quis destoar e aos 90'+2' anulou (mal) um golo ao Belenenses por alegada falta de Carciano sobre Moretto. Mas antes já os seus auxiliares tinham dado nas vistas tirando um fora-de-jogo incompreensível a Suazo (o hondurenho ficava em posição privilegiada, e ainda tinha Aimar a seu lado...) e outro a Porta. Aos 47', Carciano deveria ter visto o segundo amarelo - embora o primeiro lhe tivesse sido mal mostrado - por mão na bola e, consequentemente, o vermelho. Aceita-se a decisão - não assinalou grande penalidade - aos 35', num lance entre Moretto e Marcelo na área do Benfica."

(O Jogo)