terça-feira, junho 11, 2013

Paulo Fonseca, Vítor Pereira e Iturbe

Uma grande época na Capital do Móvel não é garantia de sucesso no Porto. Mas a história diz-nos que foram apostas deste tipo, em treinadores portugueses jovens e ambiciosos (e com pouco currículo), que levaram o Porto à excelência. Estou, portanto, moderadamente optimista. Apesar de não ter gostado muito do discurso de apresentação de Paulo Fonseca.

Não sei o que terá convencido Vítor Pereira a assinar pelo Al-Ahli. Não sei se Jeddah lhe faz lembrar Espinho, se o Mar Vermelho é uma fonte inesgotável de inspiração ou se, simplesmente, o dinheiro é igual em todo o lado. De qualquer das formas, desejo-lhe boa sorte.

A vedeta do Twitter ou o suplente do Mora, como alguns portistas carinhosamente lhe chamam, voltou a ser titular e a estar em destaque, com um golo e uma assistência. Quatro milhões de euros a render na Argentina. Um luxo.

14 comentários:

rbn disse...

Sobre Paulo Fonseca, é normal um certo nervosismo quando se troca um volkswagen amarelo por uma lamborghini azul e branco topo de gama:-)

Para além do que Paulo Fonseca já deve ter visto e sonhado com aquela cena da apresentação do treinador ao lado do mito Pinto da Costa muitas vezes e agora, é ele quem está ali.

Por 3 milhões de euros/época, qualquer um de nós ia até para o Iraque treinar o 5º colocado.VP fez muito bem, saindo um pouco da órbita européia e indo buscar a reforma antecipada, afinal só tem 44 anos e muito o que andar pela frente.

Como portista, fico-lhe muito grato, ao contrário de muitos portistas encardidos de egos inchados como MST ou Rui Moreira, que bateram sem dó nem piedade no ceguinho durante duas épocas, e depois tiveram que engolir a seco um bicampeonato com apenas 1 derrota em 60 jogos:-)

Iturbe devia seguir o exemplo do compatriota Messi, que nunca se armou em primadona nem tem tiques de vedeta, mesmo sabendo que é o melhor do mundo.Se conseguir, será uma mais-valia.

jose reyes disse...

"portistas encardidos de egos inchados"... este arrazoado à benfiquista era escusado.
sou portista desde há 50 anos (quando era duro ser-se portista) e esta época só devo ter assistido a 3 ou 4 jogos completos do meu clube. porquê? porque ver a equipa do Vitó jogar para a posse de bola me dava uma soneira desalmada e acabava por adormecer durante as partidas. ora, eu gosto de ver futebol, chiça!
Iturbe é mais uma prova do desacerto do Vitó enquanto condutor de homens. alguém quererá fazer a conta aos jogadores do FCP (fucile, rolando, sapunaru, álvaro pereira, guarín, belluchi, etc...) que saíram do clube por birrinha do treinador?

Costa disse...

Também concordo que "o discurso de apresentação" diz tudo sobre a competência do treinador...

À falta de melhor, parece-me um bom argumento., para começar desde já a "bater no ceguinho".

littbarski disse...

Costa, lembras-te do «brasileiro de cabelo mal cortado»? Olha o jeito que ele fez ao «ceguinho»!

Costa disse...

Mas olha que nesse jogo (vê-se que também resumes o TRI ao golo aos 92') foi o 'ceguinho' que mandou o 'brasileiro de cabelo mal cortado' lá para dentro, em vez do Seba ou Atsu (se o tivesse convocado...)

Se fossem outros 'catedraticos', teria sido um golpe de gênio, mas como foi o VP, foi golpe de sorte.

Pontos de vista. É a eterna (e insoluvel) diferença entre o copo meio vazio e o copo meio cheio.

littbarski disse...

Não te esqueças, Costa, de que foi também o Vítor Pereira a provocar o empate do Estoril na Luz, com aquele mind game que ninguém conseguiu decifrar. Sem esse pequeno milagre, no qual só o treinador secretamente acreditava, de nada valia o golo do Kelvin. Sem o quinto amarelo do Izmailov, na Madeira, não havia milagre do Kelvin, porque o Kelvin não saía do banco (se fosse convocado). Portanto, não foi um, foram múltiplos golpes de génio. Até os 5 minutinhos que duram as pilhas do Liedson foram genialmente guardados para o momento que virou o campeonato.

Mas não te chateies mais por causa do Vítor Pereira. Ele está Ahli a ganhar mais num ano do que eu e (se calhar) tu na vida toda. Pode bem com as minhas críticas. Eu lembrei o Kelvin porque acho engraçado que alguém que se refere aos jogadores do Porto como tu te referes, se melindre tão facilmente com qualquer crítica ao treinador. Mesmo que seja uma pequena parte de um todo (como é o caso, neste post). E que fale em falta de argumentos, quando os seus próprios argumentos são coisas como o corte de cabelo de um jogador.

littbarski disse...

E, antes que vejas na referência aos milhões do Al-Ahli mais um ataque ao pobre do treinador, ela serve apenas para pôr as coisas em perspectiva. Para que percebas como são insignificantes as minhas críticas na vida do Vítor Pereira. As minhas, que não incomodo o treinador nem a família dele, na rua.

Costa disse...

Não vale a pena continuar a 'chover no molhado'.

Eu acho que o FCP foi tri-campeão (também) por causa do VP.

Tu achas que o FCP foi tri-campeão apesar do VP.

littbarski disse...

Não. Eu vejo (ou tento ver) a parte cheia e a parte vazia do copo. E é isto que algumas pessoas não entendem. Que é possível o treinador ter mérito e demérito, qualidades e defeitos. E que, por uma questão de coerência, se o treinador é parcialmente responsável pelos êxitos, também deve ser parcialmente responsabilizado pelos inêxitos.

Por exemplo: da mesma forma que Vítor Pereira não é totalmente responsável pelo mau desempenho europeu da época passada (porque, entre outras coisas, lhe levaram Falcao e não lhe deram um substituto à altura), também há uma parte que é mais demérito do Benfica do que mérito próprio, nos dois campeonatos conquistados.

O mesmo exemplo, dito de outra forma: apesar do demérito do Benfica, nas pontas finais dos dois últimos campeonatos, Vítor Pereira teve o mérito de ser mais consistente nos 60 jogos e de ser mais forte no confronto directo com Jesus. E, apesar de ter perdido Falcao e não ter recebido um substituto à altura, devia ter feito mais do que um ponto em dois jogos com o APOEL, o que lhe chegaria para não ser eliminado tão cedo da Liga dos Campeões da época passada.

Copo meio cheio e meio vazio.

Costa disse...

Essa do FCP ser campeão por 'demérito do benfica' é um mito e custa-me ver portistas a 'comer' esse argumento...

Diz-me lá qual foi o demérito do benfica este ano, que permitiu a conquista do tri.

littbarski disse...

Empatou em casa, com o Estoril, a 3 jornadas do fim, desperdiçando a preciosa vantagem que tinha, desde a jornada 23, que era depender apenas de si para ser campeão. Esta parte estava completamente fora do controlo de Vítor Pereira. Ele próprio o disse. Acho que não é difícil perceber isto.

Costa disse...

Esse empate do benfica em casa com o Estoril (5.º classificado), não me parece mais ridículo (logo sinal de demérito) que aquele que o FCP também teve umas jornadas antes, em casa também, com o Olhanense (14.º Classificado)

E não me lembro de nenhum jogo em que o benfica tenha perdido pontos e tenha falhado penaltis (demérito do jogador que os tenta marcar), como aconteceu com o FCP ante o Olhanense e Maritimo.

É claro que o VP não tinha controlo sobre o jogo do Estoril, mas tinha no da jornada seguinte no Dragão e foi o que se viu.


Quanto ao facto dos campeonatos só acabarem na última jornada...
Temos pena.

littbarski disse...

Exactamente. Chegamos, portanto, à conclusão de que o demérito do Benfica não é um mito, é uma realidade. E que, apesar da consistência demonstrada, no campeonato, houve momentos em que o Porto também falhou, como nesse jogo, com o Olhanense.

Hugo disse...

Entretanto o grande Iturbe continua a mostrar magia fora dos campos

“Infelizmente faltam-me apenas 2 jogos com o River e depois terei de voltar a Portugal. O FC Porto mudou de treinador e a informação que tenho é a de que o novo técnico conta comigo e, por isso, tenho de ir. Se dependesse de mim ficava.”