quinta-feira, setembro 01, 2011

Vitória, dependências, trocos e saídas

Cantinho do Vitória Semana demasiado rica de acontecimentos para meu gosto. Depois da derrota (leia-se desastre) com o Beira-Mar, a estreia de Rui Vitória ficou marcada por um episódio em que alguns animais resolveram entrar no treino da equipa para agredir jogadores. Identificação, polícia, justiça e, se possível, imediata interdição de presença no estádio ou aceitação como associados, num episódio que deve envergonhar toda a gente.

Dependências O último dia de contratações trouxe também - provavelmente porque acompanha Rui Vitória - o empréstimo de Urreta ao Vitória. A minha posição sobre estas coisas é clara. Sou pela proibição de empréstimos entre clubes que disputem o mesmo escalão. Sou contra a valorização de activos de outros clubes em detrimento de valores próprios (principalmente quando estamos a falar de jogadores jovens). Depois há outras questões que nem sempre têm o mesmo tratamento e ainda não consegui perceber porquê. Quem insultou a União de Leiria, o seu presidente e a seriedade da instituição não tem nada a dizer sobre o plantel deste ano?

Trocos Júlio Alves contratado pelo Atletico Madrid para ser emprestado ao Besiktas. Ruben Micael contratado pelo Atletico Madrid para ser emprestado ao Saragoça. Thibaut Courtois (meu guarda-redes no Tottenham no FM 2011, jogado a ritmo muito lento...) contratado pelo Chelsea para ser emprestado ao Atletico Madrid. Bebé emprestado pelo United ao Besiktas. Postiga e Roberto no Saragoça. Pizzi emprestado ao Atletico com opção de compra de 15 milhões. Todos os principais clubes portugueses entraram e beneficiam do esquema. Jorge Mendes é a segunda Olivedesportos para os gastadores e péssimos gestores da primeira liga portuguesa. A minha aposta: para o ano, o Atletico compra Roberto por 8,7 milhões. O dinheiro não pára.

Saídas Muito mais importante do que tudo isto é o que passou com Ricardo Carvalho. Não é uma absoluta surpresa, acrescente-se, nem demorou assim tanto.

ps - outra aposta: em Janeiro David Simão e/ou Nélson Oliveira estão em Guimarães, mas por boas razões, claro, ao contrário dos outros.

master kodro

26 comentários:

Hugo disse...

MK não foi uma absoluta surpresa a birra do R.Carvalho porquê?

low desert puke disse...

Tanto os campeonatos (e respectivas equipas) logo também o pùblico que paga, e ainda os jogadores tem a ganhar com os empréstimos.

Em toda a Europa isto se passa e em Itàlia até entre as equipas maiores hà empréstimos de jogadores, portanto gostaria que fundamentasses com objectividade porque é que és pela proibiçao dos empréstimos, kodro.

Mr. Shankly disse...

Estou de acordo com tudo. Mas não percebi duas coisas: 1) porque é que previas o que se passou com o Carvalho e 2) quais são as boas razões para o David Simão ou o Nelson Oliveira irem para o Vitória.

Sentinela um Estremecer disse...

Compreendo a posição sobre os emprestimos entre equipas da mesma liga. Em Portugal acontecem sempre coisas estranhas a muitos jogadores nessa situação, quando o jogo é contra a casa-mãe, seja porque se lesionam na vespera, seja porque tem de ser substituidos ao intervalo ou por acontecerem coisas menos habituais quando ficam em campo. Depois é claro que surgem as teorias sobre arranjos. Não havendo emprestimos entre equipas da mesma liga, estas teorias deixavam de fazer tanto sentido, e havia mais tempo para se falar de hipoteticos arranjos que envolvem empresas de construção.
Ricardo Carvalho parece-me um caso ainda muito mal explicado. Perde-se o melhor central da selecção. Paulo Bento, depois de um inicio que prometia, parece perder o fulgor. Pode ser que os resultados e exibições o mantenham na crista da onda.

low desert puke disse...

Estou mais do que de acordo, Sentinela. Mas bastaria inserir nas regras uma simples coisa: a proibiçao de um jogador emprestado jogar contra o seu clube. Independentemente de quem paga o salàrio. Jogador de equipa X emprestado à equipa Y, quando estas se encontram o jogador nao pode ser convocado.
E nem teria de ser um acordo entre os clubes, pois a chico-espertice em Portugal iria arranjar maneira de serpentear entre as coisas (que é o que se vive actualmente), bastaria que fosse a Liga a incluir esta regra nos regulamentos das competiçoes profissionais.
Acabava-se a tosse ou o reumàtico ou a diarreia a jogadores e treinadores antes ou durante certos jogos.

é mais um exemplo da corrosao ética e moral que a religiao trouxe ao futebol nas ultimas décadas. Pois no resto da europa os jogadores emprestados nao poucas vezes fazem grandes exibiçoes contra a casa-mae de forma a mostrarem-se e a dizerem que podem e devem fazer parte do plantel principal em vez de serem emprestados. Obviamente que jà assistimos à substituiçao de jogadores emprestados durante jogos sò porque estavam a ser os melhores em campo, mas de certeza que foi apenas porque o quarto àrbitro se enganou nas placas a exibir.

G. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AG disse...

http://emjogo.blogs.sapo.pt/223886.html

Algo muito parecido ao que o MK defende!

zorg disse...

Concordo com o MK, acho que empréstimos de jogadores a clubes da mesma divisão não deveriam ser permitidos.

Julgo que proibir os jogadores de jogarem contra os clubes de origem, não só não resolve o problema, como pode até agravá-lo. Se um clube pequeno, por exemplo o Olhanense, jogar regularmente com 5 ou 6 jogadores no 11 inicial emprestados por um grande, por exemplo o Porto, não é dificil perceber que a verdade desportiva se encontra comprometida quando ambos os clubes jogarem e o Olhanense tiver de usar 5 ou 6 júniores no lugar dos habituais titulares, por estes estarem impdedidos de jogar pelo regulamento.

low desert puke disse...

Zorg, e nao viste jà também outro tipo de atentados à verdade desportiva COM os jogadores emprestados em campo no jogo contra a casa-mae?

Por mim, estendo um pouco a minha premissa. A Liga também aì poderia regular a coisa igualmente para todos.
Por exemplo: Um clube nao pode ter mais do que dois jogadores emprestados pelo mesmo clube. Ou entao tres, sendo que um tenha idade inferior a 21 anos.

Nao seria dificil a quem de direito regular isto e tantas outras coisas virulentas no futebol portugues. Mas a chico-espertice começa logo, precisamente, em quem de direito.

Nuno disse...

Em relação aos jogadores emprestados,a regra de não poderem jogar contra o clube que empresta já foi utilizada e abolida se não me engano.Os clubes que recebiam os jogadores emprestados na altura critiram essa opção.
Por mim não deveriam haver jogadores emprestados a clubes que competissem na mesma liga.
Com essa medida não haveria comentários contra a verdade desportiva.

No blogue "o jogo" resume bem estas jogadas das transferências,recomendo a lerem esse post.


Saudações

low desert puke disse...

Seria incomportàvel, nuno.

Estàs a esquecer-te que nem todos os jogadores "emprestàveis" sao jovens, estrangeiros ou nao, que precisem de rodar. Outros hà (principalmente estrangeiros), jà valores assegurados, que em plantéis extensos sao obrigados a sair para poderem jogar.

Ora, um clube que quer saber se esse jogador pode render num campeonato com as caracteristicas do portugues, irà emprestà-lo ao Osasuna, ao Desportivo de Beja ou ao Queens Park Rangers? Nao. Porque aì as realidades sao diferentes. Poderia até resultar, mas é pouco convincente. A nao ser que o jogador em questao tenha vindo para o clube por outras razoes que nao a desportiva. Mas isso sao outras històrias.

Faço um exemplo: nao estou nada de acordo com o empréstimo de Urreta. Para mim seria titular em muitos jogos do Benfica e noutros estaria no banco à espera da oportunidade certa para ajudar a vencer jogos. A ter que ser emprestado porque està tapado no plantel (e também aqui nao estou de acordo com JJ), prefiro mil vezes ve-lo em Guimaraes do que no Servette (como o Roderick) ou no Alicante.

Quanto a regras que a Liga devia impor, como as que mencionei, nao vejo problema nenhum quanto à verdade desportiva ou falta dela. Seriam os regulamentos, logo cada clube sò teria de cumprir isso. A minha ideia parece-me equilibrada e daria iguais oportunidades tanto aos clubes pequenos - receptores dos tais empréstimos-, como aos Grandes - os emissores.

Verdadeiramente estupida parece-me uma das regras da premier league no que concerne à permissao de jogar em Inglaterra.
Jogadores que venham de fora da Europa precisam de ter jogado pelo menos 2/3 dos jogos da sua equipa de origem nos dois anos precedentes, e gajos que venham de paìses cuja selecçao nao seja uma das 70 melhores do mundo é melhor nem pensarem nisso. Portanto se um puto mexicano, um diamante em bruto se lesionar por 4 ou 5 meses e depois voltar a jogar no seu clube està lixado.
Ora, isto corta a pernas a muito jogador e a muito clube que saiba que existe jogador X jovem (ou nao) e com muito potencial (desportivo e econòmico), mas como vem do Burkina Fasso o melhor é nem pensar nisso.
Como diriam os pròprios...It's plain stupid.

Riga/V-1-Boy disse...

puke

até concordo ctg, mas isso em inglaterra é facilmente contornavel, senao repara: como é que o anderson entrou lá? ele na epoca anterior jogou metade da epoca no porto, mas quando o jogador vai á tal comissao de avaliaçao e se for um jovem o clube que o compra pode dizer que é o tal diamante em bruto uma mais valia e se for jovem e tiver provas dadas mesmo nas selecçoes jovens consegue entrar.

se for um puto do burkina faso que nunca ninguem ouviu falar provavelmente nao consegue a autorizaçao, outras vezes os jogadores sao contratados, sao postos a rodar8 e jogar noutro campeonato europeu e na epoca seguinte o mesmo clube volta a tentar se quiser e muitas vezes consegue

low desert puke disse...

Sim, com o Anderson foi assim. Mas lembro-me que houve complicaçoes no inicio da venda ao Man U porque ele era muito jovem. Sò que o Manchester fez-se valer de um outro argumento forte - e este sim, quase impossivel de cumprir pela maioria dos clubes - alegar que é um diamante em bruto tudo muito bem, mas o peso da decisao prende-se com a quantia em causa. O Manchester sò podia ter razao na potencialidade do jogador porque queria pagar 30 milhoes ao porto. "Oh meus amigos, nòs vamos dar 30 milhoes por este gajo e ainda tem duvidas que seja um jovem de potencial?!?" Tudo muito bem.

Mas quantos clubes podem acenar com a bandeira dos 30 milhoes (ou 20 ou somente 10), para justificar a importancia e aposta num jovem de 18 anos? O Chelsea talvez e o City. Nem o Liverpool neste momento o pode fazer.

Aqui, como se pode constatar, nao hà equilibrio na defesa dos interesses de todos os clubes da premier. Sò dos clubes ricos.

zorg disse...

#low desert puke

Eu não estou a dizer que a situação actual é perfeita, ou que os jogadores emprestados é a única causa dos problemas do futebol. Agora, não vejo qualquer vantagem em limitar o número de jogadores emprestados permitidos, por oposição a pura e simplesmente proibir os empréstimos de jogadores a equipas do mesmo escalão.

O que se desseja, julgo eu, é que os clubes tenham um plantel e que os empréstimos sejam utilizados essencialmente para dar experiência aos jovens.

Jogadores maduros que não têm lugar no plantel, devem ser vendidos, ou não devem ser adquiridos. Qual é o sentido de adquirir um jogador feito, para depois andar a emprestá-lo sucessivamente, até o contrato acabar? A única explicação que eu consigo conceber é a de que anda gente a lucrar com estas movimentações e isso não é saudável para os clubes, nem para o futebol em geral.

Filipe disse...

Os empréstimos permitem que clubes sem adeptos, com pouco mais de mil pessoas por jogo, se tanto, tenham equipas capazes de ombrear com clubes que juntam em torno de 10 mil adeptos e enchem estádios. Isso é mau para o futebol.

O Belenenses na liga orangina conseguiu ter mais espectadores que quase metade dos jogos da primeira liga disputados até agora.

Os clubes «menores» do futebol português não defendem os seus interesses na liga. Defendem os interesses de quem lhes empresta umas migalhas. E não adianta tentar ser diferente, pois parte-se em desvantagem. O empréstimo de um «grande» pode ser a diferença entre a descida ou a ida à europa.

Mesmo na liga de honra devia limitar-se o número de clubes a quem se empresta (e apenas sub-21 ou algo do género), por forma a não se espalhar demasiado a influência de um clube na liga professional.

Os estarolas são apenas 3, num universo de mais de 30 clubes, logo os outros não são propriamente vítimas. Os dirigentes preferem a via mais fácil e portuguesa do favor e da cunha.

Eu preferia uma liga em que os clubes não devessem favores e pagassem em apoio político a dois ou três clubes.

Bruno Pinto disse...

Capdevila fora da Champions. O Jesus também deve achar que o gajo não é nada de especial.

low desert puke disse...

zorg e filipe, entao estamos de acordo.

Como disse, se os regulamentos obrigassem ao empréstimo de no màximo tres jogadores por equipa, um deles sendo sub-21, acabar-se-ia com situaçoes em que clube X tem 5 ou 6 emprestados do clube Y, e obviamente poderà cair na tentaçao de facilitar quando se encontram. Acabariam as contrataçoes a rodos porque os clubes maiores jà saberiam que iriam ter plantèis de 40 gajos, etc...

A mim nao me parece descabido.

Riga/V-1-Boy disse...

puke

criem as equipas b e deixem-nas tal como em espanha ir até á 2º divisao,mesmo que nao possam subir, nem participar nas taças, e lá está alargarem a liga orangina a 18 ou 20 clubes, mesmo que tivessem de ser separados por 2 zonas, tornavam esta liga ainda mais competitiva e os grandes e não só tinham onde colocar estes jogadores que emprestam.

é que neste momento para emprestares jogadores tens 4 hipoteses.

1- mandas para o estrangeiro, como sporting fez com o brugge, benfica com o granada( as equipas b tambem podiam servir nem que fosse temporariamente para aqueles jogadores que nao fazem parte do plantel principal, assim nao perdiam forma, iam jogando e tinham a vantagem de estarem sempre ali á mao em ultimo recurso, como faz o barça)

2- mandas para a segunda divisao b onde é competitivo, mas o ritomo nao tem nada a ver com as outras divisoes

3 mandas para a orangina e acontece algo que facilmente se recolvia com as equipas b

4, vais os dividindo pelas equipas da primeira divisao, e depois nem todos jogam, nem todos têm ritomo de jogo e é um ano perdido, em especial para aqueles jogadores que saiem dos juniores

low desert puke disse...

Riga,

As equipas B existiram durante umas poucas épocas. Mas um clube a uma certa altura começou a fazer pressao e a convencer a maioria dos outros clubes para que se desistisse da ideia.

Era pouco rentàvel ter uma equipa B e nao poder emprestar dezenas de jogadores aos clubes certos de modo a obter pontuaçoes de um certo nìvel, no final de cada campeonato.

Consegues adivinhar qual é?

zorg disse...

#low desert puke

Se reduzisses os empréstimos a um máximo de 3 atletas (por clube receptor ou emissor do empréstimo?), limitarias o problema, mas não o eliminarias. Porque é que o Benfica há de poder jogar contra uma equipa do Feirense com 3 titulares a menos, enquanto o Sporting, ou até o Paços de Ferreira, têm de defrontar a mesma equipa na máxima força?

No fundo, para quê complicar, quando a solução é relativamente simples? Qual a mais valia para o futebol que é criada com os empréstimos? Eu vejo uma: rodar jogadores jovens! Isso pode ser feito em equipas da segunda liga.

Até para as finanças dos clubes, a limitação dos empréstimos será benéfica, porque criará um obstáculo adicional às contratações, seguidas de empréstimo, que servem interesses que não os do clube.

Fredy disse...

o low é cada teoria, cada uma mais estupida e sempre a tentar "incriminar" o FCP indirectamente. Coitado, nem deve dormir!

low desert puke disse...

Fredy, se fosses um gajo minimamente informado e com vergonha na cara ficavas é caladinho.

Ah pois disse...

O Pinto da Costa não deve nada ao Sauron, segundo o low... Patético. Nem dorme a congeminar teorias de conspiração.

Fredy disse...

se o low lê-se o que escreve, fizesse uma introspecção e aplica-se a ele é que era! talvez não passasse por frustrado e principalmente por um enorme hipócrita lol

low desert puke disse...

E quem melhor do que tu para debateres hipocrisia...

Fredy disse...

mostra-me só um exemplo de hipocrisia minha lol