quinta-feira, setembro 09, 2010

Queiroz (último take)

Nas próximas horas, Queiroz deverá deixar de ser seleccionador nacional. Observando o campo minado que sempre pisou, só me surpreende que tenha resistido tanto tempo. Na verdade, Queiroz enfrentou permanentemente um lóbi que sempre se empenhou em precipitar a sua queda. Este grupelho - que integra ex-dirigentes ansiosos por regressar à ribalta, jornalistas que exigem beneficiar de "relações privilegiadas" com os agentes do futebol (algo que Queiroz nunca lhes deu) e treinadores medíocres rancorosos - organizou-se há muito com o único propósito de queimar o seleccionador em lume brando.

O que fez o grupelho? Lançou uma nebulosa sobre o próprio valor da selecção nacional, descrevendo-a como extraordinária, fazendo esquecer que ela já entrara em declínio desde 2006 (nos resultados e na qualidade de jogo) e desvalorizando a perda de referências máximas (Figo, Rui Costa, Pauleta). Simultaneamente, menorizou os obstáculos ("grupo fraquíssimo", com Dinamarca, Suécia e Hungria) e, neste quadro, exigiu o céu a Queiroz, embora o grupelho soubesse da insensatez de tal exigência.

Ao surgimento do primeiro mau resultado, culpou-se de imediato o seleccionador. A excelente exibição (contra a Dinamarca, em casa) pouco importou. Seguiu-se uma campanha quase diária nos jornais, antecipando uma eliminação que nunca chegou a ser provável, quanto mais inevitável. "Adeus África" tornou-se um mote e uma esperança (e uma capa de jornal, já agora). Na ausência de tal insucesso, falou-se em "milagre", nunca em mérito de Queiroz.

No Mundial, prolongou-se a cena. Grupo de novo facílimo, exigência de vitórias (gordas) e um título mundial. Ao mesmo tempo, prenunciou-se a desgraça, a humilhação, a vergonha (pois se tínhamos Queiroz...). Adiado o apedrejamento (com dois empates e um 7-0), pediu-se de novo o céu contra o campeão europeu (e futuro campeão mundial). A derrota, por 1-0 num golo fora-de-jogo, precipitou uma há muito orquestrada crucificação do técnico, sempre cobarde, sempre incompetente.

A machadada final surgiu na forma do mais kafkiano processo do futebol português, repleto de buracos e hipocrisia. Odiado por ser um "intelectual" e "falar bem demais", Queiroz acaba queimado na fogueira por ser um bruto e um mal-criado. A incoerência faz sentido: afinal de contas, Queiroz tornou-se no bode expiatório de todos os males nacionais, das bolas no poste aos frangos de Eduardo, das trapalhadas do Governo ao excesso de estrangeiros na liga portuguesa. Se Portugal ganhasse ao Chipre e à Noruega, seria "apesar de Queiroz". Perdendo, seria "por culpa de Queiroz". Ganhando, era dispensável. Perdendo, é responsável. Xeque-mate.

katanec

32 comentários:

Hugo disse...

Belo texto

Antão Bordoada disse...

Katanec:
Saltando a pés juntos os termos (duração e cláusula de indemnização) do contrato com o seleccionador, responsabilidade de Madaíl, termos como processo kafkiano, cabala de avençados despeitados, render da guarda treinadeira por outra ainda mais medíocre, ainda vão que não vão - se bem que eu ache que dada a pesporrência do fulano, associada à mediocridade do seu desempenho e à sua subserviência aos andrades (vidé a sua colaboração na desvalorização de Moutinho, que veio a calhar para o matraquilho se ir embora precisamente para ali, sendo agora novamente convocado).
Agora: Queiroz fala "bem demais"? Só se for na Matola.

Antão Bordoada disse...

Errata: (... novamente convocado), a porta da rua deveria ser inelutavelmente a serventia da casa.
Treinador medíocre, que falhou em RIGOROSAMENTE todos os sítios por onde passou como responsável dos séniores e primou sempre por enjeitar responsabilidades.
Acho que vou desta para melhor sem ver aplicado à selecção o princípio que vigora nos países civilizados e vencedores: é para os melhores, não para os membros de uma determinada coudelaria.

Mr. Shankly disse...

Embora não goste do Queiroz e tenha ficado desiludido com o Mundial (não com o resultado, que considero normal), concordo com quase tudo o que escreves. Inqualificável o que se tem feito ao homem. Ao pé disto, mandar alguém para a cona da mãe são peanuts. Com tudo o que de grave se passa no futebol português, crucificar o queiroz por...deixa cá ver, basicamente por nada chega a ser obsceno. Mas quem desculpa o branqueamento do resto merece isto (não estou a falar do CQ).

Escárnio disse...

Gostei.

TSA disse...

O que é notável é que um lóbi de gente tão patusca tenha tido tão sucesso. Ex-dirigentes, jornalistas furões e treinadores-agricultores na reforma: um tridente de arromba. O que me deixa um pouco confuso é dizeres que eles são autores de uma mancomunação bestial; mas, ao mesmo tempo, que são cobardes e incompetentes. Em que ficamos?
Acho que está na altura de te deixares de processos de intenções e de abrires os olhos. O processo de afastamento de Carlos Queirós é uma colecção de tropelias e indigno de pessoas sérias? De acordo. Carlos Queirós fez um trabalho irrepreensível como seleccionador e só uma "crucificação cobarde e incompetente" justifica o seu afastamento? Acorda...

NPR disse...

Bem, o bloguista nao tem dever nenhum de imparcialidade.

Pode distorcer argumentos, colocar informação criteriosamente seleccionada, ignorar factos e por aí fora. É o que tem feito.

Mas espero que não pense, que todos engolem esta manipulação de informação.

Entre vários erros, aponto apenas um. Podem-se divertir a apontar os outros

Então quando diz:

"Seguiu-se uma campanha quase diária nos jornais, antecipando uma eliminação que nunca chegou a ser provável,"

Recordo que tivemos toda a fase de qualificação agarrados á calculadora, a fazer continhas para conseguir chegar ao 2º lugar.

Inclusivé, estivemos pertissimo de ficar de fora, totalmente dependentes de resultados alheiios. Bastava á Suecia ter ganho na Dinamarca, resultado que esteve perto de acontecer.

Este é um apenas um dos factos. Muios mais poderia apontar.

Mas a cegueira é demasiada.....

Leão de Alvalade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leão de Alvalade disse...

Katanec:
Todos sabemos que no futebol a menor distância entre dois pontos não é uma linha recta, podendo muitas vezes ser até uma cornucópia. Mas, independentemente do prisma que se olha para os problemas que apoquentam a Selecção Nacional, há uma que questão nem os mais acérrimos defensores de Queirós não podem ignorar: ao fim de dois anos de presença aos comandos, com ou sem piloto automático, o avião não só não descolou, como jaz nos hangares com problemas da fuselagem aos motores.

Quem viu jogar as selecções nacionais, sub-21 incluídos, viu precisamente os mesmos problemas: ausência de um modelo de jogo, anarquia, um imenso buraco negro onde se afunda qualquer talento. E, ao contrário do que dizem, ninguém assassinou o seleccionador. Foi ele que se iniciou o seu próprio suicídio, da estalada no aeroporto, no apuramento anémico, falta de serenidade – foi a primeira vez que vi um seleccionador a atirar um casaco ao chão – na convocatória, no estágio, na competição dentro e fora do campo. O que é facto é que este seleccionador morreu, e, se ninguém o enterrar, vai continuar a cheirar mal.

Isto digo eu que não me vejo incluído em nenhum dos grupos de opinião mencionados. A selecção nacional precisa de muito melhor do que Queirós ou Scolari ou até Oliveira. E, tendo em conta a pantanosa realidade do futebol português, espelhada na desorganização federativa, a figura do seleccionador é, para o futebol português, tão importante como os 3 Grandes.

Vimaranes disse...

Excelente.
Subscrevo por inteiro.

José Leal disse...

é de grande ingenuidade não perceber que o queiroz usou das mesmas ferramentas para chegar à selecção, com o contrato que recebeu etc.

basta lembrar as suas palavras quando ainda tinhamos outro seleccionador, basta lembrar as «promessas», basta lembrar as desculpas dos seus lobbistas aquando dos seus primeiros desaires.

é mesmo assim a vida, quem com ferro mata, com ferros morre. foi o que se passou com queiroz, só que os outros ganham-lhe em experiencia e inteligencia neste jogo.

aliás como é regra com queiroz no futebol.

pitons na boca disse...

Assino por baixo do comentário do Leão de Alvalade.

J. disse...

Excelente, excelente texto!!!

Não concordo com o Leão de Alvalade, apesar de partilharmos as mesmas cores clubisticas.

Comparando com os dois ultimos treinadores que nos levaram ao Mundial, o comportamente de Queiróz não é nada de outro mundo e está claro que não é isso que faz com que o queiram despedir agora.

jose disse...

Nao sendo apologista do Queirosz, acha uma tremenda filha da putice a situacao actual.

Queiros ira cair, e inevitaval, mas tambem deveria cair a direcao da FPF, porque nao tem nem seriedade nem legitimidade para la continuar

MK, ja agora, o que achas da entrevista do CR7 a fazer loas ao P Bento? Foi ele ou o J Mendes que encomendou?

master kodro disse...

Caro José, acabei de ler o que aconteceu na entrevista. Está nas capas todas com a pompa que se lhe quis dar. E foi isto que aconteceu, num quadro de sucessão a Queiroz:

"Confrontado com o nome de Paulo Bento, que ainda chegou a ser seu companheiro em Alvalade, o craque do Real deixou escapar: "Porque não? Tenho boas relações com toda a gente.""

Achas que é preciso dizer mais alguma coisa sobre a forma como os media apresentam a "verdade"?

master kodro disse...

Outra versão:

"«Se acho que Paulo Bento tem perfil para comandar a Selecção Nacional? Porque não haverá de ter? Por ainda ser um técnico jovem? Sinceramente, não vejo porque não. É uma pessoa séria, tenho uma boa relação com ele, como aliás com quase toda a gente. Fala-se de muitos nomes, de muita gente e, como já referi, não queria estar a comentar rumores. Quando houver certezas darei uma opinião mais concreta»"

De uma destas realidades, todos os jornais escrevem ou insinuam (conforme os casos) que Ronaldo apoia Paulo Bento na selecção. É o habitual.

master kodro disse...

Olha, depois da versão do Record e da Bola, tens a do Jogo, com a vantagem do discurso directo:

"Jogo - Paulo Bento é um homem muito jovem. Acha que tem capacidade para aguentar o barco num momento tão delicado?

CR - Porque não? Não vejo porque não. É um nome, como outro qualquer."

Extraordinário, não é?

jamsilva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joao disse...

Extraordinário, extraordinário é como ainda alguém consegue defender um ordinário destes.

jamsilva disse...

Quando se entra numa estrutura e parte de esta já está a partida contra nós, só existe uma forma de convencer: superando inquestionavelmente as expectativas.
O problema do Queirós foi que ... apenas cumpriu as expectativas.

O resto são as guerrilhas politicas e os jogos por trás da cortina normais e correntes na nossa sociedade.

Da mesma forma que nao há um argumento indiscutível para o manter tb nao o há para o mandar embora.

SamM disse...

"Este grupelho - que integra ex-dirigentes ansiosos por regressar à ribalta, jornalistas que exigem beneficiar de "relações privilegiadas" com os agentes do futebol (algo que Queiroz nunca lhes deu) e treinadores medíocres rancorosos -"

O texto é todo ele muito vem articulado e daria para rebater muitos dos pontos, mas permitam me perguntar se alguns do treinadores medíocres não têm mais provas dadas a nível sénior que o CQ...

Em relação às "relações privilegiadas com os agentes do futebol (algo que Queiroz nunca lhes deu)", pudera sempre que haviam artigos sobre as prestações da Selecção era ver CQ empertigar-se nas redações dos jornais e ameaçar os Jornalistas, casos de Luís Sobral e também do ataque a Jorge Baptista em pleno aeroporto...

Quanto aao plano desportivo, haveria muito para dizer, desde as seleções jovens até aos seniores, mas já agora pergunto onde está o trbalho de fundo com a formação, para o qual Queiróz foi contratado?

Pego no exemplo do Bébé, contratado 3 semanas antes da convocatória dos sub-21 pelo Man U... Então que prospecção é feita pela equipa do Sr. Selecionador, que ignorou este talento durante mais de um ano, e passado 3 semanas a treinar(digo treinar apenas e só), já é tityilar da selecção SUB 21 deixando para trás todos os outros jogadores utilizados. Como é que isto é possível?

rui disse...

katanec,

responde à pergunta com a sinceridade que quiseres.

Se o Benfica precisasse de um treinador e Queiroz fosse levantado como hipótese. Gostavas?

E a mesma pergunta vale para 90% dos portistas que defendem este gajo só porque não iam à bola com o outro...

Zé Luís disse...

Nunca concordei tanto e em toda a extensão contigo, katanec.

Apesar de tudo, existem tipos como o NRP, se não troquei as iniciais, tão idiotas como o "povo" que julga saber e pensar opinar.

Aliás, este último SamM é precisamente o corolário da grunhice e ignorância junto com o destempero de atiçar factos novos e inusitados para justificar uma "sentença".

Paz às suas almas.

Estes tolinhos alegres festejarão muitas alegrias nos próxmimos 20 ou 30 anos, quiçá mais: quem alarvemente nunca olhou para os problemas da formação esquecida e desvalorizada pelo porco Scolari é o exemplo de moralidade para perguntar, idiota e contente à mesma, onde pára a formação.

Logo num ano em que, desde há muitos anos, simultaneamente, sub-17 e sub-19 disputaram os Europeus da sua categoria, e os últimos vão ao Mundial sub-20 em 2011 na Colômbia, é que alguém, como o expert tudólogo prof. dr. catedrático e bláblámatico Marcelo (sem dois l) pronuncia pelo fracasso dos sub-21, em queda há muito tempo, num grupo com a fortíssima Inglaterra que tem aproveitado a sua formação como nunca, mais a surpresa Grécia, que Queiroz deve sair.

Ortega y Gasset tinha avisado há 90 anos: não discutam com ignorantes, serão piores do que eles.

José Leal disse...

deixem lá o ortega e gasset em paz.

tem os dizeres populares mais antigos e mais carregados de sabedoria para citar.

SamM disse...

Zé Luis: não sei a mandado de quem é que escreves aqui, o que sei é que não preciso de insultar as pessoas para dar a minha opinião...

NPR disse...



"Apesar de tudo, existem tipos como o NRP, se não troquei as iniciais, tão idiotas como o "povo" que julga saber e pensar opinar.

Aliás, este último SamM é precisamente o corolário da grunhice e ignorância junto com o destempero de atiçar factos novos e inusitados para justificar uma "sentença".



Nem vale a pena dar troco a quem fundamenta a sua argumentação nos insultos baratos.
A seguir deve-me estar a mandar para o sitio preciso de onde nasci, tal qual o seu super-heroi.

rui disse...

queria ver quem é que este zé luis citava se o pintinho lhe trouxesse o queiroz lá para o porto. Talvez fosse este:

e se fosses para a C%&# da tua mãe!", "Queiroz in Controlo anti-doping

isto é tudo muito bonito, porque a selecção é de todos e não é de ninguém. se fosse com os clubes, eu queria ver quem é defendi o coitadinho do queiroz...

Pedro disse...

Xau Queiroz...já vai tarde... coitado do próximo que vier que recebe uma bela herança...

Pedro Almeida disse...

Katanec e Kodro, expliquem-se só uma coisa se forem capaz:
Se o CQ é assim tão bom treinador, porque nunca ganhou nada de relevante na sua carreira pós 1991?
Ele já treinou o Sporting do Figo e Balakov (a melhor equipa do Sporting desde que vejo futebol).
Ele já treinou o Real Madrid.
Porque foi despedido dos dois clubes?
Porque foi despedido de todas as selecções que já treinou?

E muito sinceramente...como alguém já aqui o referiu, vocês queriam o CQ como treinador dos vossos clubes???

E ainda digo mais, mas que clube no mundo neste momento vai oferecer um contrato de treinador principal ao CQ???

Bada Bing disse...

o zé luís que fala dos outros com esta soberba é aquele que um dia protestou, irado, contra a "ileteracia" (sic) dos portugueses? acho que é, sim.

Mr. Shankly disse...

Um gajo que cita Ortega y Gasset num blogue de futebol é sempre de desconfiar. Aliás, citar Ortega y Gasset é sempre de desconfiar. Quem o lê raramente o cita. A não ser que não tenha entendido nada.

Zé Luís disse...

shankly, não leste decerto e não lês quem o cita.

Aliás, o argumentário aduzido por outros é do género: CQ foi despedido do RM porquê? Simples, como muitos outros que não ganharam, mas até o del Bosque foi despedido sendo campeão e mesmo bicampeão europeu.

Quando as pessoas trocam os factos e os atiram à sorte, por mera ignorância antes de estupidez natural, é porque não pensam o que dizem e dizem o que não pensam. Um neurónio não dá para tudo.

É por isso que, raramente ou com excepções como esta, respondo a comentários directamente. Posso referi-los de passagem, como quis, mas estar a esclarecer cavalgaduras não é do meu estilo, seguindo aliás Ortega y Gasset.