quarta-feira, julho 07, 2010

Alemanha 0 x 1 Espanha

A Espanha tratou mesmo da saúde à Alemanha. A Alemanha, que marcou quatro a Inglaterra e Argentina, fez cinco remates. A Alemanha passou boa parte do jogo enfiada na área e redondezas (porque ninguém tem pernas para correr atrás do tiki-taka, excepto alguns sul-americanos que depois não sabem o que fazer à bola). Ainda bem para a Alemanha que os caprichos do sorteio não a fizeram defrontar Espanha nos oitavos-de-final.

ps - O onze do mundial mantém-se, embora talvez seja injusto para Xavi. Mas também o é para muitos outros.

master kodro

24 comentários:

Pedro Almeida disse...

Qualquer equipa desde que seja eliminada pelo futuro campeão é sempre uma grande equipa e joga bués, porque só foi eliminada pelo campeão, senão era ela que ganhava e tudo.
Que grande lógica :-)

Queiróz Forever!!!
Mais 2 anos de péssimo futebol e de afastamento dos portugueses à selecção.

master kodro disse...

Pedro Almeida, essa lógica só pode ser tua, não a atribuas a quem não a defendeu.

A lógica que está neste post é clara: sorte a da Alemanha que não teve que defrontar Espanha nos oitavos-de-final, pois, muito provavelmente, como vimos ontem, teria sido eliminada. E ficaria com um saldo de duas derrotas e duas vitórias, uma delas uma goleada frente a um adversário frágil.

O resto é conversa da treta. Tua.

Mr. Shankly disse...

Injusto para o Xavi é o maior understatement que já vi. Para mim talvez seja ele o MVP. Ou o Sneijder, ou o Villa.

Petinga disse...

De facto deu para perceber duas coisitas:

- A Alemanha é uma equipa banal sem Müller
- A Argentina e a Inglaterra sao de facto equipas muito desorganizadas. Conseguiram a proeza de encaixar 4 golos de uma equipa que, contra a Espanha, fez 5 remates em 90 minutos...

master kodro disse...

Shankly, fiz o exercício a pensar em todo o mundial. Pelo Sneijder, não trocaria, por tudo o que representou para a Holanda. Pelo Ozil, talvez. O problema aqui - e pensei nisso - é que se destacam individualidades e tenho algumas dificuldades em isolar o Xavi do tiki-taka. Se calhar, mais depressa mudava o treinador para... Guardiola.

Petinga, tenho muitas dúvidas que o Muller fizesse a diferença, ontem.

Yazalde disse...

De facto o melhor mesmo é jogar para os penaltis e se está 0-1 nada melhor que jogar e fazer as substituições para manter o resultado.
Pena foi a Holanda ganhar ao Brasil e mostrar que que não era só a Espanha que os podia derrotar.
Mesmo ontem depois do golo ainda vi a outra equipa a jogar para ganhar, a arriscar a subir no terreno e a ter posse de bola.
Os tais sul americanos, veja-se a ousadia de jogarem sem medo e de jogarem para ganhar e quiçá se não fosse o árbitro anular um golo que foi legal o resultado seria outro.
É bom lembrar que as duas selecções ontem sempre que sofreram primeiro um golo perderam o jogo.
Por mim, só tenho pena que o melhor treinador adjunto e director desportivo do mundo não seja recompensado e não vá treinar o benfica já esta época.

Francis disse...

que grande jogatana dos espanhóis...os alemães nem sabiam para que lado se virar...

Petinga disse...

MK

Ninguem diz que o Mueller fizesse a diferenca. Agora, que com ele a Alemanha tem outro tipo de solucoes em posse (e sobretudo para manter a dita posse) e um facto. Foi confrangedor ver a Alemanha completamente incapaz de sair a jogar depois de cada uma das sessoes de posse de bola dos Espanhois.
Parece evidente que ha duas formas de (tentar) vencer a Espanha: ou "a Mourinho", com lancamentos para as costas da defesa (contando sempre com o factor sorte) ou sendo capaz de os vencer naquilo que sao melhores, i.e. em capacidade de pressing e de segurar a bola. 99% dos treinadores parecem preferir tentar a primeira ou variacoes da primeira. Nao os censuro...

Mr. Shankly disse...

"De facto deu para perceber duas coisitas:

- A Alemanha é uma equipa banal sem Müller"

Nem a Alemanha é banal, nem o Muller é assim tão bom. Ontem com ele em campo o jogo tinha sido quase igual.

master kodro disse...

Focas pontos interessantes, Yazalde, e que até se podem interligar de alguma forma.

Achas que a Alemanha queria ir aos penalties? Achas que a Alemanha goleadora e ofensiva fez metade dos remates que Portugal fez contra Espanha porque quis? Não, não fez mais porque não conseguiu, porque do outro lado está uma equipa fortíssima, que usa a posse de bola não apenas como arma ofensiva, mas também como forma de evitar que a defesa se desposicione (repara no mapa de calor dos jogadores espanhóis no jogo de ontem).

A Alemanha não jogou para os penalties, tal como Portugal - que é aquilo de que queres falar - não jogou para os penalties. Jogaram com a ideia de contra-atacar. Mas nem isso é fácil contra os espanhóis. Fica ainda menos fácil quando o jogador de quem esperas isso acerta 10 de 26 passes que faz (não estão aqui contabilizadas as perdas de bola por dribles falhados com companheiros disponíveis).

O exemplo que dás da Holanda ganhar ao Brasil é exactamente o oposto daquilo que me devias mostrar. O Brasil não resolveu o jogo até ao intervalo, por acaso. A Holanda jogou com 2 trincos, como quase sempre, e apostou no contra-ataque, com aqueles quatro magos lá na frente (que mesmo assim só conseguiram fazer algo que se visse no fim do jogo). Mesmo depois de estar a perder, só lá chegou de livre. Depois, marcou um golo de uma bola bombeada para a área (porque até então não conseguira lá chegar), em que um guarda-redes faz um frango e um defesa marca na própria. Marcou outro num canto, com um gajo de 170cm a marcar de cabeça na pequena área. E beneficiou da expulsão de um jogador adversário.

Jogou à defesa, como nós e a Alemanha contra Espanha, mas teve a sorte do jogo. Tal como a Suíça contra Espanha.

Mas gosto de te ver a falar de um golo legal do Paraguai contra Espanha. Estava em jogo quantos centímetros? Mais ou menos de 22?

master kodro disse...

Petinga, o problema é que a Alemanha não sai a jogar a partir do extremo direito...

Jorge disse...

O golo do Paraguai pode ser perfeitamente considerado em fora de jogo.
As regras deixam lugar a interpretacao do lance. O Cardozo que estava off-side faz-se claramente ao lance a frente de um defesa da Espanha o que pode ser legitimamente considerado como "interferir no lance."

Infante disse...

Vocês mais o "se... se... se..."

Como dizia o David Brent, se a minha tia tivesse tomates, seria meu tio.

(mas admito que também faço isso muitas vezes)

Posto isto, parece-me estranho dizer-se que um tipo como o Muller, que já levava 4 golos e 3 assistências, "não faria diferença". OK.

E a história da "sorte da Alemanha que não teve de defrontar a Espanha nos oitavos", isso sim é um bocado conversa da treta. Todos os campeões fazem-se de sorte, todos os torneios de acasos irrepetiveis. Sabemos lá nós, por exemplo, se a Espanha seria capaz de eliminar o Brasil? Ou se num segundo jogo entre o Brasil e a Holanda, seriam os canarinhos a passar?

Infante disse...

E é giro ver como a "vox populi" muda de um dia para o outro. Há uns dias, toda a gente andava a masturbar-se com a Alemanha (e com razão). Dizia-se que "se houver justiça a Alemanha será campeã" (os outros 3 nem precisavam de jogar). Até o MK no post abaixo dizia que não acreditava que a Espanha vencesse. Agora, já a Alemanha passou a ser fraca, nunca seria capaz de vencer a Espanha nos oitavos, o Muller não faz falta. Isto é simplesmente lindo!

Yazalde disse...

"Achas que a Alemanha goleadora e ofensiva fez metade dos remates que Portugal fez contra Espanha porque quis?"

Não, acho é que havia alguma estratégia além do meter a bola no ronaldo e rematar a 35 metros da baliza a ver se a bola entra.

Sobre o fora de jogo, não sei quantos foram os centímetros, o que sei é que sendo o golo da Espanha ilegal, o jogo estava 0-0 e a Espanha acabou por ganhar, sem qualquer reacção Portuguesa após o golo, inclusive nas substituições.
No golo mal anulado ao Paraguai, o jogo estava igualmente empatado, sendo que o vencedor acabou por ser o beneficiado com o golo mal anulado. Aliás os Paraguaios ainda tiveram um penalti para se por em vantagem. É muita sorte junta para uma equipa que não sabia o que fazer à bola e sempre que a tinha metia num jogador para rematar de onde estivesse.

pitons na boca disse...

"E ficaria com um saldo de duas derrotas e duas vitórias, uma delas uma goleada frente a um adversário frágil."

E lembrar que, se alguém tivesse feito por ganhar 2 jogos na fase de grupos, talvez a Espanha tivesse tido outro adversário nos oitavos de final

RDS disse...

Duma coisa não duvido, se a Espanha vencewr, nós seremos a 2ª melhor equipa deste Mundial, e memso que não vença já temos as 2 grandes revelações do Mundial - Eduardo Mãos de Ferro, e Coentrão Pepe Gonzalez!

E tudo isso devemos a CQueiroz!!!

RDS

Filipe disse...

RDS, e a Suiça que ganhou à Espanha é o quê?

Francis disse...

Filipe said
"e a Suiça que ganhou à Espanha é o quê?"

ahahahahahahahahah pois. são neutros pá, não contam. ;)

master kodro disse...

Infante, não sei de onde é que tiraste essas conclusões todas, sinceramente...

Aqui, só li uma pessoa a dizer que a Alemanha tinha sido banal, precisamente porque jogou sem o Muller. Nem li ninguém a dizer que o Muller não fazia falta.

Pareceu-me ler que a Alemanha não conseguiu fazer nada contra Espanha, ao contrário do que conseguiu em todos os outros jogos e que se achava que o Muller naquele jogo específico não faria a diferença.

E estas opiniões estão bem explicadas e não deviam dar azo a essas conclusões que tiras. Mas ainda podiam ter um explicação melhor.

O Petinga é da opinião que com o Muller a jogar a Alemanha não sentiria tantos problemas a sair a jogar. Eu digo-vos que nos dois jogos das goleadas alemãs, em que o Muller foi absolutamente decisivo, como quase sempre neste mundial, ele foi apenas o oitavo da equipa em número de passes certos, nos dois jogos. Junta-lhe a isso o pormenor de estar a jogar a extremo direito, de base, e percebes porque é que digo que acho que neste jogo específico, o Muller não faria a diferença, que é um bocadinho diferente do que dizer que o Muller não faz falta.

Mas tu é que sabes o que queres ler.

master kodro disse...

Também não percebi a parte da sorte da Alemanha não ter apanhado a Espanha nos oitavos ser conversa da treta ou que "nunca seria capaz de vencer a Espanha nos oitavos". É mais uma leitura de quem não quer ler o que lá está escrito, quando o que lá está é "sorte a da Alemanha que não teve que defrontar Espanha nos oitavos-de-final, pois, muito provavelmente, como vimos ontem, teria sido eliminada.".

Quando um gajo escreve muito provavelmente e isso é interpretado como nunca, um gajo começa a preocupar-se se estamos mesmo a conversar, infante.

master kodro disse...

Yazalde, eu gostava que me explicasses qual foi a estratégia da equipa que deu 4 contra a Argentina e contra a Inglaterra para contrariar o futebol dos espanhóis. E quando te pergunto se queria jogar para os penalties, peço-te que juntes a tua resposta à resposta a esta pergunta, para ver se chegas à mesma conclusão do que eu: contra a Espanha, não se joga como se quer. E como podemos aplicar isso à excelente Alemanha que deu 4 a Argentina e à Inglaterra, peço-to um pouco de flexibilidade para pensares que o pobre Portugal tenha passado, pelo menos, por tantas dificuldades a sair a jogar como essa Alemanha. Eu acho que não é pedir muito, mesmo tratando-se de uma selecção treinada por esse senhor que gera tantas paixões.

Quanto aos erros de arbitragem, eu não preciso deles para explicar os meus pontos de vista, mas como o usas para os teus, achei que seria interessante perceber se também serve para explicar que o único golo sofrido por Portugal em 4 jogos de Mundial foi ilegal, embora seja absolutamente aceitável que tivesse sido marcado, mas isso sou eu que penso assim em lances de arbitragem. Já percebi que não. Importante foi o golo mal anulado ao Paraguai, com margens de erro (mínimas) semelhantes ao golo de Portugal, com aquele pormenor tão bem explicado pelo Jorge de o Cardozo estar fora-de-jogo e se ter feito ao lance. Sorte a dos paraguaios que têm portugueses tão solidários com eles.

master kodro disse...

Pitons, estavas a lutar pelo primeiro lugar contra o Brasil e tiveste tantas oportunidades de golo flagrantes como eles. Houve quem jogasse ao ataque contra eles e tenha levado 3. Se me falas na Holanda, peço-te para reveres o jogo e a atitude da Holanda.

pitons na boca disse...

mk,

não foi só contra o Brasil que Portugal pouco fez para ganhar. Aponto muito mais o dedo à atitude miserável contra a Costa do Marfim.
Mas sim, contra o Brasil, empatado a zero a 20 minutos do fim, com a certeza que o 2º lugar não fugia não tenha arriscado um bocadinho sequer para tentar a vitoria.
Houve 3 jogos na fase de grupos, e empataram 2 deles, não foi só contra o Brasil.