sábado, junho 26, 2010

Portugal, os cínicos e o Mundial

Pensava que os mais recentes acontecimentos iriam travar os cínicos, mas a julgar pelo que se vai lendo, enganei-me. Tinha boas razões para ter essa convicção. Afinal de contas, falo de gente que passou meses a anunciar a morte da selecção nacional, depois da derrota com a Dinamarca, depois do empate com a Albânia, depois do empate com a Suécia (com o mítico "Adeus África"), que não acreditava na ida ao playoff (íamos ser "o pior segundo"), que não acreditava na vitória contra a Bósnia. Que não acreditava, até ter de acreditar, porque Portugal apurou-se mesmo.

Refeitos da desilusão, os cínicos regressaram em força. Que o Mundial ia ser uma vergonha. Que o Drogba mete uns cinco ao Eduardo. Que saía goleada contra o Brasil. Que caminhávamos para mais um "2002". Pior, que ia ser uma repetição de Saltillo! Ao primeiro jogo (natural empate com um adversário directo), readquiriram força: "perdemos margem de manobra", eliminação à vista, nem um milagre nos salva. "Estou a cair para o lado daqueles que já pouco ou nada acreditam nas nossas possibilidades", escreveu o campeão do cinismo blogosférico português (num post de antologia). Dias depois, 7-0 à Coreia. Chatice. Mas contra o Brasil, ai contra o Brasil, abandonem os barcos, protejam mulheres e crianças, que vai ser um descalabro! Olha, deu empate...

E agora, que Portugal se apurou, sem derrotas, sem golos sofridos, cumprindo plenamente o mínimo exigível? Agora, claro, malha-se no miserável do Queiroz que "nos pôs a jogar à defesa" e que por isso nos levou a encontrar a poderosa Espanha. Repare-se na incoerência do argumento: tínhamos de ter arriscado, para ganhar ao Brasil e assim evitar a Espanha. É como dizer que para aguentarmos água a ferver o melhor é dormirmos numa lareira acesa...

Deixemo-nos de brincadeiras. Primeiro: Portugal não sabia quem ganharia o grupo H, pelo que não era possível "escolher" o adversário. Segundo: actuávamos contra uma das melhores equipas do mundo (tão favorita quanto a Espanha, caramba!), que há um ano e meio nos ganhou 6-2. Terceiro: nestas circunstâncias, Portugal adoptou o único plano de jogo lógico na sua situação - apostar na contenção, manter o Brasil longe da nossa baliza, jogar com o resultado do outro encontro e garantir o apuramento. Objectivo bem traçado e bem cumprido. O que diriam os cínicos se Portugal arriscasse, perdesse por 3 ou 4 e a Costa do Marfim se tivesse apurado num forcing final? Nem quero imaginar.

Ah, e tal, mas podíamos ter arriscado mais porque a Costa do Marfim só estava a ganhar por 2-0. Mas foi isso que aconteceu! Depois de uma primeira parte ultra-defensiva, Queiroz lançou Simão, Portugal subiu linhas, dominou o jogo durante 15-20 minutos e teve uma ocasião flagrante (Meireles) para marcar. Falhou e depois não foi capaz de voltar a acelerar, mas repito: cumpriu plenamente o plano estratégico e o objectivo traçado. Ninguém está a dizer que foi perfeito (muitos passes falhados, erros de casting de Danny e Duda, mau jogo de Pepe, Ronaldo com remates insanos, etc.). Mas foi claramente suficiente. Para mal dos cínicos.

E agora, com a Espanha? Os cínicos, naturalmente, anunciam desde já um massacre de proporções épicas. Pode acontecer? Pode. A Espanha é a melhor equipa europeia da actualidade e tem uma selecção fortíssima. E os cínicos têm do seu lado a vantagem de que, se falham o prognóstico, "não conta", se acertam, dizem "estão a ver" (lembra a história do cínico que passava a vida a dizer aos amigos que estava prestes a morrer, embora fosse sobrevivendo ano após ano; quando, por fim, morreu, aos 105 anos, lia-se na sua lápide "eu não dizia?"). Em todo o caso, se isso acontecer - se formos goleados - serei o primeiro a escrever aqui: para mal de muita gente, Portugal já cumpriu os seus objectivos fundamentais neste Mundial. No entretanto, vou lanchar a Aljubarrota. Just in case.

katanec

32 comentários:

Homem Aranhão disse...

Muito bem.

Mauro Nunes disse...

Só não com a parte do Duda. Ele foi essencial para travar aquela ala direita temivel do Brasil com o Coentrão.
Mas eu fui um dos descrentes durante esta fase de qualificação e que acreditei que não nos qualificariamos para o Mundial. Mas alguma sorte que faltou a Queiroz no passado, aconteceu que agora a teve, nomeadamente com o empate que a Dinamarca teve com a Albânia e isso a obrigou a ter que ganhar o jogo com a Suécia não podendo haver novamente a combinação para o empate servir aos dois. Depois o sorteio do playoff foi extremamente favorável. Já no Mundial, apesar do sorteio ter-nos posto no grupo mais dificil, o calendário dele favoreceu-nos, sendo que o jogo da Costa do Marfim ser o segundo do Brasil forçaria que eles dessem tudo para fechar a qualificação para a segunda fase ganhando assim o jogo e libertando a pressão do nosso terceiro.
E depois as selecções que nos poderiam apresentar problemas na fase a eliminar, grande parte já foi eliminida nesta primeira fase.
Creio que agora com a moral em alta, temos boas possibilidades de avançar longe e mérito disso pertence a Queiroz, apesar de todos os erros de casting, de tácticas e de comunicação, que todos os seleccionadores também os tem (vide Maradona).
No entanto para mim, a nossa melhor selecção há-de ser sempre a de 2000, que se bem me lembro, também foi bastante criticada na fase de qualificação por jogar com o Sá Pinto e João Pinto como avançados e só depois de Nuno Gomes entrar depois da lesão do primeiro é que conseguiu conquistar os críticos.
Acima de tudo espero que Queiroz prove que eu estava errado sobre este grupo

Hugo disse...

Totalmente de acordo Katanec. O Boronha devia abster-se de falar da selecção depois do que lhe fomos lendo, para não ofender a nossa inteligência.

Ricardo disse...

Muito bom. É exactamente isso. Sem mais uma vírgula.

Saulo disse...

cínico
adj.adj.
1. Pertencente à seita filosófica que desprezava as conveniências sociais.
2. Fig. Impudente; obsceno; impudico.
3. Med. Próprio de cão.
s. m.4. Pessoa dissoluta, sem pudor, desavergonhado.

Saulo disse...

Depois de tanta prosa, afinal o que é que querias dizer???

Que, exceptuando alguns momentos, temos jogado mal, aos atropelões, sem classe?

Que o nosso seleccionador, depois de experiências falhadas em todas as selecções seniores por onde passou, afinal é um iluminado incompreendido?

Que a democracia, por permitir opiniões contrárias, é uma treta?

Que, como o A. Boronha, aqueles que escrevem antes podem, obviamnete, errar, ao contrário dos, como tu, que apenas se limitam a destilar ódios e alarvidades após os acontecimentos?

Deixa-te de 'brincadeiras' e assume que uma selecção que no último mundial foi às meias e que está em 3º no ranking da FIFA não cumpre objectivos só por passar em segundo no grupo...

Lancha, almoça e janta em Aljubarrota, mas não te vendas ou cases com qualquer inglês, temos visto o que isso nos tem dado...

kovacevic disse...

Caro Saulo

Portugal está a 180 minutos das meias-finais

O teu tempo, e de outros como tu, está a esgotar-se.

Se tudo correr pelo melhor, vais ter de levar com o mesmo género de argumentos: o que conta são os resultados.

Se perdermos com a Espanha, pelo menos perderemos com o campeão da Europa. Outros, apesar de contarem com Figo, Ronaldo, Deco e Rui Costa, conseguiram perder duas vezes com a Grécia no espaço de um mês. Em casa.

SwordOfTheGods disse...

"Duda essencial para travar a ala direita do Brasil"? O gajo não pressionava sequer! O Coentrão teve que apanhar com os dois, vá lá que até se safou. O Simão pressionou e foi melhor defensivamente que o Duda, só para não falar que foi melhor no ataque. Duda é um empecilho, Danny também, e jogar com Ronaldo a ponta é a estrangulação do ataque: a selecção não tem mecanismos que compensem.

Saulo disse...

Caro Kova

O teu, pelos vistos já se esgotou à muito. Essa história de quem não está comigo está contra mim foi chão que já deu uvas.

Se tudo correr pelo melhor ficarei muito feliz, espero que aconteça com um futebol mais bem jogado, só isso!

O que é que o fIgo, o Rui Costa ou a Grécia são para aqui chamados???

Manias da perseguição são de uma área diferente do futebol, a nivel de tratamento, claro!

Pedro disse...

A equipa esteve muito bem contra o Brasil. Qd vi o 11 inicial pensei numa catástrofe mas a equipa esteve muito combativa, muito solidária e nunca virou a cara à luta. Pepe, Duda e Danny continuam uns pesos mortos na equipa mas foi muito bom o hype alcançado com a goleada à Coreia não ter-se esfumado neste jogo. Foi uma exibição que cimentou o que se conseguiu contra a Coreia. Agora..é aviar os espanhois.

ana disse...

"A equipa esteve muito bem contra o Brasil"

A Costa do Marfim também esteve muito bem contra a gente. A defender, a jogar na retranca. Facto muito criticado pelo prof, aliás... e não sei se os marfinenses não chegaram mais vezs à nossa baliza do que nós chegámos ontem à do Brasil...

Eu tive vergonha do jogo da nossa selecção, ontem. Empatámos? Acontece muitas vezes às equipas pequenas que jogam contra os grandes. Que bom! Parabéns à gente! Estacionámos o autocarro à frente da baliza. VERGONHA! Num jogo que até nos podíamos dar ao luxo de perder...

Este treinador é medroso. Quando joga com uma equipa um bocadinho mais forte é um ai jesus!

Leão de Alvalade disse...

Katanec:
Concordo em parte com o texto e sobretudo com a sua conclusão: já cumprimos a "obrigação".

Também estou de acordo com a estratégia de contenção do jogo de ontem, mas não deixo de dizer que Queiroz inventou em demasia, como parece gostar de fazer. Duda, Pepe (!!!!) e Ricardo Costa (onde ouvi já este nome?) fizeram tanta falta como uma guitarra num funeral. Aliás continuo sem perceber porque foram, mas já é tarde para esta conversa.

Creio que é possível ganhar à Espanha, que será muito difícil, mais ainda se ele voltar a inventar.

Mas Queiroz tem por enquanto o vento do lado dele porque até agora, apesar dos pesares, tem um score "impossível" de golos sofridos, uma serie de jogos sem perder, e objectivos atingidos.

Mas continuo a pensar que o futebol de ontem, mesmo em contenção, é a negação das virtudes do futebol nacional. È possível fazer o mesmo mas em mais bonito.

pitons na boca disse...

"A Costa do Marfim também esteve muito bem contra a gente. A defender, a jogar na retranca. Facto muito criticado pelo prof, aliás... "

Ah pois foi. 51%-49% de posse de bola e 2-1 em remates à baliza... estatiticas do jogo contra a Costa do Marfim, no site da FIFA.



Já agora, "cínico"? Não me revejo em grande parte do texto, mas prefiro ser um céptico do que cínico (seja a favor ou contra), pelo menos não deixo de ter espírito critico. Sei dar valor quando merece (Coreia do Norte e Brasil) e criticar quando há muita coisa errada (Costa do Marfim, jogos quase todos anteriores a esse, praí 99% das intervenções nas conferencias de imprensa e a fantochada que foi o anuncio das convocatórias).

rui disse...

Quando vier o Mourinho (coisa que toda a gente sem excepçao anseia) acham que vai ser diferente do que se viu ontem e durante todo este mundial?? Portugal não tem neste momento jogadores para mais e a verdade é essa...ou alguem tem dúvidas de que bastava ter o nani, o bosingwa e o deco de há 4 anos para as coisas serem completamente diferentes? Com esses arriascava me mesmo a dizer que portugal era favorito a ganhar o campeonato do mundo. Assim com os que temos, não tenhamos dúvidas que somos fortíssimos, mas é a jogar desta forma...o facto de sofrermos poucos golos é prova disso mesmo...


ruibonga

J. disse...

Os meus parabéns ao post!!!
Totalmente de acordo, para quem tanto criticava há nao tanto tempo assim, acho que agora deveria pelo menos reconhecer o valor desta equipa.
Céptico!?Cinico!?Há que criticar até prova em contrário e duvidar sempre mas sempre mesmo dessa prova. Porque daqui a nada vamos ser uma vergonha.
Assim, de repento até agora é só a terceira melhor campanha de uma seleção portuguesa em campeonatos do mundo.
Em quantas edições!?já la vamos em 19.
E isto como dizes, sem Bosingwa, Deco e Nani e contra o Brasil numa fase de qualificação.

Cumprimentos desde o Sector B32

kovacevic disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
kovacevic disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
kovacevic disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
kovacevic disse...

Saulo

Seria algo de inédito alguém ser tratado clinicamente por ter a mania que uma terceira pessoa é perseguida

Quanto ao não está comigo está contra mim é justamente o que o katanec critica no boronha. Ou achas que os antecedentes madail-boronha não contam nas opiniões que o boronha emite sobre o seleccionador?

Já chamei louco a queiroz no 442, já o critiquei, já o elogiei. As minhas opiniões não têm uma agenda escondida.

Outros, pelo contrário, têm feito o possível para criar à volta da selecção um ambiente de derrota.

Não se trata da liberdade própria da democracia, trata-se de má-fé.

A finalizar, deixo-te um osso para roeres durante o fim-de-semana: que selecção é que lidera o ranking da FIFA

Filipe disse...

Kova, o Boronha quando surgiu o nome do Queiroz era um entusiasta ferrenho. Acho que é mais desilusão de uma admirador que se vê traído. Deve ser trauma da malta que viu o mundial de 66, o meu pai que no início também era entusiasta de Queiroz agora não pode com o "futebol maricas" que o homem meteu Portugal a jogar. Quando argumento que funciona, diz que não é desculpa.

Acho que o próprio Queiroz julgava ser um treinador de ataque. Depois de Brasil e Dinamarca "caiu na real" e viu que não consegue jogar de igual para igual com equipas fortes e adoptou um estilo de jogo tristonho mas eficiente. Neste momento somos um equivalente melhorzinho (temos Ronaldo) da Grécia que nos lixou em 2004. Tenho uma grande fezada contra a Espanha.

Vimaranes disse...

Excelente Katanec, excelente!

J. disse...

Acho que se anda aqui a falar mal da Grécia, ou melhor, daquela Grécia sem se lembrar muito bem do que era aquela equipa.
Pôs fora do Europeu Espanha, França, a Rep.Checa de Nedved e ganhou-nos duas vezes sem espinhas.
Não era o estilo de jogo mais atractivo, mas foi a equipa mais forte daquele Europeu.
Ainda assim, não deu 7 a ninguém.

Em relação a esta selecção, acho que estamos onde deveriamos estar.
Agora é jogar olhos nos olhos contra os espanhóis e depois logo se vê.

SamM disse...

Quem viu e depois reflectiu sobre a exibição da Selecção Nacional no jogo contra a Costa do Marfim, decerto ficou hoje muito satisfeito com o apuramento de Portugal para os oitavos de final do Mundial 2010. Digamos que o objectivo mínimo está atingido e a partir de agora começará efectivamente o verdadeiro mundial dos jogos "mata-mata" em que o risco é total e um mero erro deita a perder a continuidade de qualquer selecção em prova.



Pela lógica, o que estava projectado, com maior ou menor dificuldade acabou por se cumprir e o emparelhamento com a Espanha, vencedora do grupo H, é efectivo já no dia 29 de Junho, pelas 19.h30. À entrada para este Mundial 2010 tinha estabelecido por esta ordem a minha opinião acerca dos favoritos; Argentina, Brasil e Espanha. E o facto é que todos eles venceram os seus grupos de qualificação, destacando a selecção espanhola que dos três denotou mais dificuldades depois do desaire inaugural com a Suíça. Esta curiosidade acaba por ir de encontro à corrente deste torneio onde as equipas americanas tem se superiorizado ao futebol europeu. Dos 16 apurados, apuraram-se 5 em 5 as equipas da América do Sul, a que se juntam as equipas do México e Estados Unidos na Conferencia da América Central e do Norte, caindo apenas deste lote a selecção das Honduras. Os europeus e africanos, foram efectivamente os maiores derrotados até ao momento com a Europa a apurar apenas e África a manter em prova o Gana, depois de ter iniciado a competição com 6 equipas. A Europa por seu turno apurou 6 das 13 equipas que iniciaram a prova, com especial destaque para a crise nos dois últimos finalistas Itália e França, enredadas inicialmente escolhas polémicas e assentando numa linha de futebol cada vez mais táctica e sem imaginação.



Pois no jogo de hoje, estivemos perante duas equipas com estilos de jogo semelhantes, com uma identidade de jogo baseada no controlo de jogo, estilo de passe curto e apoiado, procurando fazer a diferença na frente com jogadores habilidosos, rápidos e criativos, mas que cada vez mais denunciam um rigor táctico e calculismo, fruto das ideias ditadas pelos seus líderes. O empate foi um resultado justo para duas formações que queriam ganhar mas que atacavam com menos jogadores que o normal e dessa forma pouca evidência houve. Positivamente destaco na selecção portuguesa a forma ascendente de Ronaldo, a segurança de Eduardo e a fantástica estreia de Coentrão na Selecção Nacional, sim estreia, porque durante um ano, o melhor lateral esquerdo do Campeonato do Mundo não era o melhor para Queiróz em Portugal ... Das 6 equipas europeias apuradas, as que jogaram futebol mais atacante venceram os grupos (Espanha, Holanda e Alemanha) e as que jogaram o apuramento sob o feito do calculismo ficaram apurados mas no segundo posto (Eslováquia, Inglaterra e Portugal).



Tornar-se-à interessante perceber como estas selecções, com instinto para defender resultados em jogos de equilíbrio com o opositor se organizarão e mostrarão argumentos para virar resultados nesta segunda fase quando o jogo do "mata-mata" for uma realidade.



Agora o adversário será a Espanha, e pelo que tenho lido a critica espanhola embora satisfeita com as exibições, realça que a equipa não têm o fulgor de 2008, descendo a Terra a respeitando a equipa portuguesa. O jogo não será fácil para nenhum dos conjuntos mas pelo que vi hoje, será importante não oferecer a bola ao carrocel espanhol, porque este têm argumento dentro e fora da área para resolver os jogos... E isso só se consegue, com agressividade e controlo de jogo atacante por parte de Portugal.

Têm agora a palavra Queiróz...

Bruno Pinto disse...

Gajos como o Pedro e o Saulo, entre muitos outros, se tivessem vergonha na cara, a esta hora estavam bem caladinhos. Já bastou a merda que disseram até hoje!

RDS disse...

O que mais me entristece é perceber que alguém que gosta e acha que percebe de futebol fique satisfeito com a seguinte prestação no Mundial:

- 0:0 (à CMarfim)
- 7:0 (à CNorte)
- 0:0 (ao Brasil)
- qq coisa:qq coisa (eliminado com a Espanha)

É esta postura miserabilista que conforta a 'táctica à Grega' de CQ.

P.S. - Eu aceitaria estas tácticas de CQ se ele tivesse sido homenzinho q.b. para dizer que Portugal era um simplório outsider e que defenderia com unhas e dentes a sua baliza, porque jogaria quase sempre contra adevrsários mais fortes. (Um pouquinho como fez antes do Euro08, exactamente com a nossa selecção...)

RDS

www.sportingseculoxxi.blogspot.com

joão disse...

quando é para gastar dinheiro justifica-se os gastos da seleção com o facto de sermos o 3º no raking mundial (palavras do directoe tecnico nacional).
agora o 3º do ranking não pode jogar jogar contra uma equipa muito abaixo do seu ranking(costa do marfim) como se fosse uma equipa de igual valor e sempre na retranca com medo.
se existiram criticas pela coreia do norte de jogado de autocarro contra o brasil a verdade é que o 3º do ranking jogou com o 1º do ranking com 4 defesas centrais 2 laterais esquerdos 2 trincos e 2 avançados se isto não é o autocarro o que sera?
para uma interessa ser o 3º do ranking para outras já não. é verdade que nem todas as equipas podem jogar bem e bonito mas em 3 jogos portugal em 2 deles simplesmente não jogou ter em cada 1 deles 1 unica oportunidade é não jogar, dar o exemplo da grecia é de quem não tem argumentos, o argumento do que interessa é ganhar é o mesmo do que interessa é ser rico nem que para isso tenha de roubar e matar.

galvao99 disse...

Sim, Queiróz mudou, e muito, no decorrer de tempo que leva á frente da selecção. Dinamarca e Brasil, como já aqui foi dito nesta caixa de comentarios, trouxeram realismo à tactica de queiroz e à postura dos jogadores, CR7 à parte.

E fez bem, porque se nao adequou o seu discurso à realidade, ao menos adequou as suas acçoes em campo. Os jogadores de hoje nao sao os mesmos de 2004 ou 2006, daí que a sua opção era a única possível.

O futebol jogado é que é mau que se farta. E aqui, mesmo para os que simpatizam com Queiroz, é necessário aceitar que este falhou no que era um objectivo fulcral quando chegou: alcançar os mesmos ou melhores resultados que Scolari mas jogando muito melhor futebol.

CR7 à parte, porque é um jogador à parte desta equipa, sem espirito de grupo, com permanentes alusões a objectivos individuais em detrimento de objectivos colectivos, com birras e criancices egocentricas.

atribodofutebol disse...

Eu espero que Portugal seja capaz de ultrapassar a Espanha e que chegue às meias-finais do Mundial (se passar a Espanha, tem um adversário teoricamente mais acessível nos quartos). Não posso deixar de achar alguma piada a quem ataca os cínicos e aceita o discurso miserabilista de já atingimos os nossos objectivos. Como mudaram as exigências nos últimos tempos. Deve ser do cinismo.

Por falar em cinismo, adorei ver o Carlos Queirós dizer que não gostava de falar em arbitragens (para logo a seguir fazê-lo), algo que, segundo ele, já vem fazendo desde a fase de apuramento. Cinismo?

E, já agora, párem, por favor, com o discurso lamentável (e tantas vezes repetido pelo nosso seleccionador) que quem não está com Queirós, ou quem se queixa da qualidade de jogo da equipa, ou quem faz qualquer crítica, não está com a selecção. Se assim fosse, tantos portugueses parece que se voltaram a casar com a selecção depois de quatro anos de divórcio...

Filipe disse...

tribo, eu nunca tive outras exigências com Queirósz e confesso que até estou supreendido. Pensei que se ia estampar ao comprido. Continuo a achar que a nossa equipa é fraca, e que nos estamos a safar exactamente pelo que me dava menos garantias: o treinador.

De qualquer forma, com Queirosz ou qualquer outro, o simples facto de nos qualificarmos para uma competição destas é de si já um sucesso. Isso não é um discurso miserabilista, é apenas a noção da dimensão do país.

Esta é a terceira vez que passamos a fase de grupos num campeonato do mundo. Os "cínicos" falam como se fosse a coisa mais normal do mundo, não é.

atribodofutebol disse...

Filipe

Tendo em conta o valor da equipa portuguesa nos dias de hoje, não se ter qualificado para o Mundial ou não ter passado a fase de grupos seria um fracasso. Ou, se preferires, seria anormal. E lembro também que foi Queirós quem, ao assumir a seleccção, desdenhou dos resultados obtidos nos últimos anos para afirmar que não tínhamos ganho e que ele vinha "para ganhar". É isso que lhe desejo: que faça melhor, por exemplo, que em 2006. Estou certo que ficaremos todos exultantes.

Filipe disse...

tribo, mas qual é o valor da equipa portuguesa? Se tivesses que escolher os 5 melhores do mundo para cada posição em quantas categorias colocarias um dos nossos?

Esta é provavelmente a equipa portuguesa em que vejo menos valores individuais nos últimos 30 anos. Juntando a isso Queirósz, que tem um historial bastante mau desde aquilo dos júniores, estava muito pessimista quanto a este mundial. Ora os jogadores tem compensado a falta de vedetas com um rigor e aplicação surpreendentes.

Mesmo com a qualificação practicamente assegurada não facilitaram com o Brasil, tendo sido mesmo a equipa que teve as melhores ocasiões de golo. Em vez de apoio e elogios pela atitude e concentração, recebem críticas constantes.

atribodofutebol disse...

Filipe

A esoclher os cinco melhores do mundo para cada posição só lá cabem jogadores de 3 ou 4 selecções. Ainda assim, temos uma dupla de centrais que não fica a dever a nenhuma dupla do Mundial. Temos Coentrão, que é talvez o melhor lateral esquerdo do Mundial. Temos sempre CR9, que está há vários anos sempre entre os 3 melhores do mundo. Temos Deco, Raúl Meireles, Simão, Tiago, entre outros, que são jogadores habituados aos grandes jogos.

Em 2006, tínhamos Figo, é verdade, e Pauleta tb. Em fim de carreira, mas ainda davam uma perninha. Mas também tínhamos Meira e Caneira, por exemplo. Ou Boa Morte. Ou Postiga.

Temos lacunas hoje como tivemos sempre. Mas continuamos a ter um conjunto de jogadores que nos permite sonhar.