terça-feira, junho 15, 2010

Camarões 0 x Japão 1

Vitória justa em encontro algo bizarro, face à prestação calamitosa dos Camarões, equipa que reavivou o cliché das selecções africanas dos anos 90: caótica, com os sectores desligados, sem um plano de jogo, sem "colectivo" e com um comportamento defensivo duvidoso. Le Guen, claro, ajudou à festa: deixar Alex Song de fora é criminoso; dar meia hora a Emana, um dos poucos jogadores esclarecidos desta equipa, não tem sentido; encostar Eto'o à direita é ridículo (no Inter funciona, mas os italianos têm Milito e Sneijder, e os Camarões têm duas abéculas no ataque). Ou se dá uma revolução nos próximos jogos, ou a eliminação é mais que certa.

O Japão fez o que lhe competia (até porque não consegue fazer mais que isto): foi uma equipa solidária e esforçada, espreitando o contra-ataque (o que fez bem) e aguardando pelo seu momento (quando este surgiu, Honda foi letal). Não sei se chegará para a Dinamarca, mas a julgar pelo que vi dos nórdicos, vai ser um encontro renhido. Destaque para Nakazawa, imperial na defesa; Hasebe, médio operário do Wolfsburgo e Honda, o mais talentoso (e neste jogo, decisivo) futebolista nipónico.

katanec

4 comentários:

Ricardo disse...

Porra, nós latinos somos fodidos. Custa-nos muito aceitar que uns asiáticos são capazes de ganhar a uns africanos. E então damos desculpas, culpamos o treinador, a táctica, a fisiologia, o departamento médico, a roupa, o posiconamento estratégico dos fisioterapeutas no relvado.

O Japaão foi melhor. Ponto. Podia não ter ganho, sendo melhor, mas foi e ganhou. Ponto final, parágrafo.

Dois pontos: ganhou bem.

Hugo disse...

Que raio anda a fazer o Le Guen como treinador daquela pseudo-equipa?
Gostei da exibição do Matsui

katanec disse...

Pode dar-se o caso de eu, como latino (europeu), ficar lixado se uma equipa asiática ganhar a uma equipa europeia. Já me parece mais difícil aplicar o teu argumento de que eu, como latino, fico lixado quando uma equipa asiática ganha a uma equipa africana. É uma questão de proximidade de cor?

Eu fico lixado é quando vejo uma equipa cheia de potencial, como os Camarões, ser manietada e derrotada por outra bem mais fraca, como o Japão.

Treinador de Sofá disse...

"Eu fico lixado é quando vejo uma equipa cheia de potencial, como os Camarões, ser manietada e derrotada por outra bem mais fraca, como o Japão."

Os mesmo que nunca perderam (nem sofreram golos) dos Camarões. Camarões foi, mais uma vez, o espelho das equipas africanas. Ou seja, muita entrega e força e pouco discernimento no ultimo terço do terreno e ingénuos a defender. Se Camarões é bem mais forte que o Japão? Não me parece (nem pareceu). O meio-campo do Japão (grande jogo de Hasebe e Matsui) foi competente e controlou bem a 1ª parte e aproveitou bem as fraquezas defensivas e do espaço concedido atrás dos laterais africanos. O que falta ao Japão (e a maioria das equipas asiáticas) será sempre a força física e corpo (algo que os africanos tem para dar e vender). Até parece que potencial, Japão tem mais que Camarões. Até estou decepcionado com Le Guen e com os Camarões. Não vi nada deles em campo...