sábado, abril 11, 2009

Cantinho do Vitória

Já não sei o que dizer do futebol do Vitória, este ano. Hoje até consegui ficar baralhado com a táctica apresentada. Do meio-campo para a frente, tirando o regressado Meireles a trinco e Roberto a ponta-de-lança, o resto foi um quarteto que oscilou entre o faz-tudo (ou o faz-nada) composto por Desmarets, Fajardo, Assis e Marquinho. Fiquei baralhado, confesso. E não fui o único. Manuel Cajuda acha que é injusto para nós, lembrando uma bola na barra (qual? a do golo ou a que bateu num jogador nosso e foi lá parar?). Paulo Sérgio defende que o Vitória foi muito feliz ao conquistar um ponto. Desconfio que o empate foi justo.

Ao contrário do que tem acontecio nos últimos jogos, Nuno Assis procurou e encontrou as brechas na defensiva contrária, estando presente nos melhores lances do Vitória: fez o centro que isolou Marquinho que atirou à barra, lance que deu o golo a Roberto; desmarcou Andrezinho na direita criando a melhor oportunidade do Vitória da primeira parte; recebeu a bola de um magnífico toque de calcanhar de Desmarets para, desfazendo-se da oposição de dois defensores, rematar para boa defesa de Cássio. Só escusava de ter estado ligado ao lance de golo do Paços, saindo da barreira e desviando a bola rematada por Cristiano do alcance de Nilson.

master kodro

6 comentários:

N. disse...

MK, decide-te... houve ou não houve uma bola na barra?

"Manuel Cajuda acha que é injusto para nós, lembrando uma bola na barra (qual? a do golo ou a que bateu num jogador nosso e foi lá parar?)"

"(Nuno Assis) fez o centro que isolou Marquinho que atirou à barra"


E valha a verdade, esse remate final em relação ao azar do Nuno Assis no golo do Paços é mesmo de quem não grama o rapaz.

master kodro disse...

N., vamos lá ver se nos entendemos. Quando uma pessoa pergunta "qual?" e apresenta duas hipóteses é porque não houve uma, mas duas bolas na barra.

Acontece que uma foi na jogada do golo e a outra foi uma vaca do caralho num remate de fora da área tão mau que bateu noutro jogador do Vitória, subindo e desviando para o outro lado da baliza e batendo na barra (e nem sequer voltou ao campo foi fora).

Agora achas que esta jogada que acabei de te descrever serve para ajudar a explicar um suposto merecimento da vitória por parte do Vitória?

Para a próxima faço desenhos.

master kodro disse...

Ou faço desenhos ou vês o jogo.

N. disse...

Parece-me óbvio que ele não está a falar do lance do golo...

"Vaca do caralho num remate de fora da área" parece-me a descrição do golo do empate do Paços.

Aquilo que eu quis dizer (e se não percebeste também te posso fazer um desenho) é que se não achas que esse remate à barra foi uma boa oportunidade de golo então não a coloques também no teu resumo da actuação do Nuno Assis.

Em relação à justiça no resultado, estamos de acordo.

master kodro disse...

A questão é essa, N., não coloquei. A do Nuno Assis foi a do golo. Continuo com dúvidas que tenhas visto o jogo. Com atenção, pelo menos. A não ser que aches que no golo contam duas oportunidades. Mas podes continuar a atacar.

N. disse...

"fez o centro que isolou Marquinho que atirou à barra, lance que deu o golo a Roberto"

Como não me custa absolutamente nada reconhecer quando estou errado, quero confirmar que li mal a frase em cima, tendo visto um ponto e vírgula onde apenas está uma vírgula.

Atacar? Longe disso. Não fiques tão nervoso quando aparecem posts como o meu. Não era preciso fazer nenhum desenho nem responderes a matar...