segunda-feira, março 23, 2009

Porto 2 x 0 Estrela Amadora

Primeira parte positiva e tranquila dos dragões, com dois golos e uma jogada de golo anulada por fora-de-jogo. Na segunda parte, o descanso dos visitados foi tal que o Estrela ameaçou por duas vezes, logo no início (o que valeu assobios de quem se deslocou ao Dragão), e não marcou por Silvestre Varela porque não calhou, já no fim do jogo (asneira de Fernando e Stepanov salvou sem saber como). Nesta fase, mesmo a jogar a meio gás, o Porto teve várias oportunidades flagrantes para aumentar a diferença no resultado (a de Lucho, então...). Mariano Gonzalez confirmou o excelente momento de forma e Silvestre Varela mostrou serviço (foi de longe o melhor e o mais perigoso) contra a sua futura equipa. Temos finalista, a menos que aconteça algo de estranho na segunda mão.

master kodro

8 comentários:

Mr. Blue disse...

Concordo que o Varela mostrou serviço mas convenhamos, contra o Sapunaru o difícil é não mostrar...

Quanto ao jogo, foi jogado a ritmo qb sendo notório o abrandamento do FCP na recta final que poderia(pode?) ter tido custos para a 2ª mão.
Registo mais um jogo bom do Mariano, a provar que a continuidade só lhe faz bem.

Última nota para criticar a hora do jogo que deveria ter sido disputado num horário mais agradável (18-19h) e que, consequentemente, afastou alguns, não o meu caso, do Dragão.

Bruno Ribeiro disse...

Vou ver se o sr. Paulo Baptista se vai dar ao trabalho de pedir desculpas pelo golo mal anulado e pelas duas grandes penalidades por assinalar. Parece que está na moda! :P

Já agora aproveito para lançar uma provocação: o que se diria aqui se a grande penalidade cometida por Vidigal tivesse sido cometida por um dos dois centrais que o FC Porto emprestou ao Estrela?

Digo desde já que sou a favor da não-utilização dos jogadores emprestados (de forma opcional entenda-se) em jogos frente ao clube que os empresta. Apenas e só pelo facto de ser necessário proteger os jogadores de Ruis Santos e outros que tais.

Gabriel disse...

Acontecerem coisas estranhas na Amadora? Ainda mais do que ontem? Ontem já foram 3 lances suficientemente estranhos para esta eliminatoria. 1 golo mal anulado e 2 penaltis por marcar.
Depois do jogo com a Naval isto... tá a tornar-se 1 hábito, dps que o badocha do Gobern veio dizer que o Porto tinha mts penaltis a favor, é preciso 2 faltas como ontem (bater na perna e dar com a mão na bola) pra ser marcado

master kodro disse...

Também por isso defendo o fim dos empréstimos, bruno. Por um lado não há abusos, pelo outro não há suspeitas. Não precisamos de mais de nenhuma destas situações, porque já há suficientes como se viu este fim-de-semana.

condor disse...

Porra!!!Respondam lá!Não houve uma altura em que os emprestados pelo FCP estavam impedidos de jogar contra?E o que é que os moralões disseram e escreveram?
Por favor,não soprem que as papas estão frias!O problema não são os emprestados jogarem ou não!O problema é o FCP ganhar,pois se o FCP fosse um clube perdedor em vez de 77 emprestados até podia ter 7700!
O futebol portugues não tem conserto!A unica solução é fazer com que o FCP deixe de ganhar,e aí sim eram todos muito felizes e tinham muitos meninos!The End!

matrafisco disse...

condor,

o problema não é jogar contra ou não. tomara que fosse tão simples...

o problema é a adulteração que a gestão de um plantel sofre porque os grandes mexem as pedras conforme lhes apetece.....

Bruno Ribeiro disse...

A questão dos emprestados é tão simples que só em Portugal é que se coloca. Os principais clubes têm capacidade para contratar jogadores e promover jovens que estão fora da esfera financeira das restantes equipas. Por outro lado, a falta de espaço nos planteis obriga a encontrar soluções para jogadores jovens com margem de progressão. Com isto potencia-se o crescimento dos jogadores e aumenta-se a qualidade da liga.

Não vejo problema nenhum em que os emprestados joguem contra o clube que os empresta, mas também compreendo que os clubes entendam que tal não aconteça ou que procurem defender os jogadores. Não sei se o Nuno André e o Tengarrinha estão ou não lesionados. Sei a que a situação origina suspeitas, mas é inaceitável que se passe logo para a acusação sem provas disso.

Recordo-me de um célebre Estrela - Porto que terminou empatado a 1 bola, em que o sr. Vale e Azevedo veio a público acusar o Hilário de ter favorecido o FC Porto por estar emprestado, num jogo em que o tipo fez uma exibição excepcional, sofreu um golo sem responsabilidades e festejou o golo do Estrela como nunca havia festejado um do FC Porto (o que é compreensível já que se sentia injustiçado com o empréstimo). Perante este constante clima de suspeitas e acusações (que por acaso só ocorre quando envolve o FC Porto, quando Sporting e Benfica também têm jogadores emprestados a outros clubes), é normal que se impeça os jogadores de actuar.

Se o Nuno André, que é um jogador com tremendo potencial, cometesse um penalty como o do Vidigal era crucificado. Basta ver a campanha nojenta contra os jogadores do Leixões.

condor disse...

Ahhh,bom!Muito obrigado amigos Matrafisco( O problema é a adulteração que a gestão de um plantel sofre porque os grandes mexem as pedras conforme lhes apetece....)Os grandes....Boa!E Bruno Ribeiro( com isto potencia-se o crescimento dos jogadores e aumenta-se a qualidade da liga.)Muito bem!O problema é que para muita gente o potenciar jogadores e aumentar a qualidade da liga é sinal de batota,mais valia deixar os jogadores a treinar sozinhos!E para os mesmos os grandes é muita gente pois os clubes deles são grandes mas não fazem isso!Enfim;colhão-de fazer?