domingo, janeiro 25, 2009

Cantinho do Vitória J15

1. Cajuda acha que sim. Com o regresso de Flávio Meireles e com Custódio disponível, Wénio é que deve ser o trinco, com os outros dois no banco. Já no centro do ataque, é Marquinho que deve actuar. O extremo que nem a extremo faz o que deve é que deve ser o ponta-de-lança e Lucas, o miúdo, nem no banco fica. Continua o preconceito de Cajuda a tudo o que cheire remotamente a formação. Nem em último caso. Isso é para dar. Aos grandes, de preferência.

2. O jogo nem foi mau de todo, apesar de tudo, com velocidade, bola a circular e jogo pelos extremos. Mais posse de bola, o dobro dos remates, muito mais cantos, e desta vez a posse de bola até trouxe várias oportunidades de golo que Marquinho (na maior parte das ocasiões) não conseguiu transformar em golo. Peskovic esteve magnífico, outra vez.

3. Mas a estrela do jogo foi Sougou. Um jogo absolutamente brilhante, com duas assistências para golo, um slalom fabuloso na primeira parte e diversos outros apontamentos de grande nível, perfeitos para uma Académica que quis quase sempre contra-atacar.

ps - Depois não sabem (nos comentários) porque é que eu preferia o Sougou ao Nuno Assis.

master kodro

6 comentários:

Gonçalo Cabral disse...

Um bom jogo, onde vocês tiveram mais posse de bola mas nós acabámos por ser felizes.

Felicidades para o resto do campeonato.

Pedro Santos disse...

Até parece que o Peskovic fez uma exibição do outro mundo, ou que o guimarães teve muitas oportunidades de golo. Enfim...

Nuno disse...

Master, preferes o Sougou porque cruzou num lance que deu golo e assistiu outro colega noutro golo quando era a coisa mais fácil do mundo, ou porque decidiu rematar de ângulo apertado, na última jogada do encontro, quando poderia ter assistido dois companheiros que estavam sozinhos?

Preferir o Sougou ao Nuno Assis é como preferir procurar no lixo por restos de comida a comer num restaurante fino. Cada um tem as suas preferências. Normalmente, gente com mentalidade pequena, por estar habituada a coisas pequenas, prefere a pequenez. São opções. A única coisa que demonstram, porém, além de atestarem a pequenez, é que estão em conformidade com a grande maioria das pessoas que os rodeiam, como o confirma a votação aí ao lado.

Fica lá com o Deus Sougou. Às tantas ainda chega a um grande...

master kodro disse...

O Sougou marcou a diferença, Gonçalo. Que grande exibição! E fui injusto em não falar no Diogo Gomes, também, que anda a deixar por aí umas pinceladas de excelente futebol.

Pedro, para quem falava em baile da Académica na caixa anterior, estás a inverter o discurso de uma forma estranha.

Sempre grato por essas demonstrações de grandeza na nossa caixa de comentários, nuno. Nós, os pequenos, adoramos, acredita.

Pedro Santos disse...

Inverti em que aspecto? Quantas defesas dificeis fez o Peskovic? Quantas oportunidades de golo teve o guimarães? Parece-me que a Briosa poderia ter dado mais 2, no mínimo. Cabeceamento de Sougou ao poste ainda antes do 1º. golo e jogada individual de Sougou, perto do final, que o guarda-redes consegue defender.

Quanto às loas a n assis que estão no outro comentário, só alguns considerandos:
O Sougou nunca foi condenado por se ter dopado; O Sougou ganhava em velocidade ao n assis, mesmo ao pé coxinho; o n assis é um jogador que nunca pode ser ala porque é demasiado lento (como se viu no benfica) e também não é um jogador de extrema técnica e visão de jogo (apesdar de, nestas características, ser melhor que Sougou), pelo que é um organizador de jogo sofrível; o n assis já esteve num dos estarolas e, com o princípio de Peter a funcionar, teve de voltar "para baixo" porque se revelou incompetente; o Sougou ainda pode chegar a um dos estarolas e depois veremos se vinga ou não; o assis está nos 30 enquanto que o Sougou ainda tem uma grande margem de progressão.

master kodro disse...

Inverteste no aspecto de falares em baile da Académica (que não houve) e de achares que falei em baile nosso (quando apenas disse que o Vitória teve várias oportunidades de golo). De memória (que é fraca), a do Andrezinho (o chapéu), o corte do Luiz Nunes para a própria baliza (outra vez o gajo...) e a do Marquinho já são três e ainda houve outra no início não me lembro de quem. Estas as que foram defendidas pelo Peskovic. Já nem falo de outras.