sábado, setembro 29, 2012

A ausência de rivalidade e o melhor avançado do Benfica

Vitória 0 x 2 Braga As coisas até nem foram muito desequilibradas na primeira parte, mas confesso que não deu para sentir nenhuma rivalidade que não fosse a que rodeava o relvado. Este é o estado actual destas duas equipas: uma que se consolida e fortifica; outra que está em pousio. Eu olho para o banco do Braga e quero todos do lado de cá (e mais alguns que ficaram de fora). Pronto, todos menos o Nuno André Coelho. O domínio de bola do Ruben Micael é uma coisa difícil de explicar.

Paços 1 x 2 Benfica É difícil de explicar como o Paços é uma equipa tão dura no seu terreno e como é que todos os jogadores que por ali passam conseguem jogar da mesma fora aguerrida ano após ano, seja qual for o treinador. Foi muito duro para o Benfica, mas Lima mostrou que, como sempre, para além de marcar, também sabe jogar (e sem fazer um jogo do outro mundo).

master kodro

7 comentários:

Pedro disse...

O Vitória precisa de tranquilidade nesta fase em que atravessa. Precisa de se estabilizar para aos poucos ir crescendo para os níveis que merece. Com a fiel massa adepta que tem deve estar em pé de igualdade com o Braga e lutar pela intromissão entre os grandes. Neste momento está a léguas do rival mas é preciso reconhecer isso, perceber os porquês, e trabalhar para regressar ao "normal".

GBC disse...

O Paços é tradicionalmente uma equipa difícil de bater no seu reduto, mas este ano é uma equipa que joga bom futebol, e foi muito por aí que o Benfica sentiu dificuldades.

Foi uma das poucas equipas pequenas em Portugal que vi terem uma estratégia ousada para travarem um grande: em vez de jogar num bloco excessivamente baixo, a equipa jogou num bloco médio; em vez de jogar directo na frente e procurar o contra-ataque, a equipa procurou congelar o jogo, circulando a bola e chegando com qualidade à frente.

Mesmo quando o Benfica pressionava alto, e fê-lo várias vezes, a equipa estava preparada para dar a volta à situação, colocando bastante gente atrás e saindo sempre de forma curta. Muito bem.

Este Benfica está longe de ser o Benfica do último título, e está um pouco longe do que o Porto tem feito este ano, mas é uma boa equipa, conseguiu uma vitória importantíssima e é absurdo muito do que os benfiquistas têm dito sobre Jesus: não é um grande treinador, falha em alguns aspectos importantes, mas é um técnico de qualidade, talvez o responsável que mais qualidade tem em toda a estrutura de futebol do Benfica.

O Braga esteve muito bem, e, melhor que eu, o Peseiro analisou muito bem o que aconteceu no jogo. Já o Guimarães tem um plano que até me parece interessante (tem agora um projecto que me parece poder ser sustentável e dar frutos mais tarde), mas o Rui Vitória precisa de começar a fazer mais do que fez em Paços e menos do que o Guimarães está habituado a fazer.

Procurar constantemente o chutão para o Edgar já não era grande estratégia, fazê-lo com o Soudani é fracasso garantido. O Baldé foi contratado para isso e é mau sinal.

Até agora, o destaque da jornada foi mesmo o Paulo Fonseca, treinador do Paços. Dividiu o jogo contra um grande, dividiu a posse de bola, não deixou o adversário carregar sobre o Paços de forma continuada e foi ambicioso, audaz e racional. Bom treinador (já havia mostrado perceber de futebol quando quis o André Martins para o Pinhalnovense, e analisou muito bem as suas qualidades).

GBC disse...

O Paços é tradicionalmente uma equipa difícil de bater no seu reduto, mas este ano é uma equipa que joga bom futebol, e foi muito por aí que o Benfica sentiu dificuldades.

Foi uma das poucas equipas pequenas em Portugal que vi terem uma estratégia ousada para travarem um grande: em vez de jogar num bloco excessivamente baixo, a equipa jogou num bloco médio; em vez de jogar directo na frente e procurar o contra-ataque, a equipa procurou congelar o jogo, circulando a bola e chegando com qualidade à frente.

Mesmo quando o Benfica pressionava alto, e fê-lo várias vezes, a equipa estava preparada para dar a volta à situação, colocando bastante gente atrás e saindo sempre de forma curta. Muito bem.

Este Benfica está longe de ser o Benfica do último título, e está um pouco longe do que o Porto tem feito este ano, mas é uma boa equipa, conseguiu uma vitória importantíssima e é absurdo muito do que os benfiquistas têm dito sobre Jesus: não é um grande treinador, falha em alguns aspectos importantes, mas é um técnico de qualidade, talvez o responsável que mais qualidade tem em toda a estrutura de futebol do Benfica.

O Braga esteve muito bem, e, melhor que eu, o Peseiro analisou muito bem o que aconteceu no jogo. Já o Guimarães tem um plano que até me parece interessante (tem agora um projecto que me parece poder ser sustentável e dar frutos mais tarde), mas o Rui Vitória precisa de começar a fazer mais do que fez em Paços e menos do que o Guimarães está habituado a fazer.

Procurar constantemente o chutão para o Edgar já não era grande estratégia, fazê-lo com o Soudani é fracasso garantido. O Baldé foi contratado para isso e é mau sinal.

Até agora, o destaque da jornada foi mesmo o Paulo Fonseca, treinador do Paços. Dividiu o jogo contra um grande, dividiu a posse de bola, não deixou o adversário carregar sobre o Paços de forma continuada e foi ambicioso, audaz e racional. Bom treinador (já havia mostrado perceber de futebol quando quis o André Martins para o Pinhalnovense, e analisou muito bem as suas qualidades).

Joao disse...

Analisar este Benfica é algo complicado. É uma equipa cheia de adaptações, teoricamente parece estar demasiado partida entre um excelente ataque e uma péssima defesa mas, no final das contas até se têm revelado bastante equilibrada.

último! disse...

Péssima defesa João? Não consigo entender essa crítica, Melgarejo depois do jogo inaugural tem vindo a realizar boas exibições sem erros.

Maxi erra mais do que o miúdo mas a sua garra faz dele um jogador muito útil até no ataque como ontem se viu.

Jardel, em forma é um jogador com muitomais valor do que a critica afirma(jogar na equipa B permitiu a sua entrada com indices fisicos iguais aos colegas ao contrário do que diziam o Benfica precaveu o castigo de Luisão).

E Garay é um senhor defesa! Que vale cada centavo pago por ele.

O problema poderá ser a falta de Javí mas Matic tem vindo a crescer.

Rearviewmirror disse...

Matic está a crescer, mas ainda parece tão.. .verde... falta-lhe intensidade! e cheira-me que é algo que nunca irá ganhar.
Ás vezes até me pergunto se é demasiado descabido jogarmos com Carlos Martins á frente da defesa (no campeonato)...

Em relação ao resto, e com todos os defeitos e dúvidas que foram apontados a este Benfica, lá continuamos a ser a equipa que tem mais oportunidades claras por jogo (chega a ser exasperante a quantidade de golos falhados por nós), mais bolas nos ferros, estamos a permitir pouquissimas oportunidades de golo aos nossos adversários (a evolução táctica de Melgarejo e Enzo, principalmente, é algo de destacar), apesar das saídas de Witsel e Javi (e a ausência de Luisão) através de uma grande entre-ajuda, pouco se tem notado a usência desses 3 pilares do Benfica do ano passado (e não só).

Terça feira vamos ter uma valente prova de fogo contra a melhor equipa do Mundo. Vamos lá ver como corre...

Rearviewmirror disse...
Este comentário foi removido pelo autor.