quarta-feira, janeiro 18, 2012

Mourinho, meu

Agarra-te bem aos cinco pontos (vai descontando 3), porque daí não levas nada...

master kodro

8 comentários:

Virgílio disse...

Mas q gde bailarico... Olê!

Zé Luís disse...

Com os árbitros sempre a ajudar até pode pôr o CR7 a falso lateral-esquerdo (Dani Alves oblige) e Pepe a trinco e a trincar os adversários como sempre...

Voltou a jogar ao ferrolho em casa e diz que não ouve os adeptos...

Os tugas revêm-se nos nossos de Madrid, o Coentrão também se portou bem a malhar no Messi e o RC superou o trauma da paragem e da Bentania para levar com o trauma merengue do barcelonismo...

Um must...

Filipe disse...

Só comecei a ver o jogo uns segundos antes do golo do empate e confesso que não percebi para que andou o Pepe em campo.

Hugo disse...

Não está fácil. E o pessoal na Marca já lhe começa a cascar forte, levando de arrasto Pepe

Nuno disse...

Eu mal consegui ver o jogo,vi-o com mtas interrupções(ver pela net tem destas coisas) mas do que eu consegui ver foi mais uma baile á Barça. Cheguei ouvir olés em pleno Santiago Bernabéu...
O Pepe deve ter um ódio ás cores do Barça que ele bate em tudo mexe...impressionante!

Eu não sei o porquê dos adeptos blancos perderem o seu tempo ao deslocarem-se ao estádio do RM, é que já sabem o que lhe espera...mais um bailarico! :D

Força Barça!!!

Margarida Martins disse...

Que o Barça é uma equipa extraordinária - e sublinhe-se o "equipa" -, ninguém tem dúvidas. Não sei se é a melhor equipa de sempre, mas tenho a certeza que é a melhor equipa da última década. Nesse sentido, não penso que perder com eles seja uma "vergonha", independentemente de estarmos a falar do Real Madrid ou de um clube dos campeonatos regionais.

O que me parece vergonhoso é o evidente complexo de inferioridade do Real Madrid em relação ao Barça - é uma equipa fantástica, sim, mas não imbatível, como já foi demonstrado pelo próprio José Mourinho. O Real de hoje é - pelo menos, teoricamente - mais forte do que o Inter de 2009/2010, mas falta-lhe uma coisa essencial: confiança. O Mourinho não mudou a forma de jogar contra o Barcelona: tal como ontem, o Inter de 2009/2010 jogou a eliminatória com o Barça "na retranca". A diferença é que os jogadores tinham confiança neles próprios, no modelo de jogo e na possibilidade de derrotarem o Barça. A segunda mão foi exemplar nesse sentido: o Barça teve 70% de posse de bola mas quem controlava o jogo era o Inter, fazendo do tiqui-taca um exercício supérfluo, sem capacidade concretizadora. Este Real Madrid, pelo contrário, entra em campo já a perder à conta do medo que tem ao rival. Pior ainda, os jogadores parecem ter medo de ganhar - como é que se justifica o total descontrolo do Real no jogo de ontem logo a seguir ao golo do Cristiano Ronaldo?

Para mim, o problema não está no modelo de jogo mas sim na incapacidade de Mourinho convencer os seus jogadores que se trata não de um plano de defesa amedrontada mas antes de um plano de ataque calculado, construído a partir da neutralização do jogo do adversário. Enquanto a equipa não resolver este bloqueio mental não haverá forma de derrotar o Barça no frente-a-frente - e há ainda o perigo deste complexo de inferioridade afectar a prestação do Real no campeonato, especialmente se a diferença entre os dois clubes for encurtada. Sabendo que um bloqueio mental é como uma bola de neve - cada derrota com o Barça só vai contribuir para aumentar o medo -, tenho sérias dúvidas que o Real Madrid consiga sair deste ciclo num futuro próximo...

Hugo disse...

Excelente comentario Margarida

Filipe Matos Lage disse...

Kodro meu,

Os cinco pontos foram dados? O campeonato não é o mesmo? Os adversários iguais?

No dia que o Mourinho jogar com a equipa que joga nos outros jogos do campeonato discute o jogo com o Barça. Até lá vai somando derrotas...