sábado, setembro 04, 2010

Portugal 4 x 4 Chipre

Um péssimo resultado Não há como o definir de outra forma. Este era jogo de vitória folgada, o que, durante o jogo, se viu que seria normal e relativamente fácil. Foi um resultado justo? Claro que não. Portugal criou (muito mais do que) o suficiente para ganhar? Claro que sim. Bola na barra, bola no poste, bola na linha, defesas impossíveis, falhanços clamorosos, displicência na finalização. Mas isso não interessa nada, principalmente nos perigosos tempos que correm.

Um buraco defensivo A uma atitude ofensiva constante, com excelentes momentos de futebol de ataque, juntou-se uma série de erros defensivos individuais fatais para as nossas aspirações. Eduardo, que assumiu a culpa no quarto golo (haja quem assuma alguma coisa de mau no futebol português), teve ainda mais culpas no primeiro (a desmarcação era lateral, com péssimo ângulo e o genovês deu-lhe o céu de presente). Raúl Meireles foi desastroso no segundo sofrido (quero dizer oferecido). Miguel e Bruno Alves pareceram uma lontra e uma barata tonta, respectivamente. Em contraponto, Ricardo Carvalho foi um gigante, com intervenções magníficas, numa defesa em que parecia o único presente (até porque o quarto elemento, Coentrão, estava algures lá à frente).

Attack, attack, attack Claro que também valeu a pena pelos excelentes momentos ofensivos. Foi maravilhoso ver Quaresma de regresso à selecção, com momentos de puro deleite de um predestinado. A avalanche ofensiva foi de tal forma avassaladora que, por exemplo, até um Hugo Almeida se deu ao luxo de achar que podia rematar uma excelente jogada de Quaresma com o calcanhar, porque, depois do 4x3, todos achámos que tudo estava feito. Quem queria ver esta atitude com a Csta do Marfim, Brasil e Espanha, hoje, certamente, falará de como se controla um jogo (apesar de ser o Chipre). É a (actual) lei do futebol da selecção nacional.

Público a menos e Inglaterra a mais Mas não foi menos gente do que no único jogo oficial que se disputou no Afonso Henriques esta época. Estranho é ver pessoas que passaram dois meses em órgãos de comunicação social a denegrir, a compasso de metralhadora, a imagem dos rostos da selecção nacional, a coscuvilhar assuntos menores e patéticos, com e sem conhecimento (sim, chama-se mentir, a segunda), a assumirem-se como os "emplastros" preferidos dos media para os assuntos da selecção nacional, a retirar ilações tão básicas quer sobre a audiência ou sobre o futebol de formação português. Se a primeira é puro oportunismo, a segunda é ignorância. Mas quando a memória é curta e a intenção pré-determinada, vale tudo, menos pensar. E a sede natural de sangue da malta é do conhecimento geral, portanto...

master kodro

25 comentários:

low desert puke disse...

Sofremos mais golos em casa contra o Chipre do que nos ultimos 10 jogos comandados pelo professor.

Volta Queiròs, estàs perdoado.

Pedro Almeida disse...

Aí está em todo o seu esplendor a revolução que CQ trouxe para o nosso futebol:
- Alheamento total do portugueses face à sua equipa (pior assistência em muitos anos).
- O regresso das vitórias morais (não ganhámos, mas fomos melhores).

Regressámos em pleno aos maus velhos tempos...Viva! Viva!

(quando mudarem o seleccionador, acordem-me por favor)

Pedro Almeida disse...

Realmente é muito azar...não ganhámos a uma das piores equipas do mundo, mas a culpa é dos postes, da barra e das defesas impossíveis.

Ah, são tão saborosas estas vitórias morais...contra uma das piores equipas do mundo.

Já valeu a pena o regresso do iluminado.

Offshore disse...

a defesa fez um trabalho patético, até o ricardo carvalho falhou !!!
depois de um mundial onde só levamos 1 golo e em fora de jogo.
como é possível ?

SamM disse...

Ponto 1:

gostei de ver a Selecção jogar, porventura uma das melhores exibições ofensivas dos ultimos 2 anos, deixando me de água na boca com a exibição (por vezes inconsequente) de Quaresma e Nani. Aliás em nenhum momento do jogo senti falta do "pseudo" melhor do mundo...
Para o espectador neutro este foi sem dúvida um dos melhores jogos de futebol dos ultimos tempos, indepenetemnete do resultado.

Ponto 2:

Depois de ler o arigo, no meio de tantas criticas, fica implicito que os culpados destes desaires são os adeptos quenão estão com Queiróz e dos jogadores.

Parece rídiculo considerar que Carlos Queiróz não têm responsabilidades neste resultado. Evidentemnte na totalidade, o facto é que nem um jogo de preparação fizemos antes desta fase de qualificação (!!) e a ultima vez em que os jogadores estiveram juntos, tiveram a treinar um mês para jogar na retranca (desmintam-me...), sendo natural a consistência defensiva, mas também consequencia disso um estilo de jogo chato sonolento e sem chama...

Voltando mais atrás, tenho na memória o jogo contra a Coreia, em que enquaunto estivemos 0-0 os voreanos podiam mesmo ter cehgado ao golo por várias vezes, faltando aquele quê de sorte, que intem sorriu aos cipriotas... E porventura se assim tivesse acontecido em pleno Mundial e a história teria sidomais negra.

Portugal demonstra fragilidades em ataque continuado porque não foi preparado para isso devidamente, porque os seus jogadores não têm uma identidade de jogo que permita adpatarem se com segurança às diversas formas de jogar do adversário como foi o caso de ontem..

O mais fácil será criticar o Bruno Alves ou o Eduardo pelos golos sofridos, mas por certo um conjunto tão grande azares não é obra do acaso e há ilacções mais profundas a retirar...

SamM disse...

corrijo: Ponto 2 "Evidentemente não na totalidade"

Hattori Hanzo disse...

Há futebol de formação em Portugal actualmente? Ainda não dei por isso...

master kodro disse...

Exactamente, Hattori. Agora diz-me porquê.

Não percebo o teu ponto 2, Samm. Os adeptos? Retiras do post que a culpa é dos adeptos? E dizes que temos dificuldades em ataque continuado depois do que viste ontem? Pois, isso explica muita coisa.

Obrigado Pedro Almeida, por escreveres coisas como que o Chipre é uma das piores equipas do mundo. Acho que é por causa de pessoas como tu que escrevem coisas desse tipo que ainda há quem defenda Carlos Queiroz como seleccionador.

É inacreditável, offshore. Jogou-se sempre ao ataque, em risco absoluto do princípio ao fim, mas a maior parte dos golos surgiu de erros individuais graves.

SamM disse...

"Quem queria ver esta atitude (atacante) com a Csta do Marfim, Brasil e Espanha, hoje, certamente, falará de como se controla um jogo (apesar de ser o Chipre). É a (actual) lei do futebol da selecção nacional"

-> se não estas a mandar umas boquinhas aos adeptos, estas a fazer o kê, MK?

Em relacao ao ataque continuado, mostramos diculdades em manter o equilibrio defensivo, homem!!

low desert puke disse...

Desculpas e falta de frontalidade, meus amigos.

O problema e principal causador da vergonha de ontem é o mesmo da qualificaçao antes do Mundial.

Ou seja: Alguns dos melhores jogadores nao jogam em detrimento de outros, e muitos nem chamados sao.

é sò isto:

Miguel, Danny, Meireles e Fernandes nao deviam ser titulares. Aliàs, Meireles e Fernandes nem na pré-época jogavam, apenas treinavam. Portanto a titularidade é no minimo patética.
Veloso devia ter sido titular.
Tal como Liedson, porque jogar em casa contra o Chipre e nao meter Liedson e Almeida juntos no ataque é de quem nao tem tomates para ser treinador de futebol.

Pedro Almeida disse...

"Acho que é por causa de pessoas como tu que escrevem coisas desse tipo que ainda há quem defenda Carlos Queiroz como seleccionador."

Mas já reparaste que são cada vez menos e começam perigosamente a parecer um caso patológico?

Se dizer que Chipre é uma das piores equipas do mundo é um disparate tão grande, então o resultado até nem foi assim tão mau, foi mesmo normal, ponto a ponto vamos lá, cultura da mediocridade...é isso?

master kodro disse...

Pedro Almeida, não precisas de insultar quem discorda de ti. O Chipre não é uma das equipas mais fracas do mundo e estás a faltar à verdade quando o escreves repetidamente apenas porque tens um objectivo.

Estou a testar um argumento, que foi usado no passado recente, Samm, e, como é óbvio, nunca a culpar quem não tem a mínima responsabilidade pelo que se passou ontem. Pelos vistos concordas comigo e com a atitude conservadora de Queiroz no Mundial quando dizes que temos dificuldades defensivas quando jogamos em ataque continuado. Se a temos contra o Chipre, então Queiroz fez bem em adoptá-la contra Brasil e Espanha, certo?

Concordo com o low desert, excepto no caso de Danny e no caso dos dois avançados. Há tanto para discordar relativamente ao que Queiroz faz, directa ou indirectamente, que não percebo como é que tanta gente tem tanta vontade de mentir.

Pedro disse...

A culpa deve ser do outro..ou do Rui Costa..hehe

De ir às lágrimas...
LOL

Infante disse...

"Mas isso não interessa nada, principalmente nos perigosos tempos que correm."


Mas porque é que havia de interessar, seja em tempos perigosos ou não? A treta das vitórias morais tem de acabar, seja com que seleccionador for. Isso é das mentalidades mais ridículas que já vi. Pensei que o sucesso do Mourinho e as finais e meias-finais da selecção tivessem mudado alguma coisa nisso. Infelizmente enganei-me, está aí de volta para ficar...

Uma coisa é elogiar o futebol de ataque, outra coisa é falar em "resultado injusto" e outras palhaçadas. Algum dos golos do Chipre foi consegido irregularmente ? Se sim, então é de facto é um resultado injusto. Se não, tretas!

Em relação a formação, já no tempo do Scolari se fartava de levar pancada (sempre com a história parva de que os "miúdos só querem saber de carros e tatuagens", não têm seriedade, blá blá blá. Será assim tão difícil admitir que os outros são simplesmente melhores?

Saulo disse...

"Um péssimo resultado Não há como o definir de outra forma."

Dizes tudo na primeira frase. Explicações? Justificações? Há para todos os gostos. O essencial é mesmo isso "Um péssimo resultado".

P.S. O pouco público, principalmente num estádio onde os adeptos apoiam sempre os seus, é preocupante. A equipa tem de chamar os adeptos e não o contrário...

SamM disse...

"Samm, e, como é óbvio, nunca a culpar quem não tem a mínima responsabilidade pelo que se passou ontem. Pelos vistos concordas comigo e com a atitude conservadora de Queiroz no Mundial quando dizes que temos dificuldades defensivas quando jogamos em ataque continuado"

Evidentemente que não concordo contigo!! Para dizeres que deviamos jogar de forma conservadora sempre estarias a dizer que temos jogadores limitados defensivamente, o que de facto não é verdade. Temos dos melhores centrais do mundo e alguns laterais de qualidade bem como bons trincos... Desmintes me? Tirando Brasil, Argentina ou Espanha diz me uma selecção que seja mais pobres em valores na defesa do que nós, já agora....


O que se passa é que os jogadores estão tão mecanizados para jogar na retranca, que se alguem os mete a jogar ao ataque, eles dão espaços e tem fifias na defesa!
Sem querer ser demagago, o que se pretende uma equipa de futebol com jogadores da qualidade da portuguesa, é que jogue como o Benfica jogava no ano passado, ao ataque e com uma defesa bem organizada. Será que é pedir muito a uma equipa que tem estado nos ultimos anos sempre no top 10 mundial?

SamM disse...

"que seja mais pobres em valores na defesa do que nós, já agora...."

corrijo
que seja mais rica em valores na defesa do que nós, já agora....

José Leal disse...

não ganhámos porque não estiveram lá varela e micael. simples.

José Leal disse...

bem, mais a sério, acho que ambas as equipas defenderam muito mal, tendo acontecido demasiados erros de parte a parte. a maneira como se deixam papar no golo do Almeida, o danny sozinho na pequena área a receber um balão do coentrão, dois golos de remates de fora de área em zona frontal com pouca oposição, fizeram lembrar os velhos tempos dos quando davamos 7 e 8 a 0, com outros executantes é obvio.

mas foi visivel que os jogadores não estão tranquilos por causa de toda a palhaçada que os dirigentes vão causando, e o proprio publico já começa a achar isto uma piada que não é para levar a sério.

concluindo, não é normal nem nós nem eles sofrermos 4 golos.

e por falar em qualidade ofensiva, as finalizações nos 3 primeiros golos dos «gregos» foram excelentes, então a do konstantinou mostrou o grande jogadore que já foi.

Jorge disse...

E logico que o resultado e muito mau mas o Chipre nao e de maneira nenhuma a pior equipa do mundo, nem sequer da Europa. Lembrem-se que deu 4 a Bulgaria e esteve a ganhar 2-0 em Italia para a qualificacao do mundial e so perdeu no prolongamento, alem disso ultimamente nao tem sido uma equipa facil para ninguem.

Ontem acho que tivemos algum azar ja que criamos ocasioes para marcar uns 7 ou 8 golos e nas poucos remates que o Chipre fez marcou, tendo sido muito ajudado por erros infantis de jogadores portugueses que alias nao foram somente os que resultaram em golo. Lembro-me de um passe do Bruno Alves que sem pressao isolou um jogador do Chipre e uma jogada em que o M. Fernandes para nao deixar a bola ir para fora faz o mesmo. Estas infantilidades, pelo menos com esta frequencia, sao raras e devidas a falta de concentracao. Nao e dificil acreditar que o ambiente criado a volta da seleccao tenha alguma coisa a ver com isso.
O maior erro que eu apontaria ao treinador seria o de nao ter jogado com um trinco. Dado o buraco existente a frente da defesa pareceu-me que uma das alteracoes deveria ter tido como objectivo corrigir esse problema.
Com onze jogadores que jogam em equipas diferentes nao acho sensato adicionar as faltas de rotinas colectivas a colocacao de jogadores em posicoes para as quais nao estao rotinados.

master kodro disse...

Infante, a única pessoa que falou em vitória moral, foi quem o escreveu (antes de ti). Não fui eu. Eu falei sobre um resultado péssimo e sobre o número de oportunidade de golo falhadas, claramente superior ao do adversário. Falar em justiça num resultado não é atribuir vitórias morais, é distinguir quem fez mais por isso, ou quem conseguiu apresentar a melhor estratégia para cumprir o seu objectivo. O título do post é um resultado de um jogo; o post é sobre o que se passou no jogo. Se eu não puder falar sobre as oportunidades de golo falhadas no jogo, avisem-me. Aliás, se reparares, falo em erros, quer ofensivos (falhanços clamorosos e displicência), quer defensivos, pelo que qualquer tentativa de me atribuir a ideia de uma "vitória moral" não cola, porque a culpa desses erros é reconhecida e está atribuída e não é apenas fruto da sorte e do azar.

Saulo, faço referência exactamente a essa questão do público: o único jogo do Vitória esta época em casa não teve mais gente do que este.

Samm, temos dos melhores centrais, temos um grande lateral que está lesionado e outro que ataca mais do que defende e temos, como alguém aqui disse e muito bem, dois médios "defensivos" que estão sem qualquer ritmo de jogo. Defendemos muito à frente, como é normal em quem arrisca a atacar, como queres que aconteça. Nessas condições, é muito mais normal que aconteçam erros. Não percebo como é que defendes uma coisa e o seu oposto, mas tu é que sabes. Quando o Benfica jogou contra uma equipa superior levou 4, Samm. Os, até então, excelentes defesas fizeram merda (como acho que aconteceria se o fizéssemos contra Brasil ou Espanha, não sei se te lembras dos 6x2). Ontem foi outra história, foram erros individuais em demasia.

SamM disse...

MK obrigas me a escrever...

Pensava que a nossa conversa estava num plano mais global, tendo em vista toda uma conjuntura de orientação da Selecção. O problema da Selecção não foi o jogo de ontem, é uma questão de identidade que se quer dar à Selecção. Na minha opinião a defesa é Eduardo, Bosingwa, R Carvalho, Pepe e Coentrão, trinco P Mendes.... Ires agora voltar a cassete atrás e falar apenas dos jogadores que jogaram ontem não me parece que seja a real figura da nossa equipa. Portugal tem excelentes defesas.

Qunato ao Benfica, lamento que numa época de mais de 5o e tal jogos apenas te lembres de apenas um jogo como o de Liverpool, quando nessa época o Benfica equipas como as do Braga, Sporting, Porto, Marselha ou Everton... E se queres que te diga no jogo de Liverpool também houve erros individuais...

master kodro disse...

Claro que houve erros individuais, Samm. São mais fáceis de acontecer quando jogas sem rede. É isso que te quero dizer. Contra o Braga também perdeu, sem margem para dúvidas. Agora, Everton e Sporting? Poupa-me.

Queiroz, no Mundial, deu a identidade que podia dar, sem o Bosingwa ou o Nani, por exemplo, e a ter que defrontar Costa do Marfim e Brasil para seguir em frente, para, normalmente, defrontar Espanha. Na qualificação, por exemplo nos dois jogos com a Dinamarca, deu à selecção a identidade que defendes, fez dois jogões, mais de 50 remates e cerca de 20 oportunidades criadas e saiu deles com 1 ponto. Caiu-lhe tudo em cima.

Rearviewmirror disse...

Eu acho que a culpa disto é do LFV.

Preocupa-me que a nossa defesa (na zona central) não esteja a ficar mais jovem, e se um Konsatinou consegue desbaratar-nos por completo, tenho medo de imaginar um MEssi, um PAto ou Villa metidos ali pelo ali pelo meio...

master kodro disse...

Tiveste um Villa e um Luis Fabiano, há pouco tempo, e juntos só conseguiram marcar um golo em fora-de-jogo.