quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Nunca gostei de ouvir falar alemão

Nem sequer me vou dar ao trabalho de consultar os arquivos, mas duvido que alguma vez na história da Liga dos Campeões uma equipa tenha sofrido cinco golos em casa nos oitavos-de-final, não marcando nenhum.

Exibição inacreditável de Abel, Tonel, Caneira, Rochembak e Polga, este com um momento delicioso, no primeiro golo, quando abandonou a marcação a um adversário para derrubar Tonel, que tentava contrariar Ribéry.

A grande penalidade cometida por Rochemback, enfim, é digna de uma partida entre amigos. Uma partida de rugby, claro. E quando o cérebro já está lentificado por horas e horas de exposição solar.

Considerando a valia do opositor, também achei curioso ver os suplentes Caneira, Tonel e Romagnoli subitamente regressados à titularidade. Imagino que lhes sobrava ritmo. Do mesmo modo, pareceu-me bastante acertado colocar Pereirinha, um médio adaptado a lateral-direito, a fazer frente ao melhor jogador contrário, um francês tão irritante como talentoso. Se era por causa da velocidade, metia-se lá o Djaló, então.

Às vezes, uma pessoa já não sabe o que pensar desta equipa.

kovacevic

3 comentários:

Metralha disse...

Kovacevic,

Polga em cada jogo faz pelo menos um disparate que nem um infantil suplente do Ribeirais de Cima consegue fazer . Essa jogada é inacreditavel, se era para varrer que mandasse o francês para as couves em vez do colega de equipa sendo que a bola sobraria sempre para o Toni que ele deveria estar a marcar.

Peter of Pan disse...

A equipa do SCP ficou toda contagiada pelo vírus David Luiz.

Leão de Alvalade disse...

Kova:
E que dizer de quem os (des)orienta?

Peter: foi das melhores que li até agora. ;)