quinta-feira, abril 30, 2009

Previsível, 2

Ontem escrevia que "Soares Franco, claro, virá agora com um discurso conveniente e preparado, cheio de argumentos perfeitamente lógicos para rebater os argumentos anteriores da vida profissional, pessoal, familiar, blá, blá, blá, blá".

Hoje, n'O JOGO, que se limita a fazer, bem, o trabalho que lhe compete, lê-se isto:

"As razões familiares e profissionais que estiveram na origem da renúncia à possibilidade de um novo mandato na presidência do Sporting já não têm o peso sentido em Janeiro. Mesmo sem vontade de o ver continuar como presidente, a família de Filipe Soares Franco está disposta a apoiá-lo, seja qual for a sua decisão. No plano profissional, a Opway, empresa que lidera, estava na iminência de se dedicar a um complexo programa de empreitadas em Angola, que iria obrigar à total atenção do seu presidente, mas a implantação deste projecto terá sido adiada por, pelo menos, dois anos, razão pela qual a margem de manobra para o absoluto empenho na liderança do Sporting voltou a existir"

Nada disto é (baixa) política, naturalmente.

kovacevic

11 comentários:

Rantas disse...

kovacevic,

Na tua opinião e no cenário actual, qual seria a melhor solução para o Sporting?

kovacevic disse...

Não é a melhor solução para o Sporting que discuto neste post nem no anterior.

No anterior, aliás, até digo que a proposta de Soares Franco me parece fazer sentido.

Portanto, por aí, já ficas com uma ideia.

De qualquer modo, acho que exigir a um anónimo, num blogue, sem conhecimento completo da situação financeira do clube, que apresente a melhor solução, quando não há um único candidato formal, a cinco semanas das eleições, é um tanto demagógico.

Não fui eu que dirigi o Sporting nos últimos 13 anos.

Rantas disse...

De facto, não entendo bem o que pretendes discutir nestes dois posts. Dá para ver que não interessa nada o melhor interesse do Sporting, interessa apenas que existe uma possibilidade de o FSF mudar de opinião - logo, o FSF é um malandro, porque já se sabe que quem muda de opinião na verdade não muda, está é a enganar-nos desde o início. É uma linha de raciocínio interessante.

De qualquer modo, não me parece nada demagógico perguntar-te a tua opinião pessoal sobre o assunto que de facto é essencial, já que aparentemente tens uma opinião tão sólida formada sobre assuntos tão acessórios como a quantidade de nomes como são conhecidas as pessoas :)

Sinceramente, como escrevi num comentário ao teu post anterior, não consigo entender a tua desconfiança relativamente a isto - até porque referes explicitamente que consideras que as propostas dele fazem sentido! - nem a questão da "democracia" - alguém que submete as suas propostas a votação e tem 72,45% de votos favoráveis não tem o direito de se sentir frustrado por ter chegado tão perto do objectivo? Bolas, faltaram 2,55% dos votos para a proposta passar!

E essa frustração agravar-se-á com certeza quando não comparece ninguém "do outro lado" como candidato. Afinal, é só votar contra e maldizer, mas dar a cara é que é complicado. Isso é que é ser democrata, caramba?

leaoconselheiro disse...

São coisas diferentes.

Uma coisa é o rumo para o Sporting, outra é a postura pessoal do Presidente. Estou de acordo com o Kovacevic, embora não me mereça tanta certeza a situação até ela ser confirmada.

A falta de palavra é algo que me incomoda neste Presidente. E até concordo com grande parte do plano que tem para o Sporting, achando que a sua continuidade pode de facto ser boa para o clube. O problema são estes (hipoteticos) volte faces...

kovacevic disse...

Rantas,

Sobre o fica-não-fica de Soares Franco: mudar de opinião pode ser um exercício de inteligência. Outra coisa, diferente, é manipulação. Eu acho que estamos perante uma descarada manipulação. Tu achas que não. Tudo bem.

Sobre as pessoas de três nomes: enquanto o blog for editado por mim - com o master kodro e o katanec - vou permitir-me todas as liberdades de escrita. Se não gostas, tens bom remédio. E para quem insiste na questão essencial, não te fica bem perder tempo com estes acessórios.

Sobre a democracia: uma coisa é expressar um sentimento de frustração. Outra é falar em minoria de bloqueio. Quem não aceita minorias de oposição não sabe viver em democracia. O Bloco de Esquerda, o PCP ou o CDS/PP nunca vão ser o partido mais votado em Portugal. Devem deixar de ter representação na Assembleia da República por isso?

Sobre o facto de a oposição não ter candidato: o conselho directivo tem candidato formalizado?

Sobre a questão essencial: se me apetecer, escrevo. Se não me apetecer, não escreveo. É a liberdade, em formato blog.

Rantas disse...

Bom, confesso que a mim esse hipotético volte face não faz grande confusão.

- O FSF manifestou vontade de não se recandidatar.
- Estava à espera que aparecessem candidatos credíveis para o substituir.
- Não apareceram esses candidatos. Aliás, até agora não apareceu nem um candidato, credível ou não.

Posto perante isto, e tendo em conta que a maioria dos sportinguistas até concorda com as suas intenções, conforme foi expresso na última votação, nada mais natural que reavaliar a sua posição. Sem cartas na manga, sem jogos escondidos, eventualmente com prejuízo da sua vida pessoal. Não vejo como isso possa colocar em causa o bom nome do FSF... parece que o facto de se ocupar um lugar com tanta exposição mediática retira o direito às pessoas de reavaliarem as suas prioridades, quando colocados perante novas situações (no caso, a ausência de candidatos).

Rantas disse...

kovacevic,

Longe de mim tentar de alguma forma condicionar o rumo editorial do blog! Tanto porque, como dizes muito bem, não teria qualquer hipótese de sucesso, como também porque gosto bastante do blog como vocês os 3 o têm feito, daí vir cá tantas vezes.

Hoje é que tenho tido tempo para fazer comentários e não só para os ler, como é habitual. Peço desculpa se estou a sair da linha :-)

kovacevic disse...

Não há necessidade de pedir desculpa, por quem és...

João disse...

Os problemas do Sporting não começaram com Soares Franco. Quem mandou a José Roquette sair antes de tempo e deixar Dias da Cunha como sucessor? Quem mandou a Dias da Cunha abandonar o barco em solidariedade com o pior treinador da história do clube? E Santana Lopes, que fugiu ao fim de sete meses? E Sousa Cintra, que prometia o título todos os anos e despediu um treinador que liderava o campeonato? E Jorge Gonçalves? E, e, e, e? Não sei se Soares Franco mudou de ideias (até porque ele ainda não disse nada sobre o assunto). Não sei se sempre planeou ficar e tudo não passou de mind games, que como se sabe sempre fizeram parte do futebol, da política e de sei lá mais o quê. Quantas vezes já Pinto da Costa não disse que estava no último mandato? O que me preocupa no Sporting é não ver nenhum projecto alternativo e consistente. Todos os que alinham contra Soares Franco é na base do insulto. Isso é que me chateia à brava.

Jean-Paul Lares disse...

Como fui eu, mais uma vez, a escrever as linhas citadas, posso perguntar-te qual é o trabalho que O JOGO faz, e que lhe compete? :)

kovacevic disse...

Qual é a dúvida? O trabalho de ouvir pessoas, reunir informação, divulgar o ponto de situação.