segunda-feira, setembro 22, 2014

Coisas difíceis de digerir

É um pormenor, mas para mim é um pormenor importante: Lopetegui preferiu (julgo que Jackson não escolheu sozinho) ver a bola travada (pela água) no ataque ao risco de isso acontecer na defesa. A tracção à frente que vimos contra o BATE esgotou-se nesse jogo. É o regresso aos pré-requisitos e às perdas de pontos à mínima contrariedade. É também o regresso aos disparates de Maicon (que falha Alvalade) e àquela tripla que tão bom resultado deu em Guimarães. No meio de tantas mexidas, numa altura que devia ser de consolidação da exibição e da goleada obtidas a meio da semana, Lopetegui conseguiu voltar a juntar Rúben Neves, Casemiro e Herrera no meio-campo. Com o mesmo resultado.

7 comentários:

miguel.ca disse...

Pois, os disparates começam a rolar a um ritmo assustador e começo-me finalmente a convencer que se calhar... se calhar, é outro barrete como o Paulo Fonseca out ainda pior porque tem uma equipa bem melhor.

littbarski disse...

Eu, para já, não estou tão pessimista. O Porto empatou dois jogos em que foi claramente superior e em que teve oportunidades suficientes para vencer. O jogo com o Boavista ficou condicionado por um erro do Maicon, do qual o treinador não teve culpa nenhuma. Além disso, contra o BATE, acho que tivemos uma amostra do potencial deste plantel. Estes são sinais positivos.

Dito isto, o problema da gestão de esforço e da rotatividade exageradas é este: de um jogo que era para ganhar tranquilamente e depois então gerir, passou-se para uma situação de maior desgaste e de muito mais pressão para o próximo jogo, devido ao resultado negativo. Só espero que Lopetegui não se lembre de poupar em Alvalade para o jogo da Champions.

Se Lopetegui não perceber que, contra a maioria das equipas do nosso campeonato, o Porto tem é de ir para a frente e tentar resolver logo as coisas, em vez de andar a «maturar» a vitória entre a defesa e o meio-campo, temo que passemos mais uma época a correr atrás do Benfica, agarrados a coisas como a esmagadora posse de bola (ontem foram 82%) e as pouquíssimas derrotas, mas dependentes do que o Benfica deixar cair para poder chegar ao título.

miguel.ca disse...

Condicionado por um erro do Maicon??? O Porto tem obrigação de golear este Boavista de distritais a jogar com 6!!!
Nós não ganhámos porque Lopetegui insiste num meio campo desprovido de qualquer rasgo de creatividade, porque não soube mudar o rumo dos acontecimentos queimando duas substituições de forma absurda e não consegue criar uma dinâmica de ataque que envolva mais do que dois jogadores e esta rotatividade absurda não se justifica à quarta jornada!!! Este período é de consolidação de um 11 tipo, não de andar a mudar 6 gajos de um jogo para o outro!
Temo mesmo que este ambrósio entre em queda livre se não começar a corrigir is disparates imediatamente.

Joao disse...

Jogo claramente condicionado pelo erro de Maicon...

Creio que Oliver faz muita falta naquele meio campo, onde as peças ainda não estão afinadas.

É bom lembrar que o nosso melhor médio defensivo é um (grande) puto de 17 anos...

condor disse...

Pronto o Maicon foi imprudente é um facto!
Imprudente e burro pois já cá anda há tempo suficiente para saber que não pode ser imprudente!
Poderia ser um pouco imprudente se o seu nome fosse por exemplo Enzo Maicon! Ou ainda Maxi Maicon!
Mas não é! É simplesmente Maicon!
Portanto vamos a alvalade ver se não há por aí mais uma encomendasita!

TMAT disse...

Expulsão justa, a entrada para além de imprudente, é violenta! Temo pelo futuro e segurança do Jorge Ferreira!

littbarski disse...

O Óliver faz falta? Para que serve o Quintero? Na próxima época, arriscamo-nos a perder os dois, um devolvido ao dono e outro por estar farto de esperar por uma oportunidade.