sexta-feira, junho 27, 2014

Play It Again, Sam # 143 - Bauhaus

Não, não estou a falar de Paulo Bento, até porque ele tem-no bem protegido, nem da peculiar preparação dos ganeses para o jogo que quase trazia o apuramento aos nossos bravos heróis. Falo de um dos primeiros jogos de Mundiais que eu vi, entre a Alemanha de Rummenigge e do meu primo Littbarski, e a Argélia de ninguém.

Foi em 1982, na Espanha, que a selecção africana surpreendeu o mundo ao vencer por 2x1, sendo que um dos golos foi marcado por um tal de Rabah Madjer, que mais tarde, com uma camisola mais bonita, haveria de compensar largamente o abalo que trouxe, nesse dia, aos olhos ingénuos de quem acreditava que o Littbarski ia pedir a bola ao Schumacher, fintar toda a gente (inclusivamente os companheiros de equipa) e marcar um golo que nem o Maradona se atreveria a tentar repetir. E ia fazê-lo pelo menos três vezes, para não deixar dúvidas a ninguém.

No próximo dia 30, quando um sol mais velho e sensato estiver prestes a deitar-se sobre o Guaíba, em Porto Alegre, estas duas selecções vão reencontrar-se. A Alemanha continuará a ser superfavorita, mas este tem sido um Mundial fértil em surpresas e em desilusões europeias (a Rússia foi só mais uma). E os alemães merecem ser castigados, por não terem dado 5 aos EUA, não merecem?

Música: "Kick in the Eye"
Álbum: "Mask", 1981
Interpretação: Bauhaus