domingo, junho 29, 2014

Brasil x Colômbia, nos quartos-de-final

Júlio César - o Ricardo do escrete -, o poste (no último penalty) e, antes disso, a barra (no último minuto do prolongamento) evitaram o colapso brasileiro. Desta vez, houve nenos Neymar (que, segundo Scolari, jogou condicionado depois da entrada de Vidal) e mais Hulk, no melhor e no pior do Brasil. O Chile terá de guardar o mundo de futebol que existe debaixo da careca de Sampaoli (cada vez gosto mais dos comentários de Luís Freitas Lobo) para outra oportunidade. Segue-se a Colômbia.

A histórica Colômbia de James, que já não é só a principal figura da equipa, é também uma das figuras do Mundial (o primeiro golo é fabuloso), mas também de Ospina, Zuniga, Armero, Cuadrado e, claro, do «nosso» Jackson. É uma delícia ver a selecção de Pekerman jogar. E é uma pena que não esteja lá Falcao.

Sem comentários: