quinta-feira, abril 17, 2014

Uma derrota humilhante

Mais de meia equipa base folgada para este jogo, uma hora em vantagem numérica e mesmo assim não chegou. Claro que podemos lamentar o resultado escasso, no jogo da primeira mão, discutir se Reyes cometeu falta sobre Sálvio. Ou pensar porque é que, apesar de ter mudado de treinador e de modelo de jogo, a equipa continua a evidenciar as mesmas fragilidades. E porque é que Luís Castro, em condições bem mais vantajosas, não conseguiu fazer melhor do que fez o seu antecessor, no jogo do campeonato.

21 comentários:

miguel.ca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DC disse...

Se calhar porque tem jogado de 3 em 3 dias e portanto é jogar, recuperar e jogar outra vez, sem tempo para mudar nada. E se calhar porque era um treinador do Porto B cujo auge da carreira tinha sido o Penafiel.
As voltas que se dá neste blog para tentar desculpar o miserável Paulo Fonseca...

Joao disse...

Sem dúvida que o grande problema desta época foi Paulo Fonseca, mas a defesa (principalmente a defesa...) continua a cometer erros inacreditáveis...

littbarski disse...

Eu não estou a tentar desculpar ninguém. Mas parece-me cada vez mais evidente que a incompetência de Paulo Fonseca não chega para explicar o que se está a passar esta época.

Joao disse...

Ontem também estava a pensar nisso. Com estes erros individuais não há treinador que aguente...

11 derrotas numa época!!!! Foda-se lá para os gajos...

Falta uma voz de comando naquela defesa, falta um tipo mais velho, à Porto - que não quebre em situações difíceis...

Também me lembrei de Vitor Pereira e da forma como a equipa fazia da defesa o ponto de partida para o sucesso...

DC disse...

Não chega? Então explica-me se uma defesa que tinha os mesmos 4 elementos mais o mesmo Fernando na frente passa da melhor defesa de Portugal e uma das melhores da Europa para isto por culpa de outro que não o treinador.
O treinador arrasou a equipa, matou-a completamente.

Depois, o que se fez em Janeiro com as dispensas de Nico e Lucho e a vinda do cancro Quaresma vieram ainda agravar os problemas. Mas o vírus já lá estava.
Tínhamos uma defesa a roçar a perfeição, agora temos gente perdida em campo. Isso é treino, são rotinas, é totalmente responsabilidade do treinador. Erros individuais hão-de acontecer sempre, aconteceram na final da taça da liga e na taça de Portugal com VP, com erros absurdos de Danilo e Abdoulaye, mas com ele, como era um grande treinador, aconteciam pouco. Porque havia organização, havia método, havia competência.

Ontem houve um erro individual grave do Siqueira, mas a equipa reagiu. Erros individuais podem explicar um jogo, não podem explicar uma época.

Tiago disse...

E porque é que o Quaresma continua a jogar.

littbarski disse...

Seis semanas depois de ter tomado conta da equipa, Luís Castro entra na Luz a ganhar por 1x0, apanha um Benfica desfalcado, que jogou uma hora em desvantagem numérica, deixa Josué e Quintero no banco até a equipa ficar no fio da navalha (o primeiro) e pendurada pelo pescoço (o segundo), consegue a proeza de perder o jogo e a eliminatória e a culpa é de Paulo Fonseca? Pelo amor da santa...

littbarski disse...

Aliás, acho curioso que uma semana depois de Luís Castro ter tomado conta da equipa, já se notavam diferenças evidentes. Agora, que as coisas começaram a correr mal, afinal, não houve tempo para mudar nada.

littbarski disse...

Repito: não estou a defender a incompetência de Paulo Fonseca. Mas não chega para explicar o que se está passar.

Joao disse...

Não há desculpa...

O problema está nos jogadores, sinceramente começo a achar que cometem erros deliberadamente...


DC disse...

É claro que se notaram diferenças evidentes. Desde logo o fim do terrível duplo pivot.
Agora o homem não podia fazer milagres face ao abismo em que estávamos. Digamos que ele conseguiu escalar um bocadinho mas continuamos bem lá no fundo. E o que ele escalou o Quaresma ajudou a afundar novamente.

E jogadores? Ou o Moutinho é o melhor jogador do universo ou não consigo perceber como, mantendo 10 jogadores titulares (9 se considerarmos James mas ele perdeu uma grande parte da última época) se passa de 0 derrotas para o 3º lugar.
Vocês não vêem o JJ? Perde o Matic, o melhor jogador da época passada, e não se passa nada?

Joao disse...

Acabou o mito de que no Fc Porto qualquer um é campeão...

Mais do que perder Moutinho e James, perdeu-se um treinador que contra tudo e contra todos, até dentro do balneário, conseguiu ganhar dois campeonatos seguidos, pôs a equipa a jogar futebol (mesmo que esse futebol fosse esteticamente fraquinho...) e a continuar a infernizar a vida a Jorge Jesus...





littbarski disse...

João, é óbvio que nem todos os treinadores são campeões no Porto. Tão óbvio, que não faz sentido interpretrar a frase literalmente. Aquilo que ela pretende dizer é que é mais fácil ser campeão no Porto do que em qualquer outro clube, em Portugal. Pode ser pretensiosa, mas a verdade é que cerca de 2/3 dos treinadores que por cá passaram, nas últimas 3 décadas, acabaram mesmo por ser campeões. Não há mais nenhum clube em Portugal que ofereça esta probabilidade de sucesso a um treinador.

Por outras palavras. Artur Jorge treinou o Porto e o Benfica. Foi campeão no Porto. Ivic treinou o Porto e o Benfica. Foi campeão no Porto. Robson treinou o Porto e o Sporting. Foi campeão no Porto. Fernando Santos treinou o Porto, o Benfica e o Sporting. Foi campeão no Porto. Mourinho treinou o Porto e o Benfica. Foi campeão no Porto. Jesualdo treinou o Porto, o Benfica e o Sporting. Foi campeão no Porto. Conheces algum treinador que tenha passado pelo Porto sem ser campeão e o tenha sido noutro clube em Portugal? É isto que essa frase quer dizer.

Costa disse...

Como é possível que alguém criticasse tanto o VP sendo bi-campeão e tenha tanta condescendencia para com o loser do PF ?

Coerência, please...

littbarski disse...

Durante duas épocas, os «verdadeiros portistas» eram aqueles que apoiavam o treinador incondicionalmente, nas vitórias e nas derrotas, nos êxitos e nos fracassos, sempre, sempre, sempre, sempre. Qualquer pessoa que criticasse o treinador, fosse em que circunstância fosse, merecia ser excomungada da família portista.

Agora, para se ser um «verdadeiro portista», não chega criticar o treinador, é preciso atribuir-lhe, sem contemplações, toda a responsabilidade de uma época falhada e considerá-lo o pior funcionário da história do clube.

De facto, é demasiada coerência para a minha camioneta.

Costa disse...

A coerência está na responsabilização pelos resultados obtidos...

A coerência está em utilizar um único peso e uma mesma medida...

Ser incoerente não é crime, mas tens que conseguir viver com isso.

littbarski disse...

E eu vivo bem com isso. Ninguém é sempre coerente e é natural que eu não o tenha sido em algumas situações. Simplesmente, acho curioso que seja uma das pessoas mais incoerentes que aqui comentam a apontar-me esse defeito.

miguel.ca disse...

Esta discussão de facto prova que a grande diferença é que dantes tínhamos uma estrutura apaixonada, unida, profissionalizada e a remar para o mesmo lado que permitia um ambiente de trabalho perfeito para tecnicos e jogadores permitindo que determinadas lacunas tecnicas fossem compensadas por essa redoma.
O que mudou mais foi isso mesmo. Parece-me que a SAD se transformou numa equipa de individualidades a tentarem-se safar e chupar o mais que podem antes que o circo acabe. O que levará esta malta a juntar-se outra vez, a reorganizar o projecto e a deixar de pensar em si mas sim no clue e em nós adeptos? NADA!

DC disse...

O que mudou foi a saída do treinador que conseguia disfarçar as falhas da estrutura.
Porque essas falhas já existem há muito. E se têm dúvidas vão recordar a época do Leo Lima e Leandro do Bonfim.
Felizmente nessa altura o 5LB esteve sempre muito fraco. Mas agora com JJ já não está. E nós deixamos sair o treinador que nunca perdia com ele.

miguel.ca disse...

É por isso mesmo que penso e insisto que neste momento o que o FCPorto e os seus sócios e adeptos precisam é de uma revolução sim mas não só na equipa de futebol.
Esta Administração já não tem mais nada de positivo para nos oferecer. Os seus anos dourados ficaram definitivamente para trás e hoje em dia há demasiadas coisas que não funcionam ou funcionam demasiadamente mal e que não acredito que esta SAD tenha capacidade ou vontade de mudar.
Entre aquilo que funciona péssimamente mal salta à vista a estrutura de formação, a comunicação e mais recentemente a anarquia em que se transformou a gestão do plantel principal.
A questão que se coloca ao sócio e adepto agora é simplesmente esta: "Tu acreditas que a actual Administração da SAD tem capacidade ou vontade de melhorar o que de péssimo se faz neste momento?"
Eu não acredito.