segunda-feira, março 10, 2014

Regressar às origens

Foi com Defour no lugar de Herrera, à frente de Fernando, e um futebol mais pensado e apoiado que o Porto tentou regressar às origens. A primeira parte foi tranquila, apesar do golo do Arouca. A segunda foi uma tremideira e eu confesso que temi o pior. Mas as entradas de Quintero e de Ghilas devolveram o controlo da partida ao Porto. Seguem-se dois jogos com o Nápoles e um com o Sporting, nos próximos 10 dias. Luís Castro tem de lutar contra o tempo, enquanto tenta estabilizar a equipa.

1 comentário:

miguel.ca disse...

Penso que a maior tarefa que ele tem pela frente é mesmo essa, estabilizar a equipa, porque talento eles tem.
Reorganizar os processos defensivos e re-inventar o Jackson são as tarefas que se seguem para depois tentar fazer explodir o Quintero, Ghilas, Kelvin e Herrera.