segunda-feira, fevereiro 10, 2014

"É lixo que vem da rua"

Dizia o ex-jornalista (só pode ser assim apelidado, desde que passou a repetir o que lhe segredam). Já com estruturas metálicas a voar à vista de todos, passou a ser a cobertura, "para além do lixo que vem da rua".

Pouco depois, era a alta toxicidade da lã de vidro e os espectadores (apanhados pelas câmeras) não devia estar a tocar nela, ao mesmo tempo que algumas dezenas de tipos, a mando da organização, a apanhavam à mão, à vista de todos.

"Evitou-se uma tragédia" é a conclusão de todos, hoje.

Como é que um benfiquista, ávido de conteúdos do domínio da idolatria, há-de conseguir pensar com este nível de comunicação diária a bombardeá-lo?

4 comentários:

miguel.ca disse...

É este proteccionismo bacoco, retardado e absolutamente ridículo que quase obriga quem não é benfiquista a detestar tudo que dali vem e sem que os benfiquistas tenham qualquer culpa nisso!
Custa assim tanto assumir que o benfica é apenas um clube do planeta terra com todas as suas qualidades e defeitos e com infraestruturas sujeitas a qualquer espécie de intempérie???
Acho que nem sequer seja culpa do benfica se os palermas que construíram o estádio tenham falhado redondamente em cumprir as regras de engenharia definidas para aquela estrutura.
É só mais um exemplo de um palhaço que confunde jornalismo com benfiquismo a juntar a tantos outros triliões de exemplos.

sar disse...

http://www.segundonapaulista.com.br/2014/02/1-que-time-e-esse-brasa-futebol-clube.html

Mr. Shankly disse...

"Como é que um benfiquista, ávido de conteúdos do domínio da idolatria,"

Adoro.

Abutre disse...

Proteccionismo bacoco como aquele vetado ao clube de um dirigente encontrado morto num estádio algures no Norte do país?