segunda-feira, fevereiro 03, 2014

A oportunidade para um reset de circunstância

Paulo Fonseca continua a ser atropelado pela sua incompetência, mas também pela bola de neve que lhe puseram nas mãos e que Vítor Pereira conseguiu, com a preciosa ajuda do Benfica, empurrar com a barriga (não sem antes ser igualmente atropelado).

Ter uma equipa forte e vencedora não é incompatível com o negócio de compra e venda de jogadores, desde que as compras sejam feitas com critério e de acordo com as necessidades do plantel, e as vendas sejam uma consequência do sucesso desportivo, individual e colectivo, e não uma forma de tapar buracos criados por compras sem critério.

Não havendo um projecto sólido nem uma voz de comando capaz de definir uma missão credível e cativante, sobressai a parte perversa do interposto de jogadores, com os mesmos (com o capitão da equipa e património do clube à cabeça) a procurarem a primeira oportunidade para sairem, antes que o barco se afunde.

Um ano de jejum forçará os dirigentes portistas a redefinirem prioridades e a levantarem o cuzinho da cadeira para carregarem no botão de reset. Claro que, sendo uma imposição das circunstâncias (insucesso desportivo) e não uma opção estratégica a médio/longo prazo, dois ou três anos depois estaremos a debater o mesmo. Como já debatemos antes.

22 comentários:

.:GM:. disse...

Não me lembro de tantos jogadores a reclamarem por sua saída como nos últimos 2, 3 anos. Sempre houve jogadores a demonstrarem vontade de jogar noutros campeonatos, mas sinceramente não me lembro de serem tantos como nestes últimos anos. Para mim, isto é um reflexo sintomático de que algo vai mal a nível interno (administrativo) e a nível desportivo. Os jogadores não estão a jogar com vontade nem alegria, não riem, não brincam quando marcam, antes optam por expulsar raiva, quiça a frustração de algo que está e continua a correr mal. Reclamam por outros projectos para a sua carreira profissional da mesma forma que outros profissionais o fariam se não vissem futuro na sua empresa. E todos sabemos que o futebol é um negócio, não adianta esconder o óbvio e reclamar amor à camisola. São poucos os que o sentem e na maior parte dos casos aqueles que sabem que terem chegado ao seu clube do coração estará muito perto do máximo que poderão almejar na sua carreira. Só aí encontramos vontade de ficar, em jogadores como Josué ou Castro, com alguma qualidade mas absolutamente dentro da média. A questão que se coloca é com que mentalidade entram estes jogadores no Porto? O que lhes é prometido? O que lhes é exigido? Não sou pessimista mas não auguro um futuro minimamente positivo.

littbarski disse...

Curiosamente, o jogador mais inconformado com o actual estado de coisas foi também o último a chegar. Veremos se daqui a uns tempos o inconformismo de Quaresma se mantém e se ele continua a achar que nunca devia ter saído do Porto.

.:GM:. disse...

Conheço o Quarema pessolmente e tive oportunidade de falar várias vezes com ele antes de regressar ao Porto já sabendo inclusivamente que voltaria antes de começarem a surgir os primeiros rumores a esse respeito. Ele é Portista apesar de muita gente pensar que não. Antes de começar a jogar falava com vontade e continua a demonstrar essa vontade em campo. Ver um jogo do Porto ao lado dele, como vi o da Champions contra o Atlético foi bem demonstrativo do que ele sente pelo clube. Espero que de facto não "matem" esse inconformismo, nem no Quaresma nem nos poucos que ainda o têm.

Ribeiro dos Santos disse...

Como alguém disse ontem, num programa da TVI salvo erro, quando se acaba o jogo com um meio-campo composto por um ex-Estoril, um ex-Paços de Ferreira, e um ex-Pescara, (como bónus ainda se tinha um ex-Moreirense e um ex-Estoril lá na frente) não se pode pedir muito mais da equipa...

Estes 5 jogadores tinham zero jogos nas competições Europeias no inicio da época.

É certo que o cozinheiro não é lá grande coisa, mas querem omeletes sem ovos?

Ribeiro dos Santos disse...

Ouvi dizer que é por questões disciplinares que Otamendi vai deixar o Dragão...

Mr. Shankly disse...

Tens tanta razão. E tudo o que escreveste se aplica igualmente ao Benfica.

DC disse...

Engraçado que eu já o vi várias vezes acabar ou começar os jogos com 9 ou 10 ex-campeões nacionais sem derrotas...

O Mourinho ganhou a Champions com meia dúzia de ex-Leiria, ex-Setúbal, ex-Guimarães, mas ainda há quem tente arranjar desculpas para a atrocidade do treinador.

Aliás, não podia faltar o parágrafozinho a tentar associar o VP a esta miséria. O Littbarski é aquele intérprete manhoso que foi arrasado, é a única explicação que encontro para tanto incómodo com o treinador que em 2 épocas perdeu menos jogos que o PF em meia.

Ribeiro dos Santos disse...

Josué, Quintero e Carlos Eduardo juntos, têm 15 jogos internacionais feitos, entre selecção e A e competições europeias. Markovic tem 40.
Fejsa, Enzo e Gaitan têm 117.

Por acaso até foi um portista que referiu esse facto, e não é nada normal uma equipa como o FCP acabar um jogo com um modelo de jogo alternativo que DE CERTEZA nunca foi ensaiado nos treinos, e com jogadores de tamanha inexperiência naquele meio-campo.

DC disse...

Nuno Valente, Paulo Ferreira, Costinha, Maniche, Deco, Derlei, Pedro Mendes, Carlos Alberto, Postiga, etc tinham quantos jogos internacionais todos juntos em 2003? 20? Ou será que nem isso?

E o Lucho, Defour, Fernando e Varela têm quantas? Ou agora a comparação deve ser feita entre os que têm menos no Porto com os que têm mais no 5LB?

Continuem a dizer que é do plantel. Assim para o ano gastamos uns milhões em jogadores e vamos buscar outro treinadorzeco e continuamos a passar vergonhas.

littbarski disse...

1 - Este post não fala, em momento algum, da qualidade do plantel do Porto. Eu já disse, e repito, que acho que o plantel tem qualidade para bem mais do que está a fazer actualmente.

2 - A referência que eu fiz a Vítor Pereira foi para dizer que ele foi vítima dos mesmos efeitos colaterais da política de aquisições que afectam agora Paulo Fonseca (e que afectaram no passado, e que afectarão no futuro, outros treinadores). Mas como Vítor Pereira foi campeão, o problema foi empurrado com a barriga.

3 - O que eu disse no ponto anterior não anula nem desculpa a incompetência de Paulo Fonseca, que certamente a maioria dos portistas já percebeu, sem ter de olhar para o dedo em riste do DC, a afirmar até à náusea: eu avisei!

PS - Primeiros 30 jogos oficiais: VP - 19V, 6E, 5D; PF - 18V, 6E, 6D. Uma diferença arrasadora, segundo algumas interpretações nada manhosas dos factos que transformam 12 derrotas em duas épocas em menos derrotas do que as 6 que Paulo Fonseca leva em meia época.

miguel.ca disse...

Concordo com o DC. O plantel pode não ser dos melhores mas é bem melhor do que o do Sporting, por exemplo.
O Josué, o Ghilas e o Licá fizeram uma época fantástica no ano passado.
E de facto o Mourinho fez o que fez em 2003 e 2004 com jogadores ex-Leiria, ex-Setubal ou ex-Guimarães.
Eu vejo o Porto a jogar e aquilo não vale nada, nada, nada de nada e querem apontar a culpa à estratégia da SAD? Bom... sinceramente, eu odeio este caminho mercantilista radical que os comissioneiros na SAD resolveram tomar mas isso não disfarça o facto de que o Paulo Fonseca está a fazer um trabalho miserável... deplorável.
Entre centenas de opções disparatadas há uma de que nunca mais me esquecerei... Após dar durante cinco jornadas a titularidade ao Maicon que correspondeu às exigencias de forma categórica, chega à luz e dá o lugar ao Otamendi a propósito de nada numa absoluta falta de respeito pelo Maicon e o Argentino faz duas cagadas monumentais que dão os dois golos ao benfica. Se vocês fossem o Maicon, não mandavam o gajo para o caralho? Eu mandava!
O Paulo Fonseca foi um erro de casting monumental.

littbarski disse...

Miguel, a única pessoa que aqui falou em falta de qualidade do plantel é benfiquista. E eu não estou a responsabilizar a SAD do Porto pelo mau trabalho de Paulo Fonseca. Tem responsabilidade na escolha, mas o resto é culpa de quem não consegue fazer melhor com os recursos que tem à sua disposição. Mas não achas preocupante que haja cada vez mais casos de indisciplina e de insatisfação? Isto repete-se ciclicamente, desde que Mourinho saiu e é cada vez mais notório, quando as coisas correm mal desportivamente. O treinador sai, vem outro. Este problema fica.

littbarski disse...

Disto nenhum treinador tem culpa.

DC disse...

No tempo do Mourinho também houve casos de indisciplina e até foi o Baía, o vice-capitão que o teve. E se calhar, ao ameaçar o treinador, até foi bem mais grave do que os recentes.
Agora, nessa altura, havia um treinador a sério e essas coisas ficavam para 2º plano. Agora, como não há treinador, tudo o resto passa a ser desculpa.

Quanto às 12 derrotas, é o teu costume de usar os factos como te dão jeito. Eu este ano fiquei envergonhado por ver a minha equipa a festejar efusivamente um apuramento na taça da carica. Já tu deves ter ficado todo contente.
O VP teve 1 derrota em 2 épocas na competição que me interessa. Na 2ª competição que me interessa teve uma 1ª época má (ainda assim menos má que a actual) e uma 2ª onde cumpriu o objectivo definido. De resto, podes usar as estatísticas como quiseres, que já toda a gente chegou à conclusão que tinha que chegar e que tanto te indignou.
Eu não aponto o dedo a ninguém, simplesmente sempre defendi que o PF era um erro histórico enquanto tu ias buscar argumentos de m**** para o defender. Querias esperar mais um bocadinho, achavas que a época dele estava a ser igualzinha à do VP (ou até melhor porque não tinha perdido na taça de portugal), etc...

Agora, fica com as tuas conclusões. Eu, infelizmente, até podia apontar o dedo a toda a gente que a época ia continuar perdida. Ou então, se o PF não perder mais nenhum jogo na taça da carica e na taça de portugal vais ficar todo contente e dizer que fez muito melhor do que o VP. Não sei, de ti espero tudo.
Tudo menos perceber que mesmo quando ganhávamos havia sinais evidentes de que a equipa estava péssima e que era uma questão de tempo até as coisas ruírem. Tudo menos admitires que fomos de um bom cavalo para um grande burro, isso é que não...

P.S. A direcção fez muita merda este ano. Mas também o fez no ano passado, em 2005 e em muitos outros anos. Mas Jesualdo, Adriaanse ou Vitor Pereira tiveram capacidade para rentabilizar o plantel e criar uma equipa. Esta coisa que "treina" a nossa equipa, a única capacidade que tem para já é a de afastar os adeptos do estádio e a equipa dos títulos.

littbarski disse...

No tempo de Mourinho houve o caso Baía, que, como havia um treinador a sério e um jogador a sério que fez quase a carreira toda no Porto, foi resolvido da melhor forma. Mas há duas épocas não foi assim. E a meio da época foi preciso despachar vários jogadores para pôr ordem na casa.

Os meus argumentos de merda são iguais aos teus argumentos de merda, quando dizes que Vítor Pereira perdeu 1 jogo em 60. A diferença é que tu falas apenas dos números que te interessam, eu mostro os números todos.

De resto, nunca defendi que Paulo Fonseca estava a fazer um bom trabalho. Aquilo que eu disse foi que via mais semelhanças do que diferenças entre o que se passou há duas épocas e o que se está a passar esta época, e que isso me dava alguma esperança de ver Paulo Fonseca conseguir dar a volta por cima.

Estou enganado? Paciência. Não é isso que me preocupa. O que me preocupa é que o Porto encontre soluções para voltar montar uma equipa ganhadora.

Baresi disse...

"Tentarei apenas aqui expor uma visão da atualidade do clube , sem estar a referir casos concretos que poderia tornar este texto demasiado focado em situações particulares .
O que pretendo é apenas partilhar alguma informação que contribua para uma reflexão sobre o presente e o futuro do clube .
Os factos que eu e outros users temos divulgado em diversas áreas do fórum, não serão aqui repetidos , embora vos diga que sempre os suportei com nomes , números e datas.

Considerandos :

1) Sou um adepto de 47 anos, “doente” pelo clube ,com 31 anos de sócio ,acionista ,sponsor , assíduo nos estádios e sem nenhuma ligação a qualquer dos intervenientes que irei comentar.
2) Nunca tive , não tenho e nunca terei qualquer interesse em fazer parte de qualquer cargo de dirigente desportivo no Porto , ou em qualquer outro clube.
3) Não procuro notoriedade em fóruns de “bola” ou em quaisquer outros , já a tenho devido á minha atividade em locais como D Económico , Expresso , TV`s , Exame …
4) Tenho experiência de gestão como responsável de um grupo de empresas com um orçamento quase idêntico ao do nosso clube .
5) As minhas opiniões baseiam-se em factos relatados direta ou indiretamente por elementos do grupo de trabalho, empresários de futebol, dirigentes, jornalistas e muitos amigos portistas .

É minha convicção que na Indústria do Futebol ( assim como em outras ) sempre existiu e vai continuar a existir corrupção e benefícios individuais ilícitos . Portanto sempre admiti com alguma naturalidade que o NGP e outros tivessem tido ao longo dos anos alguns proveitos próprios em algumas transferências e noutros negócios paralelos ao Clube e á SAD . Sempre fui um dos milhares de portistas que dizia “ enquanto o Porto for ganhando não me importo de saber para onde vai o dinheiro …” . O que mudou então ?

O que mudou claramente, é que começa-se a inverter a ordem natural do principal objetivo que é ter a melhor equipa e ganhar . Ou seja : Enquanto a prática antiga era identificar o jogador a comprar ou a vender, e no negócio existia uma comissão que podia ter alguns destinatários ( normalmente só na venda) , no modelo atual muitas vezes deixa-se de comprar ou vender o jogador que interessa em 1º lugar devido ao agente/intermediário do negócio , para se optar por alternativas com menos qualidade e com custos superiores, mas com o empresário certo.
Conclusão : desviamo-nos do objetivo principal , invertendo as prioridades do clube com os interesses pessoais de determinados dirigentes .

Baresi disse...

Outra das práticas atuais que não posso aceitar é o pagamento de comissões de intermediação escandalosas por compra de determinados jogadores , ou muitas vezes o empolamento do preço original na origem , gerando depois comissões invisíveis e não declaradas no relatório de contas . Existem alguns casos destes nos últimos 2/3 anos. Tenho dado vários exemplos com nomes , datas e números destes negócios sujos que vamos fazendo .

Por último os fundos , nada tenho contra fundos até porque sou participante em alguns ( não de futebol) ,desde que sejam bem utilizados para beneficio do clube e não em beneficio próprio.
Aqui o problema é algumas percentagens que vão ficando , e que depois dão origem a compras e recompras que normalmente geram maus negócios para o clube sem haver o mínimo risco para os detentores dos referidos fundos . Outro problema grave é quem são realmente os detentores dos fundos , havendo em algum deles ligações muito diretas a alguns dos atores principais deste filme .

Esta politica muito estruturada e profissional de criar uma rede de empresários/intermediários para controlar o máximo possível dos ativos , leva depois a várias situações de conflito com jogadores que não querem, e resistem á mudança exigida . Temos vários casos já muito falados como Iturbe , Rolando , A Pereira , Atsu etc … Em alguns destes casos os jogadores foram sujeitos a várias torturas dignas de um excelente filme de suspense sempre com final pouco digno para os jogadores e com prejuízo com o clube . Nesta altura existe uma rede de três empresários que fazem mais de 80% das transferências/intermediações com o nosso clube.

Por outro lado nos últimos 2 ou 3 anos foi sendo montada uma teia complexa ,com a colocação de várias pessoas em determinados lugares chave do clube e da SAD, em que tudo é controlado de uma forma organizada e pré estabelecida com a finalidade de cada vez mais ir controlando todos os mecanismos que contribuem para a gestão do dia a dia. Quem quer manter alguma independência própria como V Baia ou outros , pura e simplesmente são atirados para fora da carruagem , muitas vezes por esvaziamento das funções .Que mal temos tratado os nossos símbolos ….

Um dos maiores exemplos é toda a formação , onde hoje em dia passam-se situações verdadeiramente escandalosas (algumas delas relatadas aqui por vários users).Luís Castro é o pião certo neste jogo.
Não posso deixar de salientar algumas transferências e vencimentos escandalosos na equipa B , que vão contra o que deve ser uma verdadeira estratégia de formação que suporte o futuro.
Outro dado importante é que ao longo deste período vários diretores que tinham um papel muito ativo no clube foram sendo afastados dos centros de decisão ,sendo nesta altura quase meras figuras de decoração e entretenimento .

Está então na altura de introduzir a principal questão : Como permite o NGP que tudo isto aconteça ? Porque não muda os gestores que contribuem para esta situação ?

Baresi disse...

Tudo começa com o processo apito dourado onde o NGP sofre claramente uma exposição mediática muito negativa , ficando a partir dai muito condicionado a tratar de muitos dos assuntos mais sigilosos e determinantes que existem na gestão de um clube profissional de futebol . Esta ocorrência originou que nos anos seguintes a 2004 PDC começasse a delegar grande parte desses assuntos em três dirigentes ; Adelino Caldeira , Fernando Gomes e Antero Henriques que em 2005 é nomeado Diretor Geral do Futebol . Embora fossem ocorrendo durante esses anos ( 2005-2009) alguns poucos episódios já preocupantes , as coisas foram correndo bem e Antero Henriques foi ganhando protagonismo muito por culpa da suas reconhecidas capacidades de gerir o grupo de trabalho e tudo o rodeia.
Com uma notável sobriedade e eficácia foi tratando cada vez mais dos dossiers mais complicados como arbitragem ,transferências e dia a dia da equipa de futebol.

Adelino Caldeira com as vitórias jurídicas alcançadas foi ganhando “peso” junto de PDC e tornou-se joker em várias transferências , meio onde ele sempre se movimentou bem fruto da grande proximidade que teve até determinada altura com o empresário JM.
Fernando Gomes começou a discordar da politica de contratações deste duo e em 2010 bateu com a porta sendo o seu lugar ocupado pelo regressado Angelino Ferreira a pedido expresso de PDC.
Ou seja , PDC começou cada vez menos a tratar de dossiers muito importantes do dia a dia e distribuiu cada vez mais competências ao DG e AC , ficando o DG com as partes mais interessantes de gerir.

A partir de 2010 -2011 com a época de enorme sucesso desportivo, começou verdadeiramente a existir uma politica de contratações em muitos casos ruinosa para o clube conforme atrás explicado , e PDC tem cada vez menos intervenção nos processos de transferências de jogadores dando aprovação aos mesmos sem conhecer em muitos os pormenores mais picantes.
Claro que confia plenamente no DG e não deixa de ser o responsável máximo pelo clube , mantendo unicamente Presidencial a escolha do treinador.

A partir do inicio da época 2011-2012 começam-se claramente a formar duas fações dentro do clube , os que fazem parte da teia montada e os que estão contra essa forma de gerir o clube.
Este último grupo cada vez mais numeroso , mas ao mesmo tempo silencioso e com medo das constantes represálias de que é alvo . Esta é uma “ guerra” em surdina na qual muitas vezes as duas partes tem de se aguentar uma á outra mantendo uma ideia de união para fora como aliás se exige em qualquer sociedade cotada em bolsa .

A escolha de treinador é claramente um fator importante neste jogo de poder , e VP era claramente um ” yes man “ apesar de nas últimas semanas se ter zangado com o DG .
Isto porque tinha descoberto que o mesmo DG já tinha apalavrado Lj . PDC tratou então pessoalmente de contratar PF para tentar manter alguma independência …

O problema é que cada vez PDC está cada vez mais ausente ( por vários motivos que não vão mudar) , e o DG com toda a sua inteligência e persuasão falando como responsável da SAD no seio do grupo , vai cada vez mais manietando e condicionando algumas opções logo no inicio da época. Atendendo á proximidade que vão tendo no dia a dia ( estágio inicio época , estágios jogos , treinos , jogos etc…),é com alguma naturalidade que algumas coisas foram acontecendo, como por exemplo lista de dispensas e Champions ,diferentes das primeiras do próprio PF. ( alguns users falaram nisso).

Baresi disse...

Interessa também aqui focar o papel de APDC – Depois de vários anos de zanga familiar pai e filho voltam a conviver e logo de uma forma quase diária e muito intensa .
APDC acaba por rapidamente se juntar aos diretores mais antigos que em silêncio contestam esta atuação da SAD á já algum tempo , só que ao ter conhecimento de vários destes negócios começa a relatá-los ao pai provocando uma nova fase de todo este relacionamento ( esta fase começou á cerca de 1 ano ) ;

A fase do “ toda a gente desconfia de toda a gente e cada um tenta fazer os seus negócios á custa do clube “

A partir daqui PDC começa a questionar algumas contratações , ou a fazê-las diretamente ele com os clubes em questão ou a dar mandatos á empresa do filho para as fazer .
É importante aqui referir que apesar de nestas contratações as comissões serem normais , discordo completamente de isto acontecer e acentua que os motivos de toda esta guerra sejam em grande parte os milhões que se movem no mundo do futebol . Aqui tenho uma opinião um pouco dura com PDC , pois acho que ele se julga em tal patamar de inquestionável , que não se importa que o clube faça negócios com o filho ás claras de todos .
Outra leitura ,é que isto também pode não ser inocente , dado que ele sabe o que isso ia provocar em parte da SAD ….

Esta última fase tem sido penosa em termos de relações entre pessoas e cada vez mais existe um contar de espingardas . Acho que PDC vai gerindo com muita mestria este saco de gatos sem que saia cá para fora grandes questões , e acima de tudo mantendo uma tradição de vitórias . E ai desculpem , mas se os dois últimos títulos não tivessem caído do céu não sei se PDC não teria escrito pelo menos mais um capitulo no livro .

Baresi disse...

Conclusão da resposta á pergunta principal :
Em nenhuma sociedade se pode pura e simplesmente despedir , ou dispensar um diretor( ou vários) que tenha tido conhecimento dos dossiers sigilosos e principais durante vários anos . Não é assim que se faz.
Se alguma dia isso acontecer , vai ser com acordos milionários de confidencialidade e de uma forma a não deixar a imagem das pessoas em causa prejudicadas.
Nunca se poderia passar para o mercado a ideia que somos um clube mal gerido e com problemas de legalidade que prejudicam os acionistas e o próprio clube.
Para além disso imaginam o que cada um sabe de podres dos outros destes anos todos com apitos pelo meio ! Devem conseguir imaginar .
Portanto esta é uma questão que não vai ser fácil de resolver , até porque no fundo ninguém quer largar o osso . Todos vão convivendo entre eles enquanto a galinha der ovos para todos ….

O que mais me preocupa ?

Claramente a falta de disponibilidade física do NGP e que começa a limitar bastante as suas ações . Mais do que nunca precisava de estar no pleno das suas capacidades para por ordem na casa .
Só não sei como , mas tenho a certeza que ele não vai querer deixar o clube em alguém que ponha os interesses pessoais acima dos do clube . Isso ele nunca fez .
Apesar de tudo é sempre o máximo responsável por tudo o que tem acontecido e foi ele que escolheu diretamente as pessoas que lá estão . Percebo que mesmo ele não pode acertar em tudo, e em algumas dessas pessoas a partir de determinada altura falhou.

A ideia atual mais importante a reter é que o NGP é claramente nesta altura o elo de sustentação do pouco equilíbrio que existe em toda a estrutura ( SAD e Clube)
O meu desejo é que o NGP tenha saúde por mais uns anos e tente retomar coletivamente uma politica de ; primeiro o Porto , depois o Porto e só depois o Porto .

Não me vou alongar mais , apenas peço desculpa por alguma imprecisão em alguma data , pois todo o texto foi feito recorrendo em exclusivo á minha memória.

Volto a reafirmar que não tenho qualquer objetivo que não seja o melhor para o “nosso Porto” e que nada me move pessoalmente contra nenhuma das personalidades aqui referidas .
Optei por aqui não repetir os factos que sustentam toda esta opinião , para que este texto sirva para um debate não centralizado neste ou naquele negócio .
Tento assim contribuir de forma construtiva para o esclarecimento de muitas perguntas que por aqui legitimamente tem sido feitas.
Quero aqui resguardar de toda esta confusão um portista e dirigente exemplar ; Angelino Ferreira ."

miguel.ca disse...

Caro Baresi, obviamente sem a incrível base de dados de que você aparentemente dispõe, acho que na cabeça de qualquer Portista, pelo menos na minha, o guião do filme é mais ou menos esse. Eu não sei dos detalhes mas tenho a perfeita consciência do pântano em que se tornou aquela SAD e o que move muita daquela gente.
Acredito em si quando diz que o PC tem as mãos atadas no que toca a limpar alguma daquela escumalha dali para fora pelo que defendo desde 2004 e cada vez mais esta teoria...
... O ultimo acto de amor de Pinto da Costa pelo clube da sua vida e do seu coração seria por um termino ao seu reinado de 30 anos. Com a dolorosa queda da sua Presidência, cairia também toda aquela administração e todos os cancros nela instalados.
Corremos o risco de nos aparecer um orelhas ou um Bettencourt? Claro que sim mas também seremos sócios inteligentes o suficiente para evitar que tal mal nos aconteça mas uma coisa é certa, da forma que as coisas estão actualmente, não me parece que o futuro seja muito risonho.

littbarski disse...

Alguém que vai metendo algum do clube ao bolso não é uma pessoa para quem primeiro está o Porto, depois o Porto e só depois o Porto. Não sei se alguma vez Pinto da Costa foi essa pessoa que não ganhava nada com o clube, por baixo da mesa. Acredito que sim. Mas duvido que o seja hoje. E digo duvido porque não tenho dados que me permitam ter certezas. Não tenho informação privilegiada. Aquilo que sei é aquilo que leio e ouço. E são demasiadas histórias, a coincidirem com aquilo que vemos de fora, para serem todas mentira. Além disso, acho muito pouco provável que alguém consiga permanecer tanto tempo numa actividade que envolve tanto dinheiro e tantos jogos de bastidores, sem acumular uns quantos podres pelo caminho. E também acho inconcebível que toda as pessoas que rodeiam Pinto da Costa se tenham deixado corromper pelo dinheiro e que o presidente seja uma espécie de santidade, atraiçoada por todos elas.

No dia em que Pinto da Costa sair, se entretanto não se vir envolvido em mais nenhum escândalo que o faça sair pela porta pequena, merecerá uma estátua, por ter transformado o Porto no grande clube que é. Mas terá também um lado perverso associado, que os adeptos portistas desvalorizarão e perdoarão e que para os outros adeptos (sobretudo os dos clubes rivais) será tudo.