sexta-feira, janeiro 03, 2014

O pior registo ofensivo dos últimos oito anos, nove meses e nove dias

Segundo um artigo d'O Jogo (destacado, hoje, no Reflexão Portista). Um registo medido em remates e cantos, mas contado em dias, para reforçar uma ideia: «há três mil duzentos e quatro dias [agora, presumo, 3206] que o FC Porto não produzia menos num jogo oficial.»

Julgo que não são necessárias estatísticas para quem viu o jogo perceber que o Porto jogou mal, que foi dominado na segunda parte e que tem a agradecer a Fabiano o facto de ter saído de Alvalade com o empate. Mas:

1 - Este foi um jogo daquela competição que só o Benfica valoriza, certo?

2 - A última vez que o Porto ganhou em Alvalade foi em 2008 e, com melhor ou pior registo ofensivo, um 0x0 é melhor do que um 2x0 (também em 2008), do que um 4x1 (em 2009) e do que um 3x0 (em 2010).

3 - Estes indicadores ofensivos são uma excepção à regra. Por exemplo, na Liga dos Campeões, o Porto rematou sempre mais do que a equipa adversária, excepto no único jogo que venceu...

Assim sendo, não consigo encontrar outra utilidade para estes dados que não seja a de se juntarem à colecção de recordes, com igual relevância, de Paulo Fonseca.

4 comentários:

Ace-XXI disse...

A verdade é que o fcp foi completamente dominado mas também é verdade que conseguiu o resultado que queria, esta injustiça também é a beleza do futebol na champions o fcp foi superior aos adversários e perdia e no ultimo jogo podia ter sofrido uma derrota pesada e não sofreu golos.

João disse...

«O jornalista Carlos Gouveia de O JOGO foi esmiuçar as estatísticas dos jogos do FC Porto (excelente trabalho jornalístico).»

A ironia desarmante do ridículo. Semanas e semanas a fio com choros patéticos porque entrevistavam o AVB e não entrevistam o AVB, porque o JMR é demasiado brando com o o Fonseca e tem esta mania de se alicerçar em factos e números, agora o EXCELENTE trabalho jornalístico do tipo que foi ao zerozero. É a coerência típica do Reflexão Pereirinha.

«O problema é que este jogo não é um caso isolado. Esta época, os maus desempenhos têm sido frequentes e, em consequência disso, vários “recordes negativos” têm sido ameaçados ou mesmo batidos.»

O que nunca aconteceu com VP, o que facilmente visível pela imensa decaláge entre os resultados de ambos (11/12 vs. 13/14): +1 ponto para o campeonato.

«Foi o caso da Liga dos Campeões, sem uma única vitória nos três jogos disputados em casa (algo tristemente inédito no historial do FC Porto), e com os dragões a terminarem a fase de grupos com apenas 5 pontos (o 2º pior registo de sempre em 18 presenças na fase de grupos da Liga dos Campeões).»

Por oposição à memorável prestação quando fomos arrumados por Zenit, Shakthar e APOEL. Bons tempos!

«
Foi o caso da derrota em Coimbra para o campeonato (a última vez tinha sido no dia 15-11-1970, antes da revolução de Abril...), pondo fim a uma série de 53 jogos para o campeonato sem o FC Porto conhecer o sabor amargo da derrota.»

Aí está o mining típico. Há quantos anos não levávamos 3 batatas em Coimbra ou éramos arrumados pelo Braga de duas competições?

«Foi o caso dos três jogos seguidos para o campeonato sem ganhar – Belenenses x FC Porto; FC Porto x Nacional; Académica x FC Porto –, que fizeram parte de um Novembro horribilis, com apenas uma vitória (para a Taça de Portugal) em seis jogos.»

E mesmo assim, parece mentira.. só -1 ponto!

O nível habitual do Reflexão Pereirinha, principalmente aos comandos do censurador Correia. Nada de significativamente novo.


Hugo disse...

O João tem mesmo o fraco treinador que merece. Espero que estejas contence com este pseudo-treinador

João disse...

Isto às vezes parece que tem que ser desenhado: um Paulo Fonseca fraco não faz do Vítor Pereira treinador. Metam isso na cabeça. Já era um começo..