sábado, dezembro 21, 2013

Tirar a barriga da miséria

Eu sei que o Olhanense é o antepenúltimo classificado da Liga e que vinha de 5 derrotas consecutivas. Mas, numa época tão pobrezinha, ver o Porto jogar um jogo inteiro, marcar 4 e esbanjar mais uns 4 ou 5, de bola parada, corrida e velocipédica, encheu-me a barriga (e só espero que ainda haja lugar para as rabanadas). Deu para tudo: para Carlos Eduardo voltar a brilhar, para Herrera se estrear a marcar, para Licá continuar a falhar e até para Ghilas entrar (5 minutos) antes do tempo de compensações.

Quando o campeonato regressar, vai ser a doer, com um jogo dificílimo na Luz. Só então (antes há uma viagem de comboio a Alvalade e um jogo em casa com o Atlético que não devem dar para grandes conclusões) poderemos ver se há uma evolução consistente neste Porto de nuances e barba mal aparada. Mas, até lá, nenhum portista se pode queixar de ter ficado com o sapatinho vazio.

4 comentários:

.:GM:. disse...

Apesar de tudo o que foi feito de bom voltámos a entrar com 10 em campo. Licá destoou pela negativa.

jose reyes disse...

corrige comboio e apaga o comentário

littbarski disse...

Era um comboio a vapor a fazer marcha-atrás... :)

Ribeiro dos Santos disse...

os 2 primeiros golos de canto poderiam entrar no compêndio "como não defender cantos á zona".
Pior esta época nesse aspecto, só mesmo o Benfica.