domingo, dezembro 09, 2012

Oh derby, my derby

Um adepto leonino encontra-se cara a cara com o génio da lâmpada, mas alemão. Este génio diz-lhe: preferes cortar uma taça de Portugal ao palmarés do Sporting ou apagar para sempre, da história e da memória, os 5 a 3 ao Benfica em 16 de Abril de 2008?

(Podíamos inserir aqui uma pausa dramática, mas a resposta é tão óbvia que nenhuma pausa dramática produziria efeito)

Há pessoas que gostam de futebol porque acham que compreendem o jogo e sabem tudo o que vai acontecer durante os 90 minutos. E há outras que gostam de futebol porque há sempre um jogo em que acontece o que não sabíamos que ia acontecer. Eu sei que vocês sabem que faço parte do último grupo.

Na noite dos 5 a 3, o Sporting perdia 0-2 ao intervalo depois de levar um banho de bola em toda a primeira parte. Nada nos livros explica o que fazer nestas circunstâncias. A não ser o que fez Paulo Bento: esqueçam tudo o que treinámos e joguem à bola com tomates. O resto é história e nem o génio da táctica deixou de festejar o momento.

Portanto, amanhã, o meu maior desejo é que Vercauteren faça alinhar os seguintes: 

Patrício, Cedric, Dier, Carriço, Esgaio, Rinaudo, Adrien, André Martins, Bruma, Betinho e Capel.

Uma vitória sobre o Benfica com este onze não tem preço. É intemporal, como o derby.

kovacevic

1 comentário:

galvao99 disse...

Um "11" interessante,só Rinaudo não é da formação. O Dier tem que ser títular, a lateral ou a central.

Eu trocava 3 taças de portugal.

A imprevisibilidade, hoje e sempre, o melhor do futebol.