domingo, março 04, 2012

O Braga, o Sporting e o Triângulo das Bermudas

Depois de um golo sofrido e de algum sofrimento, o Braga virou o jogo contra o Nacional, começando com um golo de Lima (o 16.º que lhe permite igualar Cardozo no topo da lista dos melhores marcadores, depois de o paraguaio ter bisado contra o Porto) e acabando com uma assistência do mesmo Lima que, isolado perante o guarda-redes, preferiu passar a bola para Ukra, também isolado, mas sem o guarda-redes pela frente (a sexta assistência do ponta-de-lança que ainda não foi contabilizada pelo Mais Futebol).

Este golo diz muito do que é o Braga, uma equipa unida, coesa e solidária, em claro contraponto com o que se passa, por exemplo, na selecção (onde compreensivelmente se aproveita o talento individual que é do que de melhor há no mundo), ou, mais importante, no Porto e Benfica (que vivem muito do que conseguem as suas individualidades pagas a preço de ouro), ou no Sporting (onde nem o ouro parece ser suficiente).

Num exercício estatístico que testa a tese de que o ponta-de-lança do Sporting (e o Sporting raramente abandonou, durante a época, o desenho de avançado único) não tem jogo-oportunidades (basta ver um jogo dos leões, retirando Wolfswinkel da equação, cuja qualidade de remate ainda lhe permite transformar o pouco jogo que tem em alguns golos), o que é que aconteceu a quem jogou lá à frente? Como se viu, mais uma vez, ontem, em Setúbal, nada ou quase nada: Postiga 311 minutos, 0 golos; Rubio 83 minutos, 0 golos; Bojinov 378 minutos, 1 golo (presumindo que Rubio passou para a direita, quando Wolfs saiu contra o Zurich); Ribas, 300 minutos, 0 golos; Jeffren 64 minutos, 0 golos. São 1136 minutos (mais de 11 jogos) para um golo marcado pelo tipo que ocupa a posição. Um vazio, uma inexistência, um tipo de jogo que ignora a melhor posição para visar a baliza adversária. Qualquer exercício semelhante que se faça noutro clube do topo da tabela, não dá o mesmo resultado, todos marcam tenham 19 ou 35 anos, sejam sul-americanos estreantes ou não.

Voltando a Wolfswinkel, o dono do lugar, que na Liga fez 16 jogos e 1304 minutos, marcando apenas 7 golos (ainda por cima 3 deles de penalty), há uma estatística que é extremamente esclarecedora sobre o que passa no ataque do Sporting: Wolfswinkel tem neste momento 32 remates na Liga (contra 65 de Lima ou 58 de Cardozo, por exemplo), menos do que os médios Adrien ou Danilo Dias, menos 24 remates do que Michel do Paços de Ferreira, que tem menos minutos de utilização do que o avançado holandês. Há por ali alas e laterais que só têm olhos para a baliza (no caso de Capel é mesmo para o chão) e médios ofensivos que não estão a fazer o seu serviço na perfeição.

ps - não quero que te falte nada, RJP, abraço.

pps - o Filipe também reparou que se passa pouco no centro do ataque leonino, reparei agora, como se pode ler aqui no Jogo Directo.

master kodro

10 comentários:

kovacevic disse...

Excelente análise, camarada.

Ontem, em Setúbal, o Sporting terminou com 76% de posse de bola. De repente, lembro-me de duas finalizações do Ribas, ambas de cabeça, ambas sob marcação apertada dos centrais adversários.

Em relação ao Capel, é uma pena. Tem velocidade, drible, raça, imaginação. Falta-lhe sentido. Ele não sabe para onde cruza -- mas, pior ainda, os companheiros que estão na área também não fazem a mínima ideia sobre o espaço onde a bola vai cair. Só pode dar asneira, claro.

Do lado direito, temos Carrillo ou Izmailov ou Matias Fernandez, todos com tendência para entrar pelo meio em diagonal. Curiosamente, todos centram bem. Mas, o mestre é mesmo João Pereira. Vai por ali fora, coloca o Sporting com três unidades na esquina da grande área inimiga, e depois, quase inevitavelmente, flecte para dentro -- a jogada termina com um remate sem perigo ou um passe/cruzamento rejeitado pelas pernas de um defesa.

É cansativo.

O Anti Lampião disse...

concerteza que haverá punição ...

Los visitantes recuperaron aire y atacaron por el flanco de Hulk, a quien la afición del Benfica dedicó abucheos susceptibles de ser racistas (…)
Marca

Gabriel disse...

O despedimento do Domingos ainda vai enterrar mais o Sporting.
O Sá Pinto não tem unhas para aquela guitarra.

Tasqueiro Emigrante disse...

Eu tenho pena do Sporting, primeiro porque não joga nada e depois porque parece que deixou de ser um grande...

Vamos lá arrebitar e dar luta aos rivais da segunda circular...não pode ser só o Porto a ganhar ao Carnide :)

Férenc Meszaros disse...

Desde 2000:
Benfica - 7 troféus (2 Ligas, 1 Taça de Portugal, 1 supertaça, 3 inqualificáveis Taças da Liga)
Sporting - 9 troféus (2 Ligas, 3 Taças de Portugal, 4 Supertaças).

Para clube que parece ex-grande não está mal.

Moral da história: Para hipnotizar basta falar alto, esbracejar muito e ter jornais amigos. Não só resulta cá mas também no estrangeiro.

kovacevic disse...

Nem mais, Ferenc

cc disse...

Tasqueiro, faz um favor à malta: finge que vais cagar e desaparece...
E antes que te ponhas com coisas, sou Portista.

RJP999 disse...

Obrigado Kodro. Efectivamente, uma equipa que não da bolas de jeito ao avancado centro nao pode querer que ele marque golos. E dificil por ex analisar neste cenario o que vale Ribas. Apenas da para ver que nao tem muito jeito para receber bolas de costas para a baliza e com o defesa por tras... Mas o problema do scp e muito mais dramatico do que a falta de golos do ponta de lança. O despedimento de Domingos foi mais um dos tiros no pe que o meu clube vai dando ao longo dos anos. Deram-lhe sete meses, agora quantos meses vao dar ao sa pinto ? O problema nao esta no treinador, esta em tudo o que gravita a volta e tudo mina. O Vitor Pereira e um grande treinador ? Claro que nao mas vai ser provavelmente campeao..porque ? porque e treinador do FCP. So quando o SCP perceber que nao vale a pena ter treinadores atras de treinadores e fazer chicotadas psicologicas ao fim de sete meses e que conseguira ter alguma hipotese de lutar para ser campeao ( desde que tenha planteis competitivos ). Paulo Bento esteve la 4 anos, ganhou umas taças, ficou em segundo lugar 4 vezes, lutou num dos anos taco a taco pelo campeonato e teve sempre um plantel claramente mais fraco do que o dos adversarios directos...Deviam ter mantido o Domingos, nao tenho a menor duvida. Sa Pinto e so para o entusiasmo inicial e aquela treta da garra e de ser um grande leao etc..ja comecou a perder e a diferenca que vejo para domingos e que teve mais sorte nos jogos que ganhou, com os adversarios a nao aproveitarem as oportunidades que tiveram, algumas isolados frente a Rui Patricio...de resto, posse de bola e assim que me lembre nos 4 jogos sobre a sua orientação nao me lembro de oportunidades criadas pelo ataque sportinguista exceptuando os golos... Abraço

Tasqueiro Emigrante disse...

cc

benfiquista disfarçado de "Portista" há muitos...

Rearviewmirror disse...

No inicio da época o "Wolkswagen" foi posto num pedestal, um novo Van Basten que o Sporting tinha descoberto na Holanda.
Logo surgiram comparações com outros avançados como CArdozo e outros.
Que o holandês marcaria golos a catadupa. Que não precisaria de penaltys. Que isto e aquilo...

Estamos em Março, e este ponta-de-lança é bom avançado para um clube de meia tabela. Nos ultimos 22 jogos marcou 7 golos, 5 de penalty.
O Sporting não tem caudal ofensivo? Então coitados dos Edgares, Melgralejos, BAbas, etc que andam ou andavam pela nossa Liga...

Tirem as vossas conclusões.
Eu já tirei as minhas.