sexta-feira, março 16, 2012

Entrada (e saída) de leão

Bom, a saída foi quase de mansinho, mas isso interessa pouco face ao enorme feito confirmado no campo do City. Antes de mais, o meu respeito, Sá. Todo o meu respeito. Pegar numa equipa de rastos psicologicamente, que luta com o Marítimo pelo quarto lugar no campeonato, e pô-la a jogar desta forma, em casa e fora, com o Manchester City é digno de todos os elogios (pelo menos até ao recuo estratégico quase suicida). Engulo todas as palavras de desdém escritas nas últimas semanas. E não é a insistência de Mancini em Balotelli e em manter Touré e De Jong em campo que desvalorizam minimamente o feito fantástico dos leões.

Entretanto houve sorteios e só queremos que os ingleses continuem a desgraçar-se miseravelmente como tem acontecido nesta época de competições europeias. São os novos italianos. E relativamente ao Sporting, quem passa o City, não deve mesmo ter medo de nada.

master kodro

3 comentários:

Infante disse...

Estou a adorar ver os comentadores, seja na TV, seja na Internet, a falarem na "arrogância" do Manchester City e "oh, como subestimaram o Sporting", blá blá blá. Os mesmos comentadores que andavam há 3 semanas a dizer que o Sporting ia ser massacrado e tal. Fixe...

Em relação ao que foi, admito que estou a gostar desta debacle inglesa. Os tipos passam o tempo todo a gozar com o campeonato espanhol, sem perceberem que Real e Barça arrasariam QUALQUER campeonato onde jogassem.

E foi giro ver os cinco clubes espanhóis a passarem todos com uma classe do caraças. Pena que não possa haver uma final Valencia x Atletico, mas gostava de um Valencia x A.Bilbao ou Valencia x Sporting, claro.

Mas não desconto um Atletico x Schalke. Os dois jogadores mais desequilibradores estão nestes clubes: Falcão e Huntelaar (que alguns sportinguistas meus amigos diziam em Outubro que não chegava aos calcanhares do Wolverine, o qual devia ser, naturalmente, titularissimo na laranja mecanica...)

master kodro disse...

Caro Infante, eu não acho mesmo nada que tenha havido arrogância do Mancini ou do City. Aliás, bem pelo contrário: antes do jogo da primeira mão, o Mancini poupou mais de metade da equipa titular no campeonato para o jogo com o Sporting. E lixou-se na mesma. E a questão de manter os médios defensivos mesmo a ter que marcar 4 golos para passar, mostra tudo menos arrogância (mostra estupidez, mas isso é problema dele e de quem lhe paga).

Eu engulo tudo o que escrevi, bato palmas e fico extremamente satisfeito por poder fazê-lo.

Infante disse...

MK, quando falei em arrogância não me referia a ti, que tiveste humildade para reconhecer o exagero. Isto, apesar de no fundo, teres tido razão na tua posição anterior. O Manchester City era, de facto, favoritíssimo para esta eliminatória: estamos a falar do lider do principal campeonato europeu contra o 5º classificado (na altura) de um campeonato de segundo plano. Ainda por cima, o City tinha acabado de dar uma tareia a um clube que estava não sei quantos pontos acima do SCP. Acho que só mesmo os sportinguistas mais ferrenhos é que achavam que a eliminatória estava a 50/50.

Quando falei na arrogância referia-me Àquela lenga-lenga típica sempre que uma equipa favorita perde ou é eliminada por outra. Sobretudo quando a favorita vem de um dos principais campeonatos: é sempre a mesma treta: "oh, a arrogância perdeu face à humildade blá, blá, blá", "foram arrogantes e subestimaram-nos", como se tivessem acesso aos balneários e às palestras da equipa "arrogante".

Hoje em dia, parece que é proibido dizer "a equipa favorita perdeu porque os outros, pura e simplesmente, foram melhores". Não, tem que haver sempre uma "lição de vida" em qualquer resultado.