sábado, setembro 05, 2009

Dinamarca 1 x Portugal 1

Não faltará quem peça a cabeça de Queiroz, quem recorra ao clássico "e o burro sou eu?" ou mesmo a outros very-lights argumentativos de quem espera apenas o desastre para incensar treinador e jogadores. A verdade, claro, é sempre um nadinha mais complexa. Portugal fez um jogo sensacional, contra uma equipa de grande qualidade. Fez boa circulação de bola, foi criativo nas manobras atacantes, explorou as alas, jogou pelo meio, empurrou os dinamarqueses para a área e criou oportunidades suficientes para ganhar três jogos de futebol. Quer em 442, quer em 433, fomos sempre superiores, com uma garra e atitude que merecia outro resultado.

Não deu para ganhar? Pois não. A meu ver, por três motivos principais. Um, a finalização desastrada. Raras vezes terei visto tantos "golos falhados" como hoje, com Simão particularmente mal neste capítulo. Pergunto-me se Liedson não deveria ter iniciado o jogo no seu lugar. Por outro lado, importa dizer que Portugal defendeu mal na primeira parte, deixando as costas livres e permitindo venenosos cruzamentos. O lance do golo dinamarquês resulta de péssimas marcações individuais (muito mal Duda e Bruno Alves). Por fim, não esqueçamos um erro de arbitragem escandaloso no primeiro tempo (minutos antes do golo de Bendtner). Aquela mão tinha de ser penalty.

Em termos individuais, destaque para Deco, Ronaldo e Bosingwa (que segundo tempo!). Também gostei de Pepe e Liedson (bom golo). Nota negativa para Simão (quanto desperdício!), Duda (trapalhão) e os centrais, que me pareceram globalmente mal.

Nos próximos dias vamos ouvir repetidamente duas frases: estamos eliminados (algo que aliás já aconteceu várias vezes nesta campanha, a julgar pelos jornais e pelo blog do António Boronha) e estamos agarrados à calculadora. Como esta última afirmação é verdadeira, e porque no 442 não queremos que vos falte nada, fica aqui o que é preciso (para chegar ao play-off, naturalmente): ganhar os três jogos que restam e esperar que a Suécia empate um jogo (em Malta, na Dinamarca ou em casa contra Albânia), tendo Portugal que superar os suecos na diferença de golos. Como a Escócia seria neste caso o pior 2ºlugar, não há contas a fazer por causa do "pior segundo". É difícil? Muito. É impossível? Ainda não.

katanec

54 comentários:

JLC disse...

Portugal só dominou o "jogo sensacional" enquanto teve 6 médios em campo.

Gostava de ver quantos minutos já jogou esta selecção sem ponta de lança, desde que o CQ chegou.

Duda é muito fraco.

Qual a percentagem de jogos ganhos pelo Carlos Queiros enquanto seleccionador? Quantas vitórias tem CQ enquanto treinador de equipas séniores?

Quase obrigados a ganhar este jogo para ir ao mundial. A perder por 1 a 0. Fizemos 90 minutos com 3 centrais em campo. Fizemos 45 sem pontas de lança.

O jogador que podia render o Duda (o mais fraco do 11) ficou na bancada. Levou-se antes Miguel, possivel substituto ao melhor lateral da selecção.

Podia continuar, mas faz-me confusão como é que se considera CQ um grande treinador, se nunca fez nada sem ser com uma equipa que nem pelos nos sovacos tinha. E abrir garrafas de whisky ao Ferguson não conta.

Filipe disse...

Já que estamos numa de cenários hipotéticos, mesmo admitindo que ganhamos à Hungria, a Escócia até nos pode eliminar na diferença de golos. Teria que dar pelo menos 6-0 à Holanda mas já que queres prever todos os cenários...

Francisco disse...

Jogo sensacional? Bem menos!

Fizemos uma primeira parte de bastante bom nível. Inegável. Tivemos várias chances que permitiriam resolver o jogo. Outro facto. Mas, de resto, a Dinamarca pôde sempre seguir o seu plano de jogo (que era totalmente previsível) com relativa tranquilidade e o nosso técnico em nada o soube contrariar. A segunda parte foi miserável!

A prova máxima da insuficiência de Queiroz como treinador é o intervalo: no momento de ler o jogo, dar instruções à equipa, moralizar os jogadores e fazer mexidas, falhou completamente. A equipa voltou irreconhecível na segunda parte, totalmente incapaz perante a obrigatoriedade de se obter a vitória.

Não é impossível, não. Mas é altamente provável que Portugal vá estar fora do Mundial, 12 anos depois. Após ter estado em umas meias-finais na última edição e numa final e quartos-de-final de um Euro com o seleccionador anterior.

A verdade está á vista de todos e é irrefutável: os resultados com Carlos Quieroz são péssimos e um rotundo fracasso. A qualificação, numa quase milagre, pode atenuar este quadro, mas parece pouco expectável.

De qualquer forma, continuemos a apoiar e a acreditar até ao fim. É o que nos compete!

Rantas disse...

Concordo com a análise. Portugal fez um excelente jogo, excepto na finalização.

Muita gente agora pode dizer que CQ deveria ter colocado Liedson desde o início. Mas acredito que, se o tivesse feito e as coisas tivessem corrido mal na mesma, muitas dessas pessoas estariam a criticar o seleccionador por essa opção.

Resta-nos agora ganhar os 3 jogos que faltam e aguardar. Mais uma vez ficou demonstrado que o futebol não é uma ciência exacta. Portugal tem uma produção de jogo muito superior à que tinha nos tempos de Scolari, mas os resultados são inferiores...

Pedro disse...

Continuam a haver abéculas mentais que dizem que Portugal joga com 3 centrais. O Pepe é TRINCO...joga a número 6. Parecendo que não, todas as equipas jogam com UM TRINCO, até o vosso benfas tem um... o maior senão do CQ é acreditar piamente no Ronaldo...enquanto que acreditarmos que temos um MELHOR DO MUNDO não vamos a lado nenhum.


Três trincos...pfff deves ser daqueles que berra fora de jogo, mas nem conhece a puta da regra...

Luciano Rodrigues disse...

Completamente de acordo. Este jogo e o da 1ª volta em Alvalade são os 2 jogos mais inacreditáveis de massacre de uma equipa a outra sem resultados práticos. E atiram-nos para fora do mundial.

Curiosamente, como defendo sei lá desde quando (há uns 4 jogos), continuamos na corrida. Toda a gente se come aqui e volto a dizer como disse anteriormente: se ganharmos estes 3 jogos, estamos no playoff.

Luciano Rodrigues disse...

Explico melhor o fim do comentário: o grupo é muito equilibrado (de zero a 100, nós somos 83, Suécia é 80, Dinamarca 77 e Hungria 74). Por isso acredito que a Dinamarca borregue pelo caminho. Temos é de ganhar os 3 jogos. E atenção, que a FIFA não quer Portugal fora do Mundial. Por causa de Angola e por causa da Nike. Pode ser que sim...

JLC disse...

Pedro, o Pepe é um central, que jogou a trinco.

Jogar com Pepe, Bruno Alves e Carvalo, quando é obrigatorio ganhar...

O Pepe jogou a trinco, mas não deixa de ser central. O Simão e o Ronaldo também jogaram lá na frente. Não passam a ser pontas de lança.

Pedro disse...

Continuas a repetir o teu erro. Pela tua lógica se são centrais de raiz, não podem fazer a posição melhor que um trinco de raiz?? Queres mesmo apoiar esse erro? A ter de ganhar não é retirando o pepe e colocando mais um avançado ou sequer um médio de transição que o jogo mudava de figura. Hoje Portugal perdeu a oportunidade de ganhar devido as gritantes falhas de finalização. Ponto. Se crias 10 oportunidades e marcas 1 óbvio que te arriscas a não ganhar. Não partilho da ideia (errada e retrogada) que muita gente na frente significa golo. Há é muito treinador de bancada que percebe puto de futebol e demasiado de bola...

JLC disse...

Será então coincidencia que Portugal marca menos golos desde que deixou de jogar com pontas de lança?

Não é preciso jogar com muita gente na frente. Não é preciso meter lá 3 PLs e um central a ajudar à festa.

Eu so estou a pedir um ponta de lanla, durante 90 minutos.

Pedro disse...

Eu não apoio o liedson na selecção nem tampouco o pepe. Apenas o Deco pelo jogador que é e pela posição especifica. Agora JLC se me disseres que PL poderia ontem ter metido o CQ...o N.Gomes? Que não tem jogado no benfica? Algum miudo dos Sub-21? Não me parece que a tarefa dele seja assim tão linear, mas ele também não se ajuda a si proprio...se temos um leque de optimos extremos e ele desengata numa de PB, num 4-4-2 losango com 2 médios interiores nas alas....

Repórter H disse...

A mim o que me chateia verdadeiramente são 3 coisas:

1. Estas vitórias morais já não têm o mesmo sabor de antigamente. É que depois de ter provado das verdadeiras, já não é bem a mesma coisa.
2. As respostas do Sr. Professor do género da de ontem ""Não acho que se deva discutir táctica entre treinadores e jornalistas", só mostra que o Sr. é parvo ou pensa que todos os outros o são.
3. Não faço a mínima ideia onde é que enfiei a porra da calculadora!

master kodro disse...

Foi uma excelente exibição. Foram cerca de 35 remates, 10 oportunidades criadas flagrantes de golo, no terreno do adversário mais forte do grupo (que, julgo, que todos pensávamos que seria a Suécia).

Há muito a apontar a Carlos Queiroz nesta fase de qualificação que ainda não terminou. Mas há coisas que lhe são apontadas que me fazem comichão.

Explica-me a tua dúvida com os pontas-de-lança, JLC. Nesta fase de apuramento, antes deste jogo, Portugal fez 90 minutos (25 + 65, sempre contra a Suécia) em 540 minutos de jogo sem um ponta-de-lança. De resto esteve sempre um ponta-de-lança em campo. E quando não esteve um ponta-de-lança esteve lá o melhor jogador do mundo de 2008, melhor marcador da EPL 2008/2009 e melhor marcador europeu 2008/2009. Só que esse ainda não marcou em jogos oficiais nesta fase de apuramento.

Outras questões que pões que até são pertinentes. Eu próprio colocaria o Miguel Veloso a trinco no lugar do Pepe. Percebi que colocarias o Veloso a defesa esquerdo, embora ele não tenha brilhado aí nos últimos tempos, tem sido mesmo a trinco. Então e quem é que colocavas a trinco, que não fosse o "terceiro central" em campo? O Costinha? O Petit?

master kodro disse...

Bom, bom, era que a nossa estrela marcasse um golo aos 94 minutos de jogo como o Zlatan fez na Hungria e que foi o que nos deixou neste estado actual.

Sou dinamarquês desde pequenino, até ao fim da qualificação.

JLC disse...

"Eu não apoio o liedson na selecção nem tampouco o pepe. Apenas o Deco pelo jogador que é e pela posição especifica."

Está mais que visto que o Liedson joga numa posição específica mais necessitada do que o de numero 10, ou não?


Eu não disse que metia o Veloso a lateral esquerdo. Disse que ele era o unico capaz de substituir o jogador mais fraco da selecção (Duda), mas ficou na bancada.

O Ronaldo não é ponta de lança. Não interessa quantos golos marcou. Uma coisa é jogar solto, outra é jogar na frente. Metê-lo a ponta de lança tem dois efeitos. O nosso melhor jogador fica fora da posição em que melhor joga. O nosso ponta de lança não é grande ponta de lança.

Quanto a quem eu metia a trinco. Respondo-te como tu me respondes quando te pergunto quem é que o PB tem para jogar com extremos.

Não sou eu que selecciono os jogadores. Se precisa de trincos de raiz, chame um. Caso contrário, que se continue a jogar com 5 defesas e 5 médios, com adaptaçoes à mistura. Os resultados têm sido espectaculares.

Olha para os jogos que fez Queiros, oficiais e amigáveis. Conta quantos minutos estivemos sem um ponta de lança de raiz.

Pedro disse...

E as alterações tácticas ao intervalo???
LOL
Queiroz é um prato...

Temos pena!!!

JLC disse...

O que nos deixou neste estado actual, foi não conseguirmos ganhar a equipas com jogadores muito inferiores aos nossos.

Estamos em quarto, atrás de Dinamarca, Hungria e Suécia.

Deviamos ter o grupo quase garantido, com ou sem o melhor do mundo, com ou sem golos do Ibrahimovic.

master kodro disse...

As alterações tácticas aos intervalo, Pedro, foram no sentido de pôr Portugal a jogar como no tempo de Scolari, 4x3x3. Foram 15 minutos penosos e depois voltou-se atrás. E voltámos a dominar completamente o jogo e fizemos ainda mais remates do que na primeira parte e criámos tantas oportunidades de golo como na primeira parte, guiados por uma exibição absolutamente fantástica de Bosingwa, aquele que era pior que o Nélson, lembras-te?

Pedro disse...

É isso mesmo MK...sacana do Sargentão. Tens a calculadora aí à mão?

Precisa de ganhar o jogo e o q Queiroz faz? Tira Tiago q estava a ser um dos melhores na primeira parte e um excelente condutor de jogo.

Mas sim...continua a falar do Scolari..

Temos pena!!

master kodro disse...

JLC, não disseste que metias o Veloso a lateral esquerdo? Então metias quem? O Nuno Valente? O Paulo Ferreira? O Caneira?

E metias quem a trinco? O Costinha? O Petit? O Meira (ah não, era um terceiro central, também)? Diz lá.

Respondes da mesma maneira que eu respondo com o 4x3x3 que defendo para o Sporting? Eu já disse que se o Sporting não tem extremos é porque alguém fez um plantel para não ter extremos, que não fui eu. Com a matéria-prima actual, Pereirinha e Vukcevic.

Já te fiz as contas. Em 630 minutos de jogos oficiais, Portugal jogou sem ponta-de-lança durante 135. Desses, 110 foram nos jogos fora de casa com a Suécia e a Dinamarca. Percebes que é apenas cerca de um quinto do tempo, não?

Se precisa de trincos de raiz que chame um? Diz-me esse nome.

master kodro disse...

Eu não chamei sacana a Scolari. Estou a explicar-te o que se fez ao intervalo (com o qual não concordei depois do que passou na primeira parte). Tirou um médio e pôs o ponta-de-lança que o JLC queria. O JLC critica que se jogue sem ponta-de-lança. Tu criticas que se jogue com ponta-de-lança. Se calhar deviam estar a discutir um com o outro.

JLC disse...

E eu digo-te que se Portugal não tem trincos nem laterais esquerdos é porque alguem fez a convocatoria para não os ter.

Veloso a defesa esquerdo? Já te vi defender que o pior castigo que o PB lhe deu foi mete-lo a jogar a lateral. Também já o vi a dizer que só queria jogar a trinco e depois largou esta:
http://www.maisfutebol.iol.pt/seleccao/seleccao-treino-miguel-veloso-liedson/1086055-1194.html


Veloso é um trinco, que joga melhor a leteral que o Duda. Onde é que ele ficou? Na bancada.

JLC disse...

O Pedro criticou a saida do Tiago e não disse as palavras "ponta de lança" uma unica vez.

E eu, por acaso, concordo com ele.

Pedro disse...

Não MK, mais uma vez estás enganado.

Queiroz podia e devia ter lançado o Liedson e mantido a táctica. Não fez isso. Precisa de ganhar e mantêm elementos defensivos como Pepe e Meireles e tira um dos elementos q mais "alimentou" o ataque na primeira parte? Não faz qqr sentido.

Saía o Meireles, recuava o Deco para interior, Simão para "10" e ficava Liedson e Ronaldo na frente. A táctica era a mesma, a dinâmica era a mesma, dois interiores capazes de levar a bola para a frente com qualidade, um "10" muito rápido e com uma qualidade de passe e remate soberba e dois avançados capazes de resolver "sozinhos". Seria assim tão dificil? Pelos vistos...para Queiroz sim.

master kodro disse...

JLC, eu escrevo que defendo que o Veloso devia ter jogado a trinco e tu escreves isto:

"Veloso a defesa esquerdo? Já te vi defender que o pior castigo que o PB lhe deu foi mete-lo a jogar a lateral."

Tu dizes que o Duda é o mais fraco e que quem o podia substituir ficou na bancada. E eu é que defendo o Veloso a defesa esquerdo?

Eu dou-te os números dos pontas-de-lança porque tu queres sempre um ponta-de-lança. Portugal jogou 4/5 do tempo da qualificação com um ponta-de-lança. Quando jogou sem ponta-de-lança (nove décimos desse período), Portugal conseguiu 2 bons resultados teóricos (empates na Suécia e na Dinamarca).

Eu pergunto-te quem é que convocavas para defesa esquerdo e para trinco e tu falas-me no Paulo Bento e na falta de extremos no plantel do Sporting que ele criou.

Eu respondo-te Pereirinha e Vukcevic. E tu não me respondes quanto a quem convocavas para trinco e para defesa esquerdo.

Queres mesmo conversar?

JLC disse...

Já te disse que convocava o Veloso. Para uma posição ou para a outra.

Quando, como disse no primeiro post, somos obrigados a ganhar, preferia jogar com Veloso na esquerda e jogar com meireles mais recuado.

Se não fosse meireles dava moutinho.



Para mim, jogar com Pepe foi um erro. Não o tirar ao intervalo foi pior ainda. Deixar veloso na bancada também deu belos resultados.

master kodro disse...

Portanto, Pedro, tiravas o Meireles e deixavas um terceiro central, em campo. Tens que falar com o JLC, está visto.

Depois, punhas o Deco a interior, depois de tudo o que ele fez a 10 na primeira parte. Boa. Mudavas tudo o que tinha funcionado bem na primeira parte. Recuavas o Simão e o Deco.

Cerca dos 60 minutos já estávamos a jogar em 4x4x2 outra vez com o Liedson e o Ronaldo na frente. Reparaste? Ou nem reparaste que Queiroz concordou contigo depois de 15 minutos em que a ideia não funcionou?

Tu discordas que Queiroz tenha concordado contigo, imagino.

JLC disse...

"Eu dou-te os números dos pontas-de-lança porque tu queres sempre um ponta-de-lança. Portugal jogou 4/5 do tempo da qualificação com um ponta-de-lança. Quando jogou sem ponta-de-lança (nove décimos desse período), Portugal conseguiu 2 bons resultados teóricos (empates na Suécia e na Dinamarca)."


Empate a 0 na Suécia, empate na Dinamarca depois de um PL entrar.

ilustre.anonimo disse...

Factos:

.Portugal não depende de si
.4 Empates em 7 jogos
.2 vitória com Malta e Albânia
.Não vencemos nenhum dos adversários que estão à nossa frente (faltam 2 jogos com a Hungria)
.Não se discutem tácticas mas contam-se os penáltis não assinalados
.Antes do apuramento apregoa-se a renovação da selecção e convoca-se pela primeira vez um jogador com 31 anos
.Nuno Gomes não servia (talvez devido à tal renovação) foi agora convocado
.O azar, esse 'tipo' que voltou a perseguir-nos
....

master kodro disse...

Tu baralhas toda a gente, JLC, e quem sabe a ti mesmo. Começas a caixa de comentários a falar em jogar com três centrais em campo, como que dizendo que o Pepe a trinco, não deixa de ser um central.

Depois escreves isto:

"Não sou eu que selecciono os jogadores. Se precisa de trincos de raiz, chame um."

Acabas a defender que o "trinco" seja Meireles ou Moutinho, e manda a raiz para o caralho.

Foda-se, extraordinário, é o que te digo. Quando encontrares o trinco de raiz (eu encontrei o "meu", é o Veloso, mas tu queres pô-lo a defesa esquerdo) avisa-me (e manda uma mensagem ao Queiroz, porque ele ainda precisa de um).

Pedro disse...

LOL

JLC disse...

Vou dizer devagarinho, para ver se desta percebes.


- O Veloso devia ser o trinco da selecção.

- Depois de meio jogo mau por parte do Duda, e na necessidade de atacar mais, tirava-se Duda e mudava Veloso e Meireles. Para não se tar a tirar os jogadores que melhor estavam a jogar.

A diferença entre adaptar um central para trinco, ou meter lá um jogador capaz de transportar jogo, é grande.

Para que é que precisamos de Pepe no meio campo, com a Dinamarca encostada lá atrás? O Meireles não chega?


Quando encontrares uma equipa grande da europa que ande a ganhar jogos com 5 defesas e 5 médios em campo avisa-me. E manda mensagem ao Queiros. Ás tantas ainda vamos conseguir um resultado decente sem ponta de lança. Como um empate a 0 com a hungria.

JNF disse...

Esta questão do trinco está mal resolvida desde a saída de Petit. No centro do meio-campo português (não necessariamente a trinco) podem jogar Pepe, Meira, Meireles, Maniche, Tiago, Veloso, Moutinho, Manuel Fernandes e Carlos Martins. Estamos a falar de 9 jogadores para 2 lugares. Quando o seleccionador ou lá o que o Queiroz é ainda não se decidiu sobre quem deve lá jogar, queriam o quê, estar em primeiro? O que me assusta é pensar que o que vem a seguir a Querioz pode ser tão mau como ele. Pior que isso, só a continuidade dele. Se Queiroz sair, quem virá?

JLC disse...

O CQ sair? Porque?

Com os resultados "positivos" que tem? Ele consegue ir empatar à Suecia e à Dinamarca.

E se não se conseguiu melhores resultados, a culpa foi do Scolari. Que quando jogamos mal foi com a tactica igual à dele. Ainda bem que o grande CQ corrigiu o erro do brasileiro...

master kodro disse...

Decididamente não queres conversar, JLC. Não vem mal ao mundo.

JNF, o Queiroz já se decidiu. É o Pepe. Eu discordo. Acho que deve ser o Veloso.

Já o JLC diz que não pode ser o Pepe adaptado, mas pode ser o Meireles adaptado ou o Moutinho adaptado, mas afinal deve ser mesmo o Veloso, embora o Veloso devesse ter jogado a lateral porque o Duda é o pior do onze (e não tive que pôr palavras na boca dele, ao contrário do que ele fez).

nm disse...

Foi um bom jogo de Portugal. Dizer que foi uma excelente exibição quando durante quase metade da segunda parte mal cheirou o jogo parece-me exagero.

nm disse...

Bom, bom era termos um seleccionador de jeito. O que nos deixou no estado actual tem muito pouco a ver com o golo de Zlatan aos 94 minutos. Duas vitórias em sete jogos não se explicam só com o pé frio do treinador. Nem com a alegada falta de soluções, de liderança, de golos do Ronaldo. Mas teremos tempo para dissecar isso. Venha de lá uma vitória na quarta. E, já agora, que o Zlatan não marque mais golos decisivos aos 94 minutos. E o mal de ficar a depender dos outros.

master kodro disse...

Oh, nm, desculpa lá: é só bom porque só fomos excelentes (35 remates e 10 oportunidades de golo) em três quartos do jogo e mais um bocadinho (quem retira quase metade da segunda parte, deixa pelo menos 70 minutos de fora...)?

Pronto, que isso seja só bom.

master kodro disse...

Claro que não se explica só com o pé frio. Ainda ninguém defendeu isso. O golo do Zlatan aos 94 minutos foi usado como um símbolo para aquilo que tem sido o melhor jogador do mundo nesta fase de qualificação. É isso que se espera dos melhores, que decidam jogos, seja aos 94 ou aos 15, seja com a Albânia ou com a Dinamarca. Não tivemos isso, nem um golo. Eles tiveram.

nm disse...

Sim, na forma actual, Veloso devia ser o trinco da selecção, mas convenhamos que ter que optar entre Carvalho, Alves e Pepe era uma decisão demasiado complicada para Queirós. Só se desviasse, em último recurso como contra a Suécia, Ricardo Carvalho para lateral direito ou arrisca-se pô-lo na esquerda. Não peçam é ao homem para tomar decisões complicadas.

PS: Já agora, era mesmo o Ricardo Carvalho que estava a disputar,e a perder, todos os lances no ar com o gigante Bendtner? Se calhar Queirós, qual visionário, já adivinhava o que veio a acontecer no golo dinamarquês. Bom, bom, era que estivesse o Ronaldo na marcação...

nm disse...

Rematar muito é bom para a estatística, ainda que as tuas 10 oportunidades de golo flagrantes sejam uma afirmação discutível. O guarda-redes dinamarquês, por exemplo, não fez qualquer defesa demasiado exigente.

Já agora, usando a matemática, se Portugal jogasse de forma excelente durante 90 minutos, merecia uma nota entre o 19 e o 20. Se só o fez durante uns 70, merece aí um 15 ou 16. Um "Bom", portanto.

nm disse...

Sim, espero mais do Ronaldo, mas também espero mais do Bruno Alves, por exemplo. Um defesa de 30 milhões de euros, um dos melhores do mundo, como se apregoa, não pode saltar como o fez no golo dinamarquês. Nem pode deixar a marcação para o Duda. Concentrar as críticas no Ronaldo é tão justo como fazê-lo em relação a qualquer outro jogador. De falta de aplicação não me parece que alguém o possa acusar.

JNF disse...

MK,

Queiroz demorou a decidir-se por Pepe, mas agora, na Hungria, quero ver se ele mantém a aposta.

master kodro disse...

nm, não estou a concentrá-las no Ronaldo. Como tu, esperava mais dele. Não há falta de aplicação, há falta de golos.

Quanto à marcação do Bruno Alves ao Bendtner no golo: ele chega tarde depois do Duda ficar fora do lance; estamos a defender a marcação individual?; e o Carvalho tinha que estar sempre com o Tomasson, é isso? E o Duda com o extremo? Parece-me um lance mais complexo do que essa falta de marcação individual do Alves ao Bendtner. Mas posso estar errado.

master kodro disse...

Já é o terceiro jogo oficial consecutivo com o Pepe a trinco, JNF. Acho que ele demorou ainda mais a encontrar um caminho. E encontrou-o. Não era um caminho linear, este 4x4x2, muito menos para mim. Mas está a funcionar muito bem. Eu nunca pensaria nele com os jogadores que temos. Vamos ver se não o descobriu tarde demais...

nm disse...

O que eu acho que não discordará é que não pode ser o Duda a ter que discutir o lance com o Bendtner. De igual modo, parece-me indiscutível que o Bruno Alves aborda o lance de uma forma um tanto ou quanta...tonta.

master kodro disse...

Claro que não, nm. Mas se revires o lance (há uma imagem de lado no resumo do sapo), tens o Bendtner com o Duda em cima dele e tens dois jogadores à frente do Tomasson (marcação bizarra) e apenas o Bruno Alves entre ele e a baliza. O Alves ficou entre os dois avançados e quando teve que escolher um (que, bem ou mal, estava marcado), chegou tarde.

Não lhe aponto o dedo com muita facilidade, neste lance.

Filipe disse...

Temos 10 pontos em 21 possíveis. Isto depois de um jogo com Malta e dois com a Albânia. Uma Dinamarca desfalcada de meia equipa habitual quase nos ganha, o que aliás é a única coisa que me dá alguma esperança. A Dinamarca é muito mais forte do que a equipa que defrontámos ontem. Não vai ser fácil para os suecos.

Por outro lado a Hungria é mais forte que a Albânia, e nada me garante que consigamos ganhar.

Domingos disse...

deixo aqui o link do meu blog para trocar-mos para os dois blog´s terem hiperligação um do outro.

http://oladodofutebolquenuncaviram.blogspot.com/

agradecia que me respondesse no blog.

abraço

Pedro disse...

Claro que a culpa é do Bruno Alves....só podia. è cada iluminado. Eu podia também criticar os golos falhados pelo CR ou pelo Simão e justificar assim este empate merdoso.

Além disso achar que temos empatado/perdido por causa da posição número 6 é ridiculo...

James disse...

Sinceramente, não achei que Portugal tenha jogado tão bem como se fala. Tentou-se muito mas acho que falta muita qualidade de jogo a Portugal, principalmente em termos de circulação de bola e movimentação dos jogadores.

O onze que eu colocaria contra a Hungria que até nem sei se é possível), seria este, num 4x4x2 losango:

Eduardo na baliza. Bosingwa na direita da defesa, Miguel à esquerda e no eixo a dupla Ricardo Carvalho e Pepe. Como trinco, Miguel Veloso. À sua direita, mas não tão aberto, João Moutinho. À esquerda, mas bem aberto, Nani, com Deco a jogar a 10. No ataque, Cristiano Ronaldo a jogar solto, mais à direita do ataque e Liédson a ponta-de-lança.

É uma equipa ofensiva, eu sei, mas penso que não podemos fazer mais nada a não ser jogar para ganhar. Temos de ganhar e bem as últimas partidas, se queremos mesmo ir ao Mundial.

António Pista disse...

Portugal demonstrou que já não é temido por ninguém!

Voltámos a ser uma selecção banal!

Rui Costa, Figo e JVP entre outros eram demasiado enormes para esta selecção ser comparada sequer com a nossa de 1996 a 2004!

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

camarao disse...

Antes de dares nota negativa para Simão, pergunta-te quem é que o pôs a jogar naquela posição. Creio que foi a primeira vez que o vi jogar a avançado num 4-4-2 losango.

Esta burrice só não foi a maior porque depois do intervalo entrou o Liedson e abdica-se do único sistema onde ele sabe jogar, mudando para um 4-3-3.

E a todos os iluminados que gostaram de ver o Pepe a jogar a trinco, vejam e revejam o golo dinamarquês e o buraco que se abriu entre os centrais porque o Pepe recuou em demasia. Um trinco não jogava assim.

E por último, empatámos, não por uma finalização desastrada, mas porque sofremos um golo onde deixámos um avançado rematar, confortavelmente, dentro da área em posição frontal.

Já agora, uma pergunta aos entendidos: quantos jogadores portugueses jogaram adaptados? Eu contei 5 (ou 4, se acharmos que Ronaldo não jogou adaptado). Acha-se isso normal?

pitons na boca disse...

Eu não percebo é porque o Simão teve uma exibição desastrada e o Ronaldo está nos destaques (acreditando que deste esses destaques pela positiva).
12 remates falhados (mais que Simão) sendo que muitos deles foram más decisões, com demasiados defesas à sua frente. Enquanto Simão trabalhou para circular a bola e procurar brechas na muralha dinamarquesa, Ronaldo não criou praticamente desequilibrios nenhuns (que era o que se pedia, não era?).

Se dizes que Simão teve uma exibição desastrada (e em termos de finalazação foi) o mesmo teria de ser dito do Crisnaldo, pela mesma razão e pelas más opções em quase todo o jogo.